A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HEPATITE Características; Sinais e sintomas; Tratamento e Profilaxia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HEPATITE Características; Sinais e sintomas; Tratamento e Profilaxia."— Transcrição da apresentação:

1 HEPATITE Características; Sinais e sintomas; Tratamento e Profilaxia.

2 Hepatite-Características É uma inflamação do fígado, seja de agressão direta ou parte de um processo sistêmico; É uma inflamação do fígado, seja de agressão direta ou parte de um processo sistêmico; As mais comuns são as virais e as tóxicas; As mais comuns são as virais e as tóxicas; As tóxicas são aquelas causadas por ingestão excessiva ou inadequada de medicamentos, decorrente do uso de drogas e alcoólica, esta última pode ser aguda ou crônica, se dá por lesão direta da célula hepática e é a causa mais comum de cirrose; As tóxicas são aquelas causadas por ingestão excessiva ou inadequada de medicamentos, decorrente do uso de drogas e alcoólica, esta última pode ser aguda ou crônica, se dá por lesão direta da célula hepática e é a causa mais comum de cirrose; Crônica por um período superior a 6 meses, seja ela viral, tóxica ou crônico-idiopática, isto é, de origem desconhecida. Crônica por um período superior a 6 meses, seja ela viral, tóxica ou crônico-idiopática, isto é, de origem desconhecida.

3 Hepatites virais agudas Hepatite A (HVA): transmissão oro-fecal, por contaminação de água e alimentos ou diretamente de uma pessoa pra outra. Transmissível pelo vírus da hepatite. Existe vacina desde 1995 no mercado; Hepatite A (HVA): transmissão oro-fecal, por contaminação de água e alimentos ou diretamente de uma pessoa pra outra. Transmissível pelo vírus da hepatite. Existe vacina desde 1995 no mercado; Comum entre crianças que ainda não aprenderam noções de higiene e parceiros sexuais de pessoas infectadas; Comum entre crianças que ainda não aprenderam noções de higiene e parceiros sexuais de pessoas infectadas; A pessoa pode desenvolver ou não as manifestações da doença, 10 dias após ser infectada ela passa a eliminar o vírus pelas fezes, durante umas 3 semanas; A pessoa pode desenvolver ou não as manifestações da doença, 10 dias após ser infectada ela passa a eliminar o vírus pelas fezes, durante umas 3 semanas;

4 Hepatite A O consumo de frutos do mar, cozidos ou crus estão associados a doença; O consumo de frutos do mar, cozidos ou crus estão associados a doença; Transfusões, uso compartilhado de agulhas e seringas contaminadas é pouco comum; Transfusões, uso compartilhado de agulhas e seringas contaminadas é pouco comum; A infecção causando ou não sintomas, produz imunidade permanente contra a doença, e ocorre mais em crianças com menos de 6 anos de idade; A infecção causando ou não sintomas, produz imunidade permanente contra a doença, e ocorre mais em crianças com menos de 6 anos de idade; As manifestações surgem em média de 15 a 50 dias após a infecção (período de incubação); As manifestações surgem em média de 15 a 50 dias após a infecção (período de incubação); O início é em geral com febre baixa, mal estar, perda do apetite, sensação de desconforto no abdômem, náuseas e vômitos. O início é em geral com febre baixa, mal estar, perda do apetite, sensação de desconforto no abdômem, náuseas e vômitos.

5 Hepatite A Após alguns dias surge a icterícia, fezes amarelo-esbranquiçadas e urina castanho- avermelhada; Após alguns dias surge a icterícia, fezes amarelo-esbranquiçadas e urina castanho- avermelhada; É muito baixa a taxa de letalidade e de desenvolver uma hepatite crônica; É muito baixa a taxa de letalidade e de desenvolver uma hepatite crônica; A prevenção inclui a utilização de água fervida ou clorada, consumo de alimentos cozidos. Deve-se lavar as mãos com água e sabão antes das refeições; A prevenção inclui a utilização de água fervida ou clorada, consumo de alimentos cozidos. Deve-se lavar as mãos com água e sabão antes das refeições; A confirmação é feita através de exames sorológicos, os anticorpos IgM e podem ser detectados a partir do 5º dia do início dos sintomas. A confirmação é feita através de exames sorológicos, os anticorpos IgM e podem ser detectados a partir do 5º dia do início dos sintomas.

6 Hepatite A Não tem tratamento específico; Não tem tratamento específico; As medidas terapêuticas visam reduzir o incômodo dos sintomas, no início da doença é indicado o repouso relativo e volta às atividades deve ser gradual, as bebidas alcoólicas devem ser abolidas e os alimentos podem ser ingeridos de acordo com a necessidade da pessoa. As medidas terapêuticas visam reduzir o incômodo dos sintomas, no início da doença é indicado o repouso relativo e volta às atividades deve ser gradual, as bebidas alcoólicas devem ser abolidas e os alimentos podem ser ingeridos de acordo com a necessidade da pessoa.

7 Hepatite B- Como se adquire? Transfusão de sangue; Transfusão de sangue; Uso compartilhado de seringas e agulhas contaminadas; Uso compartilhado de seringas e agulhas contaminadas; Relação sexual sem uso da camisinha; Relação sexual sem uso da camisinha; Contato acidental com sangue ou secreções corporais, com mucosa ou pele com lesões; Contato acidental com sangue ou secreções corporais, com mucosa ou pele com lesões; Gestantes podem transmitir para o bebê sendo a hora do parto o risco maior; Gestantes podem transmitir para o bebê sendo a hora do parto o risco maior;

8 Hepatite B- Quais os sintomas? São semelhantes aos da hepatite em geral, se iniciando com: mal-estar generalizado, dores de cabeça e no corpo, cansaço fácil, falta de apetite, febre. Após surgem coloração amarelada das mucosas e da pele (icterícia), coceira no corpo, urina escura, fezes claras (cor de massa de vidraceiro); São semelhantes aos da hepatite em geral, se iniciando com: mal-estar generalizado, dores de cabeça e no corpo, cansaço fácil, falta de apetite, febre. Após surgem coloração amarelada das mucosas e da pele (icterícia), coceira no corpo, urina escura, fezes claras (cor de massa de vidraceiro); Dentro de 15 dias os sintomas diminuem, a icterícia tende a desaparecer em 6 a 8 semanas em média, sugerindo a cura em mais de 95% das pessoas. A letalidade ocorre menos de 1% das pessoas. A pós a fase aguda alguns desenvolvem a crônica, que pode a vir desenvolver cirrose e CA de fígado ao longo de décadas. Dentro de 15 dias os sintomas diminuem, a icterícia tende a desaparecer em 6 a 8 semanas em média, sugerindo a cura em mais de 95% das pessoas. A letalidade ocorre menos de 1% das pessoas. A pós a fase aguda alguns desenvolvem a crônica, que pode a vir desenvolver cirrose e CA de fígado ao longo de décadas.

9 Hepatite B-Riscos O risco de doença crônica com má evolução é maior em quem usa bebida alcoólica. Em bebês que adquirem a doença no parto e em pessoas com baixa imunidade (pacientes com AIDS, ou em quimioterapia ou radioterapia, por ex.); O risco de doença crônica com má evolução é maior em quem usa bebida alcoólica. Em bebês que adquirem a doença no parto e em pessoas com baixa imunidade (pacientes com AIDS, ou em quimioterapia ou radioterapia, por ex.);

10 Hepatite B- Como se trata? Não requer tratamento medicamentoso específico, mas medicamentos para náuseas, vômitos e prurido são usados; Não requer tratamento medicamentoso específico, mas medicamentos para náuseas, vômitos e prurido são usados; O repouso no leito não deve ser exigido uma vez que não afeta a evolução para a crônica; O repouso no leito não deve ser exigido uma vez que não afeta a evolução para a crônica; Ingestão de álcool é proibida; Ingestão de álcool é proibida; Os resultados alcançados ainda não são os ideais já que a cura é alcançada em apenas 30% dos pacientes Os resultados alcançados ainda não são os ideais já que a cura é alcançada em apenas 30% dos pacientes

11 Hepatite B- Como se previne? A vacina contra deve ser feita em todos os RNs, A vacina contra deve ser feita em todos os RNs, Usar luvas, máscara e óculos de proteção quando houver possibilidade de contato com sangue ou secreções corporais; Usar luvas, máscara e óculos de proteção quando houver possibilidade de contato com sangue ou secreções corporais; Pessoas que tiveram exposição conhecida ao vírus, devem receber uma espécie de soro (gamaglobulina) nos primeiros dias após o contato, o que pode diminuir a chance, ou pelo menos, a intensidade da doença, Pessoas que tiveram exposição conhecida ao vírus, devem receber uma espécie de soro (gamaglobulina) nos primeiros dias após o contato, o que pode diminuir a chance, ou pelo menos, a intensidade da doença, RNs de mães com Hep.B devem receber o soro e a vacina imediatamente após o parto para diminuir o risco do bebê desenvolver a doença. RNs de mães com Hep.B devem receber o soro e a vacina imediatamente após o parto para diminuir o risco do bebê desenvolver a doença.

12 Aspecto macroscópico-fígado normal

13 Aspecto macroscópico-fígado com cirrose

14 Fígado com carcinoma hepatocelular

15 Icterícia

16 Hepatite crônica As hepatites do tipo B e C podem se tornar crônicas. Em alguns casos, o pcte se recupera após alguns anos e, em outros, a doença pode progredir para a cirrose, com falhas nas funções hepáticas, acúmulo de líquido no abdômem, hemorragia digestiva e outras manifestações mais graves. As hepatites do tipo B e C podem se tornar crônicas. Em alguns casos, o pcte se recupera após alguns anos e, em outros, a doença pode progredir para a cirrose, com falhas nas funções hepáticas, acúmulo de líquido no abdômem, hemorragia digestiva e outras manifestações mais graves.

17 Carcinoma Hepatocelular

18 Hepatite C- Como se adquire? Transfusões de sangue; Transfusões de sangue; Uso compartilhado de seringas e agulhas (usuários de drogas); Uso compartilhado de seringas e agulhas (usuários de drogas); Acidentes nos quais profissionais da saúde fincam-se com agulhas ou são atingidos por secreções do paciente contaminado; Acidentes nos quais profissionais da saúde fincam-se com agulhas ou são atingidos por secreções do paciente contaminado; Pelo contato entre o sangue ou secreção corporal contaminada com o vírus, mucosas ou pele machucada. Não foram demonstrados casos de casais que mantiveram relações vaginais e fora do período menstrual. A transmissão em outras formas de relação sexual não está estabelecida. É rara de mãe para filho. Pelo contato entre o sangue ou secreção corporal contaminada com o vírus, mucosas ou pele machucada. Não foram demonstrados casos de casais que mantiveram relações vaginais e fora do período menstrual. A transmissão em outras formas de relação sexual não está estabelecida. É rara de mãe para filho.

19 O que se sente e como se desenvolve? Diferente da A e B não apresenta sintomas na fase aguda, ou se ocorrem são muito leves semelhantes aos da gripe; Diferente da A e B não apresenta sintomas na fase aguda, ou se ocorrem são muito leves semelhantes aos da gripe; Muitos de 80% dos cont. desenvolverão hep crônica e só descobrirão que tem a doença por outros motivos, como para doação de sangue; Muitos de 80% dos cont. desenvolverão hep crônica e só descobrirão que tem a doença por outros motivos, como para doação de sangue; Outros aparecerão décadas após a contaminação através das complicações:cirrose e CA de fígado em 20%. Outros aparecerão décadas após a contaminação através das complicações:cirrose e CA de fígado em 20%.

20 Como o médico faz o diagnóstico? Na fase antes do aparecimento das complicações, exames de sangue podem revelar a elevação de uma enzima hepática conhecida por TGP ou ALT. Essa alteração deve motivar a investigação de uma doença hepática, entre elas, a Hep C; que busca a presença de anticorpos circulantes contra o vírus que quando presentes podem indicar infecção passada ou atual; Na fase antes do aparecimento das complicações, exames de sangue podem revelar a elevação de uma enzima hepática conhecida por TGP ou ALT. Essa alteração deve motivar a investigação de uma doença hepática, entre elas, a Hep C; que busca a presença de anticorpos circulantes contra o vírus que quando presentes podem indicar infecção passada ou atual; Com a evolução aparecem alterações nos exames de sangue e na ecografia do abdômen. Muitas vezes será necessário uma biópsia hepática para determinar o grau da doença e a necessidade ou não do tratamento. Com a evolução aparecem alterações nos exames de sangue e na ecografia do abdômen. Muitas vezes será necessário uma biópsia hepática para determinar o grau da doença e a necessidade ou não do tratamento.

21 Hepatite C- Como se trata? Quando descoberta na fase aguda o tratamento está associado em diminuir o risco de evolução para hep crônica; Quando descoberta na fase aguda o tratamento está associado em diminuir o risco de evolução para hep crônica; Na fase crônica a doença tem resultados ainda insuficientes. O sucesso varia conforme o genótipo de vírus, carga viral e estágio da doença de terminado pela biópsia hepática. Na fase crônica a doença tem resultados ainda insuficientes. O sucesso varia conforme o genótipo de vírus, carga viral e estágio da doença de terminado pela biópsia hepática.

22 Como se previne? Seringas e agulhas para injeção não podem ser compartilhadas; Seringas e agulhas para injeção não podem ser compartilhadas; Profissionais da área da saúde devem utilizar todas as medidas de proteção contra acidentes com sangue e secreções dos pacientes, como por ex, o uso de luvas, óculos e máscara; Profissionais da área da saúde devem utilizar todas as medidas de proteção contra acidentes com sangue e secreções dos pacientes, como por ex, o uso de luvas, óculos e máscara; Bancos de sangue também fazem testes na hora da transfusão; Bancos de sangue também fazem testes na hora da transfusão; No caso de um dos parceiros ser portador de lesões no pênis ou vagina, em relações anais e no período menstrual, como o risco de transmissão não é conhecido, recomenda-se o uso de preservativo. No caso de um dos parceiros ser portador de lesões no pênis ou vagina, em relações anais e no período menstrual, como o risco de transmissão não é conhecido, recomenda-se o uso de preservativo.

23 Papilomavírus humano (HPV) Características; Sinais e sintomas; Tratamento e profilaxia

24 HPV-Incidência e Prevalência Estima-se que 10 a 20% da população adulta tenha infecção pelo HPV; Estima-se que 10 a 20% da população adulta tenha infecção pelo HPV; Os jovens representam o número maior de infectados chegando a taxas de 46% em mulheres de 20 a 30 anos. Estas taxas decrescem com a idade, 10% em mulheres com 40 anos e 5% em mulheres acima de 55 anos. Os jovens representam o número maior de infectados chegando a taxas de 46% em mulheres de 20 a 30 anos. Estas taxas decrescem com a idade, 10% em mulheres com 40 anos e 5% em mulheres acima de 55 anos.

25 HPV-Transmissão Pode ocorrer através do contato sexual (familiar ou hospitalar por fômitos-(objetos contaminados) e materno fetal (gestacional, intra e periparto)- o primeiro representa a maioria dos casos- e por material ginecológico embora não se saiba quanto tempo o organismo resista fora do organismo, acredita-se que seja por um curto período de tempo; Pode ocorrer através do contato sexual (familiar ou hospitalar por fômitos-(objetos contaminados) e materno fetal (gestacional, intra e periparto)- o primeiro representa a maioria dos casos- e por material ginecológico embora não se saiba quanto tempo o organismo resista fora do organismo, acredita-se que seja por um curto período de tempo; O período de incubação que compreende o período da transmissão a doença (forma clínica e subclínica), está entre 3 a 8 meses, com uma média de 3 meses.A carga viral e competência imunológica são fatores que desencadeiam O período de incubação que compreende o período da transmissão a doença (forma clínica e subclínica), está entre 3 a 8 meses, com uma média de 3 meses.A carga viral e competência imunológica são fatores que desencadeiam

26 HPV-Sintomas Podem apresentar 3 formas distintas: Podem apresentar 3 formas distintas: Forma clínica (condilomas):caracteriza-se pela verruga genital visível a olho nu. Possui aspecto áspero e irregular lembrando o aspecto de uma couve-flor, pode aparecer como condiloma acuminado, plano e gigante. A mais comum é a forma acuminada, que é uma forma verrugosa de cor rósea, de superfície rugosa, consistência firme, conhecida como crista de galo. A forma plana aparece no colo do útero como tecido branco acompanhado ou não de alterações vasculares. O condiloma gigante, é a forma exuberante de crescimento às vezes muito rápido; Forma clínica (condilomas):caracteriza-se pela verruga genital visível a olho nu. Possui aspecto áspero e irregular lembrando o aspecto de uma couve-flor, pode aparecer como condiloma acuminado, plano e gigante. A mais comum é a forma acuminada, que é uma forma verrugosa de cor rósea, de superfície rugosa, consistência firme, conhecida como crista de galo. A forma plana aparece no colo do útero como tecido branco acompanhado ou não de alterações vasculares. O condiloma gigante, é a forma exuberante de crescimento às vezes muito rápido;

27 HPV-Sintomas Forma subclínica: na maioria dos casos apresenta sem sintomas ou sinais incaracterísticos:prurido, ardência, umidade e dor durante a relação sexual. Para identificá-las e visualizá-las se faz necessário a utilização de métodos diagnósticos específicos, utilizando equipamentos de leitura como o colposcópio e o peniscópio. Forma subclínica: na maioria dos casos apresenta sem sintomas ou sinais incaracterísticos:prurido, ardência, umidade e dor durante a relação sexual. Para identificá-las e visualizá-las se faz necessário a utilização de métodos diagnósticos específicos, utilizando equipamentos de leitura como o colposcópio e o peniscópio.

28 HPV-Sintomas Forma latente: é caracterizada apenas pela presença do vírus, não apresenta sinais para diagnóstico. Sua localização na maioria das vezes é multicêntrica e não apresenta distribuição uniforme. As áreas de maior acometimento do HPV são: Forma latente: é caracterizada apenas pela presença do vírus, não apresenta sinais para diagnóstico. Sua localização na maioria das vezes é multicêntrica e não apresenta distribuição uniforme. As áreas de maior acometimento do HPV são:

29 No homem no prepúcio interno, na glande, no pênis e no escroto.

30 Na mulher- na vagina, vulva e colo

31 HPV em outros locais

32 HPV-Diagnóstico O método mais simples é observas as verrugas genitais a olho nu, mas a maioria apresenta dos casos são subclínicos. Baseia-se principalmente no exame Papanicolau ou citpopatológico. O método mais simples é observas as verrugas genitais a olho nu, mas a maioria apresenta dos casos são subclínicos. Baseia-se principalmente no exame Papanicolau ou citpopatológico.

33 CA de colo uterino É a segunda neoplasia mais comum em mulheres de todo o mundo; É a segunda neoplasia mais comum em mulheres de todo o mundo; Existem vários os fatores de risco:baixas condições sócio-econômicas, atividade sexual antes dos 18 anos, promiscuidade, uso prolongado de contraceptivos orais, tabagismo, poucos hábitos de higiene. Existem vários os fatores de risco:baixas condições sócio-econômicas, atividade sexual antes dos 18 anos, promiscuidade, uso prolongado de contraceptivos orais, tabagismo, poucos hábitos de higiene. O vírus do HPV está presente em 95% dos casos de CA de colo de útero, pois causa uma displasia das cels cervicais e na sua transformação em cels cancerosas O vírus do HPV está presente em 95% dos casos de CA de colo de útero, pois causa uma displasia das cels cervicais e na sua transformação em cels cancerosas

34 HPV-Tratamento Podem estar divididos em químicos, quimioterápicos, imunoterápicos e cirúrgicos; Podem estar divididos em químicos, quimioterápicos, imunoterápicos e cirúrgicos; Profilaxia:preservativo (camisinha). Profilaxia:preservativo (camisinha).


Carregar ppt "HEPATITE Características; Sinais e sintomas; Tratamento e Profilaxia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google