A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Metodologia 2008 e 2009/2011 para a avaliação de desempenho das UDs e UCs da Embrapa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Metodologia 2008 e 2009/2011 para a avaliação de desempenho das UDs e UCs da Embrapa."— Transcrição da apresentação:

1 Metodologia 2008 e 2009/2011 para a avaliação de desempenho das UDs e UCs da Embrapa

2 O documento é um apêndice metodológico das normas do Sistema de Avaliação e Premiação por Resultados da Embrapa - SAPRE, especificamente no que se refere às normas referentes ao Sistema de Avaliação das Unidades (SAU)

3 Objetivos do documento Contribuir para a internalização do SAPRE, a fim de se compreender a metodologia usada para o cálculo do IDI da Unidade, que será um dos parâmetros utilizados no processo de premiação (UD, Chefias, equipes e empregados), via SISPEM. Os objetivos do SAPRE são importantes, e estão ligados aos indicadores do SAU.

4 Para o IDI são considerados: Produtividade Qualidade de Gestão Satisfação e Impactos (RN 06, de 05/03/2009).

5 Mudanças ocorridas Produtividade: de 23% para 30% Qualidade de gestão: de 65% para 60% Satisfação e impactos: de 12% para 10%

6 1 - Critério Produtividade (eficiência) a) Captação de recursos: a1) Relação Receita Própria x Tesouro Nacional (capacidade de captar recursos visando diminuir a dependência do Tesouro Nacional) a2) Evolução da Captação de Recursos (comparação do volume captado no ano base com a média dos últimos três anos)

7 1 - Critério Produtividade (eficiência) b) Evolução da Produtividade (5%): Baseia-se no crescimento da produtividade (produção x custos) de cada Centro de Pesquisa, em relação a ele mesmo, comparado com a produtividade média dos três últimos anos

8 1 - Critério Produtividade (eficiência) c) Análise de Eficiência Técnica (10%) O Índice de Eficiência Técnica (IET) de uma Unidade, a ser usado a partir de 2009, será calculado em função da sua produção anual e dos insumos utilizados para a obtenção dessa produção.

9 1 - Critério Produtividade (eficiência) Produção anual: as mesmas 4 (quatro) categorias utilizadas no cálculo do índice de produtividade: Produção Técnico-científica; Produção de Publicações Técnicas; Desenvolvimento de Tecnologias, Produtos e Processos; e Transferência de Tecnologia e Promoção da Imagem. Insumos: despesas anuais de pessoal, outros custeios, e as depreciações anuais de benfeitorias e imóveis, mais o custo de oportunidade de terrenos (3,0% do valor patrimonial corrigido dos terrenos

10 1 - Critério Produtividade (eficiência) O Índice de Eficiência Relativa (IEF) é inter- relativo, a Unidade com melhor eficiência terá índice igual a 1 (um) e as demais serão comparadas com a mesma, excluídas as eventuais Unidades com resultados atípicos (outliers).

11 2 - CRITÉRIO QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA) d) cumprimento de PDU, e) ações de melhoria da gestão, e f) ações de parceria.

12 2 - CRITÉRIO QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA) d) cumprimento de PDU O índice de cumprimento de metas do PDU (planejado x realizado) do ano base será obtido diretamente do Side, o Sistema de Informação de Apoio à Decisão Estratégica

13 2 - CRITÉRIO: QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA) e) ações de melhoria da gestão Incluem os seguintes indicadores: e1) relatório da gestão / plano de melhoria da gestão, e2) análise e melhoria de processos, e3) não conformidades de auditoria, e e4) construção/edição da árvore do conhecimento.

14 e1) relatório da gestão / plano de melhoria da gestão O Relatório da Gestão (RG) é intercalado com o Plano de Melhoria da Gestão (PMG). Para o ano base 2008, o indicador foi o Relatório de Gestão e para 2009 será o Plano de Melhoria da Gestão 2 - CRITÉRIO: QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA)

15 e2) análise e melhoria de processos Para o ano base 2009, a Unidade deverá apresentar dois processos de livre escolha, negociados diretamente com a Chefia

16 2 - CRITÉRIO: QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA) e3) não conformidades de auditoria Não-conformidades incidentes e reincidentes que não oferecem risco ao patrimônio público (simples falhas – pesos 1 e 2); e Não-conformidades incidentes e reincidentes que colocam em risco esse patrimônio (pesos 3 e 6)

17 2 - CRITÉRIO: QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA) e4) construção/edição da árvore do conhecimento Para a comprovação da atualização em relação às Árvores do Conhecimento publicadas, tomar- se-á, como elemento básico para a análise, um relatório a ser elaborado e encaminhado pela(s) Unidade(s) à Embrapa Informação Tecnológica.

18 2 - CRITÉRIO: QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA) f) ações de parceria Na composição do Índice de Parcerias será usada a seguinte ponderação: Parcerias na Programação de Pesquisa ,0% Parcerias em Publicações Técnicas ,0% Parcerias na Geração de Resultados Finalísticos ,0% Parcerias na Transferência de Tecnologia e Promoção da Imagem ,0%

19 2 - CRITÉRIO: QUALIDADE DA GESTÃO (EFICÁCIA) g) Intensidade da participação internacional O documento é omisso quanto à matéria

20 3 - Critério: Satisfação e Impacto (Efetividade) este critério serve para avaliar os centros de pesquisa em termos dos impactos gerados pelas tecnologias por eles desenvolvidas e já em processo de adoção. dada a diversidade de centros de pesquisa, a avaliação de impacto para fins do SAU, leva em conta apenas a qualidade dos relatórios de impacto de tais tecnologias e não os valores.

21 PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA Produção de artigos ou capítulos de livros, por empregado da Unidade ou em parceria com outra Unidade, destinados essencialmente ao meio científico.

22 PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA Comprovação: A publicação deverá ser disponibilizada na biblioteca da Unidade Unidade de medida: quantidade da produção

23 PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA O que pode ser Artigo em periódico indexado Artigo em anais de congresso; Resumo em anais de congresso; Nota técnica; Capítulo em livro técnico-científico; Orientação de dissertação ou tese de pós- graduação.

24 PRODUÇÃO DE PUBLICAÇÕES TÉCNICAS Trabalho publicado nas Séries Embrapa, gerado pela própria Unidade ou em parceria com outra Unidade da Empresa ou Instituição; Livros avulsos,considerados como publicação não-seriada no Manual de Editoração

25 PRODUÇÃO DE PUBLICAÇÕES TÉCNICAS O que pode ser: Sistema de produção; Circular técnica; Comunicado técnico/recomendações técnicas; Boletim de pesquisa e desenvolvimento; Documentos; Organização/edição de livros; Artigo de divulgação na mídia.

26 PRODUÇÃO DE PUBLICAÇÕES TÉCNICAS Comprovação: A publicação deverá ser disponibilizada na biblioteca da Unidade Unidade de medida: quantidade da produção

27 DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS, PRODUTOS E PROCESSOS Inclui novas tecnologias, produtos ou processos desenvolvidos, adaptados e testados em nível de clientes e usuários.

28 DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS, PRODUTOS E PROCESSOS O que pode ser: Cultivar gerada/lançada; Cultivar gerada/indicada; Evento elite; Prática/processo agropecuário; Raça/tipo; Insumo agropecuário; Processo agroindustrial; Metodologia científica; Máquina, equipamento e instalação; Estirpes; Monitoramento/zoneamento; Software.

29 DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS, PRODUTOS E PROCESSOS Comprovação: A chefia da unidade deverá disponibilizar na biblioteca, pelo menos, uma publicação que comprove cada um dos resultados gerados. Inclusão no SIDE Unidade de medida: quantidade da produção

30 TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA E PROMOÇÃO DA IMAGEM Ações referentes ao esforço da Empresa em tornar público suas tecnologias, produtos e serviços, promovendo a imagem da Instituição

31 TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA E PROMOÇÃO DA IMAGEM Comprovação A unidade deverá incluir no Sieve todos os eventos de transferência de tecnologia e promoção da imagem de que trata esta categoria,

32 TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA E PROMOÇÃO DA IMAGEM O que pode ser: Dia de campo; Organização de eventos Participação em exposições e feiras Palestra; Curso oferecido; Folder/folheto/cartilha produzido; Vídeo/DVD produzido; Unidades demonstrativas e de observação e vitrine tecnológica

33 TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA E PROMOÇÃO DA IMAGEM Unidade demonstrativa Unidade de observação Vitrine tecnológica Prosa rural; Veículos de comunicação interna e externa Matéria Jornalística.

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50 Marcelo Saldanha Embrapa Solos


Carregar ppt "Metodologia 2008 e 2009/2011 para a avaliação de desempenho das UDs e UCs da Embrapa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google