A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GERENCIAMENTO DE RISCOS em PROJETOS Gerenciamento de Projetos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GERENCIAMENTO DE RISCOS em PROJETOS Gerenciamento de Projetos."— Transcrição da apresentação:

1 GERENCIAMENTO DE RISCOS em PROJETOS Gerenciamento de Projetos

2 A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DE RISCOS: É um processo sistemático de definição, análise e resposta aos riscos do projeto cujo objetivo principal é maximizar os eventos positivos e minimizar as consequências dos eventos negativos; É um aspecto INERENTE a PROJETOS;

3 Definição do RISCO: É qualquer evento ou condição em potencial que, em se concretizando, pode afetar negativa ou positivamente um objeto do projeto. As causas do RISCOS são os seus aspectos mais importantes sob o ponto de vista gerencial. Devem ser investigadas, analisadas e compreendidas para que possam ser empreendidas ações adequadas de gerenciamento de risco. Apresenta 02 dimensões chave: PROBABILIDADE: é chance de ocorrer; IMPACTO: é o efeito sobre o objetivo do projeto;

4 RISCO caracterizado por 3 fatores: EVENTO Descritos com detalhes no processo de identificação dos riscos potenciais: CHUVA; FRIO; FALTA DE CIMENTO; FALTA DE ÁGUA; LICENÇA AMBIENTAL;

5 PROBABILIDADE e IMPACTO (EXEMPLOS): PROBABILIDADE: indica quais são as chances de sua ocorrência (alta, média, baixa); Qual o % de chance de o BRASIL conseguir ser HEXA-CAMPEÃO na ÁFRICA DO SUL; IMPACTO: determina quão severas serão as consequências caso o risco se concretize (alto, médio, baixo); Se o BRASIL GANHAR a COPA teremos o DUNGA por mais 4 anos na SELEÇÃO; Se o BRASIL NÃO GANHAR teremos novamente o PARREIRA;

6 PROBABILIDADE e IMPACTO (EXEMPLOS): IMPACTO ALTOMÉDIOBAIXO PROBABILIDADE ALTOAAAMAB MÉDIOMAMMMB BAIXOBABMBB

7 INCERTEZA e IMPACTO: INCERTEZA INCERTEZA aponta para RISCOS maiores no início e vão diminuindo à medida que o Projeto avança; IMPACTO IMPACTO aponta para RISCOS baixos no início e vão aumentando à medida que o Projeto avança;

8 CATEGORIAS DE RISCO: RISCOS TÉCNICOS, DE QUALIDADE OU DE DESEMPENHO; USO DE TECNOLOGIAS NÃO COMPROVADAS, METAS DE PERFORMANCE IRREALISTAS; RISCOS DE GERÊNCIA DE PROJETOS; QUALIDADE DO PLANEJAMENTO, FALHAS NA PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES, ALOCAÇÃO DE RECURSOS; RISCOS ORGANIZACIONAIS; FALTA DE PRIORIZAÇÃO DE PROJETOS, FALTA DE VERBA, COMPETIÇÃO ENTRE PROJETOS PELO RECURSOS; RISCOS EXTERNOS; MUDANÇAS NA LEGISLAÇÃO, NO CLIMA, GREVES, NOVOS CONCORRENTES;

9 TEORIA DA DECISÃO: DECISÃO COM BASE NA CERTEZA: Tomador de DECISÃO sabe exatamente as consequências de cada alternativa; DECISÃO SOB RISCO; O tomador de DECISÃO conhece as consequências e a probabilidade de cada alternativa; INCERTEZA; O tomador de DECISÃO não conhece todas as consequências de cada alternativa, ou não conhece a probabilidade de pelo menos uma das alternativas;

10 TOLERÂNCIA AO RISCO: Varia de indivíduo para indivíduo dentro da Organização; Empresas mais bem estruturadas (mais disponibilidade de ativos financeiras) poderá tolerar mais risco; Diferentes stakeholders podem ter diferentes tolerâncias, limites e critérios para lidar com riscos;

11 ÁRVORE DE DECISÃO: Uma ÁRVORE DE DECISÃO é uma ferramenta que Auxilia na modelagem e análise de problemas 1 Decisão #1 Decisão #2 Evento #3 Evento #4 Decisão: o tomador De decisão deve fazer uma Escolha (o número dentro do Quadrado indica a melhor Decisão, neste ponto). Evento: é incontrolável, portanto, o rumo que as coisas irão tomar a partir desse ponto Não é escolhido pela empresa Probabilidade de ocorrência do evento. A soma das probalidades de cada evento deve ser igual a 1

12 ÁRVORE DE DECISÃO (EXERC. #1): CRONOGRAMA AGRESSIVO CRONOGRAMA AGRESSIVO O EVENTO X tem 20% de chance de dar certo; Se acontecer X, eu ganho $ ; O EVENTO Y tem 80% de chance de dar errado; Se acontecer Y, eu perco $20.000; CRONOGRAMA CONSERVADOR CRONOGRAMA CONSERVADOR O EVENTO W tem 30% de chance de dar errado; Se acontecer W, eu perco $ ; O EVENTO Z tem 70% de chance de dar certo; Se acontecer Z, eu ganho $10.000;

13 ÁRVORE DE DECISÃO (EXERC. #2): ATO (OBJETIVO)DECISÃO DE VIAJAR MAIS BARATO EVENTO (ALTERNATIVAS)SUPER CIAAIR QUASE PONTUAL CUSTO DA PASSAGEM HORÁRIO DA CHEGADAPONTUAL COM ATRASOPONTUAL COM ATRASO PROBABILIDADE DE ATRASO85%15%60%40% VALOR ADICIONAL02850 VALOR ESPERADO / ATRASO0 ??? 0 CUSTO TOTAL ???

14 ÁRVORE DE DECISÃO (EXERC. #2): ATO (OBJETIVO)DECISÃO DE VIAJAR MAIS BARATO EVENTO (ALTERNATIVAS)SUPER CIAAIR QUASE PONTUAL CUSTO DA PASSAGEM HORÁRIO DA CHEGADAPONTUAL COM ATRASOPONTUAL COM ATRASO PROBABILIDADE DE ATRASO85%15%60%40% VALOR ADICIONAL02850 VALOR ESPERADO / ATRASO042, CUSTO TOTAL602,75634

15 IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS: Tem como foco os objetivos principais do projeto: Escopo; Qualidade; Prazos; Custos; A EAP é essencial no sentido de avaliar se o seu conteúdo está adequado à prática do projeto; Uma fonte natural de riscos é o conjunto de premissas em que o projeto se baseia;

16 ANÁLISE QUALITATIVA DE RISCOS Permite direcionar o desenvolvimento das ações de resposta para os fatores mais relevantes e de maior efeito para os objetivos do projeto; É o processo de avaliar o impacto e a probabilidade dos riscos identificados. Permite classificar os riscos em função do seu efeito potencial individual e priorizá-lo em função do seu efeito potencial para o projeto como um todo;

17 Categorias e critérios de tempo e custo: ESCALAPROBABI- LIDADE (%) ATRASO (MESES) AUMENTO DE CUSTO (%) N000 MB (muito baixo) 1015 B (baixo) M (moderado) A (alto) MA (muito alto) > 70> 6> 30

18 Matriz de ranking

19 PROBABILIDADE e IMPACTO (EXEMPLOS): IMPACTO ALTOMÉDIOBAIXO PROBABILIDADE ALTOAAAMAB MÉDIOMAMMMB BAIXOBABMBB

20 ANÁLISE QUANTITATIVA DE RISCOS Caracterizada por medição, análise numérica das dimensões da probabilidade e impacto dos riscos em caráter individual e projeções numéricas para o projeto como um todo; Árvore de Decisão; Análise de Riscos de Custo EAP Análise de Riscos de Prazos Rede de Precedência

21 Estratégias de resposta ao risco Estratégia para RISCOS NEGATIVOS ou AMEAÇAS PREVENIR mudanca de Planos; TRANSFERIR transferir a responsabilidade sobre o risco para uma 3ª parte (seguro / contrato); MITIGAR iniciativas para diminuir a chance de ocorrência (Quanto mais cedo melhor!!!) ou reduzir consequências. Reduzir a probabilidade ou as consequências para limites aceitáveis (=mitigar);

22 Estratégias de resposta ao risco Estratégia para RISCOS POSITIVOS ou OPORTUNIDADES EXPLORAR Eliminar a incerteza de um risco positivo fazendo com que a oportunidade aconteça; COMPARTILHAR repassar a propriedade para 3ºs que possam melhor capturar as oportunidades; MELHORAR identificação e maximização dos principais acionadores de riscos (facilitar a ocorrência da oportunidade);

23 Contingência ou Fallback Por exemplo, aumenta o nível de recurso (reserva de contingência - $$$); Aumenta o nível de prazo;


Carregar ppt "GERENCIAMENTO DE RISCOS em PROJETOS Gerenciamento de Projetos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google