A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AGENTES VIRAIS CAUSADORES DE GASTROENTERITES. 1.Rotavirus 2.Adenovirus Entéricos 3.Calicivírus 4.Astrovírus.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AGENTES VIRAIS CAUSADORES DE GASTROENTERITES. 1.Rotavirus 2.Adenovirus Entéricos 3.Calicivírus 4.Astrovírus."— Transcrição da apresentação:

1 AGENTES VIRAIS CAUSADORES DE GASTROENTERITES

2 1.Rotavirus 2.Adenovirus Entéricos 3.Calicivírus 4.Astrovírus

3 ROTAVIRUS Família: Reoviridae Gênero: Rotavirus

4 ROTAVIRUS Isolado primeiramente em 1973 de crianças com diarréia Identificados por ME de biópsias de duodeno Linhagens humanas e animais

5 Rotavirus (formato de roda)- Estrutura por ME

6 Introdução Rotavírus – Características gerais Capsídeo icosaédrico de 65-75nm Capsídeo formado por três camadas de proteínas Não-envelopado Genoma RNA dupla fita segmentado (11 segmentos) – 16,5-21kb Extremidade 5 do genoma com cap Não envelopados Fonte: Arias et al., 2002

7 ROTAVIRUS- ESTRUTURA 3D

8 Proteínas de Estrutura Viral (VP) Proteínas estruturais do Capsídeo Externo VP7 e VP4 VP7 VP7=glicoproteina VP4 VP4= proteina P, clivada por protease (tripsina), hemaglutinina viral e formadora de espículas de superfície Proteínas estruturais internas (core) VP1, 2, 3, 6 VP6 é um importante determinante antigênico e responsável pelos grupos

9 Rotavírus – Taxonomia Grupos, subgupos e sorotipos baseados nas proteinas de capsídeo viral (interno e externo) 7 Grupos (A a G), sendo o A mais comum e com 2 subgrupos Grupos A, B, C (Humanos e Animais) Grupos D, E, F e G (Animais) Grupo A –10 Sorotipos (G) – VP7 –8 Sorotipos (P) e Genotipos [P] – VP4 Ushida et al., 2006

10 EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA Diferenças nos grupos Grupo A As infecções são as mais comuns Grupo B Associado com algumas epidemias na China Grupo C Responsável por diarréias esporádicas em crianças no mundo todo

11 Classificação Classificação (cont.) Eletroferotipos baseado na mobilidade dos segmentos de RNA por PAGE Usados em estudos epidemiológicos

12 Rotavirus - Propriedades Virus é estável no meio ambiente Relativamente resistente à detergentes Susceptível à desinfecção com 95% ethanol, Lysoform e formalina

13 Patogênese Célula-alvo são os enterócitos maduros dos vilos intestinais Penetra na célula via endocitose Replica-se no citoplasma da célula hospedeira Dose infecciosa varia de 10 a 100 pfu

14 Rotavírus – Patogênese e Transmissão Período de incubação: 4-7 dias Eliminação: 10 9 por grama de fezes Transmissão fecal-oral Sintomas mais freqüentes: –Vômito –Diarréia Desidratação Duração dos sintomas: 7 dias Indivíduos imunocomprometidos Infecção sistêmica Fonte: Ramig, 2004

15 Replicação A transcrição do mRNA ocorre via RNA polimerase. As proteínas do capsídeo são traduzidas. Os segmentos de mRNA replicados são empacotados no nucleocapsídeo imaturo. O mRNA é replicado para formar o genoma de RNA dupla fita.

16 Epidemiologia no Mundo Milhões de afetados mortes/ano A principal causa de hospitalizações infantis associadas a diarréias Estudos de soroprevalência mostram que há a presença de anticorpos a partir dos 3 anos de idade.

17 Mecanismos da diarréia Diarréia aquosa devido a alta excreção de fluidos nos intestinos Ativação de nervos entéricos com possível papel de enterotoxinas

18 Aspectos clínicos Desidratação: Contribui para a alta taxa de mortalidade. Mal-absorção secundária de lactose e gorduras sendo que a diarréia crônica pode se estabelecer.

19 Diagnóstico Detecção do antígenos nas fezes: ELISA (para o Grupo A); Microscopia eletrônica para os rotavírus do grupo não –A; Sorologia e eletroferotipos para estudos epidemiológicos

20 Tratamento e Prevenção Tratamento-Tratamento- Reidratação oral ou venosa de suporte PrevençãoPrevenção- Lavagem de mãos e desinfecção de superfícies.

21 Primeira Vacina Primeira Vacina Vacina viva tetravalente de um rearranjo viral símio-humano (Rotashield) Licenciada para uso em Agosto de 1998 Retirada do mercado em outubro de 1999 devidos a riscos de intussuspeção

22 VACINA ATUAL RotaRix (GlaxoSmithKline), Licenciada no Brasil em Vacina monovalente, de origem humana, com a combinação P[8]G1. Confere proteção de 88% para os casos graves de gastroenterite por rotavírus G1. Também apresentou elevados níveis de proteção contra os demais sorotipos circulantes, de aproximadamente 83%, inclusive contra o sorotipo G9, emergente em escala global

23 CALICIVÍRUS HUMANOS

24 CALICIVIRUS HUMANOS (HuCV) Família: Caliciviridae Genoma: RNA simples fita + Não envelopados nm de diâmetro Contém um único capsídeo proteico

25 CALICIVIRUS HUMANOS Análise gênica divide-os em 4 grupos Os calicivírus humanos pertencem a 2 gêneros: Norovírus e Sapovírus

26 CLASSIFICAÇÃO DOS HuCV Gênero NV (Norovirus) Norovírus Desert Storm Virus Southampton Virus Snow Mountain Agent Hawaii Virus Toronto Virus Bristol Virus Jena Virus Gênero SLV (Sapovírus) Virus Sapporo Virus Manchester Houston/86 London/92

27 Morfologia típica de um HuCV 32 depressões em forma de cálice Aparência de Estrela de Davi em microscopia eletrônica Exemplo: Vírus Sapporo

28 Morfologia atípica de um HuCV (SRSV) Superfície lisa Small Round Structured viruses Ex:- Norovírus

29 SRSV- NOROVÍRUS

30 Genoma (+) ss RNA, 7900 nt 3 Open Reading Frames: ORF1= proteínas não estruturais- RdRp + helicase ORF2= proteína estrutural de capsídeo ORF3= proteína pequena de função não conhecida 53 ORF1ORF2ORF3 RdRp helcap?

31 Sintomas clínicos Diarréia não sanguinolenta (mais em adultos) Náusea Vômito (mais em crianças) Cólicas abdominais Mal estar Mialgia Dor de cabeça Febre baixa Sintomas duram de 12 a 60 horas.

32 Transmissão Fecal-Oral Tipicamente águas contaminadas Principais fontes de contaminação : água de consumo pobremente tratadas poços artesianos lagoas recreacionais piscinas Água servida em cruzeiros marítimos Alimentos manipulados por pessoas infectadas ou labados em água contaminada Frutos do mar

33 Prevenção e Controle Altamente estável no ambiente- resistente a: Congelamento Aquecimento até 60ºC Desinfecção com cloro Condições acídicas Vinagre Alcool Altas concentrações de açúcar

34 Outros dados A infecção leva à produção de IgG, IgA e IgM, mas os anticorpos não são protetivos. A imunidade não é duradoura e nem protege contra reinfecções. Uma imunidade transiente dura uns 3-4 meses. Não há vacina disponível. Não há fármacos antivirais no mercado. Prevenível por lavagem de mãos, boa higiene, uso adequado das fontes de águas, cuidado no preparo de alimentos.

35 Diagnóstico- Calicivírus em geral Espécimens clínicos fezes, vômito, swabs ambientais Imunomicroscopia eletrônica RT-PCR Sorologia para fins epidemiológicos

36 ASTROVÍRUS HUMANOS

37 Astrovírus Família Astroviridae 1975: primeiro registro em humanos 28 nm Não-envelopado Genoma: molécula única de RNA fita simples de 7kb, com polaridade positiva, extremidade 3 com poli(A) Oito sorotipos Aparência em ME de uma estrela de 5 ou 6 pontas com bordas lisas

38 Astrovírus Replicação viral ocorre no citoplasma da célula infectada ORF1a: protease ORF1b: RNA polimerase ORF2: proteínas do capsídeo, cuja maturação é dependente de tripsina e uma outra protease da célula hospedeira

39 ASTROVIRUS ASTROVIRUS – Epidemiologia e Sintomas Mundo todo Maioria são crianças <7 anos. Transmissão pessoa-pessoa pela via fecal-oral Epidemias ocorrem devido a contaminação de águas, alimentos e rutos do mar. Período de incubação de 1-4 dias Náusea, vômito, cólicas abdominais e diarréia aquosa Sintomas gerais como febre, mal-estar e dor de cabeça

40 ASTROVIRUS ASTROVIRUS - Diagnóstico Microscopia eletrônica ELISA RT-PCR

41


Carregar ppt "AGENTES VIRAIS CAUSADORES DE GASTROENTERITES. 1.Rotavirus 2.Adenovirus Entéricos 3.Calicivírus 4.Astrovírus."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google