A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Autoimunidade Definida como uma quebra dos mecanismos responsáveis pela tolerância imunológica que pode resultar em doenças.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Autoimunidade Definida como uma quebra dos mecanismos responsáveis pela tolerância imunológica que pode resultar em doenças."— Transcrição da apresentação:

1 Autoimunidade Definida como uma quebra dos mecanismos responsáveis pela tolerância imunológica que pode resultar em doenças.

2 AUTOTOLERÂNCIA

3 A doença auto-imune é multifatorial: genética, ambiental, dieta, estresse e contacto com diversos antígenos que podem ser desencadeadores. O que desencadeia uma doença auto-imune?

4

5 Quebra da tolerância devido a fatores genéticos

6 MIMETISMO MOLECULAR ENTRE PROTEÍNAS DE MICRORGANISMOS E PROTEÍNAS PRÓPRIAS

7 EXEMPLOS CLÁSSICOS DE MIMETISMO MOLECULAR E DOENÇAS AUTO-IMUNES Espondilite anquilosante: reação cruzada entre epítopos de HLA B-27 e da Klebsiella pneumonia Artrite reumatóide: Reação cruzada entre epítopos de HLA-DR4 e Proteus mirabilis Febre reumática: Reação cruzada entre epítopos de Proteína M de Esptreptococcus hemolítico e proteínas do sarcolema do miocárdio e miosina (cardite).

8 Tecidos e órgãos envolvidos Doenças auto-imunes órgão- específicas O dano está confinado ao órgão contra o qual a resposta imune é dirigida. Doenças auto-imunes sistêmicas Resposta imune contra antígenos que não estão especificamente associados a um órgão. Doenças auto-imunes órgão- específicas O dano está confinado ao órgão contra o qual a resposta imune é dirigida. Doenças auto-imunes sistêmicas Resposta imune contra antígenos que não estão especificamente associados a um órgão.

9 Tecidos e órgãos envolvidos

10 Órgão-específica: Doença de Graves Hipertireoidismo, oftalmopatia e dermopatia inflitrativa. Os pacientes apresentam Acs que reconhecem o hormônio estimulador da tireóide (TSH) mimetizando-o, o que leva à ativação contínua da tireóide com aumento de T3, T4 e redução do TSH

11 Doença de Graves

12 Órgão- específica: Tireoidite de Hashimoto Na tireoidite de Hashimoto, o organismo produz anticorpos contra a tireoglobulina e a peroxidase da tireóide.. Esses anticorpos provocam a destruição da glândula ou a redução da sua atividade, o que pode levar ao hipotireoidismo por carência na produção dos hormônios T3 e T4.

13 Órgão- específica: Anemia Perniciosa A absorção da vitamina B12 requer o fator intrínseco (IF) produzido no estômago. Em 90% dos pacientes a deficiência da absorção ocorre por Acs anti-IF.

14 Sistêmica: Miastenia gravis

15 Miastenia gravis Músculos mais susceptíveis: nervos cranianos e em 50% dos casos os músculos oculares. Pode surgir após evento estressante, como infecção e anestesia. Os indivíduos afetados podem apresentar timoma (tumor do timo).

16 Sistêmica: Artrite reumatóide n Inflamação crônica das articulações sinoviais com destruição progressiva de estruturas cartilaginosas e ósseas. Podem ocorrer vasculite e nódulos subcutâneos em 25% dos casos. n Linfócitos B das membranas sinoviais produzem Acs (IgM) contra a porção Fc da IgG produzidas contra infecções ou respostas inflamatórias.

17 Artrite reumatóide Possíveis causas Artrite reumatóide Possíveis causas Fatores hormonais (3:1 em mulheres entre 35 a 50 anos). Agentes infecciosos como Mycoplasma, Vírus da Rubéola, CMV, Herpes, Parvovírus B19, EBV e Mycobacterium tuberculosis. Presença de MHC-II: HLA-DR4 e HLA DR 1.

18 Artrite reumatóide Mecanismo imunológico Artrite reumatóide Mecanismo imunológico Líquido sinovial fica cheio de neutrófilos, macrófagos, LTh-1 e células dendríticas. Produção de metaloproteínases pelos macrófagos ativados por IL-1 e TNF-, clivando colágeno e proteoglicanos.

19 Sistêmica: ESPONDILITE ANQUILOSANTE Infiltrado inflamatório nas articulações sacro-ilíacas, na coluna e vértebras cervicais. 90% dos pacientes apresentam HLA-B27 do MHC- I associado a apresentação de peptídeos de Chlamidia, Yersinia e Salmonella (reação cruzada contra peptídeos presentes nas articulações).

20 Sistêmica: Lupus Eritematoso Sistêmico Doença crônica e multisistêmica Desenvolve-se na dependência de: Fatores genéticos (HLA DR3, deficiência de C2 e C4) Fatores hormonais (razão mulher/homem =10:1 entre 20 e 60 anos) Fatores ambientais (exposição a UV-B e medicamentos como procainamida, hidralazina, clorpromazina, isoniazinas, practolol e metildopa).

21 Anticorpos auto-reativos contra constituintes nucleares: DNA, ribonucleoproteínas, histonas e antígenos de nucléolos Imune-complexos se depositam nos glomérulos renais, articulações, pele e vasos sangüíneos (Hipersensibilidade tipo 3)

22 DIETA RELACIONADA A PIORA OU MELHORA DE QUADROS AUTO-IMUNES Sarampo e encefalite pós viral auto- imune: Pode estar correlacionada com deficiência de vitamina A na dieta que modula a produção de citocinas, atividade de complemento e citotoxicidade de macrófagos Lupus Eritematoso Sistêmico: Dieta rica em gorduras saturadas causa aumento na deposição de imune- complexos, aumento nos títulos de anticorpos anti-DNA e diminui a capacidade proliferativa de LT. Esclerose Múltipla: Ingestão aumentada de ômega 3 e baixos índices de gorduras saturadas diminuem as crises da doença.

23 ESTRESSE RELACIONADO A PIORA DE QUADROS AUTO-IMUNES Estresse: Aumenta o neuropeptídeo CRF(fator de liberação de corticotrofina) no hipotálamo. Isto aumenta a produção de glicocorticóides pela adrenal. Glicocorticóides tem efeitos supressores na resposta imune e tem conseqüências metabólicas. Artrite Reumatóide: Os níveis de CRF estão aumentados nas articulações e isto leva a inibição de Th1 e aumento de deposição de imune-complexos. Lupus Eritematoso Sistêmico: Os níveis aumentados de CRF levam a aumento de prolactina que acentua os sintomas.

24

25 INCIDÊNCIA DAS AUTO-IMUNIDADES LIGADAS AO SEXO

26 Tratamento das doenças auto-imunes Correção sintomática das conseqüências metabólicas Agentes imunosupressores convencionais Tratamentos experimentais: Indução da tolerância por administração oral do antígeno Imunização com o receptor específico do antígeno evitando o dano à célula-alvo. Correção sintomática das conseqüências metabólicas Agentes imunosupressores convencionais Tratamentos experimentais: Indução da tolerância por administração oral do antígeno Imunização com o receptor específico do antígeno evitando o dano à célula-alvo.

27 Falhas no tratamento das doenças auto-imunes As causas de morte incluem: -Falência renal por deposição de imune- complexos; -Lesões vasculares afetando o SNC; -Complicações com infecções secundárias devido às lesõe s.


Carregar ppt "Autoimunidade Definida como uma quebra dos mecanismos responsáveis pela tolerância imunológica que pode resultar em doenças."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google