A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EPISTEMOLOGIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Grupo de Estudos: Desenvolvimento Sustentável em João Surá Universidade Federal do Paraná – Soylocoporti –

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EPISTEMOLOGIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Grupo de Estudos: Desenvolvimento Sustentável em João Surá Universidade Federal do Paraná – Soylocoporti –"— Transcrição da apresentação:

1 EPISTEMOLOGIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Grupo de Estudos: Desenvolvimento Sustentável em João Surá Universidade Federal do Paraná – Soylocoporti – Gov. do Estado do PR Diego Canhada Mestrando em Administração – UFPR Linha de Pesquisa: Estratégia e Análise Organizacional

2 ALGUMAS OBSERVAÇÕES INICIAIS - O CONHECIMENTO É UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA E INTERATIVA - QUALQUER DÚVIDA, CRÍTICA OU QUESTIONAMENTO É BEM VINDO: TODO COMENTÁRIO SERÁ CONSIDERADO - PELAS LIMITAÇÕES DE TEMPO, IREMOS DAR UM SOBREVÔO NO ASSUNTO, MAS PODEMOS APROFUNDAR QUALQUER UM DOS TEMAS AQUI TRATADOS - PEÇO QUE ANOTEM QUALQUER DÚVIDA, POIS AO FIM IREMOS ABRIR A DISCUSSÃO - ALGUNS ASSUNTOS, ESPECIALMENTE PELA SUA DENSIDADE, NÃO SÃO APROPRIADOS NO MOMENTO.

3 ALGUMAS OBSERVAÇÕES INICIAIS - MUITOS INSIGHTS ACONTECEM APÓS UM DETERMINADO TEMPO, ENTÃO NÃO SE PREOCUPEM SE ALGO NÃO FICOU CLARO - ESTAREI SEMPRE À DISPOSIÇÃO PARA DISCUTIR E TENTAR ESCLARECER DÚVIDAS DURANTE A EXISTÊNCIA DO GRUPO - NÃO COLOQUEI REFERÊNCIAS NA APRESENTAÇÃO, POIS ISSO É FRUTO DA APRENDIZAGEM OBTIDA EM DISCUSSÕES, AULAS, LIVROS E REPRESENTA UMA POSIÇÃO PESSOAL ABERTA À DISCUSSÃO. NO ENTANTO, POSSO INDICAR MATERIAL SOBRE OS TEMAS AQUI TRATADOS: TEXTOS, LIVROS, FILMES, ETC...

4 MAX WEBER ( ) E A RACIONALIZAÇÃO DA SOCIEDADE - DESCARTES ( ): PENSO, LOGO EXISTO - A REVOLUÇÃO FRANCESA (1798) E O NASCIMENTO DA SOCIEDADE MODERNA - DAS SOCIEDADES TRADICIONAIS PARA SOCIEDADES MODERNAS: A CULTURA - DOMINAÇÃO: CARISMÁTICA, TRADICIONAL, RACIONAL-LEGAL - BUROCRATIZAÇÃO: O PREDOMÍNIO DA AUTORIDADE RACIONAL-LEGAL - A RAZÃO COMO FORMA DE EXPLICAÇÃO, INTERPRETAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO MUNDO - O DECLÍNIO DAS INTERPRETAÇÕES MÁGICAS E MÍSTICAS DA REALIDADE - A LEGITIMIDADE SOCIAL DA CIÊNCIA: FUNDAMENTADA NA RAZÃO

5 O QUE É EPISTEMOLOGIA? - Disciplina da Filosofia que discute como se constrói o conhecimento em geral e o conhecimento científico em específico; - Geralmente conhecida como: Filosofia da Ciência, Teoria do Conhecimento, Ciência do Conhecimento ou Ciência da Ciência; - Poderíamos falar em Epistemologia da Química, Biologia, Física, mas aqui nosso foco é na Epistemologia das Ciências Sociais e Humanas (Sociologia, Antropologia, Psicologia, Economia, Ciência Política, Estudos Organizacionais, Administração, etc);

6 O QUE É EPISTEMOLOGIA? - Constituída por correntes de pensamento, cada uma com seus principais pressupostos de como se constrói o conhecimento, a ciência, seu papel na sociedade, etc.; - Um trabalho científico necessita ter coerência entre epistemologia, teoria e metodologia para ter validade; - No limite, cada autor possui sua própria epistemologia, mas por questões didáticas e de acordo com a literatura, vamos apresentar cada uma das principais correntes, bem como abordagens de difíceis classificação; - Nas teorias sociais contemporâneas, há uma busca cada vez maior por romper os limites que separam as diferentes correntes epistemológicas; - Epistemologia: método de pensamento e ação; o caminho para a interdisciplinaridade; a eterna discussão idealismo-realismo

7 POSITIVISMO (NATURALISMO) - Augusto Comte ( ) e a física social: surge a sociologia como contraponto a literatura e filosofia - A reforma intelectual do homem para o progresso da sociedade - Os 3 estados da sociedade e do homem: teológico (imaginação), metafísico (argumentação) e positivo (observação) - ver para prever - A abordagem neopositivista da ciência e o Círculo de Viena nas décadas de 20 e 30: Carnap e Schlick - Wittgenstein (primeira fase) e a representação do mundo através da linguagem;

8 POSITIVISMO (NATURALISMO) - Ciência para o positivismo: única forma de conhecimento válido; - Conhecimento: objetivo, metódico, desinteressado, crítico (falsificável), progressivo, preciso; racional. - Combina raciocínio lógico-matemático com experiência sensorial; - Explica e prediz; - Valoriza aspectos quantitativos e mensuráveis - Saber necessário para aperfeiçoamento da vida do homem; - Relações causa e efeito; - Alguns exemplos: Behaviorismo na psicologia; Estudos em marketing, tecnologia e RH na Administração; Fundamenta o Direito; Ocupa posição dominante nas ciências sociais; Bandeira do Brasil: ideologia positivista

9 FUNCIONALISMO - Derivado do positivismo e costuma utilizar de seus métodos e pressupostos - Émile Durkheim ( ) prepara o terreno e fortalece a sociologia: o estudo das instituições sociais - Fatos sociais: gerais, exteriores e coercitivos; não buscar causas psicológicas (o suicídio) - Socialização: o acesso à consciência coletiva - Analogia com a biologia: funções, papéis e integração - Malinowski e Brown: o funcionalismo na antropologia - Neutralidade, visão sistêmica e equilíbrio

10 FUNCIONALISMO - O domínio do funcionalismo na sociologia norte-americana: o estrutural- funcionalismo de Talcott Parsons - A distorção do pensamento weberiano - Críticas: o tratamento do conflito - Exemplos de visão funcionalista: Novelas da Rede Globo; a maior parte dos estudos organizacionais; a visão da adaptação, integração e equilíbrio; olhar qualquer entidade (indivíduo, organização, instituição) em função do papel que ocupa; - O neofuncionalismo de Niklas Luhmman na Alemanha - Posição dominante e aliada do positivismo, embora também se aproprie de perspectivas interpretativas e metodologias qualitativas

11 ESTRUTURALISMO - Nasce na linguística com o trabalho de Saussure ( ), cresce com o trabalho do antropólogo Levi-Strauss ( ) e se dissemina na filosofia e ciências sociais: há muitos estruturalismos - Grande objeto de estudo: a linguagem; - Busca desvendar as estruturas que determinam/condicionam/influenciam o comportamento humano; - Características da estrutura: inconsciente, subjacente, não aparente, invariante, padronização de relações - Pressupõe objetividade e neutralidade - Indivíduo é secundário - Produto da ciência estruturalista: descrição, análise e relações - História tem importância secundária: exemplo da música, frases e letras

12 OS DERIVADOS DO ESTRUTURALISMO - O estrutural-construcionismo na sociologia de Pierre Bourdieu: campo, habitus e capital simbólico - O pós-estruturalismo na filosofia: Michel Foucault, Gilles Deleuze, Felix Guattari e Jacques Derrida - Os estudos sobre linguagem pós-estruturalistas - Uma tradição de pensamento que se misturou a inúmeras correntes e disciplinas - Exemplo: análise de redes

13 FENOMENOLOGIA - O LEGADO INTELECTUAL DE KANT ( ) E HEGEL (1770 – 1831) - O CONTRAPONTO À PERSPECTIVA POSITIVISTA - EDMUND HUSSERL ( ) E O NASCIMENTO DA FENOMENOLOGIA: O VERDADEIRO CONHECIMENTO SE DÁ NA CONSCIÊNCIA HUMANA - CONSCIÊNCIA É SEMPRE CONSCIÊNCIA DE ALGO - A SUSPENSÃO FENOMENOLÓGICA: EPHOKÉ - BUSCA A ESSÊNCIA DO FENÔMENO: AQUILO QUE FICA - É UM MÉTODO DE PENSAMENTO QUE MARCA O NASCIMENTO DA FILOSOFIA MODERNA - NÃO NASCEU COMO MÉTODO CIENTÍFICO, E SIM FILOSÓFICO

14 OS DERIVADOS DA FENOMENOLOGIA - NA FILOSOFIA: EXISTENCIALISMO DE JEAN-PAUL SARTRE, A OBRA DE MARTIN HEIDDEGER E TAMBÉM A PSICOSSOCIOLOGIA DE MAURICE MERLEAU-PONTY - NA NEUROLOGIA: A NEUROFENOMENOLOGIA - NA ANTROPOLOGIA: O INTERPRETATIVISMO DE CLIFFORD GEERTZ - NA SOCIOLOGIA DO CONHECIMENTO: BERGER E LUCKMANN E A CONSTRUÇÃO SOCIAL DA REALIDADE - NAS CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS, MARCA UMA SÉRIE DE TRADIÇÕES DE PENSAMENTO QUE VALORIZAM A SUBJETIVIDADE E A INTERPRETAÇÃO HUMANA NA CONSTRUÇÃO DA REALIDADE SOCIAL: ETNOMETODOLOGIA DE HAROLD GARFINKEL, A DRAMATUURGIA SOCIAL DE ERVNG GOFFMANN, A SOCIOLOGIA DE ALFRED SCHUTZ, O INTERACIONISMO SIMBÓLICO DE MEAD, ETC... - ATRAVÉS DO EXISTENCIALISMO DE SARTRE E DE OUTRAS CORRENTES INFLUENCIADAS PELA FENOMENOLOGIA, SURGE UMA VASTA PRODUÇÃO LITERÁRIA - A FENOMENOLOGIA TALVEZ SEJA A CORRENTE QUE MELHOR DESCREVA A EXPERIÊNCIA HUMANA

15 MATERIALISMO HISTÓRICO E DIALÉTICO - A trajetória intelectual de Karl Marx (1818 – 1883): da filosofia à política - O trabalho como elemento central na reprodução social: uma sociedade de classes - A desigualdade dos elementos capital e trabalho: infra-estrutura produtiva (modo de produção) e superestrutura jurídica-política-ideológica (instituições sociais) - O metódo dialético: movimento, contradição, mudança - A unidade dos contrários constitui uma totalidade - Busca a essência e suas relações com a aparência - Transformações quantitativas e qualitativas - O real concreto e o real pensado

16 MATERIALISMO HISTÓRICO E DIALÉTICO - Consciência: produto social e ao mesmo tempo fator independente de mudança - A práxis: totalidade constituída pela teoria e prática - Elementos centrais no pensamento de Marx: práxis, classes, revolução e multíplas determinações - Gerou inúmeros derivados e anomalias: misturas com outras epistemologias, abandono de pressupostos fundamentais, desconhecimentos, preconceitos, militância política, equívocos históricos e resistência de oprimidos - A Teoria Crítica e a Escola de Frankfurt: fazer emergir as contradições do sistema capitalista

17 CORRENTES DE DIFÍCIL ENQUADRAMENTO - Psicanálise de Freud e seus derivados - Pragmatismo e Neopragmatismo - Abordagem Holística: Capra, Morin e os neoecologistas - Ludwig Wittgenstein e a Filosofia da Linguagem - O Pós-Modernismo: das artes para teoria social e os cuidados com o pensamento vulgar - Anthony Giddens e a Teoria da Estruturação - Teorias Críticas não marxistas

18 OBSERVAÇÕES FINAIS E CONSIDERAÇÕES PESSOAIS - Todas epistemologias têm seu valor e possuem sua complexidade: não acredito na superioridade de nenhuma delas - Se há necessidade de coerência para fazer trabalhos científicos e percebemos o predomínio de seus pressupostos mesmo na ação social e política, isso não descarta as contribuições de todas formas de pensamento - A realidade é muito mais complexa do que qualquer teoria

19 CONSIDERAÇÕES PESSOAIS - Entre o sujeito e o objeto há um filtro: ele se chama interpretação - Ninguém é obrigado e nem deve ser a enxergar o mundo da mesma forma. - O poder de transformar as estruturas é uma capacidade coletiva, não individual - Não há uma superioridade da teoria sobre a prática e nem vice-versa: são mutuamente constitutivas - As relações de poder constróem e legitimam as verdades no mundo - O sentido para a existência individual deve ser construído pelo sujeito, porque do contrário, alguém vai lhe proporcionar esse sentido: partidos, grupos, religiões, família, etc... - Não há superioridade entre as disciplinas, saberes, artes, ciências e filosofia: todas criam - A linguagem humana é nosso maior instrumento - Vivemos e agimos em organizações humanas, cabe a nós entendê-las - Rótulos são sempre reduções, nossa concepção deveria ser lutar pela vida!


Carregar ppt "EPISTEMOLOGIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Grupo de Estudos: Desenvolvimento Sustentável em João Surá Universidade Federal do Paraná – Soylocoporti –"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google