A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Ética Médica na Informatização da Relação Humana Médico-Paciente Jaqueline Luvisotto Marinho Reginaldo Teixeira Mendonça Faculdade de Medicina de Ribeirão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Ética Médica na Informatização da Relação Humana Médico-Paciente Jaqueline Luvisotto Marinho Reginaldo Teixeira Mendonça Faculdade de Medicina de Ribeirão."— Transcrição da apresentação:

1 A Ética Médica na Informatização da Relação Humana Médico-Paciente Jaqueline Luvisotto Marinho Reginaldo Teixeira Mendonça Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

2 MÉDICO PACIENTE ÉTICA INFORMÁTICA

3 CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA: ARTIGO 62: É vedado ao médico prescrever tratamento ou outros procedimentos sem exame direto do paciente, salvo em condições de urgência e impossibilidade comprovada de realizá-lo, devendo, nesse caso, fazê-lo imediatamente cessado o impedimento. ARTIGO 134: É vedado ao médico dar consulta, diagnóstico ou prescrição por intermédio de qualquer veículo de comunicação de massa.

4 RESOLUÇÃO 097/2001 do CREMESP: a informação médica via Internet pode complementar, mas nunca substituir a relação pessoal entre o paciente e o médico. A Internet pode ser ferramenta útil, veiculando informações e orientações de saúde genéricas, de caráter educativo

5 MÉDICO PACIENTE ÉTICA INFORMÁTICA RELAÇÃO HUMANA HUMANA SOCIEDADE

6 METODOLOGIA Análise de diversos trabalhos relacionados aos aspectos éticos e ao paciente enquanto indivíduo, para compreender e analisar a relação médico-paciente, humana e informatizada, com a finalidade de argumentar: Qual o papel da informática no processo saúde/doença?

7 Por que fundamentar-se na Ética? Prevenção de desequilíbrios sociais conseqüentes a atitudes abusivas (Garrafa, 2003); Contribuição para o respeito da personalidade humana e de seus direitos fundamentais (Meyer, 2002); Por que utilizar uma abordagem multidisciplinar? A Bioética, que é parte da Ética (Segre, 2002), baseia-se na multidisciplinaridade e na necessidade de respeito ao pluralismo moral das sociedades modernas (Garrafa, 2003).

8 RESULTADOS CORPO HUMANO DOENÇA DEFEITOS EM ENGRENAGENS ERROS DE PROGRAMAÇÃO

9 MAS: E as simples conversas entre médico e paciente? E o conhecimento psicossocial do paciente? E a subjetividade humana?

10 AFINAL: a relação médico paciente pode aliviar ou exacerbar as ansiedades, conforme seja boa ou não e as palavras, a postura e as expressões fisionômicas do médico constituem-se, implicitamente, em psicoterapia para o paciente (Abdo, 1996) o alívio mental que deve trazer uma consulta médica pode ser gravemente prejudicado por sua informatização, pois o médico se retira e cede seu lugar a um doente que interroga uma máquina (Meyer, 2002)

11 CORPO HUMANO SUPRESSO FRAGILIDADE DOS VÍNCULOS SOCIAIS Subjetividade???? MÉDICO PACIENTE

12 MÉDICO PACIENTE SOCIEDADE INFORMÁTICA ELITE

13 DISCUSSÃO E CONCLUSÃO Não sendo a relação médico-paciente meramente profissional e racional, não pode ser substituída mas assessorada por máquina computadorizadas. A memória ilimitada da informática veio em auxílio da memória falha do clínico.(Meyer, 2002). Humanismo e tecnologia não são necessariamente antagônicos, podendo até ser complementares.(Lima- Gonçalves, 2002) Na luta contra o adoecer e a morte, a medicina precisa desenvolver um entendimento sobre o sofrimento humano (Castiel, 1999).

14 ÉTICA INFORMÁTICA SOCIEDADE MÉDICO PACIENTE


Carregar ppt "A Ética Médica na Informatização da Relação Humana Médico-Paciente Jaqueline Luvisotto Marinho Reginaldo Teixeira Mendonça Faculdade de Medicina de Ribeirão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google