A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Setor de Relações Internacionais das IFES e suas interfaces na universidade 2o. Curso ANDIFES de Gestão da Internacionalização Universitária Nancy Gondim.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Setor de Relações Internacionais das IFES e suas interfaces na universidade 2o. Curso ANDIFES de Gestão da Internacionalização Universitária Nancy Gondim."— Transcrição da apresentação:

1 O Setor de Relações Internacionais das IFES e suas interfaces na universidade 2o. Curso ANDIFES de Gestão da Internacionalização Universitária Nancy Gondim Pedrozo Universidade Federal Fluminense Setembro de 2009

2 2 O SRI: objetivo O Setor de Relações Internacionais deve ter por objetivo propor e fomentar as políticas de internacionalização da Universidade, facilitando seu processo de execução através de suporte técnico, acadêmico e administrativo às atividades de cooperação internacional.

3 3 O que é internacionalização É o processo de inclusão das dimensões do global, do internacional e do intercultural nos currículos, no processo ensino/aprendizagem, na pesquisa, na extensão e na cultura organizacional da universidade com o objetivo de proporcionar à sua comunidade uma diversidade de conceitos, ideologias e princípios gerenciais contemporâneos sem, contudo, perder de vista suas origens e suas motivações próprias.

4 4 Internacionalizar não é só mobilidade!! Também é: Considerar currículos diferenciados; Oferecer disciplinas em outros idiomas; Reconhecer, institucionalmente, carga horária cumprida no exterior; Apoiar, criticamente, cursos resultando em dupla titulação; Facilitar atividades de cunho internacional no interior das instituições; Ter a dimensão do internacional integrada à cultura institucional; Depois disso, o céu é o limite!

5 5 Por que internacionalizar? Formação de parcerias estratégicas para a ampliação do horizonte acadêmico e, conseqüentemente, para a produção do conhecimento; Qualificação de pessoal docente e técnico vinculado à universidade; Contribuição para o desenvolvimento nacional através da oferta de formação diferenciada de talentos; Enriquecimento cultural dos envolvidos em função da diversidade proporcionada.

6 6 As interfaces na universidade: rede? "redes são estruturas abertas capazes de expandir de forma ilimitada, integrando novos nós desde que consigam comunicar-se dentro da rede, ou seja, desde que compartilhem os mesmos códigos de comunicação (por exemplo, valores ou objetivos de desempenho). Uma estrutura social com base em redes é um sistema aberto altamente dinâmico suscetível de inovação sem ameaças ao seu equilíbrio" (Castells, 1999)

7 7 Ou seja Todos os atores devem, tanto quanto possível, falar a mesma língua Há que haver flexibilidade para novas pessoas e, principalmente, novas idéias

8 Nenhum homem é uma ilha, sozinho em si mesmo; cada homem é parte do continente, parte do todo... Ernest Hemingway

9 9 A importância das interfaces É preciso haver coerência entre os pontos fortes da universidade e as atividades internacionais; Internacionalizar deve fazer parte da missão institucional e ter estratégia definida; As políticas para Ensino, Pesquisa e Extensão devem levar em conta a internacionalização; Para isso é necessário haver sensibilidade à causa: COMPONENTE PESSOAL

10 10 As interfaces institucionais imediatas 1. Conselhos Superiores; Até 2008, não havia uma única IFES cujo responsável pelo SRI fizesse parte de qualquer Conselho Superior na qualidade de gestor da área internacional. Sendo assim, para onde vai a estratégia institucional?

11 11 As interfaces institucionais imediatas 2. Pró-reitorias (na qualidade de proponentes e gestores de políticas) Internacionaliza-se Ensino, Pesquisa e Extensão

12 12 As interfaces institucionais imediatas 3. Departamentos de Ensino Desempenham um papel importante: são aqueles que ofertam as disciplinas, que congregam os professores, que aprovam os projetos acadêmicos internacionais.

13 13 As interfaces institucionais imediatas 4. Departamentos Administrativos Setor de Comunicação, Setor de Transportes, Setor de Eventos, Setor de RH,.....

14 14 As interfaces institucionais imediatas 5. Coordenações de cursos de graduação e pós- graduação São os grandes parceiros no processo de mobilidade!!!

15 15 As interfaces institucionais imediatas 6. Corpo Docente e Discente Cada um deles é um multiplicador em potencial das ações do SRI via parcerias locais Validam a competência do Setor pela propagação de sua percepção OU NÃO!

16 16 Concluindo (ou quase) Comprometimento das diversas instâncias institucionais é crucial Cultura da internacionalização como parte da cultura organizacional Estabelecimento de relacionamentos internos estratégicos para o desenvolvimento da atividade de internacionalização; Visibilidade das ações desenvolvidas

17 17 Concluindo (agora de verdade) Os pontos de partida para as interfaces de sucesso podem ser: 1. Determinação institucional 2. Habilidade pessoal, o que inclui a profissionalização do pessoal direta ou indiretamente envolvido com a área 3. Ambos

18 O encontro de duas personalidades assemelha-se ao contato de duas substâncias químicas: se alguma reação ocorre, ambos sofrem uma transformação. Carl Gustav Jung


Carregar ppt "O Setor de Relações Internacionais das IFES e suas interfaces na universidade 2o. Curso ANDIFES de Gestão da Internacionalização Universitária Nancy Gondim."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google