A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Metodologia Prof. Rafael Ávila Baseado nas obras: How to Read a Book (1972); Como se faz uma tese (1983)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Metodologia Prof. Rafael Ávila Baseado nas obras: How to Read a Book (1972); Como se faz uma tese (1983)"— Transcrição da apresentação:

1 Metodologia Prof. Rafael Ávila Baseado nas obras: How to Read a Book (1972); Como se faz uma tese (1983)

2 Metodologia Questão do Receptor e Emissor Informação versus Compreensão – desigualdade de compreensão; superação dessa desigualdade. Ser informado é saber simplesmente como é uma coisa (...) ser esclarecido é saber, além disso, do que se trata. O esclarecimento [na leitura] só é alcançado quando, além de saber o que o escritor diz, sabemos o significado e o porquê do que ele diz (Adler e vand Doren: 1972:21)

3 Metodologia Aprendizado por descoberta – se trata do processo de aprender por meio do exame, investigação ou reflexão, sem ser ensinado (Adler e Van Doren: 1972: 22) Aprendizado por instrução – processo de descoberta auxiliada. Níveis de leitura I. Elementar – visa formação vocabular e habilidade de desvendar o significado de palavras desconhecidas por meio do contexto;

4 Metodologia II. Inspecional - relação absorção/tempo. Etapa 01 – Folheio e Pré-leitura: folha de rosto e prefácio; sumário e índice; sobre o autor; sobre a obra (contexto político/histórico); capítulos fundamentais para o assunto abordado; leitura de trechos e partes. Etapa 02 – Leitura superficial – a compreensão é muito mais do que a capacidade de responder à perguntas simples sobre fatos relacionados com o texto lido (Adler e Van Doren: 1972: 44-45)

5 Metodologia 4 perguntas básicas do leitor: 1) qual o assunto do livro como um todo; 2) o que diz o livro em detalhe e como? 3) o livro é verdadeiro, no todo ou em parte; 4) e então? Modo de fazer anotações 3 tipos: 1) Estruturais; 2) Conceituais; 3) Dialéticas III. Analítica – tempo ilimitado Práticos [visa chegar a algum resultado] versus Teóricos

6 Metodologia Métodos e formas de argumentação diferentes a essência da história é narrativa (...) cronotópica. A ciência trata de coisas que podem acontecer em qualquer tempo ou lugar. O cientista procura as leis ou as generalizações (Adler e Van Doren: 1972: 67-68) Radiografia do Livro 1. Estrutura – enunciação da unidade do livro em uma única frase. Descobrir não o assunto mas o tema e a finalidade principal.

7 Metodologia 2. Esquemas e Planos – título, prefácio e sumário clareza só existe por força da nitidez do seu contorno. A coerência é mantida por meio da disposição ordenada das partes (Adler e Van Doren: 1972: 82) 3. Intenção do autor 4. Palavras-chave [palavras técnicas e de vocabulário especial. Ênfase explícita ou discussão com outros autores] e Termos-chave [assinale as frases mais importantes e descubra as proposições implícitas e explícitas].

8 Metodologia Do ponto de vista do autor, as frases mais importantes são aquelas que expressam os julgamentos nos quais se baseiam seus argumentos (Adler e Van Doren: 1972: 104) 5. Argumentos-chave – grupo de afirmações das quais alguma fornecem as bases ou razões para uma conclusão (Adler e Van Doren: 1972: 100) 6. Crítica Imparcial – eu compreendo versus eu concordo ou discordo. Opinião é julgamento sem provas.

9 Metodologia 7. Regras de Discordância : 1) desinformação; 2) má informação; 3) ilógico; 4) análise incompleta. non sequitur – conclusão alcançada não resulta das razões apresentadas (Adler e Van Doren: 1972: 132) 8. Leitura Extrínseca – experiências pertinentes; outros livros; comentários e resumos; obras de referência. IV. Sintópica

10 Metodologia Ao escrever... Erros comuns Uso de metáforas: metáforas novas e velhas. As palavras podem se tornar ordinárias, perdendo seu significado quando não sofrem inversão de significado. Operadores – uso de verbos compostos, gerúndios, voz passiva e frases substituindo palavras. Discurso pretensioso – no sentido de tornar erudito o que não precisa; dar caráter científico e de imparcialidade, de cultura e elegância. Estrangeirismos

11 Metodologia Conceitos – vários significados, várias interpretações de forma que a função poder ser manipulada, desonesta e de uso privado. Questões a se pensar: 1) o que estou querendo dizer; 2) que palavras expressam isso? 3) que imagem ou idioma fará isso mais claro? 4) essa imagem é fresca o suficiente para gerar um efeito? 5) há como colocar isso mais sucintamente? 6) disse algo feio? Dicas: 1. Nunca use metáforas

12 Metodologia 2. Não use palavras longas onde uma curta dá 3. Se é possível cortar uma palavra, corte-a 4. Nunca use passivo onde se pode usar voz ativa 5. Não use frase estrangeira, palavra científica ou jargão se existe uma palavra comum na língua Língua é instrumento de expressão e não instrumento para encobrir pensamentos.

13 Metodologia Tipos de Tese De Pesquisa e de Compilação Panorâmica [quadro panorâmico e não panorama como pano de fundo] e Monográfica [uma abordagem de um só tema] Histórica e Teórica [busca atacar um problema abstrato que pode já ter sido ou não objeto de outras reflexões] Temas antigos ou contemporâneos

14 Metodologia Identificar um tema preciso; Recolher a documentação sobre ele; Por em ordem os documentos; Reexaminar em primeira mão o tema à luz da documentação recolhida; Dar forma orgânica a todas as reflexões precedentes; Empenhar-se para que o leitor compreenda o que se quis dizer e possa, se for o caso, recorrer à mesma documentação a fim de retomar o tema por conta própria (Eco: 1983; 05)

15 Metodologia Regra Básica : Quem quer fazer uma tese deve fazer uma tese que esteja à sua altura (Eco: 1983: 06). Quanto mais se restringe o campo, melhor e com mais segurança se trabalha (p. 10) É preciso escolher uma tese que não implique o conhecimento de línguas que não sei ou que não estou disposto a aprender. E mais, não se pode fazer uma tese sobre um autor estrangeiro se este não for lido no original (Eco: 1983: 18) Cientificidade – a) objeto reconhecível; b) dizer algo que ainda não foi dito ou rever o dito por uma ótica diferente; c) útil aos demais (grau de indispensabilidade); d) fornecer elementos para a

16 Metodologia Verificação e a contestação das hipóteses apresentadas. Pesquisa do material Acessibilidade de fontes Fontes primárias, secundárias, literatura crítica Fichas – registro de resumos, opiniões, citações. Tipos de Fichas: a) Temáticas (um tema com várias ideias e opiniões); b) Por autores (o autor e o tema escolhido); c) Citações; d) de leitura (dados bibliográficos, resumo geral, informações sobre.

17 Metodologia o autor, série de avaliações sobre sua importância e várias citações textuais que de imediato parecem significativas. Importante: distinguir livros de artigos ou de capítulos de outros livros Exemplos de Bibliografia *

18 Metodologia O título pode ser transformado em uma pergunta Índice-hipótese: 1. posição do problema; 2. estudos precedentes; 3. nossa hipótese; 4. dados que estamos em condição de demonstrar; 5. sua análise; 6. demonstração da hipótese; 7. conclusões e referências para o trabalho posterior Lógica: causa-efeito; espacial; comparativa e de contraste Dicas: a) abra parágrafos com frequência; b) escreva o que lhe vier á cabeça, mas só no rascunho; c) use o orientador como cobaia; d) não use reticências ou pontos de exclamação, nem faça ironias;

19 Metodologia e) Defina sempre um termo ao introduzi-lo pela primeira vez; f) não comece a explicar onde fica Roma para depois não explicar onde fica Timbuctu; g) não é necessário dizer o artigo que citei anteriormente ou o artigo que citamos anteriormente. Basta dizer o artigo anteriormente citado. Regras de Citação Os textos objetos de análise interpretativa são citados com razoável amplitude Os textos de literatura crítica só são citados quando, com sua autoridade, corroboram ou confirmam

20 Metodologia afirmação nossa; 3. A citação pressupõe que a idéia do autor citado seja compartilhada, a menos que o trecho seja precedido e seguido de expressões críticas; 4. Em todas as citações devem ser claramente reconhecíveis o autor e a fonte impressa e manuscrita; 5. As citações de fontes primárias devem de preferência ser colhidas da edição crítica ou da edição mais conceituada; 6. Quando se estuda um autor estrangeiro, as citações devem ser na língua original

21 Metodologia 7. Quando uma citação não ultrapassa duas ou três linhas, pode-se inseri-la no corpo do parágrafo entre aspas duplas; 8. As citações devem ser fiéis Notas de Rodapé** Sistema Autor Data


Carregar ppt "Metodologia Prof. Rafael Ávila Baseado nas obras: How to Read a Book (1972); Como se faz uma tese (1983)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google