A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TREINAMENTO RAÇÕES COPAGRA JOSÉ VALDIR BARAVIERA JOSÉ VALDIR BARAVIERA NIVALDO APARECIDO TREVIZAN NIVALDO APARECIDO TREVIZAN ZOOTECNISTAS ZOOTECNISTAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TREINAMENTO RAÇÕES COPAGRA JOSÉ VALDIR BARAVIERA JOSÉ VALDIR BARAVIERA NIVALDO APARECIDO TREVIZAN NIVALDO APARECIDO TREVIZAN ZOOTECNISTAS ZOOTECNISTAS."— Transcrição da apresentação:

1 TREINAMENTO RAÇÕES COPAGRA JOSÉ VALDIR BARAVIERA JOSÉ VALDIR BARAVIERA NIVALDO APARECIDO TREVIZAN NIVALDO APARECIDO TREVIZAN ZOOTECNISTAS ZOOTECNISTAS NUTRIJARA NUTRIÇÃO ANIMAL

2 EVOLUÇÃO DA NUTRIÇÃO E DO USO DOS ALIMENTOS ORIGEM SOLOS NOVOS: VOLUMOSOS EM QUANTIDADE E DE ÓTIMA QUALIDADE; ATUALMENTE SOLOS DEGRADADOS: BAIXA PRODUÇÃO DE VOLUMOSOS E NA MAIORIA DAS VEZES POUCA QUALIDADE.

3 IMPORTÂNCIA DA SUPLEMENTAÇÃO NA NUTRIÇÃO ANIMAL O Brasil tem atualmente o maior rebanho comercial de bovinos do mundo, com cerca de 192 milhões de cabeças, respondendo com 12,9% do volume total de carne bovina produzida. Com o mercado da carne e leite em crescimento as perspectivas para pecuária brasileira são boas, e pelo fato da nossa produção ser baseada em pastagens, produzimos com segurança alimentar e custo baixo. Somente em pastagens tropicais os bovinos não conseguem obter todos os nutrientes para um bom desempenho produtivo (carne ou leite) e reprodutivo.

4 IMPORTÂNCIA DA SUPLEMENTAÇÃO NA NUTRIÇÃO ANIMAL As pastagens em geral apresentam déficits nutricionais diversos, que se intensifica no inverno à medida que as forrageiras amadurecem e envelhecem. O quadro das deficiências nutricionais torna-se ainda mais grave, uma vez que quase nada tem sido feito no sentido de repor os nutrientes removidos do solo "via forrageira". É nesse contexto que se insere o conceito de SUPLEMENTAÇÃO NUTRICIONAL, que basicamente é adicionar à dieta através de rações concentradas, proteinados e energéticos, os nutrientes necessários para fazer uma DIETA EQUILIBRADA em proteína, energia, vitaminas minerais e água..

5 COMPOSIÇÃO DO ALIMENTO: AGUA PROTEINA ENERGIA GORDURA MINERAIS VITAMINAS O QUE É: VOLUMOSO? São os PASTOS Constituem a base da alimentação de um bovino. Possuem alto teor de fibra (mais de 18%), são as PASTAGENS, SILAGENS, FENOS, RESTOS DE CULTURA. RAÇÃO CONCENTRADA? São as RAÇOES. Variam de acordo com o teor de proteína, energia e principalmente com a qualidade da matéria prima que é feita.

6 MANEJO DE COCHO COCHO: É O PRATO DO BOI A nutrição de bovinos tem evoluído de forma surpreendente nos últimos anos, sendo que atualmente qualquer sistema de produção, seja a pasto ou confinado, requer uma correta suplementação nutricional para o aumento do desempenho e da saúde dos rebanhos. Em razão deste fato, o cocho, o qual chamaremos de O PRATO DO BOI, tem um papel de destaque no manejo nutricional. O que precisa ficar claro é que o cocho deve ser visto por técnicos, gerentes de fazenda e produtores rurais como uma instalação rural indispensável e permanente dentro da propriedade, sem o qual o desempenho dos rebanhos pode ficar seriamente comprometido. É por meio dos cochos que se garante o fornecimento de todos os complementos alimentares à dieta dos animais.

7 TAMANHO DO COCHO Tomamos como valor de referência: 1 U.A(unidade animal)= 450 kg de Peso Vivo. RAÇÃO: Semi confinamento ou Suplementação a pasto 50 CM LINEAR POR ANIMAL Isto equivale a 4 animais por metro de cocho com acesso dos 2 lados. Confinamento 50 a 70 CM LINEAR POR ANIMAL 70 metros de cocho com acesso de 1 lado atende cerca de 100 animais Bezerros ao pé da vaca (creep-feeding)=cercadinho 8 CM LINEAR POR BEZERRO Isto equivale a 25 animais por metro de cocho com acesso dos 2 lados.

8

9

10

11

12

13

14 PORQUE FORNECER RAÇÃO: Baixa disponibilidade de Forragem Baixo teor protéico (flora requer mínimo de 6%) Baixo teor de minerais e de menor assimilação (P,Mg,Zn,etc) Aumento da fração fibrosa, redução de energia Redução do consumo de forragem ¥ Aumento de produtividade (eficiência) Consequências econômicas £ Perda de produção Perda de peso Atraso na idade de abate Menor fertilidade Atraso na entrada de reprodução das novilhas

15

16 VOLUMOSOS MAIS COMUNS EM NOSSA REGIÃO PASTAGENS PERENES PASTAGENS DE INVERNO SILAGENS (MILHO, SORGO, CANA DE AÇUCAR, NAPIE) FENOS CANA DE AÇUCAR

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30 QUALIDADE DA RAÇÃO DO QUE DEPENDE? CONHECER A MATÉRIA PRIMA CONHECER O FORNECEDOR ARMAZENAMENTO DA MATERIA PRIMA ANÁLISE BROMATOLÓGICA CONTROLE DE LOTES DE RAÇÃO TRANSPORTE ARMAZENAMENTO NA PROPRIEDADE

31 CONTROLE DE LOTES DE RAÇÃO

32

33 Soja Grão

34 FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA

35 Uréia

36

37 GENÉTICANUTRIÇÃO MANEJO FATORES ENVOLVIDOS NA PRODUÇÃO ANIMAL SANIDADE

38 Forrageira Cons. MS (% PV) Colonião 2,52 Tanzânia 2,47 Brizantha 2,38 Tobiatã 2,34 Decumbens 2,32 Fonte: Euclides et al. (1993). Consumo de MS por bovinos de acordo com a espécie forrageira

39 Época Consumo Consumo Pasto MS (% PV) Animal 450 kg p.v. Águas 2,8 50 kg Seca 2,0 26 kg Fonte: adaptado de Euclides et al. (1993). Consumo de MS por bovinos de acordo com a época do ano

40 ALIMENTOS COMPOSIÇÃO (%) PB NDT Ca P VOLUMOSOS PB NDT Ca P PASTO COMUM CAPINEIRAS SILAGENS MILHETO ou SORGO PASTOS DE NAPIER PASTOS DE INVERNO PRODUÇÃO LEITENECESSIDADES (%) 550Kg/3,5%Gordura PB NDT Ca P Manutenção7,0 350,250,16 10 litros/dia 8,3 42 0,27 0,21 15 litros/dia 10,5 50 0,35 0,26 20 litros/dia 12,7 59 0,43 0,31 25 litros/dia 14,9 68 0,50 0,35 30 litros/dia 16,0 71 0,58 0,38 35 litros/dia 17,0 75 0,64 0,41 CANA DE AÇÚCAR 2,5 55 0,14 0,03 7,0 50 0,30 0,15 7,0 50 0,35 0,17 8,0 60 0,27 0,16 9,5 55 0,25 0,18 10,0 55 0,35 0,19 13,0 60 0,35 0,20

41 Proteína bruta Fonte:adaptado de Tamassia, 2000.Gramínea Tropical. 5,0 8,0 11, Dias de rebrota %

42 Produção de matéria seca Fonte: adaptado de Tamassia, 2000.Esalq/Usp.Gramínea tropical. 3,0 5,0 7, Dias de rebrota Tonelada/ha

43 A NUTRIÇÃO E A PRODUÇÃO LEITEIRA Nutrição adequada Nutrição deficiente Tempo de lactação Litros Leite

44 A NUTRIÇÃO E A REPRODUÇÃO Peso Corporal Tempo de Lactação Cio Nutrição Adequada Nutrição Deficiente

45 Composição morfológica Fonte : adaptado de Tamassia, 2000.Gramínea tropical Dias de rebrota % folha haste material morto

46 RAÇÕES COPAGRA QUALIDADE EM PRIMEIRO LUGAR

47 RAÇÃO COPAGRA OVINOS Produto destinado a suplementação de animais em regime de manutenção e ou engorda ou terminação em sistemas intensivos de produção (confinamento e semi-confinamento).

48 Composição Básica do Produto: Milho moido Farelo de soja alta energia Minerais orgânicos INDICAÇÃO DE USO: Fornecer de 1,0 a 2,0% do peso vivo animal. Exemplo: Animais em manutenção: 1% do peso vivo. Animais em terminação: 2% do peso vivo. OBS: Fornecer sempre associado a um volumoso, (pasto, forrageira picada ou ensilada).

49 RAÇÃO COPAGRA ELITE HORSE COM MINERAIS ORGÂNICOS Ração para equídeos e asininos contendo todos os nutrientes, macro e micro-elementos minerais essenciais ao bom desempenho destes animais. Níveis Nutricionais ajustados( proteina, energia, fibra, minerais, etc) para suplementar e corrigir os desequilíbrios destes elementos nos volumosos; Mineriais (na forma orgânica), aminoácidos, vitaminas, de alta biodisponibilidade otimizando o aproveitamento

50 Composição Básica do Produto: Milho moido Farelo de soja alta energia Aveia Branca Farelo de trigo Minerais orgânicos Aminoácidos Vitaminas INDICAÇÃO DE USO: Animais adultos: 1% do peso vivo. Animais jovens: 1,2% do peso vivo.

51 RAÇÃO COPAGRA LEITE 18% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 18% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA PA BOVINOS DE LEITE; -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE LEITE -MODO DE USAR: FORNECER 1 KG DE RAÇÃO PARA CADA 3 LITROS DE LEITE PRODUZIDO.

52 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

53 RAÇÃO COPAGRA LEITE 20% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 20% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA PA BOVINOS DE LEITE; -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE LEITE -MODO DE USAR: FORNECER 1 KG DE RAÇÃO PARA CADA 3 LITROS DE LEITE PRODUZIDO.

54 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

55 RAÇÃO COPAGRA LEITE 22% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 22% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA PA BOVINOS DE LEITE; -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE LEITE -MODO DE USAR: FORNECER 1 KG DE RAÇÃO PARA CADA 3 LITROS DE LEITE PRODUZIDO.

56 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

57 RAÇÃO COPAGRA LEITE 24% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 24% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA PA BOVINOS DE LEITE; -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE LEITE -MODO DE USAR: FORNECER 1 KG DE RAÇÃO PARA CADA 3 LITROS DE LEITE PRODUZIDO.

58 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

59 RAÇÃO COPAGRA CORTE 16% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 16% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA; -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE CORTE -MODO DE USAR: FORNECER DE 0,5 A 1,5% DO PESO VIVO ANIMAL

60 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

61 RAÇÃO COPAGRA CORTE 18% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 18% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA ; -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE CORTE -MODO DE USAR: FORNECER DE 0,5 A 1,5% DO PESO VIVO ANIMAL

62 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

63 RAÇÃO COPAGRA CORTE 20% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 20% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE CORTE -MODO DE USAR: FORNECER DE 0,5 A 1,5% DO PESO VIVO ANIMAL

64 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

65 RAÇÃO COPAGRA CORTE 22% -RAÇÃO CONCENTRADA COM 22% DE PROTEINA BRUTA E ALTA ENERGIA; -COMPOSIÇÃO BÁSICA: MILHO, FARELO DE SOJA ALTA ENERGIA, PREMIX MINERAL, VITAMÍNICO, URÉIA E ADITIVOS. -ESPÉCIE INDICADA: BOVINOS DE CORTE -MODO DE USAR: FORNECER DE 0,5 A 1,5% DO PESO VIVO ANIMAL.

66 P RAZO DE VALIDADE: 120 DIAS APÓS DATA DE FABRICAÇÃO. C ONDIÇÕES DE CONSERVAÇÃO: CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO, OA ABRIGO DA LUZ SOLAR, EM ESTRADOS, EVITANDO CONTATOS COM PAREDES E PISOS. R ESTRIÇÕES DE USO:PRODUTO CONTÉM URÉIA E MONENSINA SÓDICA PORTANTO NÃO FORNECER A MONOGÁSTICOS (EQUINOS,ASSININOS, SUINOS E AVES)

67 TABELA PRATICA PARA RECOMENDAÇÃO DE RAÇÃO CATEGORIA: BOVINOS DE CORTE VOLUMOSOFINALIDADERAÇAO RECOMENDADA PASTO RUIMMANUTENÇÃO0,5 % Ração Corte 18% PASTO INTERMEDIÁRIO MANUTANÇÃO0,4% Ração Corte 18% PASTO BOMMANUTENÇÃO0,3% Ração Corte 18% PASTO RUIMSEMI CONFINAMENTO 0,8 % Ração Corte 18% PASTO INTERMEDIARIO SEMI CONFINAMENTO 0,7% Ração Corte 18% PASTO BOMSEMI CONFINAMENTO 0,5% Ração Corte 18% PASTO RUIMTERMINAÇÃO1,3 a 1,5 % Ração Corte 18% PASTO INTERMEDIÁRIO TERMINAÇÃO1,2 a 1,3% Ração Corte 18% PASTO BOMTERMINAÇÃO1,0 a 1,2% Ração Corte 18%

68 TABELA PRATICA PARA RECOMENDAÇÃO DE RAÇÃO CATEGORIA: BOVINOS DE CORTE CAPIM NAPIER IN NATURA ou ENSILADO MANUTENÇÃO0,6 A 0,8% Ração Corte 20% CAPIM NAPIER IN NATURA ou ENSILADO SEMI CONFINAMENTO 0,8 A 1,0% Ração Corte 20% CAPIM NAPIER IN NATURA ou ENSILADO TERMINAÇÃO1,0 a 1,2% Ração Corte 20% SILAGENS MILHO - SORGO MANUTENÇÃO0,6 A 0,8% Ração Corte 18% SILAGENS MILHO - SORGO SEMI CONFINAMENTO 0,8 A 1,0% Ração Corte 18% SILAGENS MILHO - SORGO TERMINAÇÃO1,0 a 1,2% Ração Corte 18% CANA IN NATURA ou ENSILADA MANUTENÇÃO0,6 A 0,8% Ração Corte 22% CANA IN NATURA ou ENSILADA SEMI CONFINAMENTO 0,8 A 1,0% Ração Corte 22% CANA IN NATURA ou ENSILADA TERMINAÇÃO1,0 a 1,2% Ração Corte 22%

69 TABELA PRATICA PARA RECOMENDAÇÃO DE RAÇÃO CATEGORIA: BOVINOS DE LEITE VOLUMOSOFINALIDADERAÇAO RECOMENDADA PASTO RUIMManutenção0,5% do Peso Vivo animal- Ração Leite 18% PASTO RUIMProdução até 10 litros1 kg de Ração Leite 18% para cada 3 litros de leite produzido PASTO RUIMProdução 10 a 15 litros1 kg de Ração Leite 20% para cada 3 litros de leite produzido PASTO RUIMProdução acima 15 litros1 kg de Ração Leite 22% para cada 3 litros de leite produzido PASTO INTERMEDIARIO Manutenção0,5% do Peso Vivo animal- Ração Leite 18% PASTO INTERMEDIARIO Produção até 10 litros1 kg de Ração Leite 18% para cada 3 litros de leite produzido PASTO INTERMEDIARIO Produção 10 a 15 litros1 kg de Ração Leite 20% para cada 3 litros de leite produzido PASTO INTERMEDIARIO Produção acima 15 litros1 kg de Ração Leite 22% para cada 3 litros de leite produzido

70 TABELA PRATICA PARA RECOMENDAÇÃO DE RAÇÃO CATEGORIA: BOVINOS DE LEITE PASTO BOMManutenção0,5% do Peso Vivo animal- Ração Leite 18% PASTO BOMProdução até 10 litros1 kg de Ração Leite 18% para cada 3 litros de leite produzido PASTO BOMProdução 10 a 15 litros1 kg de Ração Leite 20% para cada 3 litros de leite produzido PASTO BOMProdução acima 15 litros1 kg de Ração Leite 22% para cada 3 litros de leite produzido CANA IN NATURA ou ENSILADA Manutenção0,5% do Peso Vivo animal- Ração Leite 18% CANA IN NATURA ou ENSILADA Produção até 10 litros1 kg de Ração Leite 18% para cada 3 litros de leite produzido CANA IN NATURA ou ENSILADA Produção 10 a 15 litros1 kg de Ração Leite 20% para cada 3 litros de leite produzido CANA IN NATURA ou ENSILADA Produção acima 15 litros1 kg de Ração Leite 22% para cada 3 litros de leite produzido

71 TABELA PRATICA PARA RECOMENDAÇÃO DE RAÇÃO CATEGORIA: BOVINOS DE LEITE CAPIM NAPIER IN NATURA ou ENSILADO Manutenção0,5% do Peso Vivo animal- Ração Leite 18% CAPIM NAPIER IN NATURA ou ENSILADO Produção até 10 litros1 kg de Ração Leite 18% para cada 3 litros de leite produzido CAPIM NAPIER IN NATURA ou ENSILADO Produção 10 a 15 litros1 kg de Ração Leite 20% para cada 3 litros de leite produzido CAPIM NAPIER IN NATURA ou ENSILADO Produção acima 15 litros1 kg de Ração Leite 22% para cada 3 litros de leite produzido SILAGENS MILHO - SORGO Manutenção0,5% do Peso Vivo animal- Ração Leite 18% SILAGENS MILHO - SORGO Produção até 10 litros1 kg de Ração Leite 18% para cada 3 litros de leite produzido SILAGENS MILHO - SORGO Produção 10 a 15 litros1 kg de Ração Leite 20% para cada 3 litros de leite produzido SILAGENS MILHO - SORGO Produção acima 15 litros1 kg de Ração Leite 22% para cada 3 litros de leite produzido

72

73

74

75

76

77 PORQUE UTILIZAR A RAÇÃO?

78 COMPROMETIMENTO

79 OBRIGADO


Carregar ppt "TREINAMENTO RAÇÕES COPAGRA JOSÉ VALDIR BARAVIERA JOSÉ VALDIR BARAVIERA NIVALDO APARECIDO TREVIZAN NIVALDO APARECIDO TREVIZAN ZOOTECNISTAS ZOOTECNISTAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google