A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

V Conferência Itália América Latina

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "V Conferência Itália América Latina"— Transcrição da apresentação:

1 V Conferência Itália América Latina
Luiz Barretto Presidente do Sebrae Outubro 2011 1

2 Economia brasileira e América Latina
Agenda de Apresentação Economia brasileira e América Latina MPE e Empreendedorismo na economia brasileira Sobre o Sebrae Cooperação Sebrae & Itália Perspectivas e oportunidades para MPE Proposta inicial de agenda

3 1. Economia brasileira e América Latina

4 América Latina Brasil PIB: US$ 6,1 trilhões População: 577 milhões
Renda per capita: US$ 10,5mil Território: 21 milhões Km² América Latina e o Brasil Brasil PIB: US$ 2,2 trilhões (crescimento de 7,5% em 2010) População: 190,7 milhões Renda per capita: – US$ 11,5 mil Território: - 8,5 milhões Km² Extensão de fronteira: km com 10 milhões de pessoas Fronteira com todos os países da América do Sul à exceção do Chile e Equador O Brasil possui destacado papel econômico na América Latina, não somente por representar mais do que 1/3 do Produto Interno Bruto da Região, mas também pelo seu imenso mercado consumidor e extensão territorial , que permite proximidade geográfica e comercial com quase todos os países sul americanos.

5 Sustentação do desempenho Solidez do sistema financeiro
Força do mercado interno Estratégia do governo de sustentação do consumo doméstico Melhoria da percepção dos investidores externos em relação ao país Foram vários os avanços observados em praticamente uma década. Circulo virtuoso de crescimento econômico baseado no fortalecimento do mercado interno, inclusive por meio de uma política expansionista e responsável do crédito às empresas, consumidores e habitação, com busca permanente do aperfeiçoamento dos mecanismos de controle e supervisão bancária geraram algumas das condições favoráveis ao crescimento vigoroso.

6 Entre 02 e 2010, crescimento de:
Indicadores selecionados – Brasil Grau de Investimento em 2009 pela Agência Moody’s Forte entrada de capitais externos e confiança internacional no País Confiança do consumidor e do empresário Entre 02 e 2010, crescimento de: 217 milhões de celulares 155 milhões de viagens de avião em 2010 4º maior produtor mundial de automóveis 17,4 milhões de domicílios com acesso à internet Como resultado de alguns desses esforços e prioridades temos: 2009 Brasil atinge grau de investimento. (Vale o comentário que a economia brasileira já dispunha de diversos fundamentos para estar no grau de investimento e este reconhecimento veio com algum atraso). Os fluxos de capitais se intensificaram gerando aumento substancial das reservas cambiais que hoje já atingem US$ 350 bilhões. A elevação da massa salarial, o maior grau de formalização e a expansão do emprego, bem como, políticas de transferência de renda, contribuiram significativamente para a elevação da confiança do consumidor e do empresário. - Fundamentos macroecomicos da política economica : metas de inflação, responsabilidade fiscal e câmbio flutuante DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E INCLUSÃO Fonte: Centro de Políticas Sociais da FGV a partir de microdados da PNAD/IBGE 21 milhões de brasileiros saíram da linha da pobreza e representam hoje em torno de 15,3% da população. 36 milhões de brasileiros ascenderam as classes média e alta . A classe média (classe C) representa algo em torno de 50,5% da população. DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E INCLUSÃO 21 milhões de brasileiros saíram da linha da pobreza 36 milhões de brasileiros ascenderam as classes média e alta

7 2. MPE e Empreendedorismo na economia brasileira

8 5,9 milhões de empresas (99%)
Importância das MPE na economia brasileira 5,9 milhões de empresas (99%) 72% dos 2,5 milhões de novos postos de trabalho criados em 2010 53% de trabalhadores formais 20% do PIB 5,5 milhões no Simples Nacional (regime tributário diferenciado) 17% da arrecadação de impostos 61% das empresas exportadoras Temos que 99% das empresas no Brasil são Micro e Pequenas, sendo a quase integralidade de origem e gestão familiar. A ascensão sócio-econômica de milhões de famílias brasileiras à classe média e alta se confunde com o próprio ciclo de prosperidade dos pequenos negócios, considerando sua capacidade de geração de emprego e renda, inclusive em momentos de turbulência, como o vivenciado em 2008/2009. Entende-se como Micro e Pequenas Empresas aquelas que faturam até R$ 240 mil ou o equivalente a US$ 150 mil (cambio a 1,60) e as Pequenas Empresas aquelas que faturam até R$ 2,4 milhões ou equivalente a US$ 1,5 milhões de dólares. Arcabouço legal adequado por meio da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa aprovado em 2006, visando desburocratização de processos de abertura e regularização da empresa, renúncia fiscal, incentivos e tratamento diferenciado do segmento ao seu acesso a mercados, compras governamentais, tecnologia e crédito, além da formalização jurídica de 1,5 milhões de empreendedores (Empreendedores Individuais), corroboraram para o fortalecimento da estratégia do mercado interno.

9 1º colocado no BRIC e no G20 17,5%
Empreendedorismo no Brasil 1º colocado no BRIC e no G20 Percentual de pessoas com negócio próprio entre a população adulta (18 a 64 anos) 17,5% Empreendedorismo no Brasil 17,5% de empreendedores na população adulta (18 a 64 anos). Melhor taxa histórica do Brasil (dado de 2010) Melhor índice entre os BRICS e G20: - China: 14,4% - Rússia: 3,9% - Índia: 11,5% (resultado de 2008, não participou da pesquisa em 2009 e 2010) - Argentina: 14,2% (*) Resultado da Índia em 2008 Fonte: Pesquisa GEM 2010 (Sebrae-IBQP)

10 Melhor taxa histórica do País
Empreendedorismo no Brasil Melhor taxa histórica do País Percentual da população 18 a 64 anos com negócio próprio de até 42 meses Fonte: Pesquisa GEM 2010 (Sebrae-IBQP)

11 Oportunidade x Necessidade
Empreendedorismo no Brasil Oportunidade x Necessidade A cada 3 empreendedores: 2 por oportunidade e 1 por necessidade A cada 3 empreendedores: 2 por oportunidade e 1 por necessidade Evolução da taxa do empreendedorismo no Brasil, ano a ano (fonte: Pesquisa GEM Sebrae/IBQP) 2002=13,5% 2003=12,9% 2004=13,5% 2005=11,3% 2006=11,7% 2007=12,7% 2008=12,0% 2009=15,3% 2010=17,5% Fonte: Pesquisa GEM 2010 (Sebrae-IBQP)

12 3. Sobre o Sebrae

13 O QUE É O SEBRAE SUA MISSÃO SUA VISÃO
Sobre o Sebrae O QUE É O SEBRAE O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas é uma entidade privada sem fins lucrativos. SUA MISSÃO Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas e fomentar o empreendedorismo. SUA VISÃO Ter excelência no desenvolvimento das MPE, contribuindo para a construção de um Brasil mais justo, competitivo e sustentável. O Sebrae é uma instituição que se propõe a promover o desenvolvimento dos pequenos negócios e se encontra em situação determinante na prioridade política nacional da estruturação e consolidação de um segmento empresarial de pequeno porte sustentável, inovador e representativo.

14 Quase 40 anos de atividade (criado em 1972) 27 escritórios regionais
Estrutura do Sebrae Quase 40 anos de atividade (criado em 1972) 27 escritórios regionais Mais de 800 pontos de atendimento 5,8 mil funcionários diretos 7,7 mil instutores e consultores credenciados Atendimento aos setores de indústria, comércio,serviços e agronegócios Orçamento 2011: US$ 1,7 bilhões 13 entidades no Conselho Deliberativo Temos representações em todas as capitais brasileiras e escritórios em várias cidades do interior. Contamos com um staff de mais que 5000 colaboradores diretos. Estruturamos uma sólida estratégia ao longo dos últimos 10 anos com foco no atendimento individual de empresários potenciais, emergentes e consolidados, bem como, no atendimento a adensamentos empresariais com especialização setorial por meio de projetos de atendimento coletivo. No entanto, nossa grande fortaleza é o enorme arco de parceiros no setor privado, cooperação internacional, terceiro setor e as três esferas do governo.

15 RESULTADO PARCIAL EM SET/2011
Estrutura do Sebrae Metas mobilizadoras 2011 30.000 2.953 RESULTADO PARCIAL EM SET/2011 33.900 66.900 3.305 97,4% CONCLUÍDA 66,9%

16 Segmentação Faturamento Anual Candidato a empreendedor -
Públicos do SEBRAE Segmentação Candidato a empreendedor Empreendedor Individual Microempresário Pequeno empresário Produtor rural Faturamento Anual - Até US$ 37,5 mil Até US$ 225 mil Até US$ 2,2 milhoes

17 Empreendedor Individual
Públicos do SEBRAE Empreendedor Individual Mais de 1,5 milhão formalizados; Acesso a seguridade e benefícios sociais; Contribuição mensal de US$ 20,00; 49% têm entre 25 e 39 anos; 55% são homens e 45% mulheres; 60% aderiram ao EI porque queriam sair da informalidade, poder emitir nota fiscal, vender para empresas e governos; Alternativa de inclusão produtiva para população da base da pirâmide Empreendedor Individual 1,5 milhão formalizados Criado com a lei complementar nº 128/2008. Entrou em vigor em 1º julho de 2009 Limite de faturamento: até R$ 36 mil/ano (ou R$ 3 mil mensais). Proposta no Congresso de ampliar para R$ 60 mil (ou R$ 5 mil mensais) Contribuição mensal: boleto único, imprime carnê para ano todo na Internet (www.portaldoempreendedor.com.br) Abril de 2011: presidente Dilma reduziu contribuição de 11% para 5% do salário mínimo 5% do salário mínimo: R$ 27,25 +R$ 1 - ICMS (comércio/indústria)Total: R$ 28,25 R$ 5 – ISS (serviços) Total: R$ 32,25 R$ 1 ICMS + R$ 5 ISS (se atuar nos dois setores)Total: R$ 33,25 EI pode contratar até 1 funcionário com menor custo: 3% Previdência e 8% FGTS do salário mínimo por mês. 47% têm ensino médio ou técnico completo e só 36% têm no máximo o ensino fundamental; 38% aderiram visando os benefícios da Previdência (aposentadoria, auxílio-doença, licença-maternidade); 95% recomendam a formalização como EI; 87% pretendem crescer e se tornar microempresários no futuro.

18 4. Cooperação Sebrae & Itália

19 Madeira e Móveis na Amazônia – Região de Marche.
Cooperação Sebrae & Itália Madeira e Móveis na Amazônia – Região de Marche. Parcerias: SEBRAE/BID/Região Marche /Cosmob Ano: Arranjos Produtivos Locais – APL -Câmara de Comércio de Milão. Parcerias: SEBRAE/BID/Câmara de Comércio de Milão - PROMOS Ano Sociedades de Garantia de Crédito (SGCs) – Região do Veneto. Parceria: SEBRAE/BID/Região do Veneto / Confidi Ano: Os laços de cooperação internacional entre o Brasil e a Itália, além de amigáveis e próximos, sempre buscaram convergência econômica e cultural, trazendo imensos e sólidos benefícios para ambos os países. Estrutura do sistema econômico baseado em pequenas empresas, o associativismo empresarial, o foco em tecnologias inovadoras, design e o desenvolvimento setorial/territorial foram alguns dos legados da experiência italiana, transformados em concreto aporte de conhecimento e transferência de tecnologia por meio de metodologias adaptadas. Compartilho neste slide apenas alguns dos inúmeros exemplos de cooperação que o Sebrae teve com a Itália e suas diversas regiões ao longo de mais de uma década. Madeira e Móveis na Amazônia – Região de Marche – Parcerias: SEBRAE/BID/Região Marche /Cosmob. Aportes Italianos: metodologia, formação de jovens brasileiros em design, projeto técnico para estruturação de laboratório de testes e análises. Sociedades de Garantia de Crédito (SGCs) – Região do Veneto – Ano: Rio Grande do Sul – GarantiSerra e atualmente a formação de novas 14 SGCs Parceria: SEBRAE/BID/Região do Veneto / Instituição parceira: Confidi Aportes Italianos: modelo operacional , engenharia financeira e aporte de conhecimento e recursos. Arranjos Produtivos Locais – APL -Câmara de Comércio de Milão - PROMOS Ano Parcerias: SEBRAE/BID/Câmara de Comércio de Milão - PROMOS Nova Friburgo- RJ – design e aproveitamento de dejetos; Paragominas – PA – design de móveis para hotelaria; Campina Grande – PB – sapatos infantis Aportes Italianos : Desenvolvimento local/territorial , associativismo, protagonismo local, valorização das referências e marcas regionais. Outros exemplos: PR – Programa de apoio para a restruturação do CEASA e organização do pequenos produtores da grande Curitiba  A ação se insere no Programa Brasil Próximo, que prevê a assinatura de um acordo de colaboração entre a Presidencia da República e o SEBRAE Nacional (pedir para o SEBRAE Nacional a data de assinatura do acordo) O Brasil Próximo começou oficialmente em julho 2010 e vai até julho 2013 Regione Emilia Romagna (no âmbito do Programa Brasil Próximo, com a Presidencia da Republica federativa do brasil). O programa vai beneficiar de um cofinanciamento do Ministério das Relações Exteriores da Itália, CAAB (mercato geral de Bologna),Universidade de Bologna Legacoop Emilia Romagna,Desenvolver Agroindústrias e Produtos Hortifrutigranjeiros da Região Metropolitana de Curitiba PR – Programa de Desenvolvimento do Setor do Vestuário no Paraná. Atividade co-financiada com recursos da Secretaria Atividade Produtivas da Regione Emilia Romagna e CNA Federmoda- Regione Emilia Romagna CNA Federmoda Proporcionar alianças estratégicas e o intercambio de conhecimento em inovação e design, através da aproximação de universidades, jovens talentos e lideranças empresariais italianas e brasileiras, para ampliar referenciais de atuação e a competitividade na cadeia produtiva no setor do vestuário. SP - Apoio ao acordo de Cooperação Internacional com o Instituto Meccano -Região de Marche- Instituto Meccano -Desde BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), SEBRAE/Na,Consorcio Intermunicipal do Grande ABC, Agencia de Desenvolvimento Econômico  do Grande ABC Transferência tecnológica para a promoção e  desenvolvimento tecnológico e qualitativo de pequenas e médias empresas do setor metalmecânico. MS – Integração Competitiva em Ambiente de Fronteira (Mato Grosso do Sul Sem Fronteiras) Maio de 2009 a agosto de 2009 ICE – Instituto Italiano para o Comércio Exterior (Departamento para Promoção de Intercâmbios da Embaixada da Itália) FUMIN/BID , GTZ, SEBRAE/NA e SEBRAE/MS Promover o desenvolvimento econômico, sustentável e integrado dos territórios, aproveitando a ambiência da faixa de fronteira como oportunidade da expansão produtiva e fortalecimento institucional. SC - Têxtil e Confecções Início: Vigência: 2 anos ASSOCIAZIONE ITALIANA DEGLI AGENTI, RAPPRESENTANTI E SHOW ROOM DELLA MODA – ASSOMODA ITALIA Milão Constitui objeto do convênio de cooperação: o desenvolvimento de ações conjuntas, capazes de contribuir para a valorização, desenvolvimento e aprimoramento das exportações brasileiras e italianas, tendo como foco as micro e pequenas empresas do Estado de Santa Catarina e as empresas associadas na ASSOMODA ITALIA, nos seus aspectos ge­renciais e mercadológicos, além da capacitação empresarial, transferência de tecnologia, intercâmbio de conhecimento de modo a assegurar a melhoria dos indicadores de qualidade e desempenho econômico do setor. RJ:Projeto: Revitalização da Indústria do Mobiliário do Rio de Janeiro Ação: RIO + DESIGN. Esta ação aconteceu nos anos de 2009, 2010 e 2011, sempre nos meses de abril destes anos Promos; Câmara de Comércio de Milão; Consulado Italiano; Consolado do Brasil na Itália Sebrae; Apex; Governo do Estado do Rio de Janeiro; TAM Cargo; Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro; - Realização da mostra Rio + design; - Exposição de projetos e produtos de designers e indústrias; - Divulgar a marca “Made in Rio”; - Prospectar mercados e promover intercâmbio de negócios entre europeus e brasileiros;

20 5. Perspectivas e oportunidades para MPE

21 Encadeamento Produtivo Economia Verde Inovação e Tecnologia
Perspectivas e oportunidades para MPE Cooperação Brasil - Itália Copa 2014 e Olimpíadas 2016 Encadeamento Produtivo Economia Verde Inovação e Tecnologia Copa 2014 e Olimpíadas 2016 Mobilidade urbana, equipamentos públicos Movimento de R$ 180 bilhões Suape: investimentos italianos Joint Venture entre empresas brasileiras e italianas Encadeamento produtivo com grandes empresas e tradings brasileiras e italianas para conquista de mercados. (triangulação comercial) Outros grandes investimentos: Obras de Suape, BeloMonte e Girau

22 Programa Sebrae 2014 930 oportunidades de negócios em 9 setores
Perspectivas e oportunidades para MPE Cooperação Brasil - Itália Programa Sebrae 2014 930 oportunidades de negócios em 9 setores Investimento de R$ 80 milhões -Sebrae Foco no desenvolvimento das MPE Oportunidade Requisito Plano de ação

23 Tecnologia da informação Produção Associada ao Turismo
Perspectivas e oportunidades para MPE Cooperação Brasil - Itália Construção civil Tecnologia da informação Turismo Produção Associada ao Turismo SETORES ESTRATÉGICOS Comércio varejista Serviços em geral Vestuário 929 Oportunidades 128 Construção civil 98 Turismo 117 Produção associada 105 Tecnologia da Informação 132 Agronegócio 122 Comércio Varejista 106 Madeira e Móveis 65 Têxtil e Confecções 56 Serviços Investimento do Sebrae ( ): R$ 79,3 milhões equivalente a US$ 46,6 milhões Madeira e móveis Agronegócios

24 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas
Obrigado LUI Luiz Barretto Presidente Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas


Carregar ppt "V Conferência Itália América Latina"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google