A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ORIGEM DA MOEDA, POLÍTICA ECONÔMICA E INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ORIGEM DA MOEDA, POLÍTICA ECONÔMICA E INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA"— Transcrição da apresentação:

1 ORIGEM DA MOEDA, POLÍTICA ECONÔMICA E INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA
Profa. MSc. Alethéia Ferreira

2 Objetivos Analisar o fluxo circulatório da renda que uma nação gera e suas repercussões no mercado de capitais Analisar os estágios de desenvolvimento da economia desde os seus primórdios Compreender os conceitos associados ao uso da moeda Revisar o conceito de política econômica e seus principais desdobramentos Compreender a intermediação financeira 24/03/2017

3 Atividade Econômica Identificação dos Agentes Macroeconômicos:
- Empresas - Famílias - Governo - Setor Externo 24/03/2017

4 Atividade Econômica Identificação dos Fatores de Produção: - Trabalho
- Terra - Capital 24/03/2017

5 Atividade Econômica Identificação dos Bens e Serviços: Bens de Capital
Duráveis Bens de Capital - Bens de Consumo Não Duráveis - Bens Intermediários 24/03/2017

6 Fluxo Circular de Renda da Economia
Empresas Fluxo Físico: Bens e Serviços Fluxo Monetário Gastos Famílias Fluxo Físico: Fatores de Produção Fluxo Monetário Rendas (salários, juros, lucros e aluguéis 24/03/2017

7 Processo Poupança-Investimento
Parcela da renda não consumida EM FUNÇÃO DOS SEGUINTES FATORES: Capacidade de poupar Desejo de poupar Oportunidade de poupar PODE GERAR INVESTIMENTO Aplicação de recursos em algo lucrativo, aumentando o estoque de riqueza 24/03/2017

8 Rendas, Investimento e Poupança
Renda interna – Produto Interno Renda nacional – Soma de todas as rendas internas e externas Rendas Renda líquida do exterior – dif da vls enviados e recebidos do exterior Renda pessoal – renda líq indiv. Formação bruta de capital fixo Investimento Estoques Parcela da renda economizada, que não foi consumida na compra de bens e serviços Poupança 24/03/2017

9 Rendas, Investimento e Poupança
Renda interna: eqüivale ao produto interno da economia, exprimindo o total das rendas geradas no interior do país. Renda nacional: soma de todas as rendas auferidas pelos habitantes de um país, determinadas pelas operações produtivas de caráter interno e externo. Renda líquida do exterior: diferença entre as rendas recebidas do e enviadas ao exterior. Renda pessoal: é a renda efetivamente transferida às pessoas e é calculada deduzindo-se da renda nacional os lucros retidos pelas empresas, contribuições e benefícios previdenciários, imposto de renda sobre as pessoas jurídicas, etc. 24/03/2017

10 Incorporação do Processo de Financiamento
Rendas(salários, juros, lucros e aluguéis) Despesas de bens e serviços Empresas Mercado de fatores de produção Famílias Mercado de bens de capital e de bens de serviços Oferta Demanda Mercado Financeiro Aplicações Poupança Financiamento 24/03/2017

11 Incorporação do Governo
Pagamentos ($ ) Despesas de Consumo Investimento do Governo ($ 900) Política Monetária Governo Política Fiscal Impostos ($1.000) Empresas Produção: $ Serviços Famílias Renda: $9.000 Bens e Serviços ($8.100) Mercado de Capitais Poupança ($900) Investimento ($1.000) 24/03/2017

12 Conceitos e Funções da Moeda
Instrumento ou Meio de Troca Promove e facilita o intercâmbio de bens e serviços Medida de Valor Permite apurar o valor monetário Reserva de Valor Permite a manutenção de patrimônio para uso posterior Meio de Pagamento Usada para pagar bens e serviços Diminuir dívidas 24/03/2017

13 Fases da Evolução da Moeda
Troca de mercadorias (escambo) Mercadoria moeda Moeda metálica Moeda-papel (dinheiro em papel) Moeda escritural (depósitos à vista) 24/03/2017

14 Meio de Pagamento ou Agregados Monetários
Os meios de pagamento representam todos os haveres com liquidez imediata em poder do público, exceto o setor bancário. São uma medida do nível de liquidez do sistema econômico, ou seja, as necessidades do setor produtivo privado, para satisfazer a suas transações com bens e serviços. 24/03/2017

15 Meio de Pagamento ou Agregados Monetários
Papel-moeda emitido = Montante de moeda emitida em uma economia Moeda em circulação ou Meio Circulante = Papel-moeda emitido - Encaixes do Banco Central Moeda Em Poder do Público = - Moeda em Circulação Caixa dos Bancos Moeda Escritural ou Bancária = Depósitos a vista do público junto aos Bancos Comerciais 24/03/2017

16 Conceitos de Moeda = = = M1 M2
Moeda em poder do Público (+) Depósitos a Vista nos Bancos Comerciais Medida de avaliação do nível de liquidez do sistema econômico Os depósitos à vista desconsideram aqueles disponíveis nas Caixas Econômicas M2 = Conceito M1 (+) Depósitos a Vista nas Caixas Econômicas (+) Títulos Públicos colocados no Mercado (+) Saldo de Fundos de Aplicação Financeira (Renda Fixa) Quase-moeda ou não-monetários: negociados com deságio em função da longa maturidade ou inadimplência M3 = Conceito M2 (+) Depósitos em Cadernetas de Poupança 24/03/2017

17 Conceitos de Moeda = = M4 - Expressa percentual do PIB da economia
Conceito M3 (+) Depósitos a Prazo Fixo (CDB, RDB) (+) Letras de Câmbio e Letras Imobiliárias - Expressa percentual do PIB da economia - Aumento de M4 em relação a M1 evidencia processo inflacionário M5 = Conceito M4 (+) Capacidade aquisitiva dos cartões de crédito 24/03/2017

18 Efeito Multiplicador da Moeda Escritural
O banco pode afetar a oferta monetária na economia. Esse fato ocorre em duas situações, a saber: a) Quando o banco mantêm 100% dos depósitos em reservas monetárias. Neste caso a oferta monetária na economia não é afetada. b) Quando o banco empresta parte dos depósitos. Neste caso a oferta monetária na economia é afetada.

19 Efeito Multiplicador da Moeda Escritural
Ocorre em função da não-utilização total dos recursos de forma simultânea por parte dos clientes e do resultado do fluxo de entrada e saída desses mesmos recursos De cada R$ 100,00 recebidos como depósito a vista, os bancos necessitam deixar disponível, sob forma de encaixa, apenas 3 a 5%; o restante podem utilizar para realizar empréstimos para seus clientes e com isso multiplicar a capacidade de pagamento dos mesmos depósitos iniciais.

20 Efeito Multiplicador da Moeda Escritural
Encaixes voluntários e compulsórios Injeção Inicial Novas Operações de Empréstimos Novos depósitos à vista Operações de Empréstimos Novos depósitos à vista Encaixes voluntários e compulsórios

21 Efeito Multiplicador da Moeda x Depósito Compulsório
Quanto maior for o percentual do compulsório, menor é o efeito multiplicador da moeda. Por que? D M = E Onde: M = multiplicador bancário; D = depósito inicial; e = encaixe voluntário ou obrigatório (%). Exemplo 1: Supondo-se uma injeção inicial de R$ 100,00 de depósito em um banco e um compulsório de 10%, teríamos qual efeito total da multiplicação deste depósito?

22 Efeito Multiplicador da Moeda x Depósito Compulsório
Novo Depósito Compulsório Novo Empréstimo Depósito inicial R$ 100,00 R$ 10,00 R$ 90,00 Depósito 1 R$ 9,00 R$ 81,00 Depósito 2 R$ 8,10 R$ 72,90 Depósito 3 R$ 7,29 R$ 65,61 Depósito 4 R$ 6,56 R$ 59,05 Efeito total R$ 1.000 R$ 100 R$ 900,00 Um depósito de R$ 100,00 gera R$ 900,00 de empréstimo Se não houvesse o depósito compulsório o banco poderia emprestar os 100,00 livres e gerar um efeito total de 1000,00

23 Exemplo 2 (Continuar Aula A partir daqui):
Vamos supor que o Banco A receba um depósito de $ do público e que esse banco faça um reserva de 10% sobre esse depósito. O Banco A pode emprestar $ 900 para o Banco B. O Banco B pode realizar o mesmo procedimento e assim por diante para todo o sistema bancário. Numericamente temos: Depósito = $ + Empréstimo A/B = $ (1 - R) = $ + Empréstimo B/C = $ (1 - R)2 = $ + Empréstimo C/... = $ (1 - R)3 = $ + (...)

24 $ 1.000 . [1+ (1 - R) - + (1 - R)2 + (1 - R )3 +...] = $ 1.000 . 1/R
Oferta Monetária $ [1+ (1 - R) - + (1 - R)2 + (1 - R )3 +...] = $ /R = $ No limite, o depósito inicial de $ acaba implicando um oferta monetária total no sistema bancário de $ Aplicando a fórmula do multiplicador bancário: D M = E Temos: M = 1000 = 0,10

25 Intermediação Financeira
Processo de intermediação financeira funciona por meio da transferência de recursos entre ofertantes e tomadores... 24/03/2017

26 Intermediação Financeira
A transferência de recursos entre agentes superavitários e deficitários é viabilizada pela transformação de títulos primários em secundários, tornando-os atrativos para os poupadores e aumentando sua liquidez. Existem dois tipos: simples e por repasse. Agente Superavitário Intermediário Agente Deficitário 1 2 3 Simples: o intermediador não assume riscos da operação Por repasse: o intermediador assume parte do risco 1 - Compra os títulos com a entrega de $ 2 – Emite os títulos e recebe $ 24/03/2017 3 – Emite títulos próprios e recebe $ ou revende os títulos adquiridos e recebe $

27 Processo da Intermediação Financeira
Fornecedores de fundos Intermediários Financeiros Tomadores de fundos 1 - Bancos Investimento Desenvolvimento Comerciais Múltiplos 2 - Caixas Econômicas 3 - Sociedade Crédito Imobiliário 4 – Seguradoras 5 - Fundos de Pensão 6 – Factoring 7 - Soc. Crédito Financiamento e Investimento 8 - Soc. Arrendamento Mercantil Pessoas Físicas Pessoas Físicas Pessoas Jurídicas Pessoas Jurídicas Governos: federal, estadual e municipal Governos: federal, estadual e municipal ESTAS TRANSFERÊNCIAS SÃO VIABILIZADAS POR MEIO DE : 24/03/2017 MERCADOS FINANCEIROS

28 Intermediação Financeira
Vantagens: - Conhecimento especializado do mercado de capitais - Economias de escala - Volumes suficientes para diversificação e estabilização de riscos (pooling effect) Funções - Redução do risco mediante intermediação - Adequação às necessidades de emprestadores e tomadores - Gestão do mecanismo de pagamentos 24/03/2017

29 Segmentos de intermediação financeira
Mercados Financeiros Segmentos de intermediação financeira Mercado monetário Mercado de crédito Mercado de capitais Mercado cambial

30 Mercados Financeiros Mercado monetário
Operações de curto e curtíssimo prazos Permitem o controle da liquidez monetária Papéis do Banco Central e Títulos de Estados e Municípios

31 Mercado monetário Neste mercado, são negociadas, basicamente, operações de curto e curtíssimo prazos. A política monetária do Governo é executada por meio desse mercado, com a compra e venda de títulos emitidos pelo Banco Central: BBC – Bônus do Banco Central NBC – Notas do Banco Central

32 Mercados Financeiros Mercado de crédito
Constituído por bancos comerciais e múltiplos Supre necessidades de curto e médio prazos Concessões de crédito por empréstimos e financiamentos

33 Mercado de crédito Exemplos de o p erações de crédito : ¨ emprés
timos para capital de giro descontos de títulos conta garantida adiantamento sobre contrato de câmbio (ACC) repasse de recursos externos (Resolução n 2.770) financiamento de importação

34 Mercados Financeiros Mercado de capitais
Ligação entre agentes superavitários e deficitários Supre necessidades de longo prazo Concessões de crédito para giro e capital fixo Mercado de capitais

35 Mercado de capitais A finalidade do mercado de capitais é a de financiar as atividades produtivas e o capital de giro das empresas, por meio de recursos de médio e longo prazos. P rincipais instrumentos de financiamento existentes no mer cado de capitais brasileiro: a. aç ões; b. debêntures; c. notas promissórias ( commercial papers ).

36 Mercados Financeiros Mercado cambial
Compra e venda de moedas conversíveis Agentes econômicos que operam no exterior: Importadores/exportadores, investidores e inst. financeiras Mercado cambial

37 Mercado de câmbio No mercado de câmbio, são negociadas moedas
internacionais conversíveis, pelas instituições credenciadas pelo Banco Central n Algumas das moedas estrangeiras mais negociadas no mercado de câmbio brasileiro: dólar dos Estados Unidos; iene do Japão; euro da União Européia; libra esterlina da Grã - Bretanha; franco da Suíça;

38 Referências ASSAF NETO, Alexandre. Mercado Financeiro. 9ª. ed., São Paulo: Atlas, 2009. LAGIOLA, Umbelina Cravo Teixeira. Fundamentos do Mercado de Capitais.1ª Edição. São Paulo: Atlas, 2007. PINHEIRO, Juliano Lima. Mercado de Capitais – Investimentos e Técnicas. 4ª. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.


Carregar ppt "ORIGEM DA MOEDA, POLÍTICA ECONÔMICA E INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google