A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TREINAMENTO PARA FORMAÇÃO E RECICLAGEM DE APLICADORES DE PASSE 21 de Novembro de 2010 (domingo) Das 8:30 às 12:30 horas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TREINAMENTO PARA FORMAÇÃO E RECICLAGEM DE APLICADORES DE PASSE 21 de Novembro de 2010 (domingo) Das 8:30 às 12:30 horas."— Transcrição da apresentação:

1 TREINAMENTO PARA FORMAÇÃO E RECICLAGEM DE APLICADORES DE PASSE 21 de Novembro de 2010 (domingo) Das 8:30 às 12:30 horas

2 Página Passes "E rogava-lhe muito, dizendo: Minha filha está moribunda; rogo-te que venhas e lhe imponhas as mãos para que sare, e viva" (Mc 5: 23) Jesus impunha as mãos nos enfermos e transmitia-lhes os bens da saúde. Seu amoroso poder conhecia os menores desequilíbrios da Natureza e os recursos para restaurar a harmonia indispensável. Nenhum ato do Divino Mestre é destituído de significação. Reconhecendo essa verdade os apóstolos passaram a impor as mãos fraternas em nome do Senhor e tornavam-se instrumentos da Divina Misericórdia. Atualmente, no Cristianismo redivivo, temos, de novo, o movimento socorrista do Plano Invisível, através da imposição da mãos. Os passes, como transfusões de forças psíquicas, em que preciosas energias espirituais fluem dos mensageiros do Cristo para os doadores e beneficiários, representam a continuidade do esforço do Mestre para atenuar os sofrimentos do mundo. Seria audácia por parte dos discípulos novos a expectativa de resultados tão sublimes quanto os obtidos por Jesus junto aos paralíticos, perturbados e agonizantes. O Mestre sabe, enquanto nós outros estamos aprendendo a conhecer. É necessário, contudo, não desprezar-lhe a lição, continuando, por nossa vez, a obra de amor, através das mãos fraternas. Onde exista sincera atitude mental do bem, pode estender-se o serviço providencial de Jesus. Não importa a fórmula exterior. Cumpre-nos reconhecer que o bem pode e deve ser ministrado em seu nome. Emmanuel / Chico Xavier (Caminho, Verdade e Vida, cap. 153)

3 Programação 08:30 a 08:40 – Página e prece 08:40 a 08:50 – Considerações iniciais – Alberto 08:50 a 09:25 – Bloco 1 – João Luiz 09:25 a 10:00 – Bloco 2 - Hugo 10:00 a 10:20 – Intervalo 10:20 a 10:55 – Bloco 3 - Alberto 10:55 a 11:30 – Bloco 4 - Vera 11:30 a 12:05 – Bloco 5 - Wânia 12:05 a 12:30 – Bloco 6 - Perguntas – Todos

4 BLOCO 1 – JOÃO LUIZ

5 BLOCO 2 - HUGO

6 Capítulo 8 – Fluidos Perispiríticos O perispírito representa importantíssimo papel no organismo e numa multidão de afecções (...) O estudo das propriedades do perispírito, dos fluidos espirituais e dos atributos fisiológicos da alma abre novos horizontes à Ciência e dá a chave de uma multidão de fenômenos incompreendidos até então, por falta de conhecimento da lei que os rege... Allan Kardec A Gênese, Capítulo I, itens 39 e 40

7 Capítulo 8 – Fluidos Perispiríticos Entendendo os fluidos perispiríticos (ou perispirituais). Natureza e teor destes fluidos / Afinidade fluídica. Influência destes fluidos em nós. O pensamento e a vontade na manipulação dos fluidos. Força fluídica e capacidade de (ir)radiação. A psicometria.

8 Capítulo 9 – Magnetismo Animal e Espiritual (...) a força magnética reside, sem dúvida, no homem, mas é aumentada pela ação dos Espíritos que ele chama em seu auxílio. Se magnetizas com o propósito de curar, por exemplo, e invocas um bom Espírito que se interessa por ti e pelo teu doente, ele aumenta a tua força e atua vontade, dirige o teu fluido e lhe dá as qualidades necessárias. Respostas dos Espíritos Superiores a Allan Kardec Livro dos Médiuns, Capítulo XIV, item 176

9 O magnetismo humano. O magnetismo espiritual. O Passe Espírita: magnetismo humano + espiritual (misto, semi-espiritual ou humano-espiritual). O aplicador de passe deixa de ser classificado apenas como simples magnetizador, mas sim como médium. Novas responsabilidades... Capítulo 9 – Magnetismo Animal e Espiritual

10 Capítulo 10 – O Médium Passista Entendemos que a mediunidade curativa se reveste da mais alta importância, desde que alicerçada nos sentimentos mais puros da mais pura fraternidade. É claro que não nos reportamos aos magnetizadores que desenvolvem as forças que lhes são peculiares, no trato da saúde humana. Referimo-nos, sim, aos intérpretes da Espiritualidade Superior, consagrados à assistência providencial aos enfermos, para encorajar-lhes a ação. André Luiz Mecanismos da Mediunidade, Capítulo XXII

11 Intérprete da Espiritualidade Superior. Requisitos: Estudo. Compromisso. Equilíbrio das emoções. Disciplina e equilíbrio alimentar. Abstenção do uso de substâncias tóxicas, entorpecentes, álcool e cigarro. Transformação Moral. O primeiro inimigo do médium reside dentro dele mesmo. Emmanuel - O Consolador, questão 410 Capítulo 10 – O Médium Passista

12 INTERVALO 20 MINUTOS

13 BLOCO 3 - ALBERTO

14 TÉCNICA DE APLICAÇÃO DO PASSE 11.1 – RESUMO HISTÓRICO Olhar. Toque. À distância. Sombra de Pedro. Terra + saliva. Imposição de mãos. Magnetização por passes (passagem de mãos). (...) dom que possuem certas pessoas de curar pelo simples toque, pelo olhar, mesmo por um gesto, sem o concurso de qualquer medicação. (LM – item 175)

15 TÉCNICA DE APLICAÇÃO DO PASSE CONDIÇÕES ESSENCIAIS Influência moral do médium (vivência evangélica). Exteriorização do amor. Ligação com a Espiritualidade (técnica de magnetização). Confiança e calma. Qualquer que fosse o procedimento exterior de Jesus, Ele obteria os resultados que obteve. REP = A x T 60 = 60 x 1 (Jesus) 60 = 10 x 6 (Apóstolos)

16 TÉCNICA DE APLICAÇÃO DO PASSE FATORES PREJUDICIAIS Chegar atrasado. Desatento à palestra. Cochilar. Orações mecânicas (na sala de passe). Pensamento disperso. Conversações negativas. Pensamento de crítica.

17 TÉCNICA DE APLICAÇÃO DO PASSE BASE DOUTRINÁRIA Kardec não se aprofundou na técnica do passe. (...) o assunto exigiria desenvolvimento excessivo para os limites em que precisamos ater-nos. (LM – item 175) André Luiz / Chico Xavier. Manoel Philomeno de Miranda / Divaldo Franco. Raul Teixeira. Jacob Melo.

18 TÉCNICA DE APLICAÇÃO DO PASSE 11.4 a TÉCNICAS DO PASSE O essencial. Passe longitudinal (dispersão, doação e harmonização). Passe circular ou rotatório. Passe por simples imposição de mãos. Crianças, gestantes, idosos. O procedimento no CEIR.

19 TÉCNICA DE APLICAÇÃO DO PASSE ÁGUA FLUIDIFICADA (...) mudança das propriedades da água, por obra da vontade. O Espírito atuante é o do magnetizador, quase sempre assistido por outro Espírito. (LM – item 131) Apenas imposição. Uso geral e particular (garrafas). Aberto / fechado. Material. O procedimento no CEIR.

20 TÉCNICA DE APLICAÇÃO DO PASSE AUTOPASSE A prece é sempre um passe. Leitura edificante. Música PASSE À DISTÂNCIA Irradiação. Sintonia. Papeizinhos.

21 BLOCO 4 - VERA

22 12.0 – MECANISMO DO PASSE 12.1 – A MENTE COMANDA O ORGANISMO 12.2 – MAGNETIZAÇÃO DA ESTRUTURA FISIOPSÍQUICA 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS – O PASSISTA – O PACIENTE

23 12.1 – A MENTE COMANDA O ORGANISMO A mente governa os bilhões de células que compõem o corpo. Da mente partem forças favoráveis ou desfavoráveis ao equilíbrio orgânico. O pensamento é a voz do Espírito.

24 12.2 – MAGNETIZAÇÃO DA ESTRUTURA FISIOPSÍQUICA O passe: transfusão de energias psíquicas e espirituais. FLUIDO VITAL espírito perispírito corpo físico. Transmissão de fluido: resultado da vontade de 3 agentes.

25 12.2 – MAGNETIZAÇÃO DA ESTRUTURA FISIOPSÍQUICA Transmissão de fluido: resultado da vontade de 3 agentes.

26 12.2 – MAGNETIZAÇÃO DA ESTRUTURA FISIOPSÍQUICA O passe: transfusão de energias psíquicas e espirituais. FLUIDO VITAL espírito perispírito corpo físico. Transmissão de fluido: resultado da vontade de 3 agentes. A ligação perispiritual.

27 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS A que se devem as diferenças de resultados?

28 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS A que se devem as diferenças de resultados? Deveres do médium passista: Ligação com a Espiritualidade.

29 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS Ligação com a Espiritualidade.

30 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS A que se devem as diferenças de resultados? Deveres do médium passista: Ligação com a Espiritualidade. Inalterável confiança nos Benfeitores, em Jesus e em Deus. Conduta compatível com a fé que possui. Serenidade íntima e passividade Divina. O despreparo do paciente.

31 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS O despreparo do paciente.

32 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS O despreparo do paciente.

33 12.3 – DIFERENÇA DE RESULTADOS A que se devem as diferenças de resultados? Deveres do médium passista: Ligação com a Espiritualidade. Inalterável confiança nos Benfeitores, em Jesus e em Deus. Conduta compatível com a fé que possui. Serenidade íntima e passividade Divina. O despreparo do paciente.

34 BLOCO 5 - WÂNIA

35 13.0 – SERVIÇO DO PASSE 13.1 – HARMONIZAÇÃO DO GRUPO A fluidoterapia na seara espírita é uma atividade mediúnica. Fidelidade aos princípios doutrinários. Harmonização de pensamento e sentimento. Uma reunião é um ser coletivo. Qualquer crítica enfraquece.

36 13.0 – SERVIÇO DO PASSE 13.2 e 13.3 – ASSIDUIDADE E PONTUALIDADE Regras do Regimento Interno do CEIR: Comunicar falta com antecedência. 3 faltas seguidas readaptação. Chegar antes da prece (exceções). Comparecer as reciclagens.

37 13.0 – SERVIÇO DO PASSE 13.4 – RUÍDOS PERTURBADORES Durante a concentração, entramos em leve estado de transe. Não orar sussurrando, mas em silêncio. Evitar adornos que possam produzir ruídos. Evitar estalar de dedos, respirar ofegantemente, resfolegar, fungar, gemer, etc. Não se desestabilizar com os ruídos produzidos pelos que estão sendo assistidos.

38 13.0 – SERVIÇO DO PASSE 13.6 – MEDIUNIZAÇÃO NO MÉDIUM E aconselhável que o médium passista esteja lúcido. Para poder atuar como agente ativo em relação ao paciente. Na mediunização ocorre gasto de energia. Os Benfeitores para transmitirem suas energias, não necessitam mediunizar.

39 13.0 – SERVIÇO DO PASSE 13.7 – PASSE A DOMICÍLIO Só se justifica o atendimento à solicitação de passe a domicílio no caso de emergência ou de incapacidade de se locomover à casa espírita. A diferença da psicosfera da Casa Espírita e de uma residência. Aplicar o passe da mesma forma que é realizado no CEIR. Passe somente no enfermo. Procedimento do CEIR.

40 13.0 – SERVIÇO DO PASSE 13.8 – MEDIUNIZAÇÃO NO PACIENTE É uma ocorrência desagradável, por vários motivos, sobretudo por assustar muitos dos circunstantes.... Dar passes de olhos semi-abertos. Pedir carinhosamente ao paciente que abra os olhos, desconcentre. Dar ao passe a modalidade dispersiva. Manter-se em prece. Deve ser evitado o esclarecimento.

41 13.0 – SERVIÇO DO PASSE – LOCAL PARA APLICAÇÃO DO PASSE...um lugar consagrado às reuniões é preferível. (Livro dos Médiuns) Facilita o recolhimento (luminosidade). Os fluidos ali impregnados são utilizados pelos Espíritos. Os mentores espirituais instalam diferentes aparelhagens fluídicas. No CEIR.

42 13.0 – SERVIÇO DO PASSE – O PASSE NAS REUNIÕES MEDIÚNICAS O passe tem um papel relevante nas reuniões mediúnicas. Deve ser aplicado no momento próprio: Espíritos em alta dose de sofrimento e aflição. Lesões perispirituais. Facilitar a incorporação do médium. Atender médium psicofônico em estado de exaustão. Orientações específicas no CEIR.

43 13.0 – SERVIÇO DO PASSE – INSTRUÇÕES FINAIS O êxito do passe reclama do servidor: Experiência e estudo constante. Assiduidade e pontualidade (compromisso). Responsabilidade com a reforma íntima. A faculdade desenvolve-se mediante exercício.

44 BLOCO 6 – PERGUNTAS


Carregar ppt "TREINAMENTO PARA FORMAÇÃO E RECICLAGEM DE APLICADORES DE PASSE 21 de Novembro de 2010 (domingo) Das 8:30 às 12:30 horas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google