A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Definições e funções 1Profa. Patrícia Abreu. Peter Drucker – a eficiência é o mais importante, já que nenhum nível de eficiência, por maior que seja,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Definições e funções 1Profa. Patrícia Abreu. Peter Drucker – a eficiência é o mais importante, já que nenhum nível de eficiência, por maior que seja,"— Transcrição da apresentação:

1 definições e funções 1Profa. Patrícia Abreu

2 Peter Drucker – a eficiência é o mais importante, já que nenhum nível de eficiência, por maior que seja, irá compensar a escolha dos objetivos errados. Planejamento Estratégico – escolha de objetivos certos para traçar os melhores caminhos. 2Profa. Patrícia Abreu

3 Missão – razão de ser da empresa Visão – onde a empresa quer chegar Valores – aquilo que a empresa acredita Estratégia Corporativa – diretriz maior da empresa. Ela que é o principal direcionador para as tomadas de decisões e pra a operação do negócio. 3Profa. Patrícia Abreu

4 Objetivos estratégicos – viabilizadores da Estratégia – transformação do objetivo maior em objetivos por áreas de negócio (o que fazer) Plano de Ação – desdobramento de cada objetivo estratégico (como fazer) Orçamento – previsão financeira da empresa Execução estratégica – implantação prática da estratégia corporativa, monitorada a partir de prazos e das ações previstas nos planos de ação 4Profa. Patrícia Abreu

5 Estratégia Competitiva (Michael Porter) Estratégias genéricas: liderança no custo total (preço), diferenciação ( cliente), enfoque (empresa não diversificada com visão mono mercado) Vantagem competitiva 5Profa. Patrícia Abreu

6 Curiosidade – Congresso do BSC (Latin American Summit) 2003 – Brasil: 5% das empresas possuem visão definida; 25% dos gestores possuem incentivos, o que inviabiliza o comprometimento com empresa dos demais gestores; 60% das empresas possuem orçamento desvinculado da estratégia; 85% dos executivos discutem menos de 1hora/mês a estratégia da empresa. 6Profa. Patrícia Abreu

7 7

8 1º - caracterizar o negócio em termos de volume; 2º - informações disponíveis Obs.: para cada objetivo devem ser traçados planos de ação que posteriormente serão valorados para fins de construção do Orçamento de Operações da empresa. 8Profa. Patrícia Abreu

9 Exemplo Empresa X Estratégia corporativa – Expansão dos Negócios Missão (razão de ser) – desenvolver as oportunidades de negócios, por meio de serviços de alta qualidade e de valor agregado, a preços competitivos. Visão (onde ela quer chegar) – manter a posição de maior em termos do portfólio de serviços oferecidos e de know how tecnológico, ser líder nos demais segmentos que atua, contribuir no progresso social e profissional dos colaboradores e para o desenvolvimento da sociedade. 9Profa. Patrícia Abreu

10 Crenças e valores – qualidade, educação, inovação, criativiade, ética, RH, relacionamento com clientes; Pontos fortes (refere-se aquilo que a empresa tem de melhor) - tradição, marca, imagem, valor da marca, pesquisa e desenvolvimento, qualidade dos processos, bom ambiente interno, forte endomarketing, qualidade dos serviços; Pontos fracos (refere-se àquilo que a empresa tem oportunidades de melhoria) – agilidade, preço, descontinuação de serviços; 10Profa. Patrícia Abreu

11 Oportunidades (refere-se ao ambiente externo) Mercado receptivo aos novos serviços, aumento no consumo de serviços de fundos de previdência complementar; Ameaças (refere-se ao ambiente externo) Novos entrantes, regulação econômica do país. 11Profa. Patrícia Abreu

12 Área de MKT Estratégia mercadológica – aumentar a participação do mercado Concorrência – indústrias na área de atuação da empresa X Clientes – pessoa física e jurídica Área de Finanças Investir em aquisições de empresas (...) 12Profa. Patrícia Abreu

13 A área de operações têm condição de definir sua estratégia (ex:) Ampliar a capacidade de operação; Mapear os fornecedores de tecnologia; (Re)definir a estratégia localização. 13Profa. Patrícia Abreu

14 (Ampliação da capacidade de operação) Promover a integração da Cadeia de Suprimento na direção dos fornecedores; Minimizar a ociosidade das instalações e dos provedores de internet; Buscar novas alternativas tecnológicas; Reestruturar o modelo de gestão operacional; Prospectar oportunidades de otimização do processo de Planejamento e Controle; Alavancar o uso de ferramentas preventivas e detectivas de controle da qualidade e de gestão de falhas. 14Profa. Patrícia Abreu

15 Para cada objetivo devem ser traçados planos de ação que posteriormente serão valorados para fins de construção do Orçamento de Operações. Principal métrica do processo operacional: produtividade 15Profa. Patrícia Abreu

16 Custo: produzir a um custo mais baixo que a concorrência; Qualidade: produzir com desempenho de qualidade melhor que a concorrência; Desempenho de entrega: ter confiabilidade e velocidade nos prazos de entrega melhor que a concorrência; Flexibilidade: ser capaz de reagir de forma rápida a eventos não previstos; Inovatividade: capacidade de o sistema produtivo introduzir novos produtos de forma rápida em seu processo produtivo; Não agressão ao meio ambiente: possuir um sistema de produção integrado ao meio ambiente. 16Profa. Patrícia Abreu

17 MODELO 1 Onde, prod (x) = y = produtividade; x = qtde de serviços prestados por tipo ou receita bruta/operacional/líquida ou lucro líquido; z = qtde de colaboradores da equipe de operação da respectiva linha de serviço. Objetivo: mede a quantidade de serviços ou receita/lucro gerado pelo quadro de pessoal responsável -pela respectiva linha do serviço. 17Profa. Patrícia Abreu

18 Onde, prodT (x) = y = produtividade total pn = serviço do mapa de operação p1 = primeiro serviço do mapa de operação x = qtde de serviços prestados por tipo ou receita bruta/operacional/líquida ou lucro líquido z = quadro total de colaboradores da equipe de operação Objetivo: mede a quantidade de serviços ou receita/lucro gerado pelo quadro total de pessoal da equipe de operação 18Profa. Patrícia Abreu

19 MODELO 2 Onde, prod (c) = y = produtividade; c = custo total ou custo variável dos serviços prestados por tipo; z = qtde de colaboradores da equipe de operação da respectiva linha de serviço. Objetivo: mede o custo total ou variável gerado pelo quadro de pessoal responsável pela respectiva linha do serviço. 19Profa. Patrícia Abreu

20 Modelo 1 – se o quociente da relação entre lucro, receita ou qtde de serviços prestados e o quadro de colaboradores de operação forem superiores a 1, então o nível de produtividade pode ser considerado satisfatório; Modelo 2 – se o quociente da relação entre custo total/variável de serviços prestados e o quadro de colaboradores de operação forem superiores a 1, então o nível de produtividade pode ser considerado insatisfatório. 20Profa. Patrícia Abreu

21 Importante! O nível de satisfação sobre o desempenho da produtividade, independente dos modelos, depende, na prática, do percentual de alcance das metas de operação estabelecidas pela empresa. 21Profa. Patrícia Abreu

22 Plano de Produção é o resultado de decisões estratégicas ligadas à produção e tem como objetivo alocar corretamente os recursos produtivos para as estratégias escolhidas. Além disso, por ser um plano de longo prazo, necessita de freqüentes reformulações para a adaptação de variáveis que forem alteradas. 22Profa. Patrícia Abreu

23 minimizar atrasos e não-atendimento de ordens de produção; minimizar estoques; minimizar a ociosidade dos recursos produtivos pela alocação eficiente do trabalho; minimizar os lead-times da produção. 23Profa. Patrícia Abreu

24 Plano de Produção exige informações referentes aos recursos, previsão de demanda, políticas alternativas (subcontratações, turno extra, estoque) e dados de custos. Quanto mais equilibrada for a taxa de demanda com a de produção, maior será a eficácia do plano. 24Profa. Patrícia Abreu

25 Limitações de custos: os produtos e serviços devem ser produzidos dentro de custos determinados; Limitações de capacidade: os produtos e serviços devem ser produzidos dentro de limites de capacidade projetados para a operação; Limitações de tempo: os produtos e serviços devem ser produzidos dentro de um intervalo de tempo, no qual eles ainda têm valor para o consumidor; Limitações de qualidade: os produtos e serviços devem ter conformidade aos dados limites de tolerância projetados para o produto ou serviço. 25Profa. Patrícia Abreu

26 a) agrupar os produtos em famílias afins; b) estabelecer o horizonte e os períodos de tempo a serem incluídos no plano; c) determinar a previsão da demanda destas famílias para os períodos, no horizonte planejado; d) determinar a capacidade de produção pretendida por período, para cada alternativa disponível (turno normal, turno extra, subcontratações, etc.); e) definir as políticas de produção e estoques que limitarão o plano; f) determinar os custos de cada alternativa de produção disponível; g) desenvolver planos de produção alternativos e calcular os custos decorrentes; h) analisar as restrições de capacidade produtiva. 26Profa. Patrícia Abreu

27 O Plano de Produção servirá de base para a elaboração do Planejamento-Mestre da Produção no nível tático. 27Profa. Patrícia Abreu

28 O Planejamento-Mestre da Produção está na fase intermediária do planejamento estratégico e as atividades operacionais. Sua função desmembrar os planos estratégicos de longo prazo em planos específicos de médio prazo para produtos acabados Como resultado desse, tem-se o Plano-Mestre da Produção (PMP) que formalizará as decisões tomadas quanto necessidade de produtos acabados para cada período analisado. 28Profa. Patrícia Abreu

29 Objetivos da Programação da Produção: Permitir que os produtos tenham a qualidade especificada; Fazer com que as máquinas e pessoas operem com os níveis desejados de produtividade; Reduzir os estoques e os custos operacionais; Manter ou melhorar o nível de atendimento ao cliente. 29Profa. Patrícia Abreu

30 Administração de Estoques Seqüenciamento, emissão e liberação de ordens 30Profa. Patrícia Abreu

31 Funções: Coleta e registro de dados sobre o estágio das atividades programadas; Comparação entre o programado e o executado; Identificação dos desvios; Busca de ações corretivas; Emissão de novas diretrizes com base nas ações corretivas; Fornecimento de informações produtivas aos demais setores da empresa (Finanças, Engenharia, Marketing, RH, etc); Preparação de relatórios de análise de desempenho do sistema produtivo. 31Profa. Patrícia Abreu

32 32Profa. Patrícia Abreu

33 O Acompanhamento e Controle da Produção fecha o ciclo das atividades realizadas pelo PCP e serve de suporte ao sistema produtivo, garantindo que as atividades planejadas e programadas para o período sejam cumpridas. 33Profa. Patrícia Abreu


Carregar ppt "Definições e funções 1Profa. Patrícia Abreu. Peter Drucker – a eficiência é o mais importante, já que nenhum nível de eficiência, por maior que seja,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google