A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Saúde Mental Germano Bonow Deputado Federal / RS Câmara dos Deputados - Anexo IV - Gab. 605 Brasília/DF - CEP 70160-900

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Saúde Mental Germano Bonow Deputado Federal / RS Câmara dos Deputados - Anexo IV - Gab. 605 Brasília/DF - CEP 70160-900"— Transcrição da apresentação:

1 Saúde Mental Germano Bonow Deputado Federal / RS Câmara dos Deputados - Anexo IV - Gab. 605 Brasília/DF - CEP Fone (61) / Fax (61)

2 . Um detento branco, na casa dos seus 20 e poucos anos, estava esperando próximo à abertura da cela 11. Eu não pertenço à este lugar, declarou, assim que o Dr. Poitier chegou. Você está com pensamentos suicidas? Não, respondeu ele, soando insultado. Estou lhe dizendo, houve um engano. O senhor está tomando a medicação para transtorno mental? Estou. O detento despejou os nomes de seis drogas antipsicóticas. Por que você foi preso? Eu aprontei uma briga numa loja, disseram que eu estava roubando roupas, mas o meu amigo ia pagar por elas. Ele só tinha se atrasado para chegar. Seu amigo... O presidente Bush. Ele ia pagar as minhas roupas, mas se atrasou em algum lugar. Você sabe que ele é ocupado.

3 . Isso consta no livro Loucura – A busca de um pai no insano sistema de saúde, do jornalista Pete Early, publicado em língua portuguesa pela Artmed em 2009, cuja edição, em inglês, é de Se, em 1903, havia 144 mil pacientes hospitalizados, em 1955, esse número iria para 560 mil, e esperava-se que no ano de 2000 seriam 930 mil. Hoje há apenas 55 mil pessoas hospitalizadas. E ele continua: Onde estão os outros? Mais de 300 mil estão em cadeias e penitenciárias. Outro meio milhão está sob suspensão condicional da pena. A maior instituição pública de saúde mental dos Estados Unidos não é um hospital, mas a penitenciária do distrito de Los Angeles, que, em dia normal, abriga 3 mil detentos com transtornos mentais.

4 Projeto de Lei Nº 3.657, de 1989 (Do Sr. Paulo Delgado) Dispõe sobre a extinção progressiva dos manicômios e sua substituição por outros recursos assistenciais e regulamenta a internação psiquiátrica compulsória. JUSTIFICATIVA No Brasil, os efeitos danosos da política de privatização paroxística da saúde, nos anos 60 e 70, incidiram violentamente sobre a saúde mental, criando um parque manicomial de quase 100 mil leitos remunerados pelo setor público, além de cerca de 20 mil leitos estatais.

5 Leitos psiquiátricos SUS por ano (2002 – outubro de 2008) AnoLeitos/HP * * Outubro de 2008.Fontes: Em , SIH/SUS. A partir de 2004, PRH/CNES.

6 .

7 Portaria nº 336/GM - 19 de fevereiro de 2002 O Ministro da Saúde, no uso de suas atribuições legais: Considerando a necessidade de atualização das normas constantes da Portaria MS/SAS nº 224, de 29/01/1992, resolve: Art. 1º Estabelecer que os Centros de Atenção Psicossocial poderão constituir-se nas seguintes modalidades de serviços: CAPS I,CAPS II e CAPS III, definidos por ordem crescente de porte/complexidade e abrangência populacional,conforme o disposto nesta Portaria; § 1º As três modalidades de serviço cumprem a mesma função no atendimento público em saúde mental, distinguindo-se pelas características descritas no Artigo 3º desta Portaria, e deverão estar capacitadas para realizar prioritariamente o atendimento de pacientes com transtornos mentais severos e persistentes em sua área territorial, em regime de tratamento intensivo, semi- intensivos e não-intensivo, conforme definido adiante. § 2º Os CAPS deverão constituir-se em serviço ambulatorial de atenção diária que funcione segundo a lógica do território.

8 Cobertura de CAPS UFPopulaçãoCAPS ICAPS IICAPS IIICAPS iCAPS adTotalIndicador CAPS / hab. Brasil Fontes: Área Técnica de Saúde Mental / MS, IBGE – estimativa populacional 2008

9 CAPS ICAPS IICAPS IIICAPS i IICAPS a/d II POPULAÇÃO a a > Cerca de ou outro parâmetro definido pelo gestor > TURNO 2 turnos/ 8h às 18h 5 dias úteis 2 turnos/ 8h às 18h 5 dias úteis 3° turno até 21h 24h/dia, incluindo feriados e finais de semana 2 turnos/ 8h às 18h 5 dias úteis 3° turno até 21h 2 turnos/ 8h às 18h 5 dias úteis 3° turno até 21h RH 1 médico com formação em saúde mental (SM); 1 enfermeiro; 3 profissionais de nível superior (NS); 4 profissionais de nível médio (NM). 1 psiquiatra; 1 enfermeiro com formação em SM; 4 profissionais de NS; 6 profissionais de NM. 2 psiquiatras; 1 enfermeiro formação em SM; 5 profissionais de NS; 8 profissionais de NM. Atendimento diário: 1 psiquiatra, neurologista ou pediatra com formação em SM; 1 enfermeiro com formação em SM; 4 profissionais de NS; 5 profissionais de NM. 1 psiquiatra; 1 enfermeiro com formação em SM; 1 médico clínico que faz a triagem, avaliação e acompanhamento das intercorrências clínicas; 4 profissionais de NS; 6 profissionais de NM.

10

11 Beneficiários do programa De Volta para Casa (31 de janeiro de 2009) UFBeneficiários AL21 BA100 CE13 DF186 ES35 GO17 MA63 MG424 MT57 PA1 UFBeneficiários PB71 PE92 PI20 PR174 RJ692 RN5 RS187 SC32 SE92 SP924 TOTAL: 3206 Fonte: Área Técnica de Saúde Mental

12 Centros de convivência e cultura em funcionamento (2007) UNIDADE DA FEDERAÇÃO CENTROS DE CONVIVÊNCIA IMPLANTADOS ESPÍRITO SANTO1 MINAS GERAIS14 PARAÍBA2 PARANÁ2 RIO DE JANEIRO2 SÃO PAULO30 TOTAL51 Fonte: Área Técnica de Saúde Mental

13 Concentração de leitos psiquiátricos e leitos / 1000 habitantes por UF (outubro de 2008) Ranking leitos / 1000 hab. UFPopulação Leitos SUS 1RJ PE SP AL RN PR GO PB ES SE MG TO Ranking leitos / 1000 hab. UFPopulação Leitos SUS 13SC PI CE MA MS RS AC BA MT DF AM PA TOTAL Fontes: Área Técnica de Saúde Mental / CNES-PRH / IBGE, estimativa populacional de 2008.

14 UF Nº Hospitais Gerais com Leitos psiquiátricos Nº Leitos Psiquiátricos SUS em Hospitais Gerais AC16 AL-- AM-- AP16 CE831 DF234 ES528 GO873 MA-- MG25183 MS2098 MT22 PA354 UF Nº Hospitais Gerais com Leitos psiquiátricos Nº Leitos Psiquiátricos SUS em Hospitais Gerais PB23 PE352 PI219 PR11152 RJ60172 RN24 RO135 RR-- RS SC51330 SE224 SP51482 TO517 Total Leitos Psiquiátricos – Hospitais Gerais / SUS

15 Gastos federais do Programa de Saúde Mental (2004 a 2007*) Ações e programas extra-hospitalares Medicamentos especiais68,11102,6137,8208,9 Medicamentos essenciais22,1722,1620,3446,23 Centros de atenção psicossocial85,03120,5172,4252,4 Acompanhamento deficiência mental ou autismo12,0839,9173,25105,2 Total Extra-hospitalar287,4406, ,5 Ações hospitalares Procedimentos hospitais psiquiátricos444,7430,3403,4413,3 Procedimentos internação álcool e drogas1,231,291,351,54 Tratamento hospital geral19,6322,0822,5525,03 Serviços de referência álcool e drogas0000 Total hospitalar465,5453,7427,3439,9 * Em milhões de reais. Fontes: DATASUS, Área Técnica de Saúde Mental / DAPS / SAS / MS.

16 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE PLANTÃO DE EMERGÊNCIA EM SAÚDE MENTAL – PESM RELATÓRIO DO SEGUNDO SMESTRE DO ANO DE 2006 Consideração finais Se a demanda aumentou 25%, se não houve melhorias estruturais no Plantão e se mesmo assim indicamos menos internação, o mesmo não ocorreu com as vagas; estas diminuíram 3,6% em relação ao semestre anterior. Isto é mais do que trabalhar no vermelho, isto é trabalhar em estado de calamidade. É alarmante constatar que, metade das indicações de internação numa emergência em SM, é para DQ e que mesmo assim, ao longo do ano, 663 pacientes dependentes químicos ficaram sem vaga. Também é alarmante constatar que em seis meses os cofres públicos pagaram 309 internações de menores em clínicas particulares.

17 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE PLANTÃO DE EMERGÊNCIA EM SAÚDE MENTAL – PESM Porto Alegre, 05 de janeiro de 2009 Ao Senhor Secretário de Saúde, Em 2003 enviamos um manifesto sobre a inadequação e riscos de atendermos a população infanto-juvenil na Emergência de Saúde Mental do PACS, que atende pacientes adultos com graves riscos de auto e hetero-agressão. Quando uma criança com cinco anos entra em surto psicótico e tem indicação de avaliação psiquiátrica emergencial pelo SUS, ela será atendida no mesmo ambiente em que também receberá o atendimento um paciente adulto trazido pela Brigada Militar em severa agitação psicomotora, intoxicado por crack ou álcool. Não obtivemos nenhuma resposta. Em 1999 o Ministério Público ingressou com Ação Civil Pública contra o município de Porto Alegre, requerendo que fosse determinada a compra de vagas em hospitais particulares sempre que não houvesse vaga pelo SUS, para os menores de 18 anos. Quando o Poder Judiciário precisa intervir pela insuficiência de rede de atenção à saúde mental, não podemos deixar de nos questionar sobre o adoecimento do nosso Sistema de Saúde. A demanda de atendimento cresceu consideravelmente; não existe uma emergência psiquiátrica infantil, além da rede de atenção em saúde mental permanecer uma imensa lacuna. Tampouco foram abertos leitos psiquiátricos pelo SUS para a referida clientela. O encaminhamento para hospitais gerais, psiquiátricos, SUS ou a criação dos serviços substitutivos, conforme preconizado pela Reforma Psiquiátrica,não tem sido vislumbrado pelas sucessivas gestões. Coordenadora do Plantão de Emergência em Saúde Mental

18 COMUNIDADES TERAPÊUTICAS NO RS (Maio 2009) Comunidades Terapêuticas Atendimentos (pessoas internadas)

19 O que você tem de errado no modelo atual não é a priorização do atendimento comunitário, mas a forma radical e até irresponsável como foram fechados 80% dos leitos psiquiátricos. VALENTIM GENTIL Diretor do instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo

20

21 Saúde Mental Germano Bonow Deputado Federal / RS Câmara dos Deputados - Anexo IV - Gab. 605 Brasília/DF - CEP Fone (61) / Fax (61)

22


Carregar ppt "Saúde Mental Germano Bonow Deputado Federal / RS Câmara dos Deputados - Anexo IV - Gab. 605 Brasília/DF - CEP 70160-900"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google