A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO AO CLIENTE NO RESULTADO DO EXAME.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO AO CLIENTE NO RESULTADO DO EXAME."— Transcrição da apresentação:

1 IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO AO CLIENTE NO RESULTADO DO EXAME

2 PRINCÍPIOS DA ORIENTAÇÃO Pedido médico Pedido médico Interesse do cliente Interesse do cliente

3 PEDIDO MÉDICO Após o pedido médico e desde então, o mesmo deve esclarecer alguns itens com o intuito de evitar futuras dúvidas e erros no exame, como:

4 Qual o exame está sendo solicitado? O por que do pedido? Uso de letra legível!

5 INTERESSE DO CLIENTE Verificar e se informar no consultório ou no laboratório de sua escolha para realização do exame e quais procedimentos devem ser adotados e faze-lo, tais como:

6 Jejum; Uso de medicamentos; Condição clinica; Medidas especificas para cada tipo de exame.

7 ORIENTAÇÕES Laboratório; Medico solicitante; Hospital ;

8 LABORATÓRIO Este pode repassar orientações via telefone, mas o ideal é a orientação pessoalmente via oral e escrita; A recepção deve certificar-se que todos os procedimentos para realização dos exames foram tomadas no dia em questão; Os exames só podem ser realizado se todos os padrões do laboratório estiverem corretos. Caso haja algum empecilho, o cliente deve assinar um termo de anuência, onde fica ciente de possíveis erros nos resultados. Neste caso o laboratório fica isento de quaisquer reclamações posteriores.

9 MÉDICO SOLICITANTE O médico deve solicitar os exames por escrito, com letra legível e evitar a utilização de siglas pessoais, que possam ser desconhecidas por alguns laboratórios. Deve ser evitada a repassagem de informações do pedido do exame, via oral, para a secretária; Certificar de que o cliente não tenha nenhuma dúvida em relação aos exames solicitados.

10 HOSPITAL Se encaixa somente a pacientes hospitalizados. Neste caso normalmente o enfermeiro repassa as orientações, na maioria das vezes o próprio faz a coleta e encaminha ao laboratório. Entretanto este processo deve ser feito com maior cautela, já que o paciente encontra-se acamado e debilitado; Por se tratar de exames de urgência, o material não deve ficar armazenado por muito tempo, mas dependendo da distancia e outros fatores, alguns erros podem ocorrer como:

11 Troca de amostra e etiquetas; Coleta errada; Falta de conhecimento pelo profissional.

12 COMO DEVEM SER PASSADAS AS ORIENTAÇÕES Forma clara e objetiva Entrega da orientação por escrito

13 FORMA CLARA E OBJETIVA A recepção deve esclarecer as orientações, utilizando uma linguagem de fácil entendimento, pautável e volume ideal; Explicar ao cliente o que será feito e o por que,as vezes é necessários alguns preparos especiais; Certificar-se que o cliente entendeu e em caso de coleta de amostras em casa, como fezes e urina, explicar como coletar a amostra de forma a evitar contaminações.

14 ENTREGA DA ORIENTAÇÃO POR ESCRITO O laboratório deve conter a orientação já pronta e digitada para compreensão de qualquer pessoa, com o telefone de contato do mesmo para que em caso de dúvidas o cliente não tenha que se deslocar até o laboratório para pedir informações. A orientação escrita é especifica e nesta estão contidas informações indispensáveis para evitar os erros durante a coleta, analise e resultado do exame.

15 EXAMES E SUAS ORIENTAÇÕES

16 URINA Urina tipo 1; Urina tipo 1; Urina 24h; Urina 24h; Urocultura; Urocultura;

17 URINA TIPO 1 E AS ROTINAS OU URANALISE URINA TIPO 1 E AS ROTINAS OU URANALISE OBJETIVO: Pesquisar elementos anormais e sedimentos de albumina, proteínas, glicose e acetona. OBJETIVO: Pesquisar elementos anormais e sedimentos de albumina, proteínas, glicose e acetona.

18 ORIENTAÇÃO PARA REALIZAÇÃO DO EXAME Fazer higienização dos genitais externos, usando água e sabão neutro; Fazer higienização dos genitais externos, usando água e sabão neutro; Desprezar o primeiro jato de urina; Desprezar o primeiro jato de urina; Colher preferencialmente a primeira micção da manhã; Colher preferencialmente a primeira micção da manhã; Fazer rotulação e entregar no laboratório. Fazer rotulação e entregar no laboratório.

19 URINA 24h OBJETIVO: analise quantitativa de ácidos úrico, cálcio, hormônios, potássio, glicose, proteínas entre outros. OBJETIVO: analise quantitativa de ácidos úrico, cálcio, hormônios, potássio, glicose, proteínas entre outros. Segue os mesmos parâmetros de higienização de urina tipo 1; Segue os mesmos parâmetros de higienização de urina tipo 1; Entregar ao cliente frascos suficiente para coleta; Entregar ao cliente frascos suficiente para coleta; Informar ao cliente que o mesmo deve urinar, esvaziando a bexiga totalmente, as 6h desprezando toda micção; Informar ao cliente que o mesmo deve urinar, esvaziando a bexiga totalmente, as 6h desprezando toda micção; Coletar toda urina até o dia seguinte as 6h. Coletar toda urina até o dia seguinte as 6h.

20 UROCULTURA OBJETIVO: isolar bactérias e determinar presença de microorganismos específicos. OBJETIVO: isolar bactérias e determinar presença de microorganismos específicos.

21 ORIENTAÇÕES PARA COLETA Anti-sepsia dos genitais ; Anti-sepsia dos genitais ; Desprezar o primeiro jato de urina. Desprezar o primeiro jato de urina.

22 ERROS NA ANALISE DE URINA Os tipos de exame são diferentes, mas seguem a mesma linha de orientação; Os tipos de exame são diferentes, mas seguem a mesma linha de orientação; A limpeza de órgãos genitais externos e a coleta após o primeiro jato, diminui o risco de contaminação por microorganismo; A limpeza de órgãos genitais externos e a coleta após o primeiro jato, diminui o risco de contaminação por microorganismo; A urina deve ser encaminhada por até 4h no máximo ao laboratório para analise, mantida em local fresco, evitando a perda da amostra. A urina deve ser encaminhada por até 4h no máximo ao laboratório para analise, mantida em local fresco, evitando a perda da amostra.

23 FEZES Parasitologia; Parasitologia; Cropocultura; Cropocultura; Pesquisa de oxiurus; Pesquisa de oxiurus; Pesquisa de sangue oculto nas fezes. Pesquisa de sangue oculto nas fezes.

24 OBJETIVO: pesquisa de parasitos intestinais ou seus ovos, pigmentos biliares e dosagem de gorduras. OBJETIVO: pesquisa de parasitos intestinais ou seus ovos, pigmentos biliares e dosagem de gorduras.

25 ORIENTAÇÕES PARA COLETA O cliente deve evacuar em uma comadre ou local limpo, e com auxilio de uma espátula recolher pequena quantidade da parte superior do material, colocando em um recipiente próprio que é fornecido pelo laboratório; O cliente deve evacuar em uma comadre ou local limpo, e com auxilio de uma espátula recolher pequena quantidade da parte superior do material, colocando em um recipiente próprio que é fornecido pelo laboratório; Armazenar em local refrigerado. Armazenar em local refrigerado.

26 CROPOCULTURA OBJETIJO: indicado para detecção de infecções. OBJETIJO: indicado para detecção de infecções.

27 ORIENTAÇÕES PARA COLETA Evacuação em local limpo; Evacuação em local limpo; Coleta de pequena quantidade; Coleta de pequena quantidade; Coleta à fresco. Coleta à fresco.

28 PESQUISA DE OXIRUS (ENTEROBIUS VERMICULARE) Analise por método de grahan ou fita durex. Analise por método de grahan ou fita durex.

29 ORIENTAÇÕES PARA COLETA Colher á noite ou pela manhã; Colher á noite ou pela manhã; Antes de defecar não fazer higiene pessoal; Antes de defecar não fazer higiene pessoal; Não utilizar pomadas ou talco na região anal, onde será coletada a amostra. Não utilizar pomadas ou talco na região anal, onde será coletada a amostra.

30 PESQUISA DE SANGUE OCULTO NAS FEZES ORIENTAÇÕES: ORIENTAÇÕES: Restrição de carnes ou alimentos que contenham alta peroxidase (rabanete, nabo, couve-flor, brócolis) por 3 dias antes da realização do exame; Restrição de carnes ou alimentos que contenham alta peroxidase (rabanete, nabo, couve-flor, brócolis) por 3 dias antes da realização do exame; Não utilizar medicamentos irritantes da mucosa gástrica; Não utilizar medicamentos irritantes da mucosa gástrica; Não escovar os dentes, evitando assim gengivorragia. Não escovar os dentes, evitando assim gengivorragia.

31 ESCARRO OBJETIVO: indicado em caso de infecções das vias aéreas; pesquisa de bactérias. OBJETIVO: indicado em caso de infecções das vias aéreas; pesquisa de bactérias. COMO: estreptococos, pneumococos, bacilos e bacilo da TB (bacilo de baar). COMO: estreptococos, pneumococos, bacilos e bacilo da TB (bacilo de baar).

32 ORIENTAÇÕES PARA COLETA Fazer higienização oral, bochechar usando somente água antes de fazer expectoração; Fazer higienização oral, bochechar usando somente água antes de fazer expectoração; Colher o material em jejum; Colher o material em jejum; Colher o material em recipiente de boca larga e estéril, sem deixar escorrer pela borda externa; Colher o material em recipiente de boca larga e estéril, sem deixar escorrer pela borda externa; Ensinar ao cliente a tossir e a escarrar e não apenas a cuspir saliva no recipiente. Ensinar ao cliente a tossir e a escarrar e não apenas a cuspir saliva no recipiente.

33 SANGUE Hemograma Hemograma

34 HEMOGRAMA OBJETIVO: avaliar as células sanguínea de um cliente. OBJETIVO: avaliar as células sanguínea de um cliente.

35 ORIENTAÇÕES PARA COLETA Perguntar para o cliente sobre o jejum; Perguntar para o cliente sobre o jejum; Uso de medicamentos; Uso de medicamentos; Idade; Idade; História clínica. História clínica.

36 ORIENTAÇÕES PARA COLETA PODE OCORRER ALTERAÇÕES SE O CLIENTE NÃO ESTIVER EM JEJUM ABSOLUTO, GLICEMIA, COLESTEROL E OUTROS.

37 ERROS NA COLETA Usar agulhas de calibre muito fino ou muito grosso; Usar agulhas de calibre muito fino ou muito grosso; Aspirar o sangue violentamente após atingir a veia; Aspirar o sangue violentamente após atingir a veia; Transferir o sangue da seringa sem retirar a agulha, ou com muita pressão e sem escorrer pela parede do frasco; Transferir o sangue da seringa sem retirar a agulha, ou com muita pressão e sem escorrer pela parede do frasco; Agitar violentamente o sangue sem misturá-lo com o anticoagulante; Agitar violentamente o sangue sem misturá-lo com o anticoagulante;

38 Não agitar o frasco para dissolver o anticoagulante no sangue; Não agitar o frasco para dissolver o anticoagulante no sangue; Produzir estase venosa prolongada pelo uso do garrote; Produzir estase venosa prolongada pelo uso do garrote; Deixar contaminar o material a ser utilizado na punção; Deixar contaminar o material a ser utilizado na punção; Demorar durante a coleta ou ao transferir o sangue para o anticoagulante; Demorar durante a coleta ou ao transferir o sangue para o anticoagulante; Puncionar veias onde esteja ligado soro ou qualquer outro medicamento e retirar o sangue na mesma agulha ou catéter. Puncionar veias onde esteja ligado soro ou qualquer outro medicamento e retirar o sangue na mesma agulha ou catéter.

39 EXAME BACTERIOLÓGICO Bacterioscopia de secreção vaginal. Bacterioscopia de secreção vaginal.

40 OBJETIVO: identificar germes ou bactérias responsáveis por infecções graves. O material é retirado da vagina e do colo do útero e deve ser manipulado em laboratórios de análises, pois os organismos não sobrevivem muito tempo fora do corpo humano. OBJETIVO: identificar germes ou bactérias responsáveis por infecções graves. O material é retirado da vagina e do colo do útero e deve ser manipulado em laboratórios de análises, pois os organismos não sobrevivem muito tempo fora do corpo humano.

41 ORIENTAÇÃO PARA COLETA A paciente não deve realizar a higiene vaginal antes do início da coleta do material; A paciente não deve realizar a higiene vaginal antes do início da coleta do material; Não colher quando a paciente estiver menstruada, exceto se houver solicitação médica anotada no pedido. Não colher quando a paciente estiver menstruada, exceto se houver solicitação médica anotada no pedido.

42 A orientação é um dos requisitos mais importantes da fase pré-analítica e exige também, que além do profissionalismo e das técnicas dentro do laboratório, para um bom rendimento e reconhecimento do mercado, este deve ser visto como um amigo pelo cliente, o personagem mais importante de toda a analise laboratorial, e que com a ótima orientação, prioriza este espaço e o retorna sempre que for necessário, já que sente maior segurança nos seus colaboradores.

43 BIBLIOGRAFIA FISCHBACH, Frances; DUNNING, Marshall Barnett. Manual de enfermagem: exames laboratoriais e diagnósticos. 7ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p., 27,5x21cm. ISBN FISCHBACH, Frances; DUNNING, Marshall Barnett. Manual de enfermagem: exames laboratoriais e diagnósticos. 7ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p., 27,5x21cm. ISBN PORTO, Celmo Celeno. Exame clínico: bases para a prática médica. 5.ed. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Koogan, p. PORTO, Celmo Celeno. Exame clínico: bases para a prática médica. 5.ed. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Koogan, p. ATKINSON, Leslie D.; MURRAY, Mary Ellen. Fundamentos de enfermagem: introdução ao processo de enfermagem. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Koogan, p. ATKINSON, Leslie D.; MURRAY, Mary Ellen. Fundamentos de enfermagem: introdução ao processo de enfermagem. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Koogan, p. CANÇADO, J. Romeu; GRECO, J. B.; LIMA, A. Oliveira. Métodos de laboratório aplicados à clínica: técnica e interpretação. 8.ed. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Koogan, p. CANÇADO, J. Romeu; GRECO, J. B.; LIMA, A. Oliveira. Métodos de laboratório aplicados à clínica: técnica e interpretação. 8.ed. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Koogan, p

44 ALINEELENKARLAJENNIFHER


Carregar ppt "IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO AO CLIENTE NO RESULTADO DO EXAME."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google