A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sociologia Cursinho Popular Paulo Freire. Cidade- Ervália. Professora: Iasmine Ferrari. Contato: Tema (s): Tempos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sociologia Cursinho Popular Paulo Freire. Cidade- Ervália. Professora: Iasmine Ferrari. Contato: Tema (s): Tempos."— Transcrição da apresentação:

1 Sociologia Cursinho Popular Paulo Freire. Cidade- Ervália. Professora: Iasmine Ferrari. Contato: Tema (s): Tempos Moderno: Durkheim e Max Weber

2 Émile Durkheim

3 Epistemologia Antes de criar propriamente o seu método sociológico, Durkheim tinha que defrontar- se com duas questões: 1.Como ele concebia a relação entre indivíduo e sociedade 2.Como ele entendia o papel do método científico na explicação dos fenômenos sociais

4 Epistemologia: A sociedade (objeto) é superior ao indivíduo (sujeito); As estruturas sociais funcionam de modo independente dos indivíduos, condicionando suas ações. O TODO condiciona as PARTES.

5 Metodologia Funcionalista 1.Qual o objeto de estudo da sociologia? 2.Como a sociologia deve proceder para explicar seu objeto de estudo?

6 Objeto de estudo: O Fato Social é um fato social toda maneira de agir, fixa ou não, capaz de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior, ou ainda, que é geral no conjunto de uma dada sociedade tendo, ao mesmo tempo, uma existência própria, independente de suas manifestações individuais.

7 Objeto de estudo da sociologia O FATO SOCIAL É: 1) GERAL2) EXTERIOR 3) COERCITIVO

8 1) Exterior Os fatos sociais existem e atuam sobre os indivíduos, independentemente de sua vontade ou de sua adesão consciente. Exemplos: o sistema de sinais de que me sirvo para exprimir pensamentos; o sistema de moedas que emprego para pagar as dívidas, os instrumentos de crédito que utilizo nas relações comerciais, as práticas que sigo na minha profissão; os costumes e as leis >> FUNCIONAM INDEPENDENTEMENTE DO USO QUE DELES FAÇO

9 2) Coerção A força que os fatos exercem sobre os indivíduos, levando-os a conformarem-se às regras da sociedade em que vivem, independentemente de suas vontades/escolhas; Exemplos: idioma e a moeda usados no meu país; o modo de se vestir no meu país e na minha classe social; as leis

10 3) Geral É geral todo fato que é geral, ou seja, que se repete em todos os indivíduos, ou, pelo menos, na maioria deles; Os fatos sociais manifestam sua natureza coletiva ou um estado comum ao grupo; Exemplos: formas de habitação; arquitetura das casas; formas de comunicação; os sentimentos e a moral coletiva.

11 O Método Funcionalista: Como estudar os fatos sociais? Formulação da metodologia funcionalista; Os fatos sociais (ou as maneiras padronizadas como agimos na sociedade) não existem por acaso: existem porque cumprem uma função;

12 Método Funcionalista: A sociedade é semelhante a um corpo vivo; A sociedade (assim como o corpo humano) é composta de várias partes; Cada parte cumpre uma função em relação ao todo. FamíliaReligiãoEmpresaEscola ExércitoLeisGovernoLazer

13 Cada instituição cumpre uma função para o bom funcionamento da sociedade. É na determinação da função social que as instituições cumprem que o método funcionalista procura explicar sua existência, bem como das nossas formas de agir.

14 Normal e Patológico Finalidade da Sociologia: encontrar remédios para regularizar a vida social. A sociedade, como todo organismo, apresenta estados normais e patológicos, ou seja, saudáveis e doentios.

15 Um fato social é normal quando: Se encontra generalizado pela sociedade; Desempenha alguma função importante para a adaptação ou evolução da sociedade. Exemplos: O crime é um fato social normal: É encontrado em qualquer sociedade, em qualquer época Representa a importância dos valores sociais que repudiam determinadas condutas como ilegais e as condenam a penalidades.

16 Normal e Patológico Normal: aqueles fatos que não extrapolam os limites dos acontecimentos mais gerais da sociedade; Reflete os valores e as condutas aceitas pela maior parte da população. Patológico: Aqueles fatos que se encontram fora dos limites permitidos pela ordem social e pela moral vigente; Os fatos patológicos, como as doenças, são considerados transitórios e excepcionais.

17 Coesão, Solidariedade e a Consciência Coletiva Conceito de solidariedade social – responsável pela coesão entre os homens; Existência de uma solidariedade social que vem da divisão do trabalho; a solidariedade social é um fenômeno completamente moral; A solidariedade social varia de acordo com o tipo de organização social, dada a presença mais forte ou mais fraca da divisão do trabalho e de uma consciência mais ou menos similar entre os membros da sociedade.

18 Coesão, Solidariedade e a Consciência Coletiva Consciência Coletiva: conjunto das crenças e dos sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade [que] forma um sistema determinado que tem vida própria; Quanto maior é a consciência coletiva, mais a coesão entre os participantes da sociedade refere-se a uma conformidade de todas as consciências particulares de tipo comum, o que faz com que todos se assemelhem.

19 Consciência Coletiva Os membros do grupo se assemelham e se sentem atraídos pelas similitudes uns dos outros A individualidade é menor Consciência Coletiva

20 O Papel da Divisão do Trabalho: Aumenta simultaneamente a força produtiva e a habilidade do trabalhador; É a condição necessária do desenvolvimento intelectual e material das sociedades; É a fonte da civilização; Função de criar entre duas ou várias pessoas um sentimento de solidariedade. Estabelece uma ordem social e moral sui generis: indivíduos que, sem isso, seriam independentes, estão ligados uns aos outros/conjugam seus esforços/são solidários.

21 Divisão do Trabalho: A diferenciação social faz com que a unidade do organismo seja tanto maior quanto mais marcada a individualidade das partes; Uma solidariedade ainda mais forte funda-se agora na interdependência e na individuação dos membros que compõem a sociedade.

22 Os dois tipos de solidariedade As sociedades passam por processos de evolução, caracterizados pela diferenciação social. Evolução Solidariedade Orgânica Solidariedade Mecânica

23 Os dois tipos de solidariedade Solidariedade Mecânica Solidariedade Orgânica Laço de solidariedade Consciência Coletiva Divisão social do trabalho Organização social Sociedade Fragmentada Sociedade coesa

24 Solidariedade Mecânica Liga diretamente o indivíduo à sociedade, sem nenhum intermediário; A sociedade é um conjunto mais ou menos organizado de crenças e sentimentos comuns a todos os membros do grupo: É O TIPO COLETIVO; A consciência individual é uma simples dependência do tipo coletivo: o indivíduo não se pertence os direitos pessoais não se distinguem dos reais; Só pode ser forte na medida em que as idéias e as tendências comuns a todos os membros da sociedade ultrapassam as que pertencem pessoalmente a cada um deles.

25 Solidariedade Mecânica Total predomínio do grupo sobre os indivíduos; Forte semelhança entre os indivíduos, há pouco espaço para a individualidade; Os indivíduos vivem em sociedade pelo fato de que eles partilham de uma cultura comum que os obriga a viver em coletividade.

26 Solidariedade Orgânica A sociedade é um sistema de funções diferentes e especiais que unem relações definidas. É produzida pela divisão do trabalho; Supõe que os indivíduos difiram entre si; Só é possível se cada um tem uma esfera própria de ação e, por conseguinte, uma personalidade; O indivíduo depende da sociedade porque depende das partes que a compõem; Cada um depende tanto mais da sociedade quanto mais dividido é o trabalho; A atividade de cada um é tanto mais pessoal quanto mais especializada; A unidade do organismo é tanto maior quanto mais marcada é a individuação das partes

27 A educação como elemento integrador Toda a educação consiste num esforço contínuo para impor às crianças maneiras de ver, de sentir e de agir às quais elas não chegariam espontaneamente; Desde os primeiros anos de vida as crianças são forçadas a beber, comer, dormir em horas regulares; são constrangidas a terem hábitos higiênicos, a serem obedientes; A educação tem justamente por objeto formar o ser social; A pressão que sofre a todos os instantes a criança é a própria pressão do meio social tendendo a moldá-la à sua imagem.

28 Exercícios QUESTÃO 45 (Vestibular UFU/1999) Assinale a alternativa INCORRETA. Durkheim afirma que no estudo dos fatos sociais, o cientista social, ao trabalhar, deve a)deixar de lado seus valores e sentimentos pessoais em relação ao acontecimento a ser estudado. b)manter certa distância e neutralidade em relação aos fatos estudados, resguardando a objetividade de sua análise. c)partir justamente do seu interesse pelo objeto de estudo e de sua visão particular sobre o assunto. d)encarar os fatos sociais como "coisas", isto, como objetos exteriores ao cientista, que devem ser medidos, observados e comparados independentemente do que os indivíduos pensem ou declarem a seu respeito. e)romper com o senso comum, através de um rigor analítico, que seria garantido por um método de análise sociológico.

29 Exercícios Questão 42 (Vestibular UFU/2000) Para Durkheim é fato social: I.Todo e qualquer hábito individual. II.O sistema educacional e as normas que regem o funcionamento da escola. III.As organizações político-partidárias. IV.O estilo arquitetônico de construção de igrejas, residências, etc. Selecione a alternativa correta. a)Apenas I e IV estão corretas. b)I, II e IV estão corretas. c)Apenas II e II estão corretas. d)II, III e IV estão corretas.

30 Exercícios: Questão 52 (Vestibular UFU/2004): Com relação aos conceitos de solidariedade mecânica e solidariedade orgânica, na obra de Émile Durkheim, assinale a alternativa INCORRETA. a)A solidariedade orgânica é própria dos organismos sociais pós-capitalistas. b)A solidariedade mecânica é a forma de coesão própria das sociedades pré-capitalistas. c)A solidariedade orgânica define-se como aquela em que a coesão se dá pela diferenciação das funções. d)A solidariedade mecânica está assentada na semelhança de funções.

31 Exercícios: Questão 58 (Vestibular UFU/2003): Em sua obra, Da Divisão do Trabalho Social, Émile Durkheim explicita a noção de um estado de anomia que seria vivenciado pela sociedade, em sua totalidade ou parcialmente, em determinadas circunstâncias. Considere os exemplos abaixo e assinale a ÚNICA alternativa que NÃO É relacionada por Durkheim a uma situação anômica. a)As falências, na sociedade industrial, como efeito dos desajustes das funções da economia. b)O conflito entre o capital e o trabalho, como resultado da inexistência ou inoperância das leis e regulamentos. c)A ação das forças policiais, na sociedade moderna, visando combater a ação dos criminosos. d)A exagerada especialização da pesquisa científica, levando à atomização e conseqüente ruptura da solidariedade.

32 QUESTÃO 51 (Vestibular UFU/2005): Sobre coesão social e anomia em Durkheim, é correto afirmar que A) o enfraquecimento da coesão social ocorre porque a anomia implica no desenvolvimento da solidariedade orgânica. B) o fortalecimento da coesão social não está relacionado a um estado de anomia, visto que a anomia implica em laços estreitos de solidariedade. C) o enfraquecimento da coesão social está relacionado a um estado de anomia, isto é, uma situação na qual as normas na sociedade são inexistentes ou perdem a eficácia. D) o fortalecimento da coesão social está relacionado a um estado de anomia, isto é, em certa conformidade das consciências particulares com uma consciência coletiva.

33 Exercícios: QUESTÃO 52 (UFU/2007): Sobre o significado de consciência coletiva na teoria durkheimiana, marque a alternativa correta. A) Representa um conjunto de regras e valores sociais que se coloca acima das consciências individuais, estabelecendo uma coesão social fundada nas diferenças entre os membros da sociedade. B) Representa o conjunto de crenças, hábitos e sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade,agindo sobre as consciências individuais e estabelecendo um padrão de comportamento. C) Está intimamente relacionada à sociedade de grande divisão social do trabalho, sendo predominante no tipo de solidariedade orgânica, uma vez que estabelece um alto grau de conformidade e semelhanças a esse tipo de organização social. D) Define um tipo de coesão social, particularmente aquele no qual se estabelece uma rede de funções interdependentes, ao mesmo tempo em que os indivíduos são diferentes uns dos outros.

34 Max Weber

35 Epistemologia Racionalidade com os tempos modernos as relações das pessoas com o mundo- relações políticas, econômicas, sociais, religiosas- foram sendo impregnadas por um jeito racional de agir.

36 Essa racionalidade começou com a ECONOMIA. Como aproveitar o tempo e ser eficiente para não ter prejuízo? De acordo com Weber, nos tempos modernos o mundo começou a valorizar os capazes de conduzir ao sucesso.

37 A RACIONALIDADE, não ficou restrita apenas na economia. O comportamento RACIONAL também foi empregado na ciência e na tecnologia, o que ocasionou uma grande evolução no modo de produção. A vida começou a ser organizada com base na divisão das tarefas e em sua distribuição ao longo do dia, do meses, dos anos.

38 No modo de pensar pré-fabril, o trabalho durava enquanto havia luz do dia. Isso demonstra a modificação no modo de vida do antigo agricultor familiar para o novo trabalhador de fábricas. A partir deste momento, o trabalho passou a ser objeto de um contrato. O trabalho deveria ser realizado dentro de um prazo de tempo, caso contrario, o contratante sairia perdendo.

39 Assim, o tempo tornou-se MOEDA. Para que essa nova engrenagem funcionasse, foi preciso a utilização de uma outra máquina O RELÓGIO. Relação: Racionalidade Produção Trabalho fabril Tempo Moeda Racionalidade.

40 Para que o capitalismo triunfasse as pessoas necessitavam se adaptar a este novo estilo de vida. Sempre consultando relógios para ver a produção, impostas pelo contrato de trabalho.

41 Weber defendia a idéia de que, tanto empregado como empregador poderiam não levar para dentro de suas fábricas as inovações tecnológicas, mas estes corriam o risco de perder o emprego ou falir, respectivamente.

42 Protestantismo e o espírito do capitalismo. Ao estudar a mentalidade capitalista, Weber levou em consideração a orientação religiosa. Com a Reforma Protestante no século XVI, houve um terreno propicio para o desenvolvimento do espírito capitalista, no ambito de:

43 Evitar o ócio. Dedicar-se ao trabalho. Disciplina na vida e no emprego. O surgimento dessa doutrina fez com que os indivíduos se organizassem melhor de modo a trabalhar cada vez melhor. O aperfeiçoamento do trabalho, o empenho, aproveitamento do tempo eram qualidades que aproximavam homens e mulheres de Deus.


Carregar ppt "Sociologia Cursinho Popular Paulo Freire. Cidade- Ervália. Professora: Iasmine Ferrari. Contato: Tema (s): Tempos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google