A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HIDROGRAFIA Módulo VI Sem água não há vida.. Ciclo da Água Estado da Água. Evaporação, Solidificação, Fusão, Sublimação. Evaporação, Condensação, Precipitação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HIDROGRAFIA Módulo VI Sem água não há vida.. Ciclo da Água Estado da Água. Evaporação, Solidificação, Fusão, Sublimação. Evaporação, Condensação, Precipitação."— Transcrição da apresentação:

1 HIDROGRAFIA Módulo VI Sem água não há vida.

2 Ciclo da Água Estado da Água. Evaporação, Solidificação, Fusão, Sublimação. Evaporação, Condensação, Precipitação. Ciclo- rio, vapor, precipitação, escoamento, rio.

3 Oceanos e Mares Fotossíntese de algas e plânctons- Regulação climática do mundo. Cloreto de Sódio. Desembocadura de rios e lugares com geleiras, menos salinidade. Lugares com grande evaporação mais salinidade. Ex- mares fechados.

4 Ondas Ventos e esporadicamente movimentos da crosta terrestre, que provocam Tsunamis. As ondas têm cristas e cava. Movimentos circulares. Águas rasas as ondas carregam sedimentos. Ventos leves, forma uma leve oscilação-Marulho.

5 Marés Força gravitacional do Sol e da Lua atuam na formação das marés. Periélio- Sol + próximo da Terra a 148,5 milhões de Km. Perigeu- Lua+ próxima da Terra a mil Km. As proximidades provocam as marés. Lua ao redor da terra- Revolução ou Translação 29 dias e meio. Período Sinódico da Lua- Mês lunar.

6 Marés Novilunio ou Lua Nova- Alinhada ao Sol. Sete dias depois- Quadratura- Quarto Crescente. Sete dias depois- Lua Cheia. Sete dias depois- Quarto Minguante.

7

8 Marés. Cheia e nova- Marés de águas vivas. As quadraturas- Marés de águas mortas ou Sizígida.

9 As Correntes Marinhas. Causas- Rotação da Terra, ventos, temperatura e salinidade. Quentes- Origem próximo a linha do equador, são rápidas e profundas. Frias- Origem próximo as regiões polares, são lentas e superficiais e se deslocam em direção ao Equador. Correntes marinhas influenciam o clima. Encontro de correntes fria e quente- Região Piscosa já que as corrente frias carregam grandes quantidades de fitoplâncton- Alimento para cardumes.

10 Correntes. Corrente de Humboldt ou corrente do Peru. Região com ar mais seco- Deserto do Atacama. A pouca umidade que chega ao continente, rega as xerófilas da região. Corrente do Labrador. Águas frias que esfria as costas leste da América do Norte. Corrente do Golfo. Águas quente em direção a Europa, impede o congelamento das águas dos portos no inverno. Corrente de Kuro Shivo. Produz inverno rigoroso ao norte do arquipélago japonês. Corrente de Termohalina. Auxilia o controle do clima na Terra. Faz circular águas das regiões fria para o Equador e das regiões quentes para as regiões frias.

11 Mares e Relevo Submarino Abertos. Fechados ou Isolados. Mediterrâneo, Interior ou Continental. Até 90 Km com 200m Plataforma Continental. Região mais importante para o homem. Talude uma rampa após a Plataforma Continental. Com declive de 70m a cada Km. Planície Abissal Profundidade de até 6000 metros. Na Planície Abissal se encontram as Fossas Submarinas podem chegar até 11 mil metros.

12 Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos do Mar Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos do Mar Milhas ou 22 Km- Mar territorial para cada país. No Brasil A Convenção criou a ZEEs Zona Econômica Exclusiva- corresponde a 188 milhas adjacentes ao Mar territorial, onde cada país pode explorar estas águas de forma exclusiva. Todos países tem o direito de navegação na ZEEs. A Convenção determinou que os países que não exploram todos os recurso da ZEEs, por acordo, concedam ao outros países. A Convenção determinou que o alto mar é comum a toda a humanidade, sendo vedada a exploração que vise apenas o interesse econômico de um Estado soberano.

13 Impactos Ambientais nos Mares Poluição levada pelos rios ao oceano. Correntes marinhas carregam lixo. Morte dos corais. Vazamento de petróleo no mar. Prejuízo ao turismo e aos pescados. Pesca predatória. Desaparecimento de lagos e mares fechados.

14 Regime de Abastecimento e Tipos de Rios Pluvial- Chuva Nival- Derretimento de neve. Misto- Neve e Chuva. Ex. Rio Amazonas. Rios Perenes e Temporários. Foz- Delta ou Estuário. Curso- Alto, Baixo e Médio. Margem e Afluentes.

15 Cânions Leito escavado por ação da água, formam os cânions. Quanto maior a velocidade das águas, maior o aprofundamento do cânion. Grand Cânyon, Cânyon do Itaimbezinho no RS e Guartelá no Paraná.

16 Bacia Hidrográfica Bacia- Área drenada pelo rio e todos seus afluentes. Endorréica- Corre para o interior do continente e alimentam mares fechados e lagos. Exorréica- Do interior para o mar. Arreica- Sem escoamento superficial- Ex. Deserto. Criptorreica. Infiltra no solo, comum em cavernas. Na caverna chamado de sumidouro, após a caverna ressurgência.

17 Padrão de Drenagem Densa ou Rala. Dentrítica- Semelhantes aos galhos de uma árvore. Paralelas- Com ângulos de confluência muito reduzidos. Retangular- Dentro de linhas de falhas geológicas. Treliças- Em planícies costeiras. Radial- Aparece onde os rios correm em direção oposta, a partir de um ponto central elevado como uma cratera de vulcão.

18 Aproveitamento econômico Rio de Planalto. Rio de Planície. Transporte, energia, irrigação, pescados, uso comum da água, eclusa.

19 Questões Ambientais Relacionadas aos Rios Represas. Atividades agropastoris. Agrotóxicos. Medicamentos. Dejetos. Uso da água para a agricultura e para a indústria. Poluição Urbana- Esgoto doméstico e industriais. Elementos jogados nos rios aumentam os nutrientes fazendo surgir algas que diminuem o oxigênio da água matando peixes.- Eutrofização. Derrubada das matas ciliares- Assoreamento.

20 Formação de Lagos Podem dar origem a rios. Grande e Pequenos. Origem- Movimentos das placas tectônicas, de origem glacial ou vulcânica. Lago Costeiro- De água salgada separado do mar por um cordão arenoso. No Brasil encontramos ainda os lagos de barragem e os lagos de erosão formados por processo erosivo.

21 Lagoas ou Lagunas Porção de água que se encontra numa depressão do relevo, paralela ao oceano, com o qual faz comunicação por meio de um canal. As águas que compõem as lagunas podem ser salgadas ou salobras-mistura de água doce e salgada. Ex. Lagoa dos Patos no RS.

22 Problemas Ambientais Lacustres Maior contingente ao redor dos lagos, provoca a eutrofização. O uso excessivo das águas dos lagos ou rios que o abastecem estão extinguindo alguns lagos. Ex. Lago Chade e o Mar de Aral.

23 Aquíferos Aquífero Livre- Argilas e areia porosas por onde passa a água. Esta se aloja mais a baixo em rocha impermeável. Aquífero Confinado- Arenitos entre duas camadas de rochas impermeáveis. Semiconfinado- Ocorre quando partes deste se encontram sobrepostas por outra camada de baixa permealidade ou mesmo formado por rochas impermeáveis. Aquitardo-Em rochas impermeáveis a água se aloja em fendas.

24 Aquífero Karst e o Guarani Aquífero Karst. Em rocha calcária. Guarani Km² com Km² noBrasil. Também compartilha- Argentina, Paraguai e Uruguai. Mais 200 anos de uso desta água para os quatro países.

25 Problemas Ambientais nos Aquíferos Lixos e agrotóxicos que chegam até o aquífero. Suas águas são muito exploradas e não é um recurso renovável, por causa do tempo que leva para sua reposição. Afundamento de terrenos.


Carregar ppt "HIDROGRAFIA Módulo VI Sem água não há vida.. Ciclo da Água Estado da Água. Evaporação, Solidificação, Fusão, Sublimação. Evaporação, Condensação, Precipitação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google