A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Lusíada Nuno Venes A Moeda História, Características e Funções.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Lusíada Nuno Venes A Moeda História, Características e Funções."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Lusíada Nuno Venes A Moeda História, Características e Funções

2 Universidade LusíadaNuno Venes O que é a moeda? Moeda é todo o meio que serve para facilitar as trocas. Funciona como um lubrificante do sistema de trocas. Moeda é todo o meio que serve para facilitar as trocas. Funciona como um lubrificante do sistema de trocas. A forma mais simples de fazer troca é a troca directa. Mas levanta problemas de redução do bem-estar potencial. A forma mais simples de fazer troca é a troca directa. Mas levanta problemas de redução do bem-estar potencial.

3 Universidade LusíadaNuno Venes O que é a moeda? Vários bens serviram como moeda ao longo dos tempos: vacas, trigo, cigarros, pão, vinho, etc... Vários bens serviram como moeda ao longo dos tempos: vacas, trigo, cigarros, pão, vinho, etc... MAS.....ESTES BENS TÊM UTILIDADE NÃO MONETÁRIA!!! Rapidamente desapareciam do circuito das trocas...

4 Universidade LusíadaNuno Venes O que é a moeda? Grande contradição – para ser moeda, um bem tinha que ser útil, para que fosse aceite por todos. Mas, ao mesmo tempo, não podia ter procura não monetária, isto é, tinha que ser inútil... Grande contradição – para ser moeda, um bem tinha que ser útil, para que fosse aceite por todos. Mas, ao mesmo tempo, não podia ter procura não monetária, isto é, tinha que ser inútil... Durante séculos, este problema foi defrontado pela teoria monetária. Durante séculos, este problema foi defrontado pela teoria monetária.

5 Universidade LusíadaNuno Venes O que é a moeda? Os bens de luxo, como conchas, pérolas, etc., vieram ajudar a resolver o problema. O seu valor não era alterado (degradado) pelo seu consumo não monetário. Os bens de luxo, como conchas, pérolas, etc., vieram ajudar a resolver o problema. O seu valor não era alterado (degradado) pelo seu consumo não monetário. Isto significa que nem todos os bens podem preencher as condições para serem moeda! Isto significa que nem todos os bens podem preencher as condições para serem moeda!

6 Universidade LusíadaNuno Venes Características da moeda Divisibilidade Divisibilidade Durabilidade Durabilidade Aceitabilidade geral Aceitabilidade geral Ter reduzida procura não monetária Ter reduzida procura não monetária Manter o valor Manter o valor Ser prática de movimentar Ser prática de movimentar Dificilmente falsificável Dificilmente falsificável

7 Universidade LusíadaNuno Venes História da moeda Durante muito tempo, usou-se a moeda pesada para transacções – em cada loja havia uma balança para pesar o ouro e a prata que servia para as trocas. Durante muito tempo, usou-se a moeda pesada para transacções – em cada loja havia uma balança para pesar o ouro e a prata que servia para as trocas. Como este método era pouco prático, devido aos erros que gerava, passou-se à moeda contada – bolinhas de ouro, por exemplo, com peso pré-determinado. Autoridade de fiscalização era necessária (Rei, imperador, etc...). Como este método era pouco prático, devido aos erros que gerava, passou-se à moeda contada – bolinhas de ouro, por exemplo, com peso pré-determinado. Autoridade de fiscalização era necessária (Rei, imperador, etc...).

8 Universidade LusíadaNuno Venes História da moeda Assim se passou à fase da moeda cunhada, praticamente como a conhecemos hoje – discos metálicos, com o nome do peso correspondente (libra, peso), e com o nome do soberano que a mandava cunhar. Assim se passou à fase da moeda cunhada, praticamente como a conhecemos hoje – discos metálicos, com o nome do peso correspondente (libra, peso), e com o nome do soberano que a mandava cunhar. Mas as moedas tinham pouca validade geral, principalmente em grandes mercados distantes – CAMBISTA! Mas as moedas tinham pouca validade geral, principalmente em grandes mercados distantes – CAMBISTA!

9 Universidade LusíadaNuno Venes História da moeda Os cambistas tinham como função comparar e trocar as moedas de uma zona por outra. Faziam também outro negócio – alugavam cofres para guardar em depósito a moeda dos clientes. Cada cliente ficava com um recibo, como contrapartida, que podia ser endossado. O papel não era ouro, mas valia ouro...Porque tinha a assinatura do cambista a garantir! Os cambistas tinham como função comparar e trocar as moedas de uma zona por outra. Faziam também outro negócio – alugavam cofres para guardar em depósito a moeda dos clientes. Cada cliente ficava com um recibo, como contrapartida, que podia ser endossado. O papel não era ouro, mas valia ouro...Porque tinha a assinatura do cambista a garantir!

10 Universidade LusíadaNuno Venes História da moeda Quando estes recibos começaram a circular, surgiu a moeda de papel. A partir do final do séc. XVII, alguns cambistas começaram a emitir recibos com um certo montante padrão, sempre igual, e a ter a expressão ao portador. Apareceram assim as notas que hoje utilizamos – o papel circulava livremente como moeda. Quando estes recibos começaram a circular, surgiu a moeda de papel. A partir do final do séc. XVII, alguns cambistas começaram a emitir recibos com um certo montante padrão, sempre igual, e a ter a expressão ao portador. Apareceram assim as notas que hoje utilizamos – o papel circulava livremente como moeda.

11 Universidade LusíadaNuno Venes História da moeda Cada vez mais o papel circulava, e cada vez menos o ouro era levantado. Daqui surgiu a ideia de emprestar o ouro parado, cobrando um juro. Era o nascimento dos bancos! Este era o negócio do crédito. Emitiam-se mais recibos do que o ouro existente. Era uma forma milagrosa de fazer dinheiro. Mas...surgia também a possibilidade de bancarrota! Cada vez mais o papel circulava, e cada vez menos o ouro era levantado. Daqui surgiu a ideia de emprestar o ouro parado, cobrando um juro. Era o nascimento dos bancos! Este era o negócio do crédito. Emitiam-se mais recibos do que o ouro existente. Era uma forma milagrosa de fazer dinheiro. Mas...surgia também a possibilidade de bancarrota!

12 Universidade LusíadaNuno Venes História da moeda As autoridades tiveram que intervir, declarando a inconvertibilidade dos papéis em ouro, para além de terem tomado o monopólio de emissão de moeda. A moeda passou a ser fiduciária, e passou-se da moeda de papel para o papel-moeda. As autoridades tiveram que intervir, declarando a inconvertibilidade dos papéis em ouro, para além de terem tomado o monopólio de emissão de moeda. A moeda passou a ser fiduciária, e passou-se da moeda de papel para o papel-moeda.

13 Universidade LusíadaNuno Venes História da moeda Noções adicionais de moeda envolvem a moeda escritural (cheques bancários), a moeda de plástico (cartões) ou a moeda electrónica (e-commerce). Noções adicionais de moeda envolvem a moeda escritural (cheques bancários), a moeda de plástico (cartões) ou a moeda electrónica (e-commerce).

14 Universidade LusíadaNuno Venes Funções da moeda Intermediário geral das trocas Intermediário geral das trocas Unidade de conta ( numerário da economia) Unidade de conta ( numerário da economia) Reserva de valor Reserva de valor


Carregar ppt "Universidade Lusíada Nuno Venes A Moeda História, Características e Funções."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google