A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE NA FESF-SUS NASF.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE NA FESF-SUS NASF."— Transcrição da apresentação:

1 POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE NA FESF-SUS NASF

2 POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE OBJETIVO Incentivar o envolvimento do trabalhador e da gestão municipal no desenvolvimento profissional e da equipe e na melhoria permanente da qualidade do trabalho em saúde da família

3 POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE CONTEXTO Promoção da Qualidade da Atenção Educação Permanente Apoio Institucional FESF.SUS Praça Virtual (Fórum + Guia Trabalhador) Remuneração variável (GPQ+ PR) Apoio Institucional Municipal - CAA

4 APOIO INSTITUCIONAL MUNICIPAL - CAA ELEMENTO DA POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE Papel da CAA dentro da Política de Avaliação e Gestão da Qualidade: – acompanhar as ações e serviços FESF-SUS desenvolvidos no município; – participar do planejamento das ações, buscando adequar às prioridades e políticas municipais de saúde; – buscar integrar as ações da FESF ao conjunto de ações desenvolvidas pelo SUS municipal e regional, ganhando eficiência nas ações e maximizando os instrumentos e resultados ; – apoiar o processo de trabalho das Equipes; – fazer a gestão compartilhada do trabalho das equipes, – propor ações corretivas e outras sugestões e recomendações decorrentes do acompanhamento e da avaliação; – participando da avaliação dos serviços FESF-SUS produzidos pelas equipes. Apoio Institucional Municipal - CAA

5 REMUNERAÇÃO VARIÁVEL ELEMENTO DA POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE Gratificação por Produção e Qualidade – Individual – Mensal – 20 % do salário base Prêmio por Resultados – por adesão – Por desempenho da equipe – Inscrição de Projetos (regulamento será divulgado através da publicação de Ato ADM) – Semestral – 75% do salário base Remuneração variável (GPQ+ PR)

6 GRATIFICAÇÃO POR PRODUÇÃO E QUALIDADE FUNCIONAMENTO GERAL Será calculada com base em um índice que variará de 0 a 1; Serão duas as lógicas para composição do índice: – alcance de metas relacionadas a indicadores de produção (0,75) – entrega de produtos (0,25) – durante período de implantação da Estratégia FESF-SUS (primeiros cinco meses), para efeito de gratificação, será cobrado apenas o envio dos produtos Composição dos indicadores: construção de um processo gradativo numa lógica permanente de evolução e complementaridade: PRODUÇÃOCOBERTURARESULTADO

7 Gratificação por Produção e Qualidade INDICADORES DE PRODUÇÃO Origem dos indicadores: – SIA-SUS: consulta/avaliação; terapia individual; terapia em grupo; reabilitação física; atividade educativa em grupo; atividades físicas e práticas corporais. – FESF: interconsulta; prática integrativa e complementar; visita domiciliar sem/com projeto terapêutico singular; reunião NASF e NASF com EqSF. A produção será registrada na Ficha de Registro Diário – UMA POR EQUIPE apoiada pelo NASF e consolidada na mesma ficha ao final de cada mês. Todo mês o próprio trabalhador acessa o MAPS/módulo NASF – Monitoramento da Atenção Primária à Saúde – e consolida seus dados (o sistema entrará no ar a partir do dia 20/10); Cada trabalhador receberá por seu login e senha para ter acesso ao sistema; Mês de competência – 20 do mês atual a 19 do mês subsequente. (começa a registrar na ficha a partir de 20/10) Período de envio – 20 a 25 de cada mês (começa a alimentar a partir de 20/11)

8 Ficha para Registro Diário de atividades, procedimentos EQUIPE NASF | Informações para o SIA E FESF-SUS USF: N Área: Nome do Profissional NASF: Profissão: CBO: Área (nome):Mês de referência: /201 Datas TOTALTOTAL MARCADORES DE GESTÃO DO PROCESSO DE TRABALHO Tipos de Atendimentos/ Procedimentos Consulta / Avaliação 1 Terapia Individual Interconsulta 2 Prática integrativa e complementar ( acupuntura, homeopatia, fitoterapia ) Reabilitação física Visita Domiciliar ( SEM projeto terapêutico singular ) Outros: Encaminhamentos para atenção especializada Solicitação de Exames Ações de Matriciamento³ Elaboração de Projeto Terapêutico Singular Discussão de caso clínico Reunião com ESF Visita domiciliar ( COM Projeto Terapêutico Singular ) Atividade de Educação Permanente Outros: Atividades em grupo Terapias de grupo4 Oficinas5 Atividades Físicas / Práticas Corporais Atividade Educativa6 na Comunidade Atividade Educativa na USF Reuniões7 [1] Consultas individualizadas realizadas pelos profissionais NASF para avalia ç ão configurando-se como primeiro contato com usu á rio. As consultas serão subs í dios para discussões e/ou elabora ç ões de projetos/condutas terapêuticas futuras em conjunto com a ESF. 2 Atendimentos realizados pelos profissionais do NASF conjuntamente com a ESF. ³ O apoio matricial é um arranjo t é cnico-assistencial que visa a amplia ç ão da cl í nica das equipes de ESF superando a l ó gica de encaminhamentos indiscriminados para uma l ó gica de corresponsabiliza ç ão entre as equipes da ESF e NASF, pretendendo uma maior resolutividade da assistência a sa ú de. São a ç ões de suporte à s equipes de Sa ú de da Fam í lia. 4 Atividades coletivas de m é dia a longa dura ç ão com identidade e v í nculo entre os seus participantes. Ex. grupos de idosos, mães, teatro, etc. 5 Atividades coletivas cujo objetivo é a produ ç ão de determinado produto ou processo com finalidades terapêuticas ou pedag ó gicas, onde os participantes não necessariamente possuem identidade grupal. 6 Atividades coletivas de curta dura ç ão de car á ter informativo/orientador de assuntos gerais sobre temas relacionados à sa ú de. 7 Espa ç os privilegiados de tomadas de decisões que sejam referentes ao processo de trabalho, atividades de planejamento e avalia ç ão em sa ú de, etc. Exemplos: Reuniões entre o NASF e o NASF, NASF e gestores municipais ou trabalhadores de sa ú de (vigilância a sa ú de, Coordena ç ão de Aten ç ão B á sica,etc), NASF com a Associa ç ão de moradores, etc.

9 Gratificação por Produção e Qualidade INDICADOR DE QUALIDADE – PRODUTOS São dispositivos que facilitam e induzem a implementação de processos de trabalho intrínsecos à Estratégia de Saúde da Família, e que qualificam o cuidado prestado à população; Permitem que os Apoiadores da FESF e a CAA conheçam com mais detalhe os processos de trabalho da equipe e possam apoiar o trabalhador na implantação e no desenvolvimento destes processos; Servem como marcadores para a análise de qualidade dos processos de trabalho em cada área contratualizada; orientados pelo Guia do Trabalhador/Módulo NASF (EM CONSTRUÇÃO) Serão enviados pelos trabalhadores, através do Ambiente Virtual nos períodos de 20 a 25 de cada mês; durante período de implantação da Estratégia FESF-SUS (primeiros cinco meses), para efeito de gratificação, será cobrado apenas o envio dos produtos

10 LINHA DO TEMPO DOS PRODUTOS PERÍODO DE IMPLANTAÇÃO (FIT+GUIA) + PERÍODO PÓS PARES Formação Inicial dos Trabalhadores (EAD) GUIA DO TRABALHADOR FÓRUNS NA PRAÇA VIRTUAL

11 LINHA DO TEMPO DOS PRODUTOS PERÍODO DE IMPLANTAÇÃO Reflexão sobre APS + Agenda de trabalho Inicial CARTOGRAFIA Das necessidades das Equipes de Saúde da Família apoiadas proposta inicial de MATRICIAMENTO das Equipes SF AGENDA COMPARTILHADA + PARES Plano de Ações e Resultados em Saúde PRIMEIRO PRODUTOSEGUNDO PRODUTOQUARTO PRODUTO QUINTO PRODUTO TERCEIRO PRODUTO Proposta de GESTÃO DO CUIDADO para as equipes apoiadas

12

13 CALENDÁRIO DA PRODUTIVIDADE PRODUÇÃO E POSTAGEM DOS PRODUTOS NA PRAÇA VIRTUAL ALIMENTAÇÃO DA PRODUÇÃO NO MAPS ALIMENTAÇÃO DA PRODUÇÃO NAS FICHAS DE REGISTRO CONFIRMAÇÃO DA POSTAGEM DO PRODUTO NO MAPS


Carregar ppt "POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO DA QUALIDADE NA FESF-SUS NASF."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google