A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

5. CONCLUSÕES SAÚDE DOS PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO: uma proposta de intervenção 1. INTRODUÇÃO/OBJETIVO 2. REVISÃO DE LITERATURA Estudos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "5. CONCLUSÕES SAÚDE DOS PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO: uma proposta de intervenção 1. INTRODUÇÃO/OBJETIVO 2. REVISÃO DE LITERATURA Estudos."— Transcrição da apresentação:

1 5. CONCLUSÕES SAÚDE DOS PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO: uma proposta de intervenção 1. INTRODUÇÃO/OBJETIVO 2. REVISÃO DE LITERATURA Estudos têm sido realizados no campo das ciências sociais, humanas e nas ciências da saúde em relação aos processos de saúde e doença da classe trabalhadora brasileira. Há um crescente interesse observado em estudos que revelam danos provocados à saúde dos trabalhos diante das condições de seus ambientes de trabalho. E, nesse sentido, também surge a concepção da necessidade de estudos voltados para a prevenção e promoção da saúde, que enfoquem estratégias para intervir neste problema, no intuito de buscar a melhoria da qualidade de vida da classe trabalhadora (ESTEVES, 1999, p.142). Fatores intrínsecos ao processo de trabalho são, na realidade, estressores oriundos da organização do trabalho. E o fato de o trabalhador estar sujeito à supervisão com pressão ou situações de tensão prolongada (sobrecarga psíquica) ou quando ele não tem controle sobre o seu trabalho (subcarga psíquica) o faz referir sofrimento em relação ao seu trabalho. A forma que o trabalhador expressa a presença ou existência de carga psíquica do trabalho consiste na persistência de queixas de fatores psicogênicos das demais cargas de trabalho, como os já citados anteriormente. (LAURELL E NORIEGA, 1989). Inúmeras são as dificuldades enfrentadas no interior do processo de trabalho do professor, situações que, com o tempo e a presença constante, geram desgastes que afetam diretamente a saúde psíquica e física do professor. (MARIN E OUTROS, 1995). 3. TRAJETÓRIA METODOLOGICA Utilizou-se a metodologia de intervenção, o qual contemplou as estratégias pedagógicas para atender as dificuldades diagnosticadas. O projeto de Intervenção iniciou-se com apresentação de um questionário que foi aplicado aos 25 sujeitos que são professores trabalhadores de um Núcleo Regional de Educação do Paraná. Através da análise dos questionários optou-se por promover atividades que viessem a interferir positivamente no processo de prevenção aos problemas de saúde como oficinas e palestras. Para este projeto de Intervenção houve um questionamento sobre Como auxiliar na redução de problemas de saúde de um grupo de professores do Ensino Fundamental e Médio que trabalham em um Núcleo Regional de Educação do Paraná, tendo como objetivo deste trabalho, auxiliar na redução dos principais problemas relacionados a saúde do professor por meio de estratégias de cuidado no ambiente de trabalho. ZENILDA MENDES DOS SANTOS 4. RESULTADOS Quanto as condições sociais no local de trabalho todos responderam que há harmonia com os colegas no ambiente de trabalho. Sobre as tomadas de decisões serem democráticas, 16 participantes responderam que sim e 9 responderam que não. Em relação aos problemas de saúde relacionados ao trabalho apresentados pelos sujeitos, verificamos que: 2 tem Insônia, 12 tem dores osteomusculares, 10 apresentam cansaço físico e mental, 11 possuem nervosismo e 9 esquecimento, 5 possuem dores na garganta e 1 sujeito apresenta calo nas cordas vocais. Além desses problemas de saúde, 5 responderam ter problemas de pele, 04 sofrimento mental, 10 hipertensão, 3 hiperatividade, 5 cefaléia, 4 problemas de voz, 10 problemas gastrointestinais, 02 problemas respiratórios, 02 problemas hormonais Quanto a postura corporal, 8 apresentam dores nas pernas, 03 apresentam inchaço nas pernas, 19 apresentam dores na coluna e 12 com dores nos braços. Evidencia-se, neste trabalho, que os docentes vivenciam diferentes formas de sofrimento ao confrontar-se com as situações desfavoráveis de suas atividades e desenvolvemos estratégias de enfrentamento que amenizam o sofrimento e favorecem transformar a angústia em força propulsora de mudança, pois a presença do trabalho coletivo, o desenvolvimento de regras em equipe constituem como possibilidade de construção de saúde e prazer no trabalho. Em relação à identificação dos riscos ocupacionais, constatou-se que a situação do local de trabalho merece uma atenção específica em relação a temperatura, respiração passiva de fumaça de cigarro. O projeto foi finalizado com o compromisso, por parte da chefia do NRE, em dar continuidade ao projeto dentro do espaço de trabalho, com atividades que podem ser desenvolvidas por todos, que é a prática de exercícios físicos, com o acompanhamento de um professor de Educação Física, que é trabalhador no Núcleo Regional de Educação, para ministrar atividades físicas por 15 minutos diários. A proposta realizada mostrou-se eficaz. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Codo W, Vasques I. Trabalho docente e sofrimento: burnout em professores. In: Azevedo, Ed. Vozes: Petrópolis, ESTEVES, J. M. Mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. São Paulo: Edusc, LAURELL, A. C.; NORIEGA, M. Processo de produção e saúde: trabalho e desgaste operário. Trad. por A. Cohn, A. Pitta-Hoisel, A. I. Paraguay e L. H. Barbosa. São Paulo: Hucitec, MARIN, A.J e outros "Desenvolvimento profissional docente e transformações na escola." Araraquara. Faculdade de Ciências e Letras, Unesp. Projeto Integrado de Pesquisa aprovado pelo CNPq, 1995.


Carregar ppt "5. CONCLUSÕES SAÚDE DOS PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO: uma proposta de intervenção 1. INTRODUÇÃO/OBJETIVO 2. REVISÃO DE LITERATURA Estudos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google