A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A EXPLORAÇÃO DO SOFRIMENTO (CRISTOPHE DEJOURS). NAS TAREFAS REPETITIVAS, OS COMPORTAMENTOS NÃO SÃO UNICAMENTE CONSEQÜÊNCIAS DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A EXPLORAÇÃO DO SOFRIMENTO (CRISTOPHE DEJOURS). NAS TAREFAS REPETITIVAS, OS COMPORTAMENTOS NÃO SÃO UNICAMENTE CONSEQÜÊNCIAS DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO,"— Transcrição da apresentação:

1 A EXPLORAÇÃO DO SOFRIMENTO (CRISTOPHE DEJOURS)

2 NAS TAREFAS REPETITIVAS, OS COMPORTAMENTOS NÃO SÃO UNICAMENTE CONSEQÜÊNCIAS DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO, ELES ESTRUTURAM TODA A VIDA EXTERNA AO TRABALHO, CONTRIBUINDO DESTA FORMA, PARA SUBMETER OS TRABALHADORES À PRODUTIVIDADE.

3 TELEFONISTAS: O SEU SOFRIMENTO, PROVENIENTE DA INSATISFAÇÃO, PODE SER UTILIZADO PARA AUMENTAR A SUA PRODUTIVIDADE. EXEMPLO:

4 TELEFONISTAS: O NOSSO TRABALHO NOS DEIXAM IDIOTAS QUANDO EU SAIO DO TRABALHO, FALO COM AS PESSOAS COM AS FRASES DO PTT (POSTES, TELÉGRAFOS E TELECOMUNICAÇÃO) O QUE O SR. DESEJA, NÃO PODEMOS FALAR O QUE O SR QUER 496 INFORMAÇÕES, NÃO PODEMOS DIZER BOM DIA

5 É PRECISO ENQUADRAR A INFORMAÇÃO, OU SEJA, REFORMULÁ-LA NUMA LINGUAGEM CODIFICADA, DEPOIS DE TÊ-LA OBTIDO ESSE ESFORÇO DE MEMÓRIA NÃO É NADA FÁCIL ENFIM, NO CASO DE AGRADECIMENTO DO ASSINANTE, É A ÚNICA SITUAÇÃO EM QUE TEMOS O DIREITO DE DAR UMA RESPOSTA LIVREMENTE ESCOLHIDA NÃO TEMOS O DIREITO DE DESLIGAR, É O ASSINANTE QUE TEM QUE DESLIGAR PRIMEIRO

6 NÃO TEMOS O DIREITO DE FAZER MAIS DE TRÊS PESQUISAS PARA DAR A RESPOSTA A UMA PERGUNTA, SEJA FALSO OU VERDADEIRO, DEVEMOS RESPONDER QUE ESTA INFORMAÇÃO NÃO CONSTA NESTE ITEM, PARA NÃO DIZER QUE NÃO A POSSUÍMOS. DEPOIS, AINDA É PRECISO ESPERAR QUE O ASSINANTE TENHA ACABADO DE RECLAMAR E DESLIGADO

7 DURANTE NOSSO TREINAMENTO NOS ENSINAM QUE NÃO DEVEMOS SER MUITO AMÁVEIS, POIS É PRECISO DESENCORAJAR AS PESSOAS A RECORREREM ÀS INFORMAÇÕES TELEFÔNICAS; O SERVIÇO DE INFORMAÇÕES EXISTE PORQUE O CATÁLOGO É INCOMPREENSÍVEL

8 É OBRIGATÓRIO QUE, DE ALGUM MODO, A TELEFONISTA REPRIMA SUAS INTENÇÕES, SUAS INICIATIVAS, SUA LINGUAGEM. EM OUTRAS PALAVRAS, SUA PERSONALIDADE.

9 CONTROLE E HIERARQUIA

10 AS TELEFONISTAS PODEM SER ESCUTADAS SEM O SABER A QUALQUER MOMENTO. SE O CHEFE DE CONTROLE ESTIVER DE MAU-HUMOR, HAVERÁ SEMPRE QUALQUER COISA PARA COMENTAR. SEJA QUE A LINGUAGEM CORRETA NÃO FOI USADA, SEJA QUE A RESPOSTA FOI MUITO DEMORADA, SEJA QUE FOI MUITO CURTA. ACABAMOS COM TORCICOLO, DE TANTO CONTROLAR O CHEFE DO CONTROLE.

11 TER MEDO DE SER VIGIADO É VIGIAR-SE A SI MESMO

12 DO PONTO DE VISTA DO RITMO DE TRABALHO, CONSTATAMOS QUE QUANDO ESTAMOS NERVOSAS, O QUE MAIS QUEREMOS É QUE O ASSINANTE DESAPAREÇA, QUE DESLIGUE, QUE FIQUEMOS LIVRES DELE. DE MANEIRA QUE COMEÇAMOS A RESPONDER MAIS DEPRESSA. MAS AÍ, MAL ELE DESLIGOU E JÁ TEM UM OUTRO CHAMADO. ENFIM, QUANTO MAIS FICAMOS NERVOSAS, MAIS DEPRESSA TRABALHAMOS E MAIS CHAMADAS RESPONDEMOS

13

14 DURANTE AS PAUSAS NO TRABALHO A GENTE OLHA O RELÓGIO 3 VEZES MAIS DO QUE DURANTE O TRABALHO NO DISCURSO DO OUTRO DEVE - SE EXTRAIR APENAS A INFORMAÇÃO SOLICITADA E NÃO PRESTAR ATENÇÃO AOS DETALHES DO QUE SE FALA, SUAS HESITAÇÕES OU SEU TOM DESAGRADÁVEL. IMPEDE-SE QUALQUER RELACIONAMENTO.

15 EXPLORAÇÃO DO SOFRIMENTO: ANSIEDADE ANSIEDADE: AGIR CONFORME AS REGRAS RECEBIDAS. QUANTO MAIS A TELEFONISTA SE ENERVA, MAIS DE SENTE AGRESSIVA E MAIS DEVE INTENSIFICAR A AUTO-REPRESSÃO. A ÚNICA SAÍDA É DE VOLTAR A AGRESSIVIDADE CONTRA SI MESMO. A AUTO- AGRESSÃO TEM FORMAS MÚLTIPLAS.

16 CONTRA O ASSINANTE DESAGRADÁVEL, A REAÇÃO AGRESSIVA NÃO TEM MAIS CHANCES DE SE EXTERIORIZAR DO QUE CONTRA A TELEFONISTA: PROIBIÇÃO DE RESPONDER, PROIBIÇÃO DE DESLIGAR, PROIBIÇÃO DE IRRITAR O OUTRO.

17 A ÚNICA SOLUÇÃO AUTORIZADA É REDUZIR O TEMPO DA COMUNICAÇÃO E EMPURRAR O INTERLOCUTOR PARA DESLIGAR MAIS DEPRESSA. ENTÃO, A ÚNICA SAÍDA PARA A AGRESSIVIDADE É TRABALHAR MAIS DEPRESSA.

18 A AGRESSIVIDADE TRANSFORMA-SE EM CULPA E A FRUSTRAÇÃO ALIMENTA A DISCIPLINA.

19 NÃO SE PEDE PARA QUE TRABALHEM MAIS RÁPIDO, MAS PROVOCANDO IRRITAÇÃO E TENSÃO NERVOSA, PODE- SE OBTER DELA MELHOR RENDIMENTO. O TRABALHO NÃO CAUSA SOFRIMENTO, É O SOFRIMENTO QUE PRODUZ O TRABALHO. SÃO AS MAIS NERVOSAS QUE TEM OS MELHORES RENDIMENTOS. CONSIDERA- SE MAIS NERVOSAS AQUELAS QUE SÃO MAIS FACILMENTE IRRITÁVEIS, MENOS PACIENTES.

20 EXPLORA-SE O MECANISMO DE DEFESA DA PESSOA CONTRA SEU SOFRIMENTO, NESTE CASO, É O DE RITMO DE TRABALHO CONTRA A AGRESSIVIDADE E A FRUSTRAÇÃO.


Carregar ppt "A EXPLORAÇÃO DO SOFRIMENTO (CRISTOPHE DEJOURS). NAS TAREFAS REPETITIVAS, OS COMPORTAMENTOS NÃO SÃO UNICAMENTE CONSEQÜÊNCIAS DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google