A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cie-Centro de Educação Profissional Integrado Curso Técnico em Radiologia Trabalho de Módulo Crânio e Face Turma:082 VI Módulo Turno:noite.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cie-Centro de Educação Profissional Integrado Curso Técnico em Radiologia Trabalho de Módulo Crânio e Face Turma:082 VI Módulo Turno:noite."— Transcrição da apresentação:

1 Cie-Centro de Educação Profissional Integrado Curso Técnico em Radiologia Trabalho de Módulo Crânio e Face Turma:082 VI Módulo Turno:noite

2 Alunas: Camila Cristina de Oliveira Malaquias Elisandra de Oliveira Professora: Claudia Paredes

3 Segundo levantamento de dados feitos no Hospital Maternidade de Pinhais, década 100 exames realizados, 7 são de Perfil ou Lateral. Esse exame é feito para visualizar a sela turca, as metades cranianas, processos clinóides anteriores e posteriores e o clivo aparecem nesse exame.

4

5 Indicação: Fraturas do crânio ou de sua base, fratura do terço médio da face, exame do seio maxilar, esfenoidal e frontal, patologias que afetam a calota craniana e a sela túrcica.

6 O traumatismo craniano é um tipo de contusão ou ainda lesão na cabeça, pode ocorrer imediatamente ou se desenvolver lentamente no decorrer de várias horas, podendo ainda constituir-se num traumatismo cranioencefálico.

7 O traumatismo cranioencefálico é uma constante no mundo de hoje, mundo esse cada vez mais industrializado e motorizado. Os números estatísticos dessa doença são no mínimo desanimadores: 10 milhões de casos somente nos EUA anualmente dos quais 20% são sérios o bastante para causar lesão cerebral.

8 As principais maneiras de diminuição da morbidade e mortalidade dessa doença têm sido conseguidas através de programas nacionais de prevenção aos acidentes de trânsito e pela maior capacitação de pessoal especializado no resgate de acidentados, visando diminuir ao máximo as lesões devidas ao transporte inapropriado o que muitas vezes é o responsável por transformar uma lesão reversível em irreversível.

9 É estimado que que que por volta do ano 2020, os acidentes de trânsito serão a terceira causa de perda de anos por incapacidade física em todo mundo. Atualmente, muitos milhões de pessoas sofrem traumatismos cranioencefálicos, que muitas vezes também vêm acompanhados de traumas medulares, sendo que existem, infelizmente, poucos tratamentos com benefícios comprovados.

10

11

12 Segundo levantamento de dados feito, no Hospital Maternidade de Pinhais, de cada 100 exames realizados ao dia, 5 destes são de seios da face. E todos são para verificar sinusite, muito raramente e para outro tipo de patologia.

13

14 Os ossos dos seios da face são estruturas complicadas e o técnico em radiologia deve conhecer suas localizações aparências radiográficas, para avaliar a adequação diagnostica de uma imagem. Após ser feito uma anamnese do paciente, o técnico deve explicar a ele os procedimentos do exame, pedir que ele retire adornos de metal, estes podem incluir dentaduras metálicas, óculos, brincos, grampos de cabelo, aparelhos auditivos, o técnico deve fazer a assepsia da sala antes de realizar o exame.

15 Sinusite é uma inflamaçao de vias respiratórias superiores conhecidas como seios paranasais geralmente associada a um processo infeccioso por virus, bacterias,ou fungos mas que também pode estar associado a uma alergia ou a inalação de poluentes. Os seios paranasais são formados por um grupo de cavidades aeradas que se abrem dentro do nariz e se desenvolvem nos ossos daface. Sua frequência varia entre 1 e 15% das crianças e 1 e 40% dos adolescentes dependendo da região do mundo, sendo mais comum em regiões frias e com variações climáticas.

16 O processo de diagnóstico se inicia e muitas vezes é suficiente com uma história clínica bem colhida, associada a um exame físico bem feito. A critério médico podem ser utilizados examesradiologicos, como o raio x de Seios da Face, ou Seios Paranasais, destacando que para melhor identificação é recomendado uma tomografia computadorizada de Seios Peranasais.

17 Os casos mais comuns que podem desencadear a sinusite são: a gripe comum, alergia desvio do septo nasal e condições climáticas aversivas. As infecções mais frequentes são por infecção viral pelorinovirus, adenovirus, vírus respiratório sincicial ou/e para-influenza

18 Existem várias maneiras de prevenir a sinusite. O primeiro passo para garantir uma boa função nasal é manter as cavidades bem ventiladas, o que pode ser feito limpando bem o nariz usando um higienizador nasal com uma solução salina (água morna com uma pitada de sal ousoro figiologico. Manter a casa bem limpa também contribui para a prevenção de alergias. Beber bastante água ajuda a manter os mucos menos densos.

19


Carregar ppt "Cie-Centro de Educação Profissional Integrado Curso Técnico em Radiologia Trabalho de Módulo Crânio e Face Turma:082 VI Módulo Turno:noite."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google