A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BOAS-VINDAS E APRESENTAÇÃO - REVISÃO MÓDULO 4 APRESENTAÇÕES Quem sou eu? Meu nome... ¶ Meu nome... · Origem... ¸ Relacionamento com o MINISTÉRIO EM CÉLULAS...

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BOAS-VINDAS E APRESENTAÇÃO - REVISÃO MÓDULO 4 APRESENTAÇÕES Quem sou eu? Meu nome... ¶ Meu nome... · Origem... ¸ Relacionamento com o MINISTÉRIO EM CÉLULAS..."— Transcrição da apresentação:

1

2 BOAS-VINDAS E APRESENTAÇÃO - REVISÃO MÓDULO 4

3 APRESENTAÇÕES Quem sou eu? Meu nome... ¶ Meu nome... · Origem... ¸ Relacionamento com o MINISTÉRIO EM CÉLULAS... Meu nome... ¶ Meu nome... · Origem... ¸ Relacionamento com o MINISTÉRIO EM CÉLULAS...

4 APRESENTAÇÕES Quem é você? ¶ Seu Nome e local da sua igreja · Quais são as suas expectativas ao participar do Módulo 4? ¸ Em que fase você está na transição? ¶ Seu Nome e local da sua igreja · Quais são as suas expectativas ao participar do Módulo 4? ¸ Em que fase você está na transição?

5 O Objetivo do Módulo Edificar a sua fé e clarear a sua visão.Edificar a sua fé e clarear a sua visão. Facilitar a sua compreensão dos valores e estrutura do ministério em células.Facilitar a sua compreensão dos valores e estrutura do ministério em células. Fornecer ferramentas práticas e suporte para o seu ministério.Fornecer ferramentas práticas e suporte para o seu ministério. Edificar a sua fé e clarear a sua visão.Edificar a sua fé e clarear a sua visão. Facilitar a sua compreensão dos valores e estrutura do ministério em células.Facilitar a sua compreensão dos valores e estrutura do ministério em células. Fornecer ferramentas práticas e suporte para o seu ministério.Fornecer ferramentas práticas e suporte para o seu ministério.

6 4 Módulos sucessivos Um: Implementando células na sua igrejaUm: Implementando células na sua igreja Dois: Treinando cada membro para o ministérioDois: Treinando cada membro para o ministério Três: Como penetrar na sua comunidade por meio das célulasTrês: Como penetrar na sua comunidade por meio das células Quatro: Liderança para a expansão do ministérioQuatro: Liderança para a expansão do ministério Um: Implementando células na sua igrejaUm: Implementando células na sua igreja Dois: Treinando cada membro para o ministérioDois: Treinando cada membro para o ministério Três: Como penetrar na sua comunidade por meio das célulasTrês: Como penetrar na sua comunidade por meio das células Quatro: Liderança para a expansão do ministérioQuatro: Liderança para a expansão do ministério

7 Revisão – Módulo 1 A igreja de duas asasA igreja de duas asas Estrutura de uma igreja em célulasEstrutura de uma igreja em células O que é uma igreja em célulasO que é uma igreja em células O DNA da célulaO DNA da célula Planejamento estratégicoPlanejamento estratégico

8 UMA IGREJA DE DUAS ASAS Grupo pequeno & Grupo grande Atacado Varejo

9 Pastor de Congregação (geral) L L L L S L L L L L L L L L L L L L L L L L L L L L SSSS

10 NÃO é: Uma negação à necessidade de PROGRAMAS

11 A Igreja em Células é : Uma estratégia para um programa voltado para pessoas e para a comunidade

12 NÃO é: Uma ausência de departamentos

13 A Igreja em células é: Uma estrutura com departamentos que dão apoio ao sistema de células

14 NÃO é: Apenas grupos pequenos

15 A Igreja em células é: Um sistema de células, Congregações & Celebração

16 NÃO é: Um grupo de igrejas independentes nas casas

17 A Igreja em Células é: Um movimento orientado pela visão de pessoas vivendo em Comunidades cristãs de base

18 Princípios & Força da Igreja em células

19 I.Mudança de valores ocorrem nas células.

20 II.O discipulado acontece no contexto da vida do Corpo.

21 III. A Igreja em células permite uma mobilização total de cada membro.

22 IV.A Igreja em células evangeliza por meio de : Vida do Corpo Vida do Corpo Relacionamentos Relacionamentos IV.A Igreja em células evangeliza por meio de : Vida do Corpo Vida do Corpo Relacionamentos Relacionamentos

23 CINCO SISTEMAS DA CÉLULA ComunidadeEvangelismoTreinamento Prestação de Contas Liderança

24 O DNA DA CÉLULA

25 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULAFUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA

26 CRISTOADORAÇÃOCRISTO COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA

27 CRISTOADORAÇÃOCRISTO COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA Cristo já possibilitou a perfeita comunidade: Pai Pai Filho Filho Espírito. Espírito.

28 CRISTOADORAÇÃOCRISTO COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA Nós não construí- mos comunidade. Nós ENTRAMOS na comunidade por meio da cruz: A morte de Cristo A nossa própria morte! Cristo já possibilitou a perfeita comunidade: Pai Pai Filho Filho Espírito. Espírito.

29 CRISTOADORAÇÃOCRISTO COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA

30 CRISTOADORAÇÃOCRISTO COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA O r a ç ã o OraçãoOração

31 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA CRISTOADORAÇÃOCRISTO O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons

32 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA CRISTOADORAÇÃOCRISTO O r a ç ã o OraçãoOração D o n s Dons Palavra Palavr a Dons D o n s

33 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA CRISTOADORAÇÃOCRISTO O r a ç ã o OraçãoOração D o n s Dons Palavr a Palavra Dons D o n s

34 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA CRISTOADORAÇÃOCRISTO Santificação O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons Palavra Palavr a Palavra

35 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA Evangelismo CRISTOADORAÇÃOCRISTO Santificação O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons Palavra Palavr a Palavra

36 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO Edificação DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA Evangelismo CRISTOADORAÇÃOCRISTO Santificação O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons Palavra Palavr a Palavra

37 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO Edificação Discipulado DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA Evangelismo CRISTOADORAÇÃOCRISTO Santificação O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons Palavra Palavr a Palavra

38 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO Edificação Discipulado DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA Evangelismo CRISTOADORAÇÃOCRISTO Comunhão Santificação O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons Palavr a Palavra

39 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO Edificação Discipulado Estudo Bíblico DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA Evangelismo CRISTOADORAÇÃOCRISTO Comunhão Santificação O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons Palavra Palavr a

40 COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO Batalha Edificação Discipulado Estudo Bíblico DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA Evangelismo CRISTOADORAÇÃOCRISTO Comunhão Santificação O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons Palavra Palavr a Palavra Palavra

41 O r a ç ã o OraçãoOração D o n s DonsDons COMUNIDADE HOLÍSTICA DE CRISTO Batalha Ministério Edificação Discipulado Estudo Bíblico Comunhão DNA DA CÉLULA FUNÇÕES DA CÉLULA SISTEMA DE FORÇA DA CÉLULA D o n s Evangelismo CRISTOADORAÇÃOCRISTO Santificação Palavra Palavr a Palavra

42 Revisão – Módulo 2 Sistema de treinamentoSistema de treinamento CalendárioCalendário Finais de semanaFinais de semana Treinamento do líderTreinamento do líder CriançasCrianças Planejamento estratégico – Story BoardingPlanejamento estratégico – Story Boarding

43 Imaturidade Maturidade Liderança

44 Sem um sistema de treinamento = Problemas nas células Escassez de líderes +

45 ADICIONEADAPTECORTE FAZENDO A REENGENHARIA DAS POSSIBILIDADES EM UMA TRANSIÇÃO

46 Cinco eventos de treinamento Formação espiritualFormação espiritual Final de semana de vida vitoriosaFinal de semana de vida vitoriosa Treinamento do discipuladorTreinamento do discipulador Tocando corações (João 3.16)Tocando corações (João 3.16) Final de semana do Grupo de amizade e interesseFinal de semana do Grupo de amizade e interesse

47 Normalmente temos 20% de pessoas que estão vibrando na igreja. Normalmente gastamos 80% do nosso tempo com os 80% que não estão vibrando Nos preocupamos com os que estão mais doentes, deixando os que podem se cuidar sozinhos PRINCÍPIO DO 20/80

48 COMPARE O MÉTODO DE JESUS COM O SEU PRÓPRIO: Qual % de tempo do seu ministério você gasta em relacionamentos intensos com a liderança que treinam outros para o ministério? O que o exemplo de Jesus tem falado a sua vida agora? Quais são os próximos passos para você aplicar essas verdades? Qual % de tempo do seu ministério você gasta em relacionamentos intensos com a liderança que treinam outros para o ministério? O que o exemplo de Jesus tem falado a sua vida agora? Quais são os próximos passos para você aplicar essas verdades?

49 Você vai falhar exatamente no ponto onde você falhar no treinamento apropriado e adequado!

50 UM SISTEMA INTEGRADO DE TREINAMENTO DO LÍDER DE CÉLULA: Um final de semana introdutório para auxiliares e cônjuges em potencial. Um curso intensivo de 8 encontros dirigido pela equipe pastoral. Um parceiro de prestação de contas. Tarefas práticas nas células. Apresentação no culto de celebração. Um final de semana introdutório para auxiliares e cônjuges em potencial. Um curso intensivo de 8 encontros dirigido pela equipe pastoral. Um parceiro de prestação de contas. Tarefas práticas nas células. Apresentação no culto de celebração.

51 AS CRIANÇAS SÃO AMPLAMENTE ENVOLVIDAS NA VISÃO DE UMA IGREJA EM CÉLULAS! PRESENTE E FUTURO!

52 Funcionamento em três pilares As crianças têm um material dinâmico com tema único para todas as faixas etárias e são reunidas por idade para a orientação da palavra. Esta orientação é feita por meio do conhecimento, da prática e da expressão dos sentimentos. Esporadicamente a celebração infantil poderá ser realizada em duas faixas etárias (3 a 6 anos e 7 a 12 anos) com teatro, dinâmicas, louvor etc. PILARESONDECOMO IGREJA CELEBRAÇÃO Igreja QUEM Professores e pais

53 Funcionamento em três pilares Para esse momento o material infantil propõe um encontro dinâmico entre pais e filhos, no qual, como família, existirá a oportunidade de expressões espontâneas, confissões, acertos, perdão, dúvidas, questionamen- tos, aconselhamento, amor... Para as crianças de 7 a 12 anos existe o material de apoio em forma de devocionais, visando a prática do princípio no dia a dia. PILARESONDECOMO PAIS/LAR MOMENTO FAMILIAR Lar QUEM Pais DEVOCIONAIS Lar

54 Funcionamento em três pilares A célula propõe os mesmos objetivos dos adultos e funcionam por meio de rodízios entre pais como facilitadores para as crianças. O assunto trabalhado será a verificação do princípio orientado na celebração. PILARESONDECOMO CÉLULA CÉLULA FAMILIAR Casas QUEM Líder de células e Pais

55 Revisão – Módulo 3 EvangelismoEvangelismo Células de jovens e adolescentesCélulas de jovens e adolescentes Sistema administrativoSistema administrativo Coordenando celebração e célulasCoordenando celebração e células Planejamento estratégicoPlanejamento estratégico

56 Mudando os paradigmas do evangelismo Mudar os paradigmas pode tornar possível o impossível! Falhas no passado muitas vezes acontece-ram em virtude de falsos paradigmas! As perguntas que acabamos de usar podem ser valiosas na remodelagem dos paradig-mas dos membros da sua igreja! Quase todos os cristãos sentem-se bem a respeito da maneira pela qual foram evangelizados! Mudar os paradigmas pode tornar possível o impossível! Falhas no passado muitas vezes acontece-ram em virtude de falsos paradigmas! As perguntas que acabamos de usar podem ser valiosas na remodelagem dos paradig-mas dos membros da sua igreja! Quase todos os cristãos sentem-se bem a respeito da maneira pela qual foram evangelizados!

57 Realidades e Mitos do Evangelismo Mitos Realidades Implicações Mitos Realidades Implicações

58 Questão n o 1 Mito: Evangelismo significa alcançar estranhos. Realidade: A maioria das pessoas é alcançada por amigos. Implicação: Os membros das células vão focalizar seu amor e suas orações nas pessoas mais próximas a eles. Mito: Evangelismo significa alcançar estranhos. Realidade: A maioria das pessoas é alcançada por amigos. Implicação: Os membros das células vão focalizar seu amor e suas orações nas pessoas mais próximas a eles.

59 Questão n o 2 Mito: A maioria das pessoas é alcançada por pregadores profis- sionais. Realidade: A maioria das pessoas é alcançada por cristãos comuns. Implicação: Iremos treinar cada pessoa a compartilhar Jesus com palavras e ações. Mito: A maioria das pessoas é alcançada por pregadores profis- sionais. Realidade: A maioria das pessoas é alcançada por cristãos comuns. Implicação: Iremos treinar cada pessoa a compartilhar Jesus com palavras e ações.

60 Questão n o 3 Mito: A conversão normalmente é instantânea. Realidade: A conversão geralmente é um processo. Implicação: Iremos oferecer muitas oportunidades para pessoas ouvirem o evangelho. Mito: A conversão normalmente é instantânea. Realidade: A conversão geralmente é um processo. Implicação: Iremos oferecer muitas oportunidades para pessoas ouvirem o evangelho.

61 Questão n o 4 Mito: Evangelismo significa apenas dizer as palavras corretas. Realidade: As pessoas são ganhas para Jesus por meio de amor prático e palavras. Implicação: Iremos encorajar os membros das células a olharem para as necessidades das pessoas e expressarem o amor de Cristo com ações e palavras. Mito: Evangelismo significa apenas dizer as palavras corretas. Realidade: As pessoas são ganhas para Jesus por meio de amor prático e palavras. Implicação: Iremos encorajar os membros das células a olharem para as necessidades das pessoas e expressarem o amor de Cristo com ações e palavras.

62 Questão n o 5 Mito: As pessoas são levadas a Jesus por meio da influência de apenas uma pessoa. Realidade: Quanto mais cristãos um incrédulo conhecer, mais facilmente ele virá a Jesus. Implicação: Iremos apresentar os incrédulos a tantos cristãos quanto for possível. Mito: As pessoas são levadas a Jesus por meio da influência de apenas uma pessoa. Realidade: Quanto mais cristãos um incrédulo conhecer, mais facilmente ele virá a Jesus. Implicação: Iremos apresentar os incrédulos a tantos cristãos quanto for possível.

63 Conclusões Bíblicas Semeadura e colheita Pescaria Semeadura e colheita Pescaria

64 Visão de trabalho com jovens e adolescentes Congregação específicaCongregação específica Visão de trabalho dividida em três partes:Visão de trabalho dividida em três partes: –Treinamento –Relacionamentos –Eventos

65 1. TREINAMENTO Constante treinamento – ênfase da igreja em células Treinamento – preparo dos líderes –Municiamento dos membros –Capacitação para cumprir a visão

66 2. RELACIONAMENTOS Grande chave para o trabalho com jovens Sentir-se amado e como parte do mundo Igrejas em células exalam o amor, especialmente pelos valores

67 3. EVENTOS Conseqüência das demais e não a base do trabalho com jovens e adolescentes Eventos sem treinamento e relacionamentos são trabalho dobrado Pessoas e não eventos são a prioridade

68 Administração: Relatórios são a chave Os relatórios de células respondem às perguntas necessárias sem uma entrevista pessoal com cada líder. Os relatórios informam como está a fidelidade dos líderes e dos membros. Os relatórios são valiosos na determinação dos próximos passos de cada célula.

69 Elementos de um bom sistema de relatórios Uma base de dados que possa administrar as múltiplas ligações entre as informações.Uma base de dados que possa administrar as múltiplas ligações entre as informações. Uma maneira simples de verificar o crescimento de suas células, a estrutura, a liderança e o evangelismo.Uma maneira simples de verificar o crescimento de suas células, a estrutura, a liderança e o evangelismo. Apresentações fáceis de serem compreendidas: tabelas e gráficos.Apresentações fáceis de serem compreendidas: tabelas e gráficos. Facilidade de acompanhar as famílias, os níveis de treinamento e os relacionamentos de oikos.Facilidade de acompanhar as famílias, os níveis de treinamento e os relacionamentos de oikos.

70 A igreja de duas asas Uma igreja em células dinâmica tem duas asas –O grupo grande expressa a grandeza de Deus. –O grupo pequeno expressa a proximidade de Deus. As duas asas trabalham em harmonia. Há inter-relação e interdependência entre a celebração e as células. Os sermões e os encontros das células são parte vital da inter-relação.

71 Usando um mesmo tema no sermão e na edificação na célula Usando um mesmo tema no sermão e na edificação na célula Visão geral O impacto de combinar um só tema no sermão e no encontro da célulaO impacto de combinar um só tema no sermão e no encontro da célula Formação de um sistema para o preparo de bons temas e roteiros de edificação para as célulasFormação de um sistema para o preparo de bons temas e roteiros de edificação para as células Como redigir roteiros de célula dinâmicosComo redigir roteiros de célula dinâmicos

72 Módulo 4 – O que vamos ver? SupervisoresSupervisores Pastores de congregaçãoPastores de congregação AdoraçãoAdoração Aprimorando a estratégia para a colheitaAprimorando a estratégia para a colheita Planejamento estratégicoPlanejamento estratégico

73 Para conversar Quais foram pontos marcantes na sua vida durante os módulos?Quais foram pontos marcantes na sua vida durante os módulos? O que mudou na sua vida desde o primeiro módulo?O que mudou na sua vida desde o primeiro módulo? Quais são os seus sonhos?Quais são os seus sonhos?


Carregar ppt "BOAS-VINDAS E APRESENTAÇÃO - REVISÃO MÓDULO 4 APRESENTAÇÕES Quem sou eu? Meu nome... ¶ Meu nome... · Origem... ¸ Relacionamento com o MINISTÉRIO EM CÉLULAS..."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google