A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Fonte: SEVERINO, Antonio Joaquim (USP) Limites atual do discurso filosófico no Brasil na abordagem da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Fonte: SEVERINO, Antonio Joaquim (USP) Limites atual do discurso filosófico no Brasil na abordagem da."— Transcrição da apresentação:

1 Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Fonte: SEVERINO, Antonio Joaquim (USP) Limites atual do discurso filosófico no Brasil na abordagem da temática educacional

2 A preocupação do texto Os discursos políticos e educacional presentes na filosofia que se faz no Brasil: discurso filosófico e orientação dos pensamentos. Questiona o lugar cultural e epistemológico da filosofia (a natureza da Filosofia)

3 O ensaio da autonomia na relação com as grandes tendências e tradições da Filosofia Ocidental (apropriação e retomada dos clássicos); Esforço de elaboração personalizada (temáticas da atualidade); A prática da Filosofia: vínculo com a prática filosófica ocidental e sua tarefa científica e crítica.

4 Tradição filosófica ocidental Tradição metafísica clássica – neotomismo (perspectiva essencialista); Tradição positivista – neopositivismo e transpositvivismo (perspectiva cientificista); Tradição subjetivista – neo-humaninsmo; fenomenologia; arqueogenealogia; culturalismo; Tradição dialética (diversas vertentes marxistas; crítica frankfurtiana)

5 Tradição metafísica clássica

6 Essencialista Princípios, categorias que explicam os objetos, os homens, a história (enquadram as realidades). Forma de explicação ancorada em conceitos para além da experiência física (o ser, o verdadeiro, o belo)

7 Tomismo Tomas de Aquino (século XI): dogmas do cristianismo + pensamento de Aristóteles. Neotomismo Base em Tomás de Aquino + problemas do mundo moderno + ciência (Jacques MARITAIN 1882 – 1973)

8 Ação humana a partir de uma natureza essencial (difere de ação pessoal e histórica, só considerada na contingência da realização da essência, do imutável). Consequência ética – política - filosofia da educação. Referências da educação: ontológica (ser); antropológica (homem); axiológica (valores).

9 Tomismo – Tomás de Aquino (Século XI) Expressões do tomismo contemporâneo: influências da fenomenologia; existencialismo; personalismo; culturalismo; marxismo); Autores brasileiros ???

10 Tradição positivista – correntes neo-positivistas

11 neopositivismo Também conhecido como fisicalismo; empirismo lógico; positvismo lógico (Círculo de Viena); Círculo de Viena(1920): pretendia promover a unificação do saber científico (superar e eliminar conceitos vagos de sentidos e os pseudo- problemas metafísicos); Teoria da verificabilidade.

12 neopositivismo Defendia os enunciados como a posteriori (estudar a linguagem das ciências); Filosofia dos conceitos científicos (preocupação com os limites da linguagem)

13 (perspectiva cientificista). Busca de maior consistência e rigor na linguagem da ciência (fornecimento de elementos estruturais); Filosofia cientificista; tecnicista e pragmatista (fundamentos da ciência e operação na técnica)

14 Critério de verdade: fundamento na ação (funcional) e não ético ou político; Filosofia: subsidiar o discurso científico (linguagem adequada e rigorosa); Pensadores / fundamentar o conhecimento científico; o conhecimento matemático; o processo científico e sua expressão rigorosa.

15 Tradição positivista – correntes trans-positivistas

16 Formas de aprendizagem (conhecimento geral e científico); Psicogênese e sociogênese (forte racionalismo: o conhecimento teórico mediando a ação humana); Reconhecimento da dimensão sócio- histórica da ciência e seu impacto sobre as dimensões objetivas e subjetivas (análise da psicologia da aprendizagem)

17 Hilton Japiassu – pedagogia da incerteza ilusão da pedagogia científica; necessidade de filosofia da educação crítica (retomada da intencionalidade do processo pedagógico)

18 Tradição subjetivista

19 Educação: investimentos dos sujeitos; Método de conhecimento; mediação (aspectos práticos, metodologia); Insistência nos fundamentos éticos e antropológicos do processo educacional.

20 Marxismo - Fenomenologia O homem cria-se a si mesmo. Ele produz sua natureza

21 Fenomenologia HEGEL: processo de constituição da consciência (da experiência sensível a formas mais elaboradas); HUSSERL: aquilo que se apresenta ao homem (consciência); Conceito base: a intencionalidade (sentido de consciência); Objetivo: vencer a contradição empirismo (realismo), e o psicologismo idealismo)

22 Fenomenologia e existência Interpretação da existência; Repercussão político-educacional; Priorização do sujeito pessoal;

23 Humanismos Dependem da dimensão em que tratam do humano (Renascimento: dignidade humana estabelecida na razão e espírito crítico; Toda doutrina que situa o homem como centralidade (filosofia); Toda sólida formação cultural clássica (conceito histórico)

24 Neo-humanismos Objetivo: nova imagem de homem (fundamento do agir humano). Vertentes: reflexão ético-política; historicidade (dimensão política) ; subjetividade (dimensão educacional); Pedagogia do apelo existencial (Odone José Quadro – força educativa dos fenômenos humanos)

25 Personalismo Sensibilidade sócio-histórica (aproximação marxista) – Emannuel Mounier Ética – política – educação (mesmo projeto); Relevância da práxis para o existir histórico (Claudio Henrique Lima Vaz)

26 Arqueogenealogia O agir em detrimento do epistemológico; Ampliação da autonomia do sujeito; Crítica a toda sistematização; Afastamento do discurso universalizante das ciências humanas Valorização do imaginário, inconsciente; emocional, corporal (intersubjetividade do corpo)

27 Culturalismo A cultura como criação e expressão do espírito; Ênfase no histórico e no político; História humana – história da cultura – sem lugar para determinismos (naturalista e social)

28 Correntes dialéticas diversas vertentes marxistas; Centralidade da política; Substância: a economia política

29 Escola de Frankfurt crítica frankfurtiana: Teoria crítica do conhecimento (dialética); Questionamentos dos valores individualistas; Preocupação com as contradições da racionalidade científica e técnica (escravização do homem); Crítica da indústria cultural; dos totalitarismos; e das perspectivas positivistas do mundo. Autores: Adorno; Walter Benjamin; Max Horkheimer; Marcuse; Habermas


Carregar ppt "Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Fonte: SEVERINO, Antonio Joaquim (USP) Limites atual do discurso filosófico no Brasil na abordagem da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google