A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal de Pernambuco Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral Talco Alunas: Alessandra Gorette de Morais Jacqueline de Melo Araújo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal de Pernambuco Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral Talco Alunas: Alessandra Gorette de Morais Jacqueline de Melo Araújo."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal de Pernambuco Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral Talco Alunas: Alessandra Gorette de Morais Jacqueline de Melo Araújo Disciplina: Mineralogia Aplicada aos Minerais Industriais Professor: Luís Carlos Bertolino Recife, 2009

2 GEOLOGIA Origem variedade de ambientes geológicos: Origem secundária: Alteração de silicatos de magnésio: Olivinas e piroxênios Ocorrências Rochas ígneas e metamórficas: Produto de reações ativadas por altas temperaturas e pressões, envolvendo rochas carbonatadas, rochas calco-silicáticas, rochas básicas e ultrabásicas metamorfisadas e soluções hidrotermais; Obs: Geralmente os minérios derivados de rochas básicas e ultrabásicas são mais impuros.

3 TALCO Mg 3 (Si 4 O 10 )(OH) 2 Densidade: 2,7 a 2,8 g/cm3 Composição química teórica (talco puro) MgO = 31,7% SiO2=63,5% H2O=4,8% Fatores que determinam o seu uso 1. Granulometria (abaixo de 325#) 2. Composição química 3. Mineralogia Hábito Clivagem Lamelar Fibroso Basal Perfeita Granular

4 ESTRUTURA CRISTALOGRÁFICA Fonte:

5 MINERALOGIA Minerais associados Clorita Quartzo Hematita Serpentita Tremolita magnesita Calcita Dolomita actonolita Antofilita Impurezas Serpentita Calcário óxido de ferro Dolomita magnesita tremolita Clorita Antigorita outros

6 PROPRIEDADES 1.Inércia química; 2.Suntuosidade ao tato; 3.Alta área de superfície; 4.Boa retenção como carga; 5.Dureza baixa 6.Brilho nacarado e gorduroso 7.Resistência ao choque térmico 8.Leveza; 9.Hidrofobicidade natural; 10.Alto poder de lubrificação e deslizamento; 11.Capacidade de absorção de óleo e graxa.

7 RESERVA E PRODUÇÃO MUNDIAL Discriminação Reservas ( 10 3 t) Produção (10 3 t) Países (%) Brasil ,5 China ……… ,2 Estados Unidos (2) ,5 Índia ,9 Japão ,1 República da Coréia ,3 Outros Países ,6 Total Abundante

8 PRODUÇÃO INTERNA Talco Leve oscilação ao longo dos últimos anos, Queda nos anos de 2005 para 2006 Aumento no último ano em relação ao anterior. Estados produtores do talco Paraná - 39,5%; Bahia - 38,4%; São Paulo - 11,1%; Rio Grande do Norte - 8,4%; Minas Gerais- 1,9%; Goiás (0,4%); Rio Grande do Sul (0,3%). TOTAL - 97,4% da produção nacional.

9 IMPORTAÇÃO, EXPORTAÇÃO E CONSUMO Principais Estatísticas – Brasil Discriminação Produção (t) Importação Produto Beneficiado (t) Exportação Produto Beneficiado (t) Consumo Aparente (t) Preços (US$/t)

10 APLICAÇÕES INDUSTRIAIS Indústria de Perfumaria e Cosméticos (Uso nobre) Função: Suporte para pigmentos orgânicos e inorgânicos. Propriedades: Limpeza e desodorização. Especificações: Alvura; Livre de impurezas Livre de substâncias abrasivas: dolomita, tremolita e calcita. Passante na malha 325#.

11 APLICAÇÕES INDUSTRIAIS Indústria Cerâmica Produtos: Azulejo, canecos, cerâmica técnica, cerâmica industrial, ladrilhos cerâmicos, louças de mesa, louças sanitárias, pastilhas, isolantes elétricos. Função: Fundente na massa, fundente do esmalte, manter a plasticidade, consistência, diminuir o tempo de maturação da massa. Especificações: Alto teor de magnésio, utilização de talcos tremolíticos.

12 APLICAÇÕES INDUSTRIAIS INDÚSTRIA DE PAPEL E CELULOSE Uso nobre Função: Lubrificante, carga, cobertura e dispersante de resina em pasta mecânica. Especificação: Inexistência de CaCO3; máximo de 1% de óxido de ferro; Utilização de talco branco; Passante na peneira 325# Livre de micas

13 APLICAÇÕES INDUSTRIAIS Tintas e vernizes Função: Carga em tintas especiais, tinta látex, a óleo, impermeabilizantes e tintas de baixa visibilidade (possui um efeito de assentamento sobre a película de tinta). Talco lamelar: Carga e pigmento. Talco fibroso: Agente de suspensão. Especificação: cor branca; Passante na peneira 325#; Absorção de óleo entre 27 e 31%; Teor de umidade menor que 1%; Inexistência de CaO; pH entre 6,5 e 7,5%.

14 APLICAÇÕES INDUSTRIAIS Indústria Química Uso : Elaboração de produtos químicos como reagentes e detergentes. Construção Civil Uso : Componente de Argamassa, carga na indústria de cimento e carga mineral em produto asfáltico.

15 APLICAÇÕES INDUSTRIAIS Indústria de Ração Função: Veículos em rações e concentrados para suínos. Indústria de defensivos agrícolas Função: Carga inerte junto com herbicidas, fungicidas e inseticidas. Outras aplicações Função: Eletrodos para solda, materiais de fricção, indústria de componentes eletrônicos, indústrias automobilísticas, sabão, velas, têxteis, etc.

16 PROCESSAMENTO E BENEFICIAMENTO Brasil Países desenvolvidos ProcessamentoBeneficiamento Lavra SeletivaBritagem/Secagem Catação manualMoagem Separação magnéticaFlotação em coluna Catação fotoelétricaLixiviação Flotação convencionalSeparação densitária

17 PROBLEMAS ATUAIS Pouco estudo aplicado ao crescimento e valorização da produção, principalmente daquele segmento voltado à exportação do produto; Os empreendedores dirigem suas atividades, preponderantemente, para o mercado consumidor interno e para mercados de uso específico do mineral; Falta de investimentos em pesquisa geológica detalhada, e desenvolvimento tecnológico para os produtos regionais; Pouca flutuação, em curto prazo, na produção/consumo para o segmento do talco nacional, principalmente àquele voltado à produção cerâmica, devendo manter relação de incremento ou retração da demanda, de acordo com o crescimento econômico do país.

18 Trabalhos de Pesquisas Aperfeiçoar e desenvolver processos modernos de beneficiamento incluindo etapas de cominuição e flotação com remoção de impurezas.

19 MEIO AMBIENTE E SAÚDE Impactos ambientais Desmatamento; Poeira Saúde Ocupacional Talcose

20 Algumas empresas Cidade de Brumado (Ba) MAGNESITA S.A XILOTITE S.A IBAR NORDESTE S.A Paraná Mineração violani Minas Gerais Minas Serpentinito

21 Bibliografia Acessado em 26/03/2009;www.DNPM.gov.br Rochas e minerais industriais : Usos e especificações/Ed. Adão Benvindo da Luz e Fernando Antônio Freitas Lins-Rio de Janeiro: CETEM/MCT/ Acessado em 26/03/2009.http://www.unb.br/ig/glossario/verbete/talco.htm. Acessado em 26/03/2009 rencias.pdf. Acessado em 26/03/09.http://www.pormin.gov.br/informacoes/arquivo/talco_propriedades_aplicabilidade_ocor rencias.pdf. Acessado em 26/03/09 Acessado em 26/03/09www.dnpm.gov.br/assets/galeriadocumento/balancomineral2001/talcoAcessado em 26/03/09


Carregar ppt "Universidade Federal de Pernambuco Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral Talco Alunas: Alessandra Gorette de Morais Jacqueline de Melo Araújo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google