A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

22/01/2002Curso de Expositor Espírita1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) DEPARTAMENTO DE ENSINO DOUTRINÁRIO CURSO DE EXPOSITOR ESPÍRITA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "22/01/2002Curso de Expositor Espírita1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) DEPARTAMENTO DE ENSINO DOUTRINÁRIO CURSO DE EXPOSITOR ESPÍRITA."— Transcrição da apresentação:

1

2 22/01/2002Curso de Expositor Espírita1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) DEPARTAMENTO DE ENSINO DOUTRINÁRIO CURSO DE EXPOSITOR ESPÍRITA

3 22/01/2002Curso de Expositor Espírita2 Reflexão e aprofundamento sobre o processo básico da comunicação, a fim de que haja maior exatidão na compreensão do significado daquilo que se quer transmitir. Objetivo COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Introdução

4 22/01/2002Curso de Expositor Espírita3 é essencialmente um processo interativo e didático (de pessoa a pessoa) em que o emissor constrói significados e desenvolve expectativas na mente do receptor. Comunicaçãointerpessoal Comunicação Do lat. communicatio de communis = comum significa a ação de tornar algo comum a muitos. COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Definição

5 22/01/2002Curso de Expositor Espírita4 VERBAL-ORAL (memorandos, relatórios...) O lugar que moramos, as roupas que usamos...(retrato da personalidade) Incorpora o uso do corpo, os gestos, a voz etc. VERBAL (dar instruções, entrevistar alguém, informar...) VERBAL-ESCRITA SIMBÓLICA NÃO-VERBAL AMBÍGUA COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Modos de Comunicação

6 22/01/2002Curso de Expositor Espírita5 se refere ao ponto até onde o sinal básico transmitido pelo emissor é recebido, sem distorções, pelo receptor. Exatidão da Comunicação Este processo se reflete no modelo Shannon-Weaver. COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Exatidão na Comunicação

7 22/01/2002Curso de Expositor Espírita6 I nformaçã o TransmissorReceptorDestino Fontede Fonte de ruído ruído MensagemSinal Sinalrecebido Sinal recebidoMensagem Feedback Fonte: Adaptado de C. F. Shannon e W. Weaver, The Mathematical Theory of Communication. COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Modelo Shannon-Weaver

8 22/01/2002Curso de Expositor Espírita7 ER E R E R E R E 1.º Caso: 1.º Caso: a comunicação não se realiza. Ex.: alemão e brasileiro. 2.º Caso: 2.º Caso: a comunicação é restrita. Ex.: Inglês e estudante brasileiro. 3.º Caso: 3.º Caso: a comunicação é mais ampla. Ex.: curso de alto nível. 4.º Caso: 4.º Caso: a comunicação é perfeita. Todos os signos são compreendidos. COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Relação Emissor-Receptor

9 22/01/2002Curso de Expositor Espírita8 EMISSOR CODIFICAÇÃO RECEPTOR DECODIFICAÇÃO RUÍDO é tudo aquilo que interfere na comunicação, prejudicando-a. Pode ser o som sem harmonia, um emissor e um receptor fora de sintonia, falta de atenção do receptor etc. COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Interferência dos Ruídos

10 22/01/2002Curso de Expositor Espírita9 elemento da mensagem que não traz informação nova. Deve-se repetir frases e ensinamentos. é o processo de se dizer a uma pessoa como você se sente em função do que ela fez ou disse. São, também, sinais que permitem conhecer o resultado da mensagem. Feedback Redundância COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Recursos para Anular Ruídos

11 22/01/2002Curso de Expositor Espírita10 Sobrecarga de Informações 1. Sobrecarga de Informações (incapazes de ordenar) Auto-conceito 2. Auto-conceito (aceitamos as informações que confirmam nossa crença e negamos as que contrariam) Fonte 3. Fonte (acreditamos mais nos portadores de status) Localizaçãofísica 4. Localização física (distância diminui a comunicação) Defensidade 5. Defensidade (indivíduos que se sintam ameaçados dificultam o entendimento mútuo) COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Barreiras à Comunicação Eficaz

12 22/01/2002Curso de Expositor Espírita11 Pareça frio e distante, sabe-tudo ou tentando controlar os receptores UM COMUNICADOR QUE DEFENSIDADE PROVOCARÁ COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Comunicador e Defensidade

13 22/01/2002Curso de Expositor Espírita12 1. Usar linguagem apropriada e direta. 2. Fornecer informações tão claras e completas quanto for possível. 3. Usar canais múltiplos para estimular vários sentidos do receptor (audição, visão etc.). 4. Usar comunicação face a face sempre que for possível. HABILIDADESDETRANSMISSÃO COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Habilidades de Transmissão

14 22/01/2002Curso de Expositor Espírita13 1. Escuta ativa - Criar situações que ajudem as pessoas a falarem o que realmente querem dizer. 2. Empatia - Colocar-se na posição da outra pessoa, num esforço para entendê-la. 3. Reflexão - Reformular sempre a mensagem que tenha recebido. 4. feedback - Criar condições para um retorno do que se faz. HABILIDADESAUDITIVAS COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Habilidades Auditivas

15 22/01/2002Curso de Expositor Espírita14 1. No caso de feedback negativo, vá direto ao assunto. 2. Concentre-se no problema. 3. Esteja preparado para receber feedback. 4. Ao encerrar o feedback, faça um resumo, a fim de que todos saiam com o mesmo entendimento sobre o que foi decidido 4. Ao encerrar o feedback, faça um resumo, a fim de que todos saiam com o mesmo entendimento sobre o que foi decidido. HABILIDADESDEFEEDBACK COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL Habilidades de Feedback

16 22/01/2002Curso de Expositor Espírita15 Esperamos que a discussão sobre os diversos tipos de comunicação comunicação e as várias técnicas para diminuir o ruído ruído (interferência no significado do que se quer transmitir) possa capacitar-nos a transmitir as nossas idéias, sentimentos e emoções, com mais clareza e determinação. Parabéns aos novos Expositores Espíritas CONCLUSÃO

17 22/01/2002Curso de Expositor Espírita16 BOWDITCH, J. L. e BUONO, A. F. Elementos de Comportamento Organizacional. São Paulo, Pioneira, (Capítulo 5.º) FONTES DE CONSULTA


Carregar ppt "22/01/2002Curso de Expositor Espírita1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) DEPARTAMENTO DE ENSINO DOUTRINÁRIO CURSO DE EXPOSITOR ESPÍRITA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google