A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt FUNDAMENTOS GERAIS DE SHST.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt FUNDAMENTOS GERAIS DE SHST."— Transcrição da apresentação:

1 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt FUNDAMENTOS GERAIS DE SHST

2 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Carga Horária: - 2 Horas FUNDAMENTOS GERAIS DE SHST Objectivos: - Habilitar os profissionais no conhecimento e prática dos principais riscos ocupacionais a que estão expostos e na prevenção de situações. Tornar os profissionais capazes de promover condições de higiene e segurança no trabalho para a melhoria das condições de trabalho, qualidade e ambiente.

3 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt HIERARQUIA E DIPLOMAS LEGAIS LEI LEI DL – Decreto lei DL – Decreto lei Portarias Portarias

4 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL FUNDAMENTOS GERAIS DE SHST

5 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL 1º Diploma Legal – 1860 Estabelecia um regime jurídico relativo ao trabalho em estabelecimentos insalubres, incómodos e perigosos.

6 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL ratificadaEm 22 de Junho de 1981 foi ratificada pela Assembleia da República a Convenção nº 155 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), enquadrando do ponto de vista legal o trabalho em condições de segurança, higiene e saúde.

7 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Em 1986 dá-se adesão de Portugal à CEE Em 1989, sai a Directiva 89/381/CEE Acto único europeu

8 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Postos de trabalho seguros; Equipamento e ferramentas, adequados e seguros para a tarefa a executar; Informação adequada de riscos não aparentes, mas possíveis de surgir durante a execução das tarefas; Obrigações do Empregador

9 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Trabalhadores e quadros competentes, com a formação adequada; Normas e/ou manuais, para a execução das tarefas com segurança; Garantir os meios necessários, para que os procedimentos das normas e manuais possam ser cumpridos. Obrigações do Empregador

10 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Cumprir com as prescrições de segurança, higiene e saúde do trabalho; Zelar pela sua segurança e saúde, bem como pela segurança e saúde das outras pessoas que possam ser afectadas pelas suas acções ou omissões do trabalho; Obrigações dos Trabalhadores

11 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Utilizar correctamente, e segundo as instruções transmitidas pelo empregador, máquinas, aparelhos, instrumentos, substâncias perigosas e outros equipamentos e meios postos à sua disposição, designadamente os equipamentos de protecção colectiva e individual, bem como cumprir os procedimentos de trabalho estabelecidos; Obrigações dos Trabalhadores

12 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Cooperar, na empresa, estabelecimento ou serviço, para a melhoria do sistema de segurança, higiene e saúde do trabalho; Comunicar imediatamente ao superior hierárquico ou, não sendo possível, aos trabalhadores, as avarias e deficiências por si detectadas que se lhe afigurem susceptíveis de originarem perigo grave e iminente, assim como qualquer defeito verificado nos sistemas de protecção; Obrigações dos Trabalhadores

13 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Em caso de perigo grave e iminente, não sendo possível estabelecer contacto imediato com o superior hierárquico ou com os trabalhadores que desempenham funções específicas nos domínios da segurança, higiene e saúde no local de trabalho, adoptar as medidas e instruções estabelecidas para tal situação.. Obrigações dos Trabalhadores

14 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST A segurança e higiene são duas actividades que estão intimamente relacionadas com o objectivo de garantir condições de trabalho capazes de manter um nível de saúde dos trabalhadores. Segurança e Higiene

15 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST >Acidentes de trabalho;

16 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Optimização de todo o seu processo; Reduz acidentes de trabalho; Controlo dos factores de risco que possam prejudicar o sistema; Melhoria contínua. Quais os benefícios de um sistema de SHST numa organização?

17 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Segurança no trabalho, tem como função prevenir os acidentes de trabalho, eliminando as condições inseguras do ambiente e educar os trabalhadores a utilizarem medidas preventivas. Segurança no trabalho

18 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Higiene no trabalho, tem como função prevenir, de um ponto vista não médico, as doenças profissionais, identificando os factores que podem afectar o ambiente do trabalho e o trabalhador, visando eliminar ou reduzir os riscos profissionais (condições inseguras de trabalho que podem afectar a saúde, segurança e bem estar do trabalhador). Higiene no trabalho

19 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Segundo a O.M.S. – Organização Mundial de Saúde, É um estado de bem estar físico, mental e social completo e não somente a ausência de dano ou doença. Saúde

20 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Pessoa singular que, mediante retribuição, se obriga a prestar serviço a um empregador, incluindo a Administração Pública, os institutos públicos e demais pessoas colectivas de direito público, e, bem assim, o tirocinante, o estagiário e o aprendiz e os que estejam na dependência económica do empregador em razão dos meios de trabalho e do resultado da sua actividade, embora não titulares de uma relação jurídica de emprego, pública ou privada. Trabalhador

21 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Pessoa singular que exerce uma actividade por conta própria. Trabalhador Independente

22 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Pessoa eleita nos termos definidos na lei para exercer funções de representação dos trabalhadores nos domínios da segurança, higiene e saúde do trabalho. Representante dos Trabalhadores

23 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Pessoa singular ou colectiva com um ou mais trabalhadores ao seu serviço e responsável pela empresa ou pelo estabelecimento ou, quando se trate de organismos sem fins lucrativos, que detenha competência para contratação de trabalhadores. Empregador ou Entidade empregadora

24 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Todo o lugar em que o trabalhador se encontra, ou donde ou para onde deve dirigir-se em virtude do seu trabalho, e em que esteja, directa ou indirectamente, sujeito ao controlo do empregador. Local de Trabalho

25 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Os locais de trabalho, o ambiente de trabalho, as ferramentas, as máquinas e materiais, as substâncias e agentes químicos, físicos e biológicos, os processos de trabalho e a organização do trabalho. Componentes Materiais do trabalho

26 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST «É a especialidade médica que se dedica à prevenção e controlo da doença e incomodidade do trabalho, da promoção da saúde e produtividade dos trabalhadores.» Medicina do trabalho Pode ainda ser definida como: «A ciência que partindo do conhecimento do corpo humano e do meio em que este desenvolve a sua actividade, neste caso o laboral, tem como objectivos a promoção da saúde (ou Prevenção da perda da saúde), o tratamento das doenças e a reabilitação.»

27 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Servem para determinar se um trabalhador está apto para trabalhar em determinado posto de trabalho e para detectar precocemente qualquer alteração de saúde que ocorra no trabalhador. Exames Médicos

28 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Exames médicos de admissão Exames médicos periódicos Exames Médicos

29 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Doenças ligadas ao trabalho, ou seja, doenças que se agravam com o trabalho, ou que não estando directamente ligadas ao trabalho são por este influenciadas. A OMS, distingue os dois tipos de doença relacionada com o trabalho: Doença ocupacional, situação para a qual existe uma relação bem estabelecida entre a alteração de saúde e um ou mais factores do trabalho que podem ser bem identificados, quantificados e eventualmente controlados; Doença relacionada com o trabalho, situação onde a relação entre a alteração de saúde e o trabalho é fraca, não é clara e é variável. Doença Profissional

30 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST É todo acidente que se verifique no local e no tempo de trabalho e produza directa ou indirectamente lesão corporal, perturbação funcional ou doença de que resulte a morte ou redução na capacidade de trabalho ou de ganho Acidente de Trabalho É também considerado acidente de trabalho ocorrido:

31 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Fora do local ou do tempo de trabalho, quando verificado na execução de serviços determinados pela entidade empregadora ou por esta consentida; Na ida para o local de trabalho ou no regresso deste, quando for utilizado meio de transporte fornecido pela entidade empregadora, ou quando o acidente seja consequência de particular perigo do percurso normal ou de outras circunstâncias que tenham agravado o risco do mesmo percurso – acidente de trajecto; Na execução de serviços espontaneamente prestados e de que possa resultar proveito económico para a entidade empregadora; Acidente de Trabalho

32 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Acontecimento não intencional que em circunstâncias ligeiramente diferentes poderia provocar danos corporais, danos materiais ou perdas de produção. Incidente

33 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Ciência que utilizando conhecimentos de Anatomia, Fisiologia, Psicologia e Sociologia, fornece métodos para a determinação dos limites que podem ser atingidos na realização do trabalho humano, com o objectivo de adaptar o trabalho ao Homem e o Homem ao trabalho. Ergonomia

34 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Ergonomia "A ERGONOMIA É O ESTUDO DA ADAPTAÇÃO DO TRABALHO AO HOMEM" E r g o n o m i a ErgonNomos TrabalhoRegras

35 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Acções de prevenção são todas as medidas destinadas a evitar os acidentes de trabalho e as doenças profissionais. Definir as acções de prevenção consiste na tomada de decisões quanto às medidas a adoptar para: Eliminar riscos; Limitar riscos; Limitar as consequências dos riscos. Prevenção

36 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Prevenção para QUÊ!!! Proteger Tão pouco quanto possível, mas tanto quanto necessário que significa...

37 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Prevenção 5s

38 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt PORQUE PRECISAMOS DO COMPROMISSO DE TODOS ? Porque a essência dos conceitos e sensos do Programa 5S é a promoção de mudança de atitudes, comportamento e hábitos das pessoas. Sem o envolvimento de todos, a Mudança será somente aparente. CONCEITOS SHST

39 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt O QUE É O PROGRAMA 5S É um processo estruturado para mobilizar a organização para o uso responsável dos recursos nos aspectos físicos (equipamentos, máquinas e células de trabalho), procedimentos e atitudes. Busca promover a disciplina na organização, por meio da consciência e responsabilidade de todos. CONCEITOS SHST

40 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Implantação por meio de práticas simples; Promove o crescimento contínuo das pessoas; Aperfeiçoamento constante da rotina do trabalho diário; Promove a melhoria da qualidade de vida. CONCEITOS SHST

41 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt QUAIS SÃO OS GANHOS COM O PROGRAMA 5S ? Melhoria da qualidade e produtividade; Redução de perdas no processo e do desperdício em geral; Redução de tempo de atendimento; Aumento de eficiência de equipamentos e, em alguns casos, de confiabilidade; Redução de manutenção corretiva, paradas não- programadas e outras perdas; Ganhos de espaço nas instalações e nos computadores; Eliminação de dados, relatórios e outros itens ultrapassados. CONCEITOS SHST

42 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt QUAIS SÃO OS GANHOS COM O PROGRAMA 5S ? Melhor utilização e controle dos recursos da organização; Melhoria das condições de segurança e meio ambiente; Melhoria da imagem da organização; Criação de ambientes mais agradáveis para se trabalhar; Foco nas atividades de maior valor agregado; Prevenção de doenças profissionais e mentais. CONCEITOS SHST

43 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Programa 5S Palavras chave para o 5S: Liderança, Motivação e Comunicação. CONCEITOS SHST

44 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ÉTICA POSITIVA VIVER E CONTRIBUIR PARA CONSTRUIR UM AMBIENTE DIGNO DE SE VIVER E TRABALHAR CONCEITOS SHST

45 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt SENSO DE UTILIZAÇÃO CONCEITOS SHST

46 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Eliminar o desnecessário Utilizar corretamente os equipamentos Evitar o desperdício Manter os materiais realmente importantes para seu trabalho O que não é necessário, só atrapalha ! CONCEITOS SHST

47 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt SENSO DE ORDENAÇÃO CONCEITOS SHST

48 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Padronizar uma forma de ordenar e guardar documentos, ferramentas e materiais Identificar para facilitar a localização (comunicação visual) Facilitar o fluxo de pessoas economize seu tempo ele é precioso!! CONCEITOS SHST

49 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt SENSO DE LIMPEZA CONCEITOS SHST

50 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Identificar e eliminar as causas da sujidade Incentivar os colegas a manterem a limpeza Limpar os equipamentos após o uso Mais importante que limpar é não sujar! CONCEITOS SHST

51 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt SENSO DE SAÚDE CONCEITOS SHST

52 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Preocupar-se com a sua segurança individual e com a do grupo Cuidar da sua higiene corporal Manter elevado o nível dos 3 primeiros sensos (UTILIZAÇÃO,ORDENAÇÃO E LIMPEZA ) Promover um bom clima de trabalho Ser franco e cordial com seus colegas CONCEITOS SHST

53 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt SENSO DE AUTODISCIPLINA CONCEITOS SHST

54 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Fazer o melhor, sempre Trabalhar sempre em conjunto, procurando o crescimento da Equipa Colocar em prática o 5S Ter atitudes positivas e vontade de melhorar A força da equipe está na união do todo, e não na individualidade de cada um. CONCEITOS SHST

55 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt TRABALHE SATISFEITO. HÁ SEMPRE ALGO NOVO A APRENDER. CONCEITOS SHST

56 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt A principal característica do 5S é a sua simplicidade. Seus efeitos, porém, só podem ser entendidos por quem o executa... CONCEITOS SHST

57 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt...e quem o executa sabe a força e o significado dele para o desenvolvimento da QUALIDADE TOTAL 5S CONCEITOS SHST

58 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Expressa uma exposição relativa a um risco que favorece a sua materialização em danos. Se existe um risco, face às precauções tomadas, o nível de perigo pode ser baixo ou alto, e ainda, para riscos iguais pode-se ter diferentes tipos de perigo. Perigo

59 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST Consideram-se Risco de Trabalho todas as situações, reais ou potenciais, susceptíveis de a curto, médio ou longo prazo, causarem lesões aos trabalhadores ou à comunidade, em resultado do trabalho. Risco

60 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCEITOS SHST A avaliação de riscos do trabalho consiste na análise da importância dos riscos identificados, no contexto específico do Sistema de Trabalho em que foram detectados. Os riscos de trabalho deverão ser avaliados com o objectivo principal de se tomarem decisões quanto às prioridades das acções de prevenção a desencadear. Avaliação do Risco

61 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt R H Limitar / eliminar o risco R H Envolver o risco R H Afastar o homem R H Proteger o homem CONCEITOS SHST

62 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ACIDENTESDETRABALHO ACIDENTES DE TRABALHO

63 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ACIDENTE DE TRABALHO É UMA OCORRÊNCIA NÃO PROGRAMADA E INDESEJADA, INESPERADA OU NÃO, QUE INTERROMPE OU INTERFERE NO PROCESSO NORMAL DE UMA ATIVIDADE, TRAZENDO POR CONSEQUÊNCIA DOR, PERDAS OU MORTE. CONCEITO PREVENCIONISTA

64 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt De uma forma geral o acidente de trabalho é toda ocorrência que interrompe o andamento normal de qualquer tipo de atividade. CONCEITO PREVENCIONISTA

65 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Assim ele não deve ser entendido apenas em função de causar um ferimento ou um acontecimento desastroso. CONCEITO PREVENCIONISTA

66 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Um simples escorregão ou tropeção, mesmo não provocando qualquer lesão, já pode ser classificado como acidente, pois está a interromper uma actividade normal e resulta em perda de tempo CONCEITO PREVENCIONISTA

67 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ACIDENTE DE TRABALHO, É AQUELE QUE OCORRE PELO EXERCÍCIO DO TRABALHO A SERVIÇO DA EMPRESA, QUE PROVOCA LESÃO CORPORAL OU PERTURBAÇÃO FUNCIONAL QUE CAUSE A MORTE, A PERDA OU A REDUÇÃO, PERMANENTE OU TEMPORÁRIA DA CAPACIDADE PARA O TRABALHO. CONCEITO LEGAL

68 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ERGONOMIA CIÊNCIA QUE ESTUDA A ADAPTAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO AO HOMEM BEM COMO A FORMA DAS FERRAMENTAS DE ACORDO COM A SUA FUNÇÃO.

69 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt EXEMPLOS FORMATO DE TALHERES E ESCOVAS DE DENTE; POSICIONAMENTO DOS PEDAIS DOS VEÍCULOS; FITAS ANTIDERRAPANTES EM DEGRAUS; ALTURA DE LAVATÓRIOS E SUPERFÍCIES DE TRABALHO.

70 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt RISCOS PROFISSIONAIS: RISCOS ERGONÓMICOS: Posturas; levantamento e transporte de pesos; jornada de trabalho prolongada; monotonia e repetitividade; Causadores de DORT/LER.

71 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt LER - LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS

72 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt São doenças provocadas pelo uso inadequado e excessivo do sistema que agrupa ossos, nervos, músculos e tendões. Atingem principalmente os membros superiores: mãos, punhos, braços, antebraços, ombros e coluna cervical.

73 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt São típicas do trabalho intenso e repetitivo, as LER são causadas por diversos tipos de pressões existentes no trabalho que afetam as pessoas tanto física quanto psicologicamente. Diante deste conceito, a LER, passou a ter outra denominação: DORT Doença Osteomuscular Relacionada ao Trabalho

74 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt O QUE SÃO AS DORT/LER ? DOENÇAS DO TRABALHO PROVOCADAS PELO USO INADEQUADO E EXCESSIVO (REPETITIVO OU POSTURA INADEQUADA) DOS SISTEMAS QUE AGRUPAM VASOS SANGUÍNEOS, TECIDOS, ARTICULAÇÕES, OSSOS, NERVOS, MÚSCULOS, LIGAMENTOS E TENDÕES. É CONSIDERADO QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA MUNDIAL POR ACOMETER INDISTINTAMENTE TRABALHADORES DE DIVERSAS ÁREAS.

75 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Grupo 1: Transtornos Funcionais leve: Os sintomas, a dor é de pouca intensidade e intermitente e não prejudica a função das extremidades superiores. O trabalhador não tem dificuldades superiores nas tarefas desenvolvida no Dia-a-Dia. Grupo 2: Transtornos Funcionais Moderados: Os incómodos, como a diminuição de força, dor, adormecimento, entre outros são importantes, porém não são graves, a função da extremidade superior continua sendo satisfatória, evidencia anomalia verdadeira, porém não grave, moderada limitação dos movimentos articulares, dor à mobilização, desvios dos eixos ósseos, transtornos circulatórios a capacidade de esforço contínua por um período limitado. Grupo 3: Transtornos Funcionais Médios: São definidos os sintomas, dor, diminuição de força muscular, incómodo e incapacidade devido a perda de massa muscular deformações, limitações da mobilidade articular. O trabalhador pode efetuar esforços de média intensidade. Diminuindo o ritmo de trabalho e os movimentos repetitivos. A ler/dort subdividem-se em cinco grupos, nos membros superiores:

76 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Grupo 4: Transtornos Funcionais Importantes: Os transtornos funcionais, diminuição de força dor espontânea alterações sensitivas de fraqueza, cansaço perda da sensibilidade. É grave, permanente para os movimentos das extremidades superiores. Com as mãos; os exames diagnósticos mostram graves anomalias, anquilose ou intensa rigidez de uma ou de várias articulações como: Ombro, Cotovelo, Clavícula, ocorrendo assim as atrofias. Com restrições para desenvolver suas tarefas diárias. Grupo 5 : Transtornos Funcionais Graves: O trabalhador apresenta múltiplas limitações articulares e sinais inflamatórios, perda de força, levando à cirurgia por processo inflamatório a capacidade de esforços esta totalmente diminuída. Porém devido sua autonomia reduzida precisa de ajuda de um outro para realizar determinadas atividades.

77 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt PRINCIPAIS CAUSAS DA DORT/LER : Procedimentos rígidos de trabalho; Postura rígida; Excesso de trabalho; Tensão em casa e no trabalho; Ausência de pausas em tarefas que exigem descanso periódico.

78 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt MAIOR INCIDÊNCIA ENTRE : Informáticos; Operadores de Telemarketing; Operadores de Máquinas em Geral; Metalúrgicos; Empacotadores; Separadores de Correspondências; Caixas de Bancos e Supermercados; As DORT/LER manifestam-se com maior frequência nas mulheres, no decorrer da dupla jornada de trabalho.

79 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt COMO IDENTIFICAR AS DORT/LER? Sintomas mais comuns: dores; sensação de formigamento; dormência; fadiga muscular.

80 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt COMPLICAÇÕES DA DORT/LER : Dor crónica; Alterações psicológicas: 1.Provocadas pelo medo da incapacidade e preocupações com perdas materiais e sociais; 2.Comprometem o ritmo do sono e o apetite.

81 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt ERRADO

82 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Horrores no escritório… Costas não apoiadas no encosto da cadeira Pés não apoiados no chão Mouse longe causando força no ombro Teclado mal posicionado Monitor mal posicionado Candeeiro de secretária mal posicionado Cactos crescem em ambientes secos e quentes! Pescoço virado para olhar para o monitor Almofadado a pressionar a zona inferior da coxa

83 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CERTO

84 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Ambiente de trabalho ideal… Cabeça levantada Ombros relaxados Costas erectas e apoiadas Material de referência bem posicionado Monitor à altura dos olhos e braços distanciados Olhar em frente Mãos alinhadas com o antebraço Pressão moderada do almofadado da cadeira Pés firmes no descanso de pés

85 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt …Ambiente de trabalho ideal… Elimine qualquer reflexo no seu monitor. Posicione os restantes equipamentos em locais acessíveis.

86 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt AÇÕES DE COMBATE À DORT/LER : Ginástica Laboral - exercícios de relaxamento muscular; Práticas desportivas; Atenção a posturas de trabalho e de repouso; Acompanhamento médico anual.

87 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt AÇÕES DE COMBATE À DORT/LER: Andar com a cabeça erguida e ombros para trás; Dormir de preferência de lado, com o travesseiro entre os joelhos; Evitar dormir de bruços; Ter paciência.

88 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Doenças Inflamatórias Sinovite – É a inflamação dos tecidos sinoviais, que atinge os tecidos sinoviais e articulares, intermusculares ou peritendisosos, em qualquer local do corpo, com o seu degeneração tecidual. Tenossinovite – É a inflamação dos tecidos sinoviais que envolvem os tendões em sua passagem por túneis osteofibrosos, poliais e locais em que a direção da força da ampliação é mudada, esse termo é utilizado para os processos inflamatórios. Tendinites: São inflamações do tecido próprio dos tendões, com ou sem degeneração de suas fibras. O termo Tendinite, abrange tudo e qualquer processo inflamatório dos tendões, em qualquer local do corpo. Quando o músculo atingido possue uma cobertura ou bainha sinovial,damos o nome de tenossinovite e, quando não tem é chamado Tendinite.

89 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Fascite – São inflamações de fáscias e de ligamento com ou sem degeneração das suas fibras Usamos estes termos para todo e qualquer processo inflamatório que atinja qualquer ligamento ou fáscia em qualquer lugar do corpo. Músculo: Tendinosa – É mais comum entre os trabalhadores. Localiza-se sobre os músculos ou tendões, agrava-se pela acentuação muscular Nevralgia: Localiza-se na distribuição dos nervos periféricos ou raízes nervosas, pode ser acompanhado de adormecimento pode ser generalizada pelo corpo, ou com irradiação para o membro superior. Doenças Inflamatórias

90 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt BURSITE: PALAVRA QUE DERIVA DO LATIM (BURSA = BOLSA) E DO GREGO (ITE = INFLAMAÇÃO ), DESIGNANDO A INFLAMAÇÃO DAS BURSAS (BOLSAS SEROSAS QUE EXISTEM NAS ARTICULAÇÕES DO NOSSO CORPO). A MAIS COMUM É A INFLAMAÇÃO DO OMBRO: BURSITE DO OMBRO. A BURSITE PODE TORNAR-SE MAIS DOLOROSA, CONFORME O PROBLEMA SE AGRAVA. A DOR É SENTIDA SEMPRE NO MESMO LUGAR, SEMPRE QUE A BOLSA É CONTRAÍDA NUMA POSIÇÃO QUE A IRRITE. COMO OS OUTROS TIPOS DE LESÕES POR ESFORÇO REPETITIVO, A BURSITE RESPONDE MUITO BEM AO TRATAMENTO COM ACUPUNTURA ( COM OU SEM AGULHAS - COM RAIOS LASER). NA GRANDE MAIORIA DOS CASOS EM ALGUNS MESES O PACIENTE ESTA LIVRE DO SOFRIMENTO QUE É ESTAR PRIVADO DE MOVIMENTOS.

91 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Sinovites e tenossinovites não Especificadas: São várias quadros que aparecem com diagnóstico específico definido o local da lesão identificado Tendinite ou tenossinovite de extensor radical de carpo, de extensor comum de dedos, (tenossinovite ocupacional) Estas Tendinites ou tenossinovites estão associadas a exposições ocupacionais com movimentos repetitivos de mãos e dedos, com desvios ulnar ou radial ou dorso flexão, pronação ou supinação de punho. Digitação com punho e antebraço apoiado posto de trabalho inadequado, intensificação de ritmo de trabalho e a pressão exercida na busca pela produtividade, horas extras e pausa inadequadas, São determinantes no sofrimento dessas doença. A maior queixa do trabalhador e a dor, diminuição de força sensação de peso, desconforto no membro afectado.

92 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CUIDADO!!! Não existe mobiliário ergonômico que seja comum a todas as pessoas; Trabalhar com tala piora a DORT/LER; Operar o punho ou braço é paliativo;

93 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CUIDADO!!! Anti-inflamatórios usuais só têm alcance para problemas de tendinite (inflamações de pequeno porte); Prejudicam o estômago; Compressas/Banhos quentes ajudam a tirar a dor;

94 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CUIDADO!!! Sentar a 90° é prejudicial à coluna; A cadeira deve estar ligeiramente inclinada para trás; Utilizar a mão para puxar o pescoço pode ocasionar lesões;

95 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONCLUSÕES O cadenciamento das atividades de teclado/mouse no computador é fundamental para a prevenção da DORT/LER; Os fatores psicológicos no trabalho e fora dele têm muita influência no aparecimento de DORT/LER;

96 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO O Responsável de Segurança tem que antecipar o facto. Mais de 60% de todas as catástrofes acontecem no ambiente de trabalho.

97 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Prevenção x Correcção Saúde e Segurança Segurança Ocupacional Higiene Ocupacional Segurança e Medicina do Trabalho Higiene, Segurança e Medicina do Trabalho Saúde Ocupacional Vigilância Segurança Patrimonial Segurança e Saúde do Trabalhador CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

98 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt 1)EFEITOS SOBRE O HOMEM Tais aspectos referem-se às consequências ou efeitos decorrentes do acidente do trabalho Esquematicamente, podemos representar os efeitos do Acidente do Trabalho sobre o elemento humano, como segue: EFEITOS 1. MORTE2. INCAPACIDADE 2.1. TEMPORÁRIA2.2. PERMANENTE TOTAL2.1.2 PARCIAL

99 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt a)MORTE: é o fim da vida animal ou vegetal. Extinto o homem, extinta a sua vida, o seu trabalho e emprego. b)INCAPACIDADE: é a impossibilidade para se realizar determinadas tarefas. b1)Incapacidade Temporária Total (ITT): é a incapacidade do trabalhador realizar, por certo espaço de tempo, qualquer trabalho. b2)Incapacidade Permanente Total (IPT): é a incapacidade do trabalhador realizar, por toda a vida, qualquer trabalho. b3)Incapacidade Temporária Parcial (ITP): é a redução, por certo espaço de tempo, de capacidade para o trabalho. b4)Incapacidade Permanente Parcial (IPP): é a redução, por toda a vida, da capacidade de trabalho. 2)INTERPRETAÇÃO DOS EFEITOS CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

100 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Independentemente do tipo de efeito sobre o homem, nada paga as dores, o sofrimento e a angústia do trabalhador, até á sua volta ao serviço, pois aposentar-se por incapacidade nunca será a vontade que o norteia. CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

101 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt subemprego 1)Abatimento moral marginalidade vícios maiores cuidados 2)Dor física maior suscetibilidade outras doenças perda de privilégios 3)Replaneamento familiar complementação da renda 3)CONSEQUÊNCIAS SOBRE O ACIDENTADO E SUA FAMÍLIA CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

102 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Todos nós, que compomos a sociedade portuguesa, sofremos indirectamente as consequências do acidente de trabalho sofrido por um trabalhador, por mais longínqua que seja a localização de sua empresa. Senão vejamos: A)Diminuição da força activa e produtiva da nação B)Aumento dos dependentes da Segurança Social C)Diminuição dos impostos para a Segurança Social D)Aumento de Impostos e Taxas E)Diminuição da qualidade de atendimento da empresa F)Aumento do custo final do produto 4)EFEITOS SOBRE A SOCIEDADE CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

103 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt Analisa-se aqui, os efeitos que recaem sobre a própria empresa onde ocorreu o acidente, do ponto de vista de sua economia. Inúmeros factores interferem com o aspecto económico da empresa, tais como: 1)Tempo para o atendimento do acidentado; 2)Paralisação de todo pessoal ligado directa ou indirectamente com o acidente e com o acidentado; 3)Custo do material danificado ou de seu trabalho; 4)Queda da produção; 5)Piora na qualidade do produto final; 6)Atraso nas entregas; 7)Realização de horas extras; 8)Eventual suspensão de contrato: material imobilizado; 9)Substituição temporária ou definitiva do acidentado; 10)Imagem negativa perante o público e a autoridade. 5)EFEITOS ECONÓMICOS CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

104 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS COMO VENCER O STRESS ?

105 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS 1. Identifique o stress 2. Retire/modifique o que o está a prejudicar

106 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS 3. Defina as suas prioridades 4. Organize o seu dia

107 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS 5. Aprenda a dizer não 6. Não se preocupe com o que não pode alterar

108 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS 7. Crie um bom ambiente de trabalho 8. Aprenda a relaxar

109 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS 9. Tenha vida social 10. Melhore a sua vida sexual

110 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS NÃO existe receita para combater o stress! EXISTEM formas de o evitar. EXISTEM formas de lidar com ele.

111 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt STRESS Nos momentos de maior pressão, não deixe os nervos vencer. Respire fundo, pondere os seus actos e… SORRIA!

112 www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt

113

114 PEDRO FERREIRA /


Carregar ppt "Www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt www. galileu.pt FUNDAMENTOS GERAIS DE SHST."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google