A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Perfil dos Professores de Ensino Básico Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Joaquim José Soares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Perfil dos Professores de Ensino Básico Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Joaquim José Soares."— Transcrição da apresentação:

1 Perfil dos Professores de Ensino Básico Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Joaquim José Soares Neto Fórum Anual de Docentes Estácio 2010

2 História do Inep O Inep foi criado no dia 13 de janeiro de Inicialmente, era chamado de Instituto Nacional de Pedagogia. Em 1952, o professor Anísio Teixeira assumiu a direção do Inep e a gestão passou a dar maior ênfase ao trabalho de pesquisa. Anísio tinha como objetivo estabelecer centros de pesquisa como um meio de fundar em bases científicas a reconstrução educacional do Brasil. (Relatório do Inep 50 anos, 1987). Em 1972, o Inep foi transformado em órgão autônomo, sendo denominado como Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. A partir de 1995, houve o processo de reestruturação do órgão, para que as informações educacionais pudessem, de fato, orientar a formulação de políticas do Ministério da Educação. Em 1997, o Instituto passou a existir como o único órgão encarregado das avaliações, pesquisas e levantamentos estatísticos educacionais do governo federal. Nesse mesmo ano, o Inep é transformado em autarquia federal. Nos últimos anos, o Instituto reorganizou o sistema de levantamentos estatísticos e teve como eixo central de atividades as avaliações em praticamente todos os níveis educacionais.

3 Avaliações Educacionais Objetivos Analisar os sistemas de ensino Subsidiar a formulação de políticas educacionais Acompanhar e avaliar políticas educacionais Perguntas Em que condições socioeconômicas ocorre o processo educacional? O que o sistema oferece aos alunos? Quem tem acesso? Como se dá a progressão dos alunos? Que competências os alunos adquirem? Quanto custa e como é financiado o sistema educacional? Como se compara o sistema educacional nacional com outros sistemas de ensino?

4 A lógica do Censo Escolar Dependência administrativa Localização Salas Equipamentos Infra-estrutura Laboratórios Biblioteca Acessibilidade Formação Idade Sexo Cor/Raça CPF Nacionalid ade Idade Sexo Deficiênci a Cor/Raça Nome da mãe Modalidade Etapa Horário Duração do turno Número de alunos Disciplinas ANO LETIVO t

5

6 1. Taxas de Rendimento (Aprovação, Reprovação e Abandono); 2. Taxas de Distorção Idade-Série e Idade-Conclusão; 3. Idade Mediana e Idade Mediana de Conclusão; 4. Taxas de Transição (Promoção, Repetência e Evasão); 5. Tempo Médio Esperado de Permanência no Sistema; 6. Tempo Médio Esperado para Conclusão; 7. Taxa Média Esperada de Conclusão; 8. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Indicadores Educacionais Eficiência e Fluxo Escolar

7 Dados Gerais 2009 Prova Brasil/SAEB Anos Iniciais Municípios Escolas Alunos Anos Finais Municípios Escolas Alunos Ensino Médio 750 Municípios Escolas alunos Censo Escolar Matrículas Ensino Fundamental: Matrículas Ensino Médio:

8 Perfil dos Professores de Ensino Básico

9 Quantidade e Etapas de Atuação

10 Escolaridade por etapa de atuação

11 Escolas e Turmas de atuação 19,525,0 29,533,2 Alunos por turma

12 Adequação entre disciplina de atuação e curso de formação

13 Instituições formadoras dos docentes em exercício

14 Salário

15 Como garantir um bom professor em sala de aula? Políticas para o magistério: Atratividade da carreira docente Formação inicial Seleção Avaliação Desenvolvimento profissional

16 Características que podem ser alteradas por meio de políticas públicas: Remuneração Condições de emprego (contrato de trabalho) Condições de trabalho Perspectivas de carreira Status social / Reconhecimento profissional Atratividade da carreira docente

17 Como selecionar um candidato com potencial para ser um bom professor? Instrumentos utilizados em algumas experiências internacionais – unicamente ou de forma combinada: Diplomas específicos para docência ou certificados; Exames escritos com questões fechadas e abertas sobre conteúdos curriculares e pedagógicos; Currículo dos candidatos; Entrevistas com diretores e/ou conselho escolar; Observação de aula-teste;

18 No caso brasileiro A contratação é feita pelas secretarias de educação Os exames escritos ainda se apresentam como a melhor opção de instrumento para seleção O ideal é garantir que os candidatos que entrem na carreira demonstrem possuir os conhecimentos considerados necessários para uma prática docente efetiva e que sejam passíveis de medir em um exame escrito, antes que a prática se efetive

19 Como são as seleções no Brasil hoje? Não existem informações agregadas sobre todas as seleções que são realizados no país Gatti e Nunes (2009) em uma pesquisa com 35 seleçõess para professores de séries iniciais de secretarias estaduais e de capitais do país, observam que: Cobram majoritariamente conhecimentos de legislação e estrutura de funcionamento dos sistemas educacionais; Geralmente cobram algum domínio de Língua Portuguesa, mas não de Matemática nem Ciências Sociais e Naturais; São poucas questões sobre os fundamentos da educação, e raramente relacionadas às práticas docentes; Itens se referem geralmente a conteúdos teóricos e de modo superficial.

20 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Muito Obrigado! Nota: Nesta apresentação foram utilizados dados da Prova Brasil, Censo Escolar, Censo da Educação Superior e RAIS


Carregar ppt "Perfil dos Professores de Ensino Básico Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Joaquim José Soares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google