A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Agente de Desenvolvimento como Indutor de Transformações Tânia Fischer Curitiba, outubro de 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Agente de Desenvolvimento como Indutor de Transformações Tânia Fischer Curitiba, outubro de 2012."— Transcrição da apresentação:

1 O Agente de Desenvolvimento como Indutor de Transformações Tânia Fischer Curitiba, outubro de 2012

2 Ponto de partida: O Agente é um promotor do desenvolvimento endógeno e sustentável. Por isso, apoiá-lo significa investir no desenvolvimento socioeconômico desconcentrado e sustentável, fortalecendo os territórios e priorizando o capital humano e as vocações. Plano de trabalho, março de 2012

3 2011/ 2012/ 2022 – Cenários de mutações DE TERRITÓRIOS COM VISTA AO DESENVOLVIMENTO PARA ONDE IREMOS ? Fischer, 2012 GESTÃO Qual é o papel dos agentes?

4 Gestão Social do Desenvolvimento Territorial: um campo que projeta o futuro nos tempos e espaços de ação territorializados O futuro é viável? Cadeias de valores em um mundo de redes distribuídas Para que territórios? Hiperdemocracia? Multidões inteligentes? Hiperatividade? Multiculturalismo? Cosmopolitismo? Qualidade de vida? Estilo Corporal? Que indivíduos, que sociedades, que ambientes, que culturas, que serviços, que formas de produção, que instrumentos de gestão do desenvolvimento sustentável de territórios? Que perfis de gestores? Que perfis de formadores? Que percursos formativos para agentes do desenvolvimento territorial 2012/2022? Sustentabilidade? Criatividade? Mobilidade? Diversidade? Crises/catástrofes? Multimodalidade e integração de serviços? Nova demografia? Novas fronteiras regionais? Diversidades? Capital social?Equidade?

5 Gestão Contemporânea A gestão é um ato relacional que se estabelece entre pessoas, em espaços e tempos relativamente delimitados, objetivando realizações e expressando interesses de indivíduos, grupos e coletividades FISCHER, 2007

6 Até os anos 80Dos 80 aos 2000De 2000 a... Não carismáticaCarismáticaArtesanal TransacionalTransformacionalSinérgica, convergente Gerentes ExecutivosLíderesArtesãos, mediadores Situação, estilo e contingência Missão, visão, mística, criação Inovação, co-criação, resultados, conexões Foco no indivíduo, no trabalho, na organização Foco no indivíduo, na organização Foco no indivíduo, Comunidade, Sociedade Perfis de Liderança

7 Questões desafiadoras: os porquês 1.Por que tantos investimentos públicos governamentais, associativos e empresariais ocorrem simultaneamente no mesmo território com propósitos e tentativas de articulação que não se concretizam ou não se sustentam a médio e longo prazo? 2. Por que os programas elaborados pelo governo federal em diferentes ministérios, os programas estaduais e dos governos locais não apresentam a necessária articulação vertical em sua concepção e desenvolvimento?

8 3. Por que há tantas dificuldades nas conexões horizontais, ou seja, há muitas dificuldades de convergência entre programas governamentais, ações de responsabilidade empresarial, organizações associativas e movimentos sociais? 4. Por que há territórios hiperatividados, com grande número de programas e projetos oriundos de políticas nacionais, regionais e locais, agencias de financiamento internacional e nacional, governos e iniciativa privada e outros tão rarefeitos, com tão escassos investimentos? Questões desafiadoras: os porquês

9 A idéia do desenvolvimento está no centro da visão do mundo que prevalece em nossa época. Nela se fundamenta o processo de invenção cultural que permite ver o homem como um agente transformador do mundo. Celso Furtado

10 Gestão do Desenvolvimento Territorial Gestão da Sociedade Gestão Social Agentes de Desenvolvimento Territorial

11 O território Como construção da sociedade Como ancoragem Como criação coletiva Convergência estratégica de múltiplas ações de desenvolvimento com responsabilidade social e ambiental Um legado cultural

12 Gestão Pública Territórios Gestão Associativa Desenvolvimento Territorial Sustentável Gestão Empresarial

13 Os territórios no mundo...

14 EUROSOCIAL: DIÁLOGO EURO-LATINOAMERICANO DE POLÍTICAS PÚBLICAS Apoyando políticas, conectando instituciones, trabajando para la cohesión social

15 Folha de São Paulo, Outubro 2010

16 Projeto Educatiu de Ciutat

17 O Globo Projetos de Marketing, setembro 2012

18 Diversidades... Diásporas... Nomadismos... Sincretismos... A gestão da sociedade e dos territórios mutantes O Brasil das:

19 Brasil, um território Um país em transição para onde? Perspectivas demográficas mais velho mais mestiço mais feminino mais diverso mais migrante (intra e intermobilidade) Estruturas das instituições e sociedade mais inclusão maior diversidade familiar/ retribalização maior diversidade institucional nas formas de representação social (redes)

20 Formas de governo/ governança maior integração produtiva mais serviços maior regulação maior interatividade maior tecnologia mais investimentos Significados e sentidos do trabalho Transição do material para o imaterial Novas competências profissionais Novos desafios de formação Com mudanças nos significados e limites dos territórios: escalas nacional. (inter) regional, local O papel das cidades e regiões Brasil, um território

21 Como, melhorar a competência em gestão desde a formulação estratégica de políticas de desenvolvimento territorial ate a execução na ponta, nos múltiplos territórios brasileiros tão diversos em um país continental? Como aproveitar as experiências realizadas em diversos escalas territoriais( micro,meso e macro) para sistematizar conhecimentos sobre as metodologias e tecnologias de gestão do desenvolvimento territorial? Caminhos possíveis – como?

22 Como tornar sustentável, eficiente a rede de Ads no país? Como organizar ambientes de aprendizagem e formação de pessoas em diferentes níveis de gestão que incorporem conhecimentos, saberes, tecnologias e instrumentos que possam ser compartilhados na país e com outros países latino-americanos? Como incorporar experiências de outros países em seus diferentes ciclos de gestão, aproveitando as lições dos percursos realizados? Caminhos possíveis – como?

23 As ADs são parte da solução? Que caminhos? Que perfis? Que estratégias?

24 O grande desafio que o Brasil enfrenta é alcançar a necessária lucidez para concatenar energias e orientá-las politicamente, com clara consciência dos riscos de retrocesso e das possibilidades de liberação que eles ensejam. O desafio Darcy Ribeiro

25 A qualificação de gestores sociais para o desenvolvimento territorial - ADs TAREFA COMPARTILHADA Desafio brasileiro: educação profissional Qualificar o gestor, profissionalizar ADs

26 POR QUE? O QUE? QUEM? COMO? PARA QUEM? ADs? Gestores sociais do desenvolvimento territorial Mandala: Carmem Penido

27 Desafios 2012/ 2022 Qualificar o gestor social do desenvolvimento teritorial Que papéis? Gravura: Tarsila de Amaral Líder?Gerente? Empreendedor? AD, um mediador? Que itinerários formativos?

28 Dimensões da Gestão Social do Desenvolvimento Territorial Figura 2: Dimensões da Gestão Social Fonte: Elaboração própria

29 PNGATI - Gestão Ambiental e Territorial sociais Terra Indígena Pare de fingir de governar, temos representantes suficientes nos 03 poderes que pensar e agir por si mesmos. O desenvolvimento sustentável não deve ser interpretado e conduzido pela ótica do crescimento econômico, pelo ganho com o aumento da riqueza e sim no sentido de promover o viver bem e a soberania popular Sônia Guajajara Líder Guajajara e membro do APIB

30 Mapeamento de domínios de competência do gestor social do desenvolvimento 1.O gestor é um estrategista da inovação e desenvolvimento socioterritorial identificar contextos, relações, atores formalizando programas e projetos apoiando a implementação regulando, controlando e avaliando resultados 2. O gestor é um mediador entre atores, instituições e suas representações, entre níveis de poder e representações territoriais eticamente determinado e estrategicamente orientado à promoção do desenvolvimento de indivíduos, grupos e coletividades mobilizando e articulando ações em diversas escalas territoriais e formas organizacionais, gerando aprendizagem individual e coletiva

31 3. O gestor é um dirigente liderando pessoas, grupos e coletivos com sentido político e sensibilidade nas relações de poder capaz de articular interesses e gerenciar conflitos capaz de alocar e gerir recursos 4. O gestor é um avaliador capaz de regular processos e ações, recursos capaz de redirecionar cursos de ação Mapeamento de domínios de competência do gestor social do desenvolvimento

32 Criando, testando e aplicando tecnologias sociais na construção de designs socioterritoriais para Integrar, eficaz e efetivamente, estruturas de governo em escalas de poder e diversas culturas Promovendo o desenvolvimento socioterritorial Mapeamento de domínios de competência do gestor social do desenvolvimento – um AD? Sendo um Agente de Transfortmações

33 1. Elaborar e gerir projetos de intervenção e mudança em contextos socioterritoriais de diferentes escalas de poder (locais, regionais, nacionais e/ou internacionais), incluindo etapas de planejamento e avaliação de processos, de resultados e de impactos; 2. Elaborar diagnóstico, valendo-se do conhecimento, de instrumentos institucionais e tecnológicos e de recursos metodológicos produzidos em diversos campos do saber, integrando-os e articulando-os, de acordo com as características do contexto de intervenção; 3. Sistematizar práticas de desenvolvimento e gestão social, reconhecendo instrumentos e saberes (lições e ensinamentos) relacionados a elas; Competências em Gestão Social do Desenvolvimento Territorial

34 4. Gerir criativamente organizações e interorganizações em diferentes dimensões de tempo e espaço; 5. Potencializar espaços de aprendizagem, por meio do engajamento nas oportunidades oferecidas pelo curso e na busca ativa para estabelecer relações com pessoas e organizações envolvidas em práticas relacionadas a sua área de atuação; criando comunidade de práticas e interesses nacionais e internacionais. 6. Difundir socialmente os conhecimentos e práticas. Competências em Gestão Social do Desenvolvimento Territorial

35 De onde Falamos?

36 BAHIA Salvador Territórios de Identidade Onde estamos?

37 LABOR Ignacy Sachs

38 Curso Superior Tecnológico Especialização Mestrado Profissional (Pres) Extensão Banco de Tecnologias para Ensino Digital Programa de Formação Profissional em Gestão Social para o Desenvolvimento Residência Social Pesquisa Aplicada Desenvolvimento e Qualificação Territorial Governo Empresas Sociedade Civil Cerca de 4000 alunos formados pelo PDGS (2002 a 2011) Banco de Tecnologias para Ensino Digital LABOR PDGS

39 S1S2S3 S4S5 Oficinas Oficina Tc1 Tc2 Tc3 Tcn Residência Social INSTRUMENTAÇÃO TERRITÓRIO Pesquisa, Difusão Social TCC APLICAÇÃO Seminários MAPA CURRICULAR Indivíduo, Sociedade e território Desenvolvimento Social Gestão Pública Gestão Social 2009 DESENVOLVIMENTO CRIATIVIDADE Curso de Graduação - Mapa Curricular

40 S1S2S3 S4 oficina Projeto Intervenção 90h 60h 90h O território como espaço de gestão sustentável Gestão Integrada de Territórios Responsabilidade Socioambiental e Ecoeficiência Estratégias Instruementos Normas em DTS S5 Seminários de integração do desenvolvimento territorial Residência Social (Brasil) 90 H MSA/ Especialização - Mapa Curricular Projeto Intervenção oficina Relatório de projeto ExploraçãoDesenvolvimentoProposta integrada 16h 8h

41 MÓDULO 7 85 h Residência Social e TACC (40h de vivências) AMBIENTAÇÃO EAD 17 h MBA DRS: Desenho curricular do curso MÓDULO h MÓDULO 4 68 h MÓDULO h Introdução a Gestão do Desenvolvimento Territorial e atuação do BB e da CEF em desenvolvimento sustentável MÓDULO 1 68 h Formação Gerencial MÓDULO 6 34 h Estado, Sociedade e Políticas de Desenvolvimento Gestão do Desenvolvimento Socioterritorial e Formas Organizacionais Avaliação do Desenvolvimento Socioterritorial MÓDULO 3 34 h Desenvolvimento Territorial e Desenvolvimento Regional Sustentável Urbano e Rural

42 S1S2S3 S4 oficina Pesquisa 1 Aplicação Procedimentos Sistemáticas 90h 120h 105h Desenvolvimento, Criatividade Indivíduo, Socieade e empresa Sustentabilidade, Cultura, ambiente e diversidade Estratégias e instrumentos TC1 TC2 TC3 TCn INSTRUMENTAÇÃO TERRITÓRIO Oficinas S5 Seminários Tecnologias Sociais Residência Social (Brasil) 105 H Pesquisa 2Pesquisa 3Pesquisa 4

43 Programa LABOR Ignacy Sachs FORMAÇÃO DE GESTORES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL

44 Questões: Como qualificar gestores do desenvolvimento territorial? Como inovar em designs de ensino/ pesquisa/ difusão social? Como construir o institucionalizar espaços de inovação em uma universidade pública? Como contribuir para o desenvolvimento social de territórios? Como interiorizar/ internacionalizar?

45 Estratégias em 2012/ 2022: Desenvolvimento territorial Interiorização Internacionalização Diversidade e Convergência Convergência produtiva para o desenvolvimento territorial Aprendizagem para convergência tecnológica PARCERIAS ESTRATÉGICAS INTERNACIONAIS, NACIONAIS, REGIONAIS E LOCAIS COM INSTITUIÇÕES REPRESENTATIVAS DA CONVERGÊNCIA SOCIEDADE. GOVERNO E EMPRESAS PROGRAMA LABOR IGNACY SACHS

46 Parcerias: UNILAB PRÓ-ADM/ CAPES: Universidade Federal do Ceará/ Campus Cariri Universidade Federal de Sergipe PUC/ São Paulo PRÓ-CULTURA/ CAPES: USP UFRGS Télé-Université (TELUQ) Cátedra Universitè Paris-Dauphine Université de Montréal NPGA ADM/ Grad ADM/ Sec Inst. de Psicologia Fórum de Educação Profissional Fórum de Mestrados Profissionais Academia de Ciências da Bahia

47 Ensino + Inovação Recôncavo* PROGRAMA LABOR Barreiras? BA *Parceria UNILAB CE* SE SP SC RS Graduação Tecnológica Extensão Especialização Mestrado Profissional Agreste? Extremo Sul? ? África América do Sul Europa América do Norte Outras parcerias: TELUQ, Paris Dauphine, UBA, Universidade de Angola, PUC/SP, UFC/Cariri, UFS, UFSC, UFRGS

48 LABOR: coesão e difusão em construção compartilhada PROGRAMA LABOR Ensino + Inovação Co-criação e coesão

49 Implantação das unidades dos Laboratórios de Inovação Empreendedora e Tecnologias Sociais que permita o desenvolvimento de cursos a distancia, bimodais e presenciais de forma a propiciar que as lideranças dos diferentes territórios possam transitar por diferentes itinerários formativos em processo de educação profissional continuada. Foco central

50 Gestores sociais Jovens ingressantes no ensino superior e lideranças sociais nos territórios Gestores de empresas com atuação nos territórios Gestores públicos governamentais municipais, estaduais e feder Público alvo Agentes do Desenvolvimento Territorial

51 Trilhas Curriculares Gestão Criativa, Diversidade e Interculturalidade Gestão de Políticas Públicas, Programas e Projetos Gestão Ambiental Gestão da Responsabilidade Social Gestão de Riscos Sistema Normativo de RSA Gestão de Movimentos Sociais Gestão de Empreendimentos Solidários Gestão de Cooperativas Gestão de Micro e Pequenas Empresas Gestão de Movimentos Sociais Gestão de Cidades Gestão de Serviços (águas, resíduos, redes) Gestão da Mobilidade no Território Gestão de Redes Gestão da Inovação Territorial Gestão da Comunicação e Tecnologias de Desenvolvimento Territorial.... T(n)

52 Casos como estratégias de ensino CASO 1 Península de Itapagipe, Salvador/ Bahia: Incubadora de Núcleos Produtivos Associativos Figura 1: Imágenes de la Península de Itapagipe Fuente: wikipedia

53 Casos como estratégias de ensino CASO 2 Florestas tropicais

54 Estrutura da Educação Brasileira O PDGS e o LABOR atendem aos princípios da proposta do PNPG 2005/2010 no que se refere à criação de programas estratégicos especiais e ao PNPG como programa de educação profissional integrado (de GST a PG)

55 MUITO OBRIGADA! |


Carregar ppt "O Agente de Desenvolvimento como Indutor de Transformações Tânia Fischer Curitiba, outubro de 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google