A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD UICC HPV e CÂNCER CERVICAL CURRÍCULO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD UICC HPV e CÂNCER CERVICAL CURRÍCULO."— Transcrição da apresentação:

1 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD UICC HPV e CÂNCER CERVICAL CURRÍCULO

2 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 01 Capítulo 6.b. Métodos de tratamento - Procedimento de Excisão Eletrocirúrgica de Alça (LEEP) R. Sankaranarayanan MD Líder do Grupo de Triagem Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer (International Agency for Research on Cancer- IARC) Lion, França C. Santos MD Presidente do Departamento de Oncologia Ginecológica Instituto de Endermedades Neoplásicas Lima, Peru

3 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 02 Métodos de tratamento - Procedimento de Excisão Eletrocirúrgica de Alça (LEEP ou LLETZ) Método de tratamento de excisão mais amplamento utilizado para neoplasia intraepitelial cervical (NIC) no mundo desenvolvido. Uso do método em países em desenvolvimento: Grandes lesões NIC ectocervicais não cobertas pelas maiores criossondas As lesões se estendem ao canal cervical Lesões precursoras glandulares suspeitas Retirada de uma grande parte da lesão para exame de histopatologia detalhada quando há suspeita de câncer cervical ocultou o precoce

4 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 03 Eletrocirurgia (1) Eletrocirurgia: uso de corrente elétrica de radiofrequência para cortar o tecido e atingir hemostase A energia elétrica na eletrocirurgia é transformada em calor e luz

5 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 04 Eletrocirurgia (2) Temperatura (°C)Efeito no tecido Até 40Sem efeito significativo >70Coagular <100Fulgurar 100Ponto de ebulição, vaporização >100Desidratação, coagulação por perfuração >200Carbonização 1000Corte do tecido

6 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 05 Ondas senoidais (1) Onda senoidal não modulada Onda senoidal de menor amplitude

7 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 06 Ondas senoidais (2) Onda senoidal modulada intermitente (coagulação na saída da formação a onda)

8 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 07 LEEP: uso recomendado NIC confirmado por histologia NIC confirmado histologicamente em lesões que se estendem no fim do canal cervical (com no máximo 1 cm) Lesões NIC ectocervicais grandes, confirmadas histologicamente, que não podem ser cobertas adequadamente pela maior crio sonda. Nenhuma evidência de câncer invasivo Nenhuma evidência de doença pélvica inflamatória (DIP), cervicite, triconomíase vaginal, vaginose bacteriana, úlcera anogenital ou distúrbios de sangramento Nenhuma evidência de gravidez

9 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD NIC pode se estender em criptas cervicais subjacentes independentemente do grau histológico ou da localização Extensão média da cripta: entre 1,24 e 1,6 mm 95% das criptas cervicais se estendem no máximo a 2,9 mm NIC de grau mais alto, encontrado mais frequentemente se estendendo nas criptas cervicais com maior profundidade que em NIC de grau mais baixo Slide 08 LEEP e NIC

10 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 09 LEEP: abordagens cirúrgicas Remoção da displasia ectocervical com uma passagem da alça Remoção da displasia ectocervical com várias passagens Excisão da ecto e endocervix através da retirada da zona de transformação Excisão da doença endocervical com ressecção cilíndrica com uma longa agulha

11 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 10 Excisão com uma passagem da alça a.b.c. Fonte: Colposcopy and treatment of cervical intraepithelial neoplasia: a beginners manual. Editado por J.W. Sellors and R. Sankaranarayanan, 2003/2004, Lion

12 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 11 Excisão da lesão ectocervical com várias passagens (1) Lesão maior que a largura da maior alça: várias passagens usando um ou mais lados da alça Mesmo procedimento para cada passagem Remove completamente a lesão Amostras marcadas e preservadas para exame histopatológico

13 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 12 Excisão da lesão ectocervical com várias passagens (2) a.b.c. d.e.f.

14 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 13 Excisão de lesão endocervical (1) Lesão no canal endocervical: menos provável que uma passagem da alça em camada única seja suficiente A maioria das lesões NIC III e algumas lesões de baixo grau se estendem no canal num comprimento linear de 1 cm ou menos Pacientes mais velhas e pacientes com NIC III: provavelmente tem lesões mais estensa e precisam de uma segunda passagem para excisão completa

15 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 14 Excisão da lesão endocervical (2) a.b. c.d.e.

16 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 15 Tecido endocervical - excisão Porção de lesão que se estende ao canal endocervical é excisada por uma passagem da alça grande Porção endocervical de lesão é excisada pela alça com largura de 10 mm e profundidade de 10 mm

17 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 16 Excisão cilíndrica da cervix utilizando uma agulha longa a. A linha de incisão é paralela ao canal endocervical b. O ápice é cortado transversalmente com bisturi ou pinça de tonsila c.A amostra cilíndrica é removida d.O ápice é fulgurado por eletrodo esférico

18 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 17 Segurança Maior profundidade que pode ser excisada com segurança é de 16 mm Chances de sangramento são grandemente aumentados com o aumento da profundidade O operador deve receber treinamento adequado para o procedimento de duas etapas

19 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 18 Lesões com extensão vaginal Se uma lesão se estende na vagina: O eletrodo esférico é usado para fulguração da parte vaginal periférica da lesão LEEP ou crioterapia na parte central (cervical) da lesão

20 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 19 Efeitos adversos Dor temporária pode ser sentida devido à injeção de anestésico local Sangramento perioperatório grave é relatado em 2% ou menos dos pacientes Dor pós-operatória semelhantes a cólicas pode ocorrer Secreção pode durar de 1 a 2 semanas As pacientes LEEP podem apresentar sangramento pós- operatório de 4 a 6 dias depois do tratamento As chances de infecção são menores com precauções de assepcia e profilaxia com antibiótico

21 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 20 Sequelas em longo prazo Em 2% dos casos, a junção escamo-colunar está localizada no canal endocervical, criando problemas na colposcopia de acompanhamento e amostragem para citologia A estenose de os cervical está presente em menos de 1% de pacientes, mais comum em pacientes na pós menopausa e em pacientes com lesão de alto grau no canal cervical Se a estenose impede coleta para exame Papanicolau e depende do julgamento clínico: a histerectomia pode ser oferecida

22 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 21 Acompanhamento Fornecer instruções sobre o cuidado próprio e quais os sintomas devem ser esperados depois do tratamento Ducha vaginal, absorvente interno ou relações sexuais devem ser evitados por um mês após o tratamento Visitas de acompanhamento: 1 mês depois procurar se possível para verificar os sintomas / cicatrização do ferimento 1 ano depois da última visita para garantir que a lesão foi limpa (repetir o procedimento de excisão se a lesão persistir) 2 e 5 anos depois do procedimento inicial para qualquer recidiva e uma vez a cada 5 anos posteriormente

23 UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD Slide 22 Obrigado Esta apresentação está disponível em


Carregar ppt "UICC HPV and Cervical Cancer Curriculum Chapter 6.b. Methods of treatment - LEEP R. Sankaranarayanan MD; C. Santos MD UICC HPV e CÂNCER CERVICAL CURRÍCULO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google