A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADO - CURITIBA TÉCNICO DE RADIOLOGIA CRÂNIO E FACE ALUNAS: CINTIA DOS SANTOS PEREIRA JULIANE SANTOS DE LIMA MALENA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADO - CURITIBA TÉCNICO DE RADIOLOGIA CRÂNIO E FACE ALUNAS: CINTIA DOS SANTOS PEREIRA JULIANE SANTOS DE LIMA MALENA."— Transcrição da apresentação:

1 CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADO - CURITIBA TÉCNICO DE RADIOLOGIA CRÂNIO E FACE ALUNAS: CINTIA DOS SANTOS PEREIRA JULIANE SANTOS DE LIMA MALENA BATISTA MACHADO TURMA: 81/85 MÓDULO: IV TURNO: MATUTINO PROFESSORA: CLÁUDIA VALÉRIA PAREDES

2 CRÂNIOE FACE FACE

3 TRAUMATISMO CRANIANO O QUE É? Tipo de contusão ou ainda lesão na cabeça, pode ocorrer imediatamente ou se desenvolver no decorrer de várias horas, podendo ainda constituir-se no traumatismo cranioencefalico Tipo de contusão ou ainda lesão na cabeça, pode ocorrer imediatamente ou se desenvolver no decorrer de várias horas, podendo ainda constituir-se no traumatismo cranioencefalico.

4 TRAUMATISMO CRANIANO CAUSAS acidentes de trânsito, acidentes de trabalho, quedas, violência física, acidentes em casa, Atropelamento durante prática desportiva

5 TRAUMATISMO CRANIANO CONSEQUÊNCIAS Coma; Perda de visão; Convulsões;Epilepsia; Deficiência mental; Perda da memória; Alterações de comportamento; Perda de capacidade de locomoção e/ou Perda de movimento de algum membro.

6 TRAUMATISMO CRANIANO A gravidade das consequências deste tipo de traumatismo dependerão do local do cérebro afetado, da extensão da lesão cerebral e também da idade do paciente.

7 TRAUMATISMO CRANIANO SINTOMAS Perda da conciência/desmaio; Dor de cabeça; Sangramento na cabeça; Diminuição da força muscular; Sonolência; Dificuldade de fala; Alterações na visão e na audição; Perda da memória; Coma.

8 TRAUMATISMO CRANIANO Casos leves - devem permanecer sob observação hospitalar por até 24 horas. Indivíduos em estado mais grave devem permanecer hospitalizados por mais tempo, onde receberão todos os cuidados necessários para sua recuperação. TRATAMENTO

9 TRAUMATISMO CRANIANO Medicações para dor e para a circulação deverão ser administrados, assim como diuréticos e o correto posicionamento no leito hospitalar. Pode ser necessária a realização de cirurgias à face e à cabeça. TRATAMENTO

10 TRAUMATISMO CRANIANO Traumatismo Craniano ligeiro: quando se verifica uma lesão mínima do exterior do crânio, sem perda de consciência. A pessoa ferida pode vomitar uma ou duas vezes e queixar-se de dor de cabeça (cefaléia). MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

11 TRAUMATISMO CRANIANO Traumatismo Craniano moderado: quando se verifica uma lesão mais óbivia do exterior do crânio e a pessoa pode ter perdido a consiência por um breve período de tempo. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

12 TRAUMATISMO CRANIANO Traumatismo Craniano grave: quando se verifica uma lesão grave do exterior do crânio, muitas vezes, em conjunto com lesões que envolvem o pescoço, braços ou pernas ou órgãos corporais importantes. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

13 TRAUMATISMO CRANIANO Como que magoou a cabeça Reação imediata a lesão (perda de consciência ou perda de memória) Quaisquer sintomas que ocorreram pouco após a lesão (vómitos, dores de cabaça, confusão, sonolência ou convulsões) DIAGNÓSTICO

14 TRAUMATISMO CRANIANO As suas medicações atuais (incluindo medicamentos sem prescrição médica) A sua história médica passada. Dor no pescoço, tórax, abdomen, braços ou pernas. DIAGNÓSTICO

15 TRAUMATISMO CRANIANO Acupuntura: sobretudo eficaz no tratamento das pertubações secundárias (cefaléias, vertigens, pertubações da visão) Auriculterapia: atenua ou suprime as sequelas (fadiga, vertigens, dores de cabeça, contracturas dos músculos cervicais, etc.) TIPOS DE TRATAMENTOS

16 TRAUMATISMO CRANIANO Homeopatia: acelera a convalescença e reduz as sequelas. Osteopatia: algum tempo depois do traumatismo, e na ausência de danos na coluna vertebral, relaxa tensões e rigidez através de técnicas suaves e prudentes. Relaxamento: pode ser útil em caso de stress e de cansaço persistente. TIPOS DE TRATAMENTOS

17 TIPOS DE LESÕES CRANIANAS

18 Fratura craniana - Uma fissura ou fratura de um dos ossos do crânio. Em alguns casos, o crânio fica amolgado para o interior, pelo que os fragmentos de osso despedaçado pressionam contra a superfície do cérebro. Isto denomina-se de fratura craniana com depressão.

19 TIPOS DE LESÕES CRANIANAS Hematoma epidural - Esta é uma forma de hemorragia grave que acontece quando um dos vasos sanguíneos sob o crânio que se encontram na meninge (dura-máter) se rompe durante uma lesão que, em regra, também fratura o crânio. Hematoma epidural - Esta é uma forma de hemorragia grave que acontece quando um dos vasos sanguíneos sob o crânio que se encontram na meninge (dura-máter) se rompe durante uma lesão que, em regra, também fratura o crânio.

20 TIPOS DE LESÕES CRANIANAS Hematoma subdural agudo - Nesta lesão, um vaso sanguíneo rompe-se e o sangue acumula-se entre a dura e a superfície do cérebro. O hematoma subdural agudo desenvolve-se rapidamente após um traumatismo craniano grave freqüentemente provocado por um acidente de viação ou queda. É uma lesão cerebral muito grave que provoca inconsciência e é fatal em cerca de 50% dos casos. É uma lesão cerebral muito grave que provoca inconsciência e é fatal em cerca de 50% dos casos.

21 TIPOS DE LESÕES CRANIANAS Hematoma subdural crônico - o hematoma pode acumular- se em vários episódios pequenos separados de hemorragia. Ocorre tipicamente, em pessoas idosas, tomando medicações que alteram a coagulação ou as plaquetas Os sintomas mais comuns são a sonolência, falta de atenção ou confusão, cefaléias, alterações na personalidade, convulsões ou a paralisia ligeira. Os sintomas mais comuns são a sonolência, falta de atenção ou confusão, cefaléias, alterações na personalidade, convulsões ou a paralisia ligeira.

22 TIPOS DE LESÕES CRANIANAS Hemorragias e contusões intraparenquimais - As hemorragias e contusões (escoriações) intraparenquimais ocorrem dentro do próprio cérebro e não entre o cérebro e o crânio. Podem ser provocadas por um impacto direto do cérebro ou por uma lesão indireta.

23 EXAMES RADIOLÓGICOS A.P. de cranio: paciente em decúbito dorsal ou ortostase, raio central perpendicular incidindo na glabela, distância foco filme um metro, filme 24x30 na longitudinal, respiração em apnéia.

24 EXAMES RADIOLÓGICOS P.A. de cranio: paciente em decúbito ventral ou ortostase, raio central perpendicular incidindo no topo da cabeça e saindo na glabela, distância foco filme um metro, filme 24x30 na longitudinal, respiração em apnéia.

25 EXAMES RADIOLÓGICOS

26 Perfil de cranio: paciente em decúbito ventral ou ortostase posição de nadador, raio central entre o Mae e o esfenóde, distância foco filme um metro, filme 24x30 na transversal, respiração em apnéia.

27 EXAMES RADIOLÓGICOS

28 SINUSITESINUSITE

29 SINUSITESINUSITE 1. Sinusite frontal 2.Sinusite etmóide 3.Sinusite esfenóide 4. Sinusite maxilar

30 SINUSITESINUSITE Sinusite é o nome que se dá à inflamação dos seios paranasais, também conhecidos como seios da face. A sinusite pode ser resultado de infecções virais, bacterianas.

31 SINUSITESINUSITE Existem vários tipos de sinusite são elas: - Aguda - os sintomas duram até quatro semanas - Aguda - os sintomas duram até quatro semanas - Subaguda - os sintomas duram de 4 a 12 semanas - Crônica - os sintomas duram três meses ou mais.

32 SINUSITESINUSITE Mau hálito ou perda do olfato; Tosse, muitas vezes pior durante a noite; Fadiga e mal-estar generalizado; Febre; SINTOMAS

33 SINUSITESINUSITE Dor de cabeça - dor como pressão, dor atrás dos olhos, dor de dente ou sensibilidade facial; Congestão nasal e secreção; Dor de garganta e gotejamento pós nasal. SINTOMAS

34 SINUSITESINUSITE Resfriados ou doenças respiratórias; Febre alta, juntamente com secreção nasal mais escura; Secreção nasal, com ou sem tosse, presente por mais de 10 dias e que não melhora. EM CRIANÇAS

35 SINUSITESINUSITE PREVENÇÃO Evitar ar poluído Não fumar cigarro. Caso suspeite que a sinusite esteja relacionada à poeira, mofo, pólen, deve consultar o médico para identificar o que causa a alergia a fim de tomar as medidas necessárias para reduzi-la.

36 SINUSITESINUSITE MEDICAMENTOS E OUTROS TRATAMENTOS: Injeções contra alergia Evitar os desencadeadores de alergia Sprays nasais com corticóides e anti-histamínicos

37 SINUSITESINUSITE MEDICAMENTOS E OUTROS TRATAMENTOS: Cirurgia (na persistência dos sintomas)

38 SINUSITESINUSITE EXAMES RADIOLÓGICOS Perfil: Paciente em decúbito dorsal em posição nadador, raio central perpendicular direcionado a dois dedos acima do MAE, distância foco filme de um metro, filme 24x30 transversal, paciente em respiração apnéia.

39 SINUSITESINUSITE EXAMES RADIOLÓGICOS Seios da face caldwell: Paciente em decúbito ventral, com queixo e o nariz encostado no meio da estativa, raio central 15° caudal incidindo no naso, distância foco filme de um metro, filme 18x24 longitudinal, paciente em respiração apnéia.

40 SINUSITESINUSITE EXAMES RADIOLÓGICOS Seios da face Waters: paciente em posição ortostática, com queixo encostado na estativa, raio central perpendicular incidindo no topo da cabeça saindo no maxilar, distância foco filme de um metro, filme 18x24 longitudinal, paciente em respiração apnéia.

41 Hospital Madalena Sofia. 15 dias (do dia 20/06/2013 ao dia 05/07/2013) Técnico Responsável: Sandro Henrique de Souza.

42 Obrigado


Carregar ppt "CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADO - CURITIBA TÉCNICO DE RADIOLOGIA CRÂNIO E FACE ALUNAS: CINTIA DOS SANTOS PEREIRA JULIANE SANTOS DE LIMA MALENA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google