A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Métodos qualitativos em Psicologia: Um guia para a investigação – ação – participativa / IAP Faculdade Social da Bahia Psicologia Comunitária Úrsula Yglesias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Métodos qualitativos em Psicologia: Um guia para a investigação – ação – participativa / IAP Faculdade Social da Bahia Psicologia Comunitária Úrsula Yglesias."— Transcrição da apresentação:

1 Métodos qualitativos em Psicologia: Um guia para a investigação – ação – participativa / IAP Faculdade Social da Bahia Psicologia Comunitária Úrsula Yglesias

2 Banister, P.; Burman, E.; Parker, I.; Taylor, M. y Tindall, C. (2004). Métodos cualitativos en psicología: un guía para la investigación. Guadalajara: Centro universitario de ciencias de la salud. Início na década de 40 com a obra de Kurt Lewin. Principais áreas: educação; comunidade & indústria. Forte oposição a IAP como uma investigação realmente científica. Pluralismo de métodos Bastante aplicada em pesquisas sobre gênero. Aplicar rigorosamente as diretrizes éticas.

3 OBJETIVOS da IAP Estudar os resultados das ações comunitárias, bem como observar a origem dos seus próprios preconceitos com o objetivo de contribuir nas mudanças e relações no interior da comunidade. PARA TANTO: A opinião dos membros da comunidade é de caráter fundamental Valorização e conscientização acerca da identidade sócio- cultural e sua capacidade de transformar suas próprias vidas. Foco nos objetivos comuns – análise critica das necessidades. Melhorar a qualidade da ação.

4 DIRETRIZES METODOLÓGICAS: Análise da situação - DIAGNÓSTICO – deve ocorrer no interior da comunidade. A PERGUNTA: objetivo do trabalho - surge dos problemas dos participantes e se refere a reflexão e sistematização critica das questões a serem trabalhadas com a comunidade – TEMPESTADE DE IDÉIAS. Levantamento dos aspectos principais: formulação de princípios gerais especulativos direcionados pelos problemas identificados junto a comunidade.

5 DIRETRIZES METODOLÓGICAS: 1) Revisão – avaliação do contexto - tempestade de idéias; 2) Diagnóstico; 3) Planejamento; 4) Implementação – Plano de ação; 5) Monitoramento – essencial em todo processo de intervenção – técnicas: diários, entrevistas, estudos de caso servindo de esteio para gerar mudanças de direção e redefinições conforme necessário.

6 IA - MÉTODOS PARA COLETA DE DADOS: Coleta de documentos em relação à situação: desde artigos de jornais até documentos oficiais Diário de campo detalhado: registrar suas impressões, idéias e o máximo de informações acerca da vivencia – é através do diário que se redige o relatório final -. Notas de observação: comentários consecutivos e repetidos Sondagens com questionários: acesso as impressões, atitudes, e experiências do grupo – 1º questionário aberto – captar emoções e motivações – 2º questionário fechado – verificação. Entrevistas: importante para aprofundar em algum aspecto específico e clarear de maneira gradual outro que permaneça difuso. Observação Continuada. Registro em vídeo: permite um monitoramento reiterado dos dados coletados. Fotos: pode ser muito útil para uma análise posterior – congelamento de uma situação. Triangulação: utilização de 3 métodos acima mencionados para verificar a informação obtida, as interpretações e as decisões a respeito da ação.

7 PSICÓLOGO PESQUISADOR: Mediador A partir da formulação dos princípios gerais especulativos, identificar junto à comunidade hipóteses sobre que ações têm probabilidade de conduzir as melhorias desejadas. Coloca a prova a ação, reorganizar a informação sobre os efeitos da ação anterior e utilizar esta informação para revisar a 1ª hipótese. Atua como um recurso para o grupo que deseja entender seu próprio comportamento e transformá-lo.

8 5 CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS DA INVESTIGAÇÃO: Investigação - ação: Ação e avaliação são trabalhadas de forma paralela e simultânea – objetiva mudança de comportamento na comunidade ao mesmo tempo em que reúne informação acerca do comportamento tradicional ou inovador. Por fim, intervém e estuda o contexto a fim de manter um processo de retroalimentação.

9 5 CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS DA INVESTIGAÇÃO: Participativa – colaborativa: Promove mudanças sociais e individuais a partir da alteração das relações de papéis das pessoas envolvidas no projeto – ou seja, os participantes são responsáveis pelas decisões a serem tomadas em lugar de estarem passivos em relação às mesmas decisões – co pesquisadores X sujeitos da pesquisa.

10 5 CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS DA INVESTIGAÇÃO: Valoração das necessidades e prioridades: Determina uma quantidade absoluta ou relativa de gente com uma experiência ou necessidade em particular – ex: mulheres abusadas; desabrigados em desastres; crianças em situação de vulnerabilidade... – através de reuniões para que o grupo possa conjuntamente fazer descobertas sobre a própria experiência – facilitando a visão concreta do problema ao qual se revelam as bases necessárias para a ação – evitando idéias pré-concebidas.

11 5 CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS DA INVESTIGAÇÃO: Investigação avaliativa: Avaliar a efetividade de distintos tipos de ação na resolução de problemas – comportamento individual e organizacional -. Este trabalho tem como objetivo primário a geração de referencias para a atuação dos sujeitos em distintas situações problemas – pelas vias da Educação (escolas); Saúde (hospitais); e Jurídico (tribunais).

12 5 CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS DA INVESTIGAÇÃO: Desmistificação: Foca a sua ação na crença de que o próprio ato de obter conhecimento cria potencial para a mudança. Ênfase nas necessidades e opiniões dos grupos que não tem suas condições consideradas e que suas perspectivas têm menos influencia em suas condições de vida. Análise crítica sobre a informação.

13 REALIZAÇÃO DA IA Planejamento: Tempestade de idéias. A partir daí relatar uma lista de perguntas preliminares com o objetivo de desenvolver uma descrição na situação: o que está acontecendo? Qual é o objetivo disto? O que estou buscando modificar? Quais são as possibilidades? Quem é o público – alvo? Com quem precisarei negociar?

14 Esquema Geral: Identificar problema – idéia geral – e objetivo diante do mesmo. Descrever a situação – território, espaço, grupos, redes. Formulação de uma explicação preliminar dos fatos – narrativa descritiva do contexto visitado – formulando hipóteses. Testar as hipóteses - ou seja, por em pratica e testar se tinha razão.

15 A ESPIRAL DA IA Seleção do campo geral – ex: Projeto Festival de Vídeo: discute, observa, lê e decide qual será a sua primeira ação. Monitora a ação Examina a informação que reúne Avalia processos e resultados Planeja a ação seguinte – contínua...


Carregar ppt "Métodos qualitativos em Psicologia: Um guia para a investigação – ação – participativa / IAP Faculdade Social da Bahia Psicologia Comunitária Úrsula Yglesias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google