A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A CIDADE QUE QUEREMOS. CICLO DE PALESTRAS CÂMARA MUNICIPAL EMBU FEV.2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A CIDADE QUE QUEREMOS. CICLO DE PALESTRAS CÂMARA MUNICIPAL EMBU FEV.2011."— Transcrição da apresentação:

1 A CIDADE QUE QUEREMOS

2 CICLO DE PALESTRAS CÂMARA MUNICIPAL EMBU FEV.2011

3

4

5 A CIDADE QUE QUEREMOS Face ao seu grande potencial de recursos naturais o Brasil sempre foi chamado de o país do futuro. No entanto, o desenvolvimento econômico e social sofreu inúmeros percalços e ainda amargamos posições vexatórias nos índices de qualidade de vida e humana.

6 A CIDADE QUE QUEREMOS As populações do interior, sempre esquecidas, acabaram fugindo para as cidades, habitando moradias precárias em regiões abandonadas à própria sorte, sem os requisitos básicos para a formação de lares humanos. Os maus exemplos de falta de ética e corrupção também tiveram seu peso. As famílias perderam sua estrutura e as novas gerações não estão recebendo o adequado preparo para a vida. Hoje vivemos com baixa qualidade e sem segurança.

7 Um pouco da minha história Infância – Perdizes, Pacaembu Vi bairros bonitos e descuidados Vi problemas nos transportes Eu queria ver as cidades bonitas, e as pessoas saudáveis e felizes, vivendo em harmonia.

8 Cidades desumanas As populações estão abandonando a escassez do campo em direção à miséria das favelas que atinge proporções desumanas. Precisamos cuidar melhor das reservas florestais e da preciosa água. Cerca de 5,4 bilhões de litros de esgoto são lançados diariamente nos córregos, rios e represas sem nenhum tratamento. Precisamos equacionar os problemas da educação fazendo com que as novas gerações aprendam de fato a se preparar para o futuro.

9 Ostentamos posições inferiores em vários índices de qualidade de vida, como moradias, educação, saúde. Em muitas cidades, a população joga o lixo nas ruas e o poder público não faz o recolhimento, deixando muitas moradias conviverem na proximidade de montes de lixo em decomposição com desagradável odor.

10 As mudanças climáticas começam a criar obstáculos para a normalidade da vida, seja por chuvas intensas, calor abrasador, ou nevascas fora do padrão, trazendo a ameaça de escassez de bens essenciais.

11 A repetição das tragédias das enchentes e deslizamentos de encostas de morros evidencia a precariedade com que foram construídas nossas cidades. Os interesses e a ignorância impedem que as cartas geotécnicas sejam respeitadas e nos sobrepomos à sabedoria da natureza, sem respeito ao traçado dos rios e várzeas, ocupando as margens e as encostas de morros, gerando catástrofes que se agravam devido às alterações climáticas.

12 Os planos diretores urbanos vão sendo estabelecidos ao sabor de interesses e conveniências momentâneas. Casebres vão sendo erguidos sem atenção para os mais elementares requisitos da engenharia civil. A precária e insuficiente rede de captação de esgoto sofre com o triste espetáculo do lixo lançado pelas ruas, mostrando o descaso da população despreparada.

13 A crise ecológica e a crise social mundiais decorrem de uma forma de viver alienada das leis da natureza. Quem somos nós? De onde viemos? Qual o nosso destino? São indagações não respondidas até hoje pelo fato de a humanidade ter se dedicado exclusivamente à vida material sem pensar no antes e no depois, construindo tudo com base exclusivamente no dinheiro, no poder e nos valores terrenos, deixando o humanismo de lado.

14 Antes que o planeta entre numa rota autodestrutiva sem volta, necessitamos de uma nova visão de mundo voltada para a busca do progresso real e da felicidade e que não esteja atrelada aos imediatismos dos ganhos rápidos. Com responsabilidade para com os custos ambientais e com a natureza, e comprometida com a boa formação das novas gerações. NOVA VISÃO PQ. F. RIZZO – UMA CONQUISTA

15 Necessitamos de uma grande união entre o poder público e a sociedade, com a participação ativa da mídia complementando o trabalho das escolas, motivando e conscientizando as novas gerações para a conquista de um melhor futuro, com esforço, dedicação e bom senso, sem o que não reverteremos o cenário de atraso, miséria e crise social.

16 Precisamos de uma população bem preparada para que possamos dar suporte e atendimento às nossas necessidades, contribuindo efetivamente para a construção de uma estrutura sólida para encarar a aproximação de um futuro áspero, com inflação, escassez de alimentos, água potável e crise social. Com sua população bem preparada para a vida, o Brasil poderá brilhar como modelo de convivência pacífica e laboriosa para o bem geral da humanidade.

17 A boa cidade depende de bons cidadãos. Bons cidadãos dependem da boa educação e de seu preparo para a vida.

18 PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL A educação de qualidade depende de um conjunto de ações; devemos destacar a importância da Educação Infantil a partir da gestação e da orientação dos pais. O Brasil precisa de programas de desenvolvimento infantil nos primeiros anos de vida como a melhor ferramenta para corrigir desigualdades e promover o desenvolvimento social.

19 Necessitamos dar um novo rumo para a educação dos adolescentes. Além de aprender um ofício, os jovens devem praticar esportes e artes, recebendo valores morais, éticos, respeito e consideração pelo semelhante e cuidados com o meio ambiente. Também deverão receber orientação sobre as questões ligadas à sexualidade responsável e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

20 EDUCAÇÃO A educação plena é a solução para um melhor futuro. É o principal instrumento para a construção de uma sociedade mais humana e pacífica e em permanente evolução.

21 A qualidade de vida nas grandes cidades como São Paulo decai anualmente. Os rios ficam cada vez mais poluídos, os bairros ficam sujeitos a enchentes cada vez mais graves com a impermeabilização do solo e agravamento do clima. Os congestionamentos aumentam fazendo com que os trabalhadores gastem, diariamente, mais de três horas para se deslocarem para os locais de trabalho. Enfim, São Paulo se tornou uma cidade desumana, com muito lixo e poluição e insegurança.

22 Pelo mundo todo, estamos observando a forma drástica como a natureza vem apresentando as catastróficas consequências dos desequilíbrios provocados pelas atividades humanas.

23 Temos de sair das estatísticas de país atrasado com enorme desnível social, restabelecendo a esperança em um futuro melhor, com a paz e a alegria que sempre caracterizaram o povo brasileiro.

24 Nossas cidades não podem continuar sendo a violenta selva de concreto e favelas ao abandono. Para que se tornem cidades humanas, necessitamos de desenvolvimento em harmonia com a natureza, educação, saúde e oportunidades para a população.

25 O município de Embu faz parte do cinturão verde e integra a área de mananciais. No passado já foi considerado a capital da ecologia, pela dedicação de sua população para a preservação do meio ambiente. O Brasil permaneceu estagnado, aumentando a miséria, o despreparo da população, e a baixa qualidade humana e de vida nas cidades.

26 Os indicadores mostram que estamos diante de um fértil período de crescimento. No entanto, temos jovens marginalizados por falta de preparo e, ao mesmo tempo, falta de mão de obra qualificada para aproveitar as oportunidades.

27 O futuro é agora. Necessitamos de decisões saneadoras, que não se limitem a simples transferência de renda, mas que foquem no preparo para a vida, na melhoria da qualidade humana, na criação de oportunidades para todos, conscientizando que cada um é responsável pelo seu futuro, pois sem isso não conseguiremos sair da subserviência, forjando um país moderno e humano.

28 A grande oportunidade do Brasil está em sua natureza pródiga, que propicia a riqueza verdadeira, e assegura a conservação do ambiente favorável para a vida.

29 Para a superação, aproveitando toda a riqueza na melhora das condições de vida, temos que dar às novas gerações o adequado preparo para a vida, para a escola e para o trabalho, desde os primeiros anos da infância, incentivando e recompensando a classe dos educadores, com formação continuada, remuneração adequada e sólido compromisso com a educação das crianças e jovens.

30 CONSTRUINDO O FUTURO Somente com avanço na qualidade de ensino poderemos formar jovens preparados, de fato, para nos conduzir à sociedade da tecnologia e do conhecimento. Dilma Roussef, Presidente do Brasil

31 Queremos cidades onde as crianças recebam o adequado preparo. Onde os jovens e adultos tenham a oportunidade de aprender a viver com esperança, movimentando-se com seriedade, esforço e dedicação, convictos de que não serão deixados na miséria se desejarem trabalhar e se aprimorar.

32 O Embu pode e deve se tornar um exemplar modelo de desenvolvimento em harmonia com a natureza, construindo a cidade que queremos para nós e nossos descendentes.

33 Boas famílias formam bairros bons. Bairros bons constroem boas comunidades. Boas comunidades fazem grandes nações. Kalyan Banerjee Presidente eleito do RI

34 O projeto Vida e Aprendizado - A Visão de um melhor futuro - tem como base incentivar o preparo para a vida, pois através dele os jovens adquirem maior consciência sobre si mesmos, o que os conduz ao aumento do interesse e capacitação para o aprendizado geral, inclusive o profissional, ficando mais aptos para ingressar no mercado de trabalho.


Carregar ppt "A CIDADE QUE QUEREMOS. CICLO DE PALESTRAS CÂMARA MUNICIPAL EMBU FEV.2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google