A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Modal Hidroviário em Santa Catarina Câmara para Assuntos de Transportes e Logística da FIESC 1ª HIDROVIA OFICIAL Joinville – São Francisco do Sul Eng.°

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Modal Hidroviário em Santa Catarina Câmara para Assuntos de Transportes e Logística da FIESC 1ª HIDROVIA OFICIAL Joinville – São Francisco do Sul Eng.°"— Transcrição da apresentação:

1 O Modal Hidroviário em Santa Catarina Câmara para Assuntos de Transportes e Logística da FIESC 1ª HIDROVIA OFICIAL Joinville – São Francisco do Sul Eng.° Fernando José Camacho Diretor Geral da SDR - Joinville Agosto de 2009

2

3

4

5 Hidrovias Brasileiras

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17 Bacia do Atlântico Sul

18 Bacia do Uruguai

19

20 O canal de navegação Laguna a Porto Alegre O projeto do Canal Laguna-Porto Alegre se insere dentro de um contexto que, na segunda metade do século XIX, foi um momento de estímulos à navegação. O projeto previa a ligação entre as lagoas existentes ao longo do litoral sul-catarinense até o Rio Grande do Sul. Com o tempo, o projeto passou por várias modificações. Foi concluída tão-somente a sua primeira parte, em 1920, chegando até a cidade de Jaguaruna.

21 QUADRO 1: SEÇÕES DO CANAL LAGUNA A PORTO ALEGRE (EM KM) SEÇÕES LIV RE MELHORA M. FLUVIAIS CANAIS A CONST RUIR TOT AL DA LAGUNA AO ARARANGUÁ 44,76,014,3065 DO ARARANGUÁ AO MAMPITUBA 37,638,5-76 DO MAMPITUBA À LAGOA DOS BARROS 105, 4 5,510,23121 DA LAGOA DOS BARROS À DOS PATOS -33,08,5842 TOTAL 1888333,0304 Fonte: MORAES, Eduardo José de. Canal de junção da Laguna a Porto Alegre: memória justificativa de seu projeto. São Paulo: Tipografia de Jorge Seckler, 1879, p. 11

22 A influência da navegação de cabotagem na fundação de Itajaí e Blumenau

23 A navegação ao longo de 70 quilômetros a montante da foz do Rio Itajaí deu condições da ocupação do Vale do Itajaí e em 1850 foi fundada a cidade de Blumenau. A ligação com o Porto de Itajaí era realizada por dois vapores a rodas laterais, o Progresso e o Blumenau, construídos na Alemanha pelo estaleiro Dampfschiffs und Mashinenbauanstalt, para o serviço regular de transporte de carga e passageiros. Na década de 50 a navegação fluvial foi extinta em função da concorrência exercida pela ferrovia e as estradas de rodagens recém construídas, os vapores foram abandonados. Posteriormente o vapor Blumenau foi restaurado e exposto nas margens do Rio Itajaí no centro de Blumenau.

24 A história do vapor O Vapor Blumenau teve estrutura encomendada na Alemanha e foi montado no Porto de Itajaí; A embarcação fazia a ligação entre Blumenau a Itajaí; Navegou pela primeira vez no Rio Itajaí-Açu dia 30 de maio de 1895; O trajeto de Blumenau a Itajaí levava seis horas. Na volta, contra a correnteza, o vapor gastava cerca de oito horas; A navegação fluvial foi desativada na década de 1950, com a Estrada de Ferro Santa Catarina e da Rodovia Jorge Lacerda; Em 2001, a restauração do Vapor Blumenau foi concluída; Em agosto de 2008, o vapor foi içado da estrutura fixa e ganhou outra localização na Prainha. Fonte: Arquivo Histórico de Blumenau

25 NAVEGANDO NO PASSADO Porto União As recordações acordam em nossas memórias quando menos se espera. Lembro perfeitamente daquele final do ano de 1972, quando recebi a visita de dois ilustres cidadãos: o engenheiro Antônio Amazonas e o médico Alvir Riesemberg. Vieram ambos à minha casa à procura de fotografias da navegação no Rio Iguaçu existentes no acervo histórico próprio. O fato de tal busca se prendia à comemoração do aniversário de 90 anos da instalação da navegação fluvial nos rios Iguaçu, Potinga e Negro, quando foi lançado às águas, no dia 17 de dezembro de 1882, o vapor Cruzeiro, pelo coronel Amazonas Marcondes. O vapor ganhou esse nome por ter o ilustre cidadão uma fazenda em Palmas com o mesmo nome. A embarcação serviria para transportar sal para o gado da fazenda. Transporte esse feito entre Porto Amazonas e Porto União da Vitória. Seria o princípio de 71 anos que durou a navegação naqueles rios, tendo sido extinta em 1953. (Texto de Cid Destefani, no Jornal Gazeta do dia 07/06/2009, página 15).

26 Vapor a roda Blumenau navegando no Rio Itajaí- Açu na cheia de 1911 Embarque de passageiros no Porto de Blumenau

27 A influência da navegação na fundação de Joinville

28 Aspectos Históricos A partir de 1850, o Rio Cachoeira, com suas águas límpidas, piscosas e cristalinas, começou a ser utilizado por diversas embarcações que transportavam os imigrantes à Colônia Dona Francisca, hoje Joinville. (Acervo Histórico do Rio Cachoeira 1843/1979, p.26). O fluxo de navegação por embarcações consistia em canoas, iates, lanchas e até barcos com capacidade para até 24 toneladas. Em 1874, a Câmara concedeu licença para limpar o Rio Cachoeira. Esta limpeza consistiu na remoção de árvores que embaraçavam a navegação. Foi autorizado também o seu balizamento desde a Barra do Itaum até o ponto da Lagoa Saguaçu, onde chegava o importante Vapor São Lourenço (Arquivo Histórico, Fundo Poder Executivo).

29 Ao Sr. Frederico Brustlein, foi concedido, em 1877, pelo Presidente da Província, o privilégio da navegação à vapor, entre os Portos de São Francisco do Sul, Parati e Joinville, por 20 anos, com prazo de 2 anos para sua organização. (Acervo Histórico do Rio Cachoeira 1843/1979, p.54) Na década de 1880, a ligação de Joinville com o Planalto Catarinense, através da Estrada Dona Francisca, e a navegação fluvial com o Porto de São Francisco do Sul propiciou o escoamento de importante produção de mate. A navegação se fazia por meio de chatas, lanchões e barcos de pequena cabotagem pela Baía da Babitonga, Lagoa de Saguaçú e o Rio Cachoeira, já em Joinville.

30 O pequeno porto, junto ao centro da vila, possuía ao longo de centenas de metros de cais, armazéns e importantes instalações como os silos e o moinho de trigo, importante mercadoria importada da Europa. Imagem retrata o cais do Porto de Joinville.

31 O Porto de Joinville manteve-se com grande atividade econômica até 1906, quando foi inaugurada a Ferrovia de Porto União a São Francisco do Sul, que deixava o município catarinense a menos de uma hora do Porto. A partir dessa data, a navegação fluvial foi perdendo as cargas para a ferrovia até se extinguir completamente nas décadas seguintes. Em 1931, o Departamento Nacional de Porto e Navegação realizou a dragagem do Rio Cachoeira e da Lagoa do Saguaçu até o afluente Bucarein, a 1.500 metros de Joinville. (Navios e Portos do Brasil, de autoria de João Emílio Gerodetti e Carlos Cornejo, Solaris Edições Culturais, São Paulo – 2006).

32 Registros Históricos

33

34

35

36

37

38 Maquete do Porto de Joinville - 1939Canal de Navegação - 1946

39

40

41

42

43

44

45 Estabelecimento da 1ª Hidrovia de Santa Catarina HIDROVIA KURT GERN

46 Proposições Regular o transporte hidroviário de passageiros e de cargas; Criar a estrutura de governo para gerir a política hidroviária do Estado; Resgatar a história da navegação em águas interiores de Santa Catarina; Reconhecer o potencial hidroviário de Santa Catarina: extensão, calado, vazão, regime, obstáculos, etc... Estabelecer incentivos ao desenvolvimento do setor hidroviário; Estimular a construção naval artesanal - desaparecimento de estaleiros familiares em Barra do Sul, Tijucas;

47 Compatibilizar os projetos hidroviários e de geração e de geração de energia com aproveitamento hidroviário urbano de passageiros: casos de Joinville, Florianópolis e Itajaí; Estabelecer ações (por exemplo, a navegação) que obriguem a realização de dragagens periódicas para a solução dos problemas ocasionados pelos assoreamentos de rios urbanos; Fixar as barras dos principais rios catarinenses da vertente do atlântico com benefícios as comunidades pesqueiras, ao turismo náutico, etc... Destacar a importância da navegação sob o ponto de vista ambiental com a conscientização da comunidade, redução da emissão de CO2, de acidentes, das inundações.

48 Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

49 1.Consulta aos órgãos públicos Plano de Controle Ambiental - ano de 2005; Autorização da Fundação Municipal do Meio Ambiente - março de 2006; Autorização do IPPUJ/Joinville - março de 2006; Parecer técnico do IPHAN – março de 2006. Parecer Técnico da Fundação Cultural de Joinville - abril de 2006; Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

50 2. Licenciamento Ambiental 2.2 Licenças Ambientais Licença Ambiental Prévia - LAP nº130/2006 - Datada de 14 de junho de 2006; Licença Ambiental de Instalação - LAI nº072/2007 - Datada de 20 de setembro de 2007; Licença Ambiental de Operação - LAO nº0103/2008 - Datada de 08 de maio de 2008; Dispensa de licença ambiental para atividade de transporte de passageiros - Datada de 06 de fevereiro de 2008; Certidão nº036/2008 de 29 de maio de 2008 - Licença para implantação e operação da sinalização náutica. Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

51 2.3 Condicionantes Ambientais Análises químico-físicas e biológicas das águas superficiais e de sedimentos antes, durante e após o processo de dragagem; Diagnóstico atualizado das condições ambientais das áreas de preservação permanente ao longo do trecho considerado; Reconhecimento das obras e edificações junto as margens do Rio Cachoeira; Levantamento batimétrico após o término da dragagem; Limpeza periódica do leito e das margens do Rio Cachoeira. Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

52 3. Dragagem e Desassoreamento – ANO 2007 02/10/2007: SDR – Joinville recebe autorização da Marinha para início dos trabalhos; 4. Nova intervenção de Desassoreamento no Rio Cachoeira – ANO 2008 Desassoreamento do Canal de Navegação do Rio Cachoeira em três trechos distintos localizados no segmento Mercado Público – Ponte do Trabalhador; 16/10/2008: SDR – Joinville emite a ordem de serviço. Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

53 4.1 Registros Fotográficos – ANO 2007 Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

54 4.2 Registros Fotográficos – ANO 2008 Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

55 5. Reunião com moradores ribeirinhos 28/09/2007: SDR – Joinville explica as ações do Governo do Estado (dragagem e hidrovia). Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

56 6. Mutirão de limpeza do Rio Cachoeira 22/11/2007: SDR – Joinville realiza mutirão de limpeza com diversas entidades: Gerência de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Agricultura; Polícia Ambiental; Vigilância Sanitária Estadual; Vigilância Sanitária Municipal; FUNDEMA Engepasa Ambiental; Secretaria de Infra-Estrutura Urbana – PMJ; Corpo de Bombeiros Voluntários. Total de resíduos coletados: 15.640 KG Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

57 6.1 Mutirão de limpeza do Rio Cachoeira Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

58 7. Levantamento Batimétrico 19/03/2008 Terminal Hidroviário de Joinville até o Joinville Iate Clube (início da Lagoa de Saguaçú); 18/06/2008 Joinville Iate Clube até o Centro Histórico de São Francisco do Sul. 8. Projeto de Balizamento Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

59 Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

60 9. Sinalização Náutica 11Bóias de polietileno com contrapeso curto e 1,0m de diâmetro(5 encarnadas e 6 verdes); 08 Bóias de polietileno 1,8m de diâmetro (2 encarnadas, 3 verdes, 3 de perigo isolado); 21 Balizas de margem (branca), com 42 placas sinalizadoras; 03 Faroletes (Terminal Hidroviário de Joinville e São Francisco do Sul e perigo isolado). Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

61 9.1 Registros Fotográficos Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

62 10. Estudos Maregráficos Objetivam conhecer as condições de propagação das marés (correlacionada a tábua de marés – base São Francisco do Sul) na Lagoa de Saguaçú e principalmente no Rio Cachoeira para avaliar sua repercussão na região central de Joinville quando da ocorrência de precipitações intensas e igualmente permitir o estabelecimento de horários mais adequados para a navegação entre Joinville e São Francisco do Sul. 11. Levantamento Batimétrico Reavaliar as condições do leito do Rio Cachoeira (a partir do Terminal Hidroviário) e da Lagoa de Saguaçú (até a foz na Baía da Babitonga). Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

63 11.1 Registros Fotográficos Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

64 12. Manutenção da Sinalização Náutica Serviços de manutenção, monitoramento, conservação e reparo (inclusive fornecimento de materiais de reposição e execução de levantamento batimétrico) dos sinais náuticos (fixos e flutuantes) do balizamento da Hidrovia entre Joinville e São Francisco do Sul (Rio Cachoeira, Lagoa de Saguaçú e Baía da Babitonga); Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

65 12.1 Reposicionamento e limpeza dos sinais náuticos Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

66 12.2 Desincrustação e limpeza do material de fundeio e placas sinalizadoras Estudos, Levantamentos, Projetos e Ações Desenvolvidas

67 Atos de Vandalismo Bóias na Lagoa de Saguaçú Bóias na Baía da Babitonga

68 Atos de Vandalismo Roubo de Lanternas na Lagoa de Saguaçú e placas destruídas no Rio Cachoeira

69 Autorização para exploração da navegação

70 Autorização para navegação

71 Terminais Hidroviários - Joinville

72 Terminais Hidroviários – São Francisco do Sul

73 Jet Bus – Transportes Marítimos Jet Bus Astillero Benavidez; Comprimento: 20 m, Calado: 1,20 m; 2 Motores Iveco de 400HP diesel eletrônicos com baixíssima emissão de gases; Para 87 passageiros com 3 tripulantes; Banheiro; Ar condicionado; Sistema de som e TV; Os mais modernos equipamentos de navegação( GPS com carta náutica/ Radar/ Sonda/ câmera); Duas balsas auto infláveis para 50 pessoas cada; Sistema anti incêndio com acionamento remoto; Velocidade de cruzeiro de 15 nós.

74 Jet Bus – Transportes Marítimos Jet Truck Motor Mercedes de 250 HP; Para 90 passageiros e dois tripulante; Similar ao usado em transportes de passageiros na baia de Paranaguá a mais de 40 anos; GPS com carta náutica; Equipamentos de salvatagem; Banheiro; Sistema de som; Tarifa popular de R$ 7,50.

75 Jet Bus – Transportes Marítimos Embarcação Jet Van Embarcação Jet Truck

76 Jet Bus – Transportes Marítimos Embarcação Jet Bus

77 Jet Bus – Transportes Marítimos Embarcação Jet Bus

78

79 Portos da Região

80

81

82 OBRIGADO! Contato Telefone: 47 3431-2800 E-mail: camacho@jve.sdr.sc.gov.br felipe@jve.sdr.sc.gov.br Site: www.jve.sc.gov.br


Carregar ppt "O Modal Hidroviário em Santa Catarina Câmara para Assuntos de Transportes e Logística da FIESC 1ª HIDROVIA OFICIAL Joinville – São Francisco do Sul Eng.°"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google