A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BrasÍlia, DF Maio, 2006 AS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS NA ERA DO ACESSO LIVRE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BrasÍlia, DF Maio, 2006 AS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS NA ERA DO ACESSO LIVRE."— Transcrição da apresentação:

1 BrasÍlia, DF Maio, 2006 AS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS NA ERA DO ACESSO LIVRE

2 Motivação Exclusão científica – nem todos tem acesso ao conhecimento científico Exclusão científica – nem todos tem acesso ao conhecimento científico Alto custo das assinaturas dos principais periódicos científicos; Alto custo das assinaturas dos principais periódicos científicos; Dificuldades encontradas pelos pesquisadores no ciclo da comunicação científica tradicional; Dificuldades encontradas pelos pesquisadores no ciclo da comunicação científica tradicional; Surgimento das NTIC Surgimento das NTIC –As novas tecnologias possibilitaram a implantação de repositórios e bibliotecas digitais; –Queda nos preços de equipamentos de processamento de dados; –Software livre; –Modelo Open Archives; Movimento em favor do acesso livre à IC dentro e fora da comunidade científica Movimento em favor do acesso livre à IC dentro e fora da comunidade científica –Mudanças de paradigmas na comunicação científica

3 Bibliotecas Digitais: definição The "digital library" is not merely equivalent to a digitized collection with information management tools. It is also a series of activities that brings together collections, services, and people in support of the full life cycle of creation, dissemination, use, and preservation of data, information, and knowledge The "digital library" is not merely equivalent to a digitized collection with information management tools. It is also a series of activities that brings together collections, services, and people in support of the full life cycle of creation, dissemination, use, and preservation of data, information, and knowledge Digital Library Initiative Phase 2

4 Repositórios: definição são um conjunto de serviços oferecidos por uma instituição aos membros de sua comunidade para a gestão e disseminação da sua produção técnico-científica em meio digital. são um conjunto de serviços oferecidos por uma instituição aos membros de sua comunidade para a gestão e disseminação da sua produção técnico-científica em meio digital. Clifford A. Lynch e Joan K. Lippincott (2005) A repository is a central place where data is stored and maintained. A repository can be a place where multiple databases or files are located for distribution over a network, or a repository can be a location that is directly accessible to the user without having to travel across a network. A repository is a central place where data is stored and maintained. A repository can be a place where multiple databases or files are located for distribution over a network, or a repository can be a location that is directly accessible to the user without having to travel across a network.datadatabasesfilesdatadatabasesfiles É um sistema de computador usado para armazenar coleções de uma biblioteca digital e disseminá-los aos usuários. É um sistema de computador usado para armazenar coleções de uma biblioteca digital e disseminá-los aos usuários. l l

5 Experiência na década de 90 no Laboratório de Los Alamos; Experiência na década de 90 no Laboratório de Los Alamos; 2000 – Santa Fé – Criação do OAI – Open Archives Initiative; 2000 – Santa Fé – Criação do OAI – Open Archives Initiative; Estabelecimento de padrões para integração de repositórios e bibliotecas digitais; Estabelecimento de padrões para integração de repositórios e bibliotecas digitais; Contempla três atores: Contempla três atores: –Provedores de Dados (hospedam os respositórios digitais) –Provedores de Serviços (fornece serviços com valor agregado) –Agregadores (instituições que desempenham os dois papeis) Surgimento de várias ferramentas de software open source para construção de repositórios digitais (OJS, E-prints, OCS, Dspace, Fedora, CDSware...) Surgimento de várias ferramentas de software open source para construção de repositórios digitais (OJS, E-prints, OCS, Dspace, Fedora, CDSware...) Modelo Open Archives

6 Ideais e princípios dos OA Auto publicação Auto publicação Sistema de armazenamento a longo prazo Sistema de armazenamento a longo prazo Política de gestão observando normas de preservação de objetos digitais Política de gestão observando normas de preservação de objetos digitais Acesso livre, inclusive para coleta e replicação de metadados Acesso livre, inclusive para coleta e replicação de metadados Uso de padrões e protocolos com vista a solução de interoperabilidade entre as bibliotecas digitais Uso de padrões e protocolos com vista a solução de interoperabilidade entre as bibliotecas digitais Uso de software open source Uso de software open source

7 Esquema Funcional do OA Provedores de Dados (Data Providers) Coleta via OAI-PMH Agregador Provedores de serviços (Service Providers)

8 Vantagens no uso do modelo OA Maior rapidez na disseminação da literatura científica publicada nesses repositórios Maior rapidez na disseminação da literatura científica publicada nesses repositórios –Acesso livre => Maior Rapidez na disseminação da IC Maior visibilidade dos trabalhos publicados Maior visibilidade dos trabalhos publicados Maior impacto Maior impacto –Acesso livre => Maior Visibilidade => Maior possibilidade de ser citado Maior interoperabilidade com outros repositórios Maior interoperabilidade com outros repositórios –OAI-PMH (Open Archives Initiative Protocol of Metadata Harvesting ) Suporte ao movimento do acesso livre à informação Suporte ao movimento do acesso livre à informação

9 Principais marcos do movimento em favor do acesso livre à IC outubro de 1999 => Lançamento da Open Archives Initiative, pela Convenção de Santa Fé outubro de 1999 => Lançamento da Open Archives Initiative, pela Convenção de Santa Fé início de 2001 => Carta aberta da Public Library of Science (PLoS) início de 2001 => Carta aberta da Public Library of Science (PLoS) fevereiro de 2002 => Iniciativa de Budapeste para o Acesso Aberto fevereiro de 2002 => Iniciativa de Budapeste para o Acesso Aberto outubro de 2002 => Carta ECHO outubro de 2002 => Carta ECHO abril de 2003 => Declaração de Bethesda abril de 2003 => Declaração de Bethesda agosto de 2003=> Association of Learned and Professional Society Publishers (ALPSP) agosto de 2003=> Association of Learned and Professional Society Publishers (ALPSP) outubro de 2003 => Declaração de Berlim outubro de 2003 => Declaração de Berlim novembro de 2003=> Declaração de princípios do Wellcome Trust em apoio à edição em livre acesso novembro de 2003=> Declaração de princípios do Wellcome Trust em apoio à edição em livre acesso dezembro de 2003=> Posicionamento do InterAcademy Panel sobre o acesso à informação científica dezembro de 2003=> Posicionamento do InterAcademy Panel sobre o acesso à informação científica dezembro de 2003 => Declaração do IFLA sobre o livre acesso à LC e aos documentos da pesquisa dezembro de 2003 => Declaração do IFLA sobre o livre acesso à LC e aos documentos da pesquisa dezembro de 2003 => Declaração de princípios da Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação (SMSI) dezembro de 2003 => Declaração de princípios da Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação (SMSI) janeiro de 2004 => Declaração de Valparaíso janeiro de 2004 => Declaração de Valparaíso janeiro de 2004 => Declaração da OCDE s/ o acesso aos dados da pesquisa financiada por fundos públicos janeiro de 2004 => Declaração da OCDE s/ o acesso aos dados da pesquisa financiada por fundos públicos março de 2004 => Princípios de Washington D. C. para o livre acesso à ciência março de 2004 => Princípios de Washington D. C. para o livre acesso à ciência julho de 2004=> Publicação do relatório do comitê do parlamento britânico sobre edição científica julho de 2004=> Publicação do relatório do comitê do parlamento britânico sobre edição científica setembro de 2005 => Manifesto Brasileiro de Apoio ao Acesso Livre à IC setembro de 2005 => Manifesto Brasileiro de Apoio ao Acesso Livre à IC setembro de 2005 => Declaração de Salvador sobre Acesso Aberto: A Perspectiva dos Países em Desenvolvimento setembro de 2005 => Declaração de Salvador sobre Acesso Aberto: A Perspectiva dos Países em Desenvolvimento dezembro de 2005 => Carta de São Paulo dezembro de 2005 => Carta de São Paulo maio de 2006=> Declaração de Florianópolis maio de 2006=> Declaração de Florianópolis

10 Movimento do Acesso Livre à IC Compartilhamento do conhecimento Compartilhamento do conhecimento –Em especial, aquele produzido no hemisfério norte Inclusão científica => inclusão social Inclusão científica => inclusão social –maior acesso à informação Os resultados de pesquisas financiadas com recursos públicos devem ser de livre acesso; Os resultados de pesquisas financiadas com recursos públicos devem ser de livre acesso; –repositórios institucionais; –repositórios temáticos. Participação de todos os segmentos da comunidade de ciência e tecnologia Participação de todos os segmentos da comunidade de ciência e tecnologia –Pesquisadores; –Instituições de Ensino Superior; –Instituições de Pesquisa; –Agências de Fomento; –Órgãos de governo.

11 Ações empreendidas pelo IBICT Pesquisa e acompanhamento do OAI desde 2000; Pesquisa e acompanhamento do OAI desde 2000; Implantação da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD); Implantação da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD); –Aperfeiçoar a pesquisa e o ensino de pós-graduação; –Registrar teses e dissertações (depósito legal de teses eletrônicas); E-prints (Diálogo Científico); E-prints (Diálogo Científico); Open Journal Systems – SEER (Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas); Open Journal Systems – SEER (Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas); –dar assistência na edição dos periódicos científicos em cada uma das etapas do processo, desde a submissão, por parte dos autores, e a avaliação, por parte dos consultores, até a publicação on-line e sua indexação. Open Conference System – em parceria com o Centro de Informações Nucleares da CNEN – SOAC (Sistema Online de Acompanhamento de Conferências); Open Conference System – em parceria com o Centro de Informações Nucleares da CNEN – SOAC (Sistema Online de Acompanhamento de Conferências); DSPACE, em parceria com a Portcom/USP, uma rede de informação na área de comunicação. DSPACE, em parceria com a Portcom/USP, uma rede de informação na área de comunicação.

12 Considerações Finais As ações empreendidas pelo IBICT criaram condições para o cumprimento de sua missão, enquanto organismo de governo responsável pela IC no país; As ações empreendidas pelo IBICT criaram condições para o cumprimento de sua missão, enquanto organismo de governo responsável pela IC no país; Essas condições poderão propiciar um futuro menos dependente das revistas científica comerciais Essas condições poderão propiciar um futuro menos dependente das revistas científica comerciais Estabelecimento de uma política nacional de informação com base nos paradigmas do acesso livre à IC; Estabelecimento de uma política nacional de informação com base nos paradigmas do acesso livre à IC; Ações de promoção da criação de repositórios institucionais ou temáticos; Ações de promoção da criação de repositórios institucionais ou temáticos; Ações para estimular a publicação dos resultados de pesquisa em repositórios de livre acesso. Ações para estimular a publicação dos resultados de pesquisa em repositórios de livre acesso.

13 Obrigado!!! Emir José Suaiden Diretor do Ibict SAS Quadra 05 Lote 06 Bloco H – Brasília, DF Telefones:


Carregar ppt "BrasÍlia, DF Maio, 2006 AS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS NA ERA DO ACESSO LIVRE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google