A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

E DUCATION G OES G REEN Apresentações Powerpoint do Módulo Pensamento Verde para as TIC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "E DUCATION G OES G REEN Apresentações Powerpoint do Módulo Pensamento Verde para as TIC."— Transcrição da apresentação:

1 E DUCATION G OES G REEN Apresentações Powerpoint do Módulo Pensamento Verde para as TIC

2 HARDWARE Dos primórdios à emancipação enquanto ferramenta que contribui para um Mundo mais verde Compilado por:

3 C ONTEÚDOS Definição História e Desenvolvimento TIC Verdes Hardware enquanto ferramenta que contribui para um Mundo mais verde: Exemplos práticos Boas Práticas

4 1- D EFINIÇÃO O Hardware de computador é a coleção de elementos físicos que compõem um sistema informático. O Hardware de computador refere-se às partes ou componentes físicas de um computador, tais como monitor, teclado, disco rígido, rato, impressoras, placas gráficas, placas de som, memória, motherboard e chips, etc, os quais são objetos físicos que podem realmente ser tocados. A parte mais importante do Hardware é a Motherboard.

5 Contrariamente ao software, o hardware é uma entidade física. Não obstante, o Hardware e o Software estão relacionados, uma vez que sem software, o hardware de um computador não fazia sentido, nem sequer funcionaria na verdade. Contudo, sem a existência de um hardware para desempenhar determinadas tarefas diretamente comandadas pelo software através da Unidade de Processador Central (CPU), este seria inútil. Source: _of_pc_hardware.jpg

6 2- HISTÓRIA E DESENVOLVIMENTO O computador foi referido como a máquina que pode realizar a tarefa de computação a partir do final do século XIX. No entanto, já não é apenas uma máquina de cálculo, tem diversas aplicações e também revolucionou a indústria. Se analisarmos em profundidade a história do computador, temos de retroceder até ao século XVI. Contudo, o verdadeiro progresso neste campo começou no século XIX.

7 PRIMEIROS COMPUTADORES DIGITAIS O Zues foi introduzido na Alemanha em 1941, utiliza o código binário para o seu funcionamento e envolve o mecanismo de computação de leitura mecânica. Um ano mais tarde, em 1942, o computador Attansoff Berry (EUA) apareceu com um mecanismo de computação binário elétrico. Collusus Mark surgiu no Reino Unido em 1944 e foi também baseado no princípio de numeração binária. No mesmo ano em Harvard, foi introduzido o Harvard Mark IBM ASCC. O ENIAC foi introduzido em 1946 e teve origem no Reino Unido. A versão modificada do ENIAC foi introduzida em 1948, e em Surgiram entretanto, o EDSAC, o Manchester Mark e o CSIRAC.

8 Os primeiros computadores e o hardware associado eram muito caros e pesados. Por exemplo, o primeiro computador portátil pesava cerca de 25kg.

9 O primeiro computador portátil foi introduzido pela IBM em 1975, era do tamanho de uma pequena mala e também requeria energia externa para funcionar. A utilização de memória de acesso aleatório (RAM) começou em Esta memória era anteriormente conhecida como memória de núcleo magnético. A invenção da memória RAM pode ser atribuída a An Wang e Jay Forrester. A memória de núcleo foi a base para os primeiros computadores e foi substituída em 1970 por chips de RAM integrados em silicone. O primeiro disco rígido foi introduzido pela IBM e foi utilizado no IBM 305RAMAC. Começou a fazer parte dos primeiros computadores da IBM na década de 60. Tem uma taxa de transferência de dados de cerca de 8,800 caracteres por segundo. O primeiro rato foi inventado por Douglas Engelbart em O rato ótico foi inventado em 1980 e não teve grande popularidade durante a fase inicial da sua invenção.

10 A primeira impressora a laser foi concebida por Gary Starkweather em Contudo, não se tornou popular até que a IBM introduziu a sua impressora a laser da marca conhecida como IBM 3800 em O primeiro servidor web surgiu em 1991, e foi usado por Tim Berners quando descobriu a World Wide Web no CERN.

11 TIC VERDES Os computadores e outras infraestruturas de TI consomem quantidades significativas de energia elétrica, colocando um fardo pesado nas nossas redes elétricas e contribuindo para as emissões de gases de efeito estufa. Além disso, o hardware de TI apresenta graves problemas ambientais, quer durante a sua produção quer durante a sua eliminação. As TI são uma parte significativa e crescente dos problemas ambientais que enfrentamos hoje. Somos obrigados a minimizar ou eliminar, se possível, o impacto ambiental das TI para ajudar a criar um ambiente mais sustentável.

12 Para reduzir os problemas ambientais das TI e para criar um ambiente sustentável, recorremos ao setor das TI, bem como qualquer utilizador de computador para tornar verdes os seus sistemas de TI, assim como a forma como eles utilizam estes sistemas. Temos a obrigação legal, ética e social de tornar os nossos produtos, aplicações, serviços e práticas de TI mais verdes. As TI Verdes beneficiam o meio ambiente através da melhoria da eficiência energética, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa, utilizando materiais menos nocivos e incentivando a reutilização e a reciclagem.

13 4 - HARDWARE ENQUANTO FERRAMENTA QUE CONTRIBUI PARA UM MUNDO MAIS VERDE Source: reen-ict reen-ict

14 HARDWARE ENQUANTO FERRAMENTA QUE CONTRIBUI PARA UM MUNDO MAIS VERDE I MPLEMENTAÇÕES PRÁTICAS 1. Informática a Energia Solar 2. Redes de Sensores Inteligentes 3. Computação em Nuvem (Cloud Computing) 4. Dispositivos Móveis – Eco Carregador 5. Saco Solar Gerador Voltaico 6. Caneta Digital 7. Papel Eletrónico

15 I NFORMÁTICA A E NERGIA S OLAR É composto por um pacote completo que contém a unidade de base de corrente alternada/corrente contínua com bateria selada interna de 60 amperes por hora e uma alavanca destacável. O painel elétrico solar tem uma cobertura de vidro temperado de segurança de alta resistência, estrutura em alumínio rígida e integrada, controlador solar avançado, com cabo de alimentação solar de 4,5m. As células solares exigem pouca manutenção ao longo da sua vida útil, e quando os custos iniciais de instalação estiverem cobertos, fornecem energia praticamente sem custos. A produção mundial de células solares aumentou rapidamente nos últimos anos, e à medida que mais governos começam a reconhecer os benefícios da energia solar, e o desenvolvimento de tecnologias fotovoltaicas continua, os custos deverão continuar a diminuir.

16 R EDES DE S ENSORES I NTELIGENTES Os sensores e redes de sensores têm um impacto importante na superação dos desafios ambientais. Aplicações de sensores em vários campos, tais como redes elétricas inteligentes, edifícios inteligentes e controlo de processos industriais inteligente, contribuem significativamente para uma utilização mais eficiente de recursos e, portanto, uma redução das emissões de gases de efeito estufa e outras fontes de poluição.

17 C OMPUTAÇÃO EM N UVEM (C LOUD C OMPUTING ) A computação em nuvem tem muitos benefícios, um dos quais é permitir que qualquer pessoa possa obter os benefícios ambientais da virtualização. Enquanto a maioria dos servidores em centros de dados de empresas funcionam a c.30% da sua capacidade, a maioria dos servidores de fornecedores em nuvem funcionam a 80% da sua capacidade ou mais. A escolha de computação em nuvem por parte das empresas pode, portanto, reduzir potencialmente a pegada de carbono. Para além de permitir que a capacidade do servidor funcione com uma maior eficiência energética ideal, a computação em nuvem também pode eliminar a necessidade de a maioria dos utilizadores utilizar PCs e portáteis de alta potência. De fato, ao optar por utilizar aplicações SaaS a partir da nuvem, uma das vantagens da computação em nuvem é que o hardware de menor potência se torna uma opção cada vez mais viável. É também importante notar que o uso de ferramentas SaaS também pode permitir que mais pessoas colaborem sem a necessidade de se deslocarem fisicamente reduzindo, por sua vez, o impacto ambiental da atividade.

18 D ISPOSITIVOS M ÓVEIS – E CO C ARREGADOR Um carregador pode carregar todos os seus aparelhos, reduzir o desperdício de energia standby, e a tecnologia desliga automaticamente a potência de carga para o seu dispositivo quando não é necessário e liga-se de novo facilmente quando necessário. Se pensarmos em todos os carregadores ligados e em funcionamento 24 horas por dia, independentemente de os dispositivos a serem carregados exigirem energia ou não, isso representa bastante desperdício de energia e bastantes emissões de CO2 libertadas no meio ambiente. O dispositivo Eco Carregador reduz o desperdício de energia em standby em cerca de 85% e a tecnologia desliga automaticamente o carregamento de energia do dispositivo quando não é necessário e tem um botão de ativação instantânea para ativar de imediato com o dispositivo que necessita de ser carregado novamente.

19 S ACO S OLAR G ERADOR V OLTAICO O sol banha generosamente a terra com luz abundante, mas para além da porção minúscula que é atualmente capturada, a maioria não está a ser utilizada para gerar energia. A Voltaic Systems Inc. quer pôr fim a isto com sua linha de bolsas e mochilas solares para portáteis. Capaz de carregar um notebook, telemóvel ou outro dispositivo, a mala Geradora Voltaica de 4.5-lb. pode ser a sua rede elétrica pessoal em qualquer lugar. No lado de fora está um painel solar rígido de 38 por 25 cm que pode obter até 15 watts de energia durante um dia ensolarado para carregar a sua bateria interna de 58 watts. Carregada durante seis horas num dia ensolarado é capaz de iniciar um Lenovo ThinkPad X300 sem bateria e elevar o nível de bateria do notebook para 50%.

20 C ANETA D IGITAL O papel digital, também conhecido como papel interativo, é papel utilizado em conjunto com uma caneta digital para criar documentos digitais escritos à mão. O padrão de pontos impressos identifica as coordenadas de posição sobre o papel. A caneta digital utiliza este padrão para armazenar o que foi escrito à mão e enviá-lo para um computador. Uma caneta digital é um instrumento de escrita operado por bateria que permite que o utilizador capture digitalmente uma nota escrita à mão ou um desenho. Normalmente, uma caneta digital vem com uma pen USB para que o utilizador carregue as notas escritas à mão para um computador pessoal (PC). A caneta parece uma caneta normal e pode ser utilizada como tal, mas requer papel digital especial se o utilizador desejar captar digitalmente o que escreveu. Uma página de papel digital, que pode ser comprada em tamanho tradicional ou em tamanho de bloco de notas adesivas, tem pequenos pontos sobre ela, que permitem que a caneta veja o que foi escrito.

21 P APEL E LETRÓNICO O papel eletrónico e a tinta eletrónica são tecnologias de ecrã que são concebidas para imitar a aparência de tinta comum em papel. Ao contrário dos convencionais ecrãs em painéis planos que emitem luz, os ecrãs em papel eletrónico refletem a luz como o papel comum. Muitas das tecnologias podem conter texto estático e imagens indefinidamente sem a utilização de eletricidade, enquanto permitem que as imagens sejam alteradas posteriormente. O papel eletrónico flexível utiliza substratos de plástico e produtos eletrónicos de plástico para o painel posterior. Aplicações de ecrãs eletrónicos incluem etiquetas eletrónicas de preços em lojas de venda a retalho e sinalização digital, horários em estações de autocarro, painéis eletrónicos, ecrãs de telemóveis e e-readers capazes de exibir versões digitais de livros e revistas em papel eletrónico.

22 5- BOAS PRÁTICAS 1. Carbon-free Computing 2. Energy Star 3. Project Big Green

23 C OMPUTAÇÃO LIVRE DE CARBONO A Computação Livre de Carbono é um projeto iniciado pela tecnologia VIA em outubro de 2006 como parte da Iniciativa de Computação Verde VIA, que visa fabricar a primeira linha mundial de produtos de PCs que podem ser certificados como sendo livres de carbono. A iniciativa de Computação Livre de Carbono VIA consiste num conjunto de programas e nos produtos que são desenvolvidos para reduzir o seu impacto sobre o ambiente. A iniciativa de Computação Livre de Carbono VIA conduz a conceção de uma nova classe de produtos para PC livres de carbono que reduzem o impacto do carbono no ambiente. O principal objetivo desta iniciativa é trabalhar em estreita colaboração com os parceiros e organizações escolhidos para criar PCs que possam ser certificados e promovidos como sendo "livres de carbono". A VIA também se concentra em fornecer uma forma eficaz de permitir que os utilizadores comerciais, governamentais e finais descubram os PCs "livres de carbono" e os seus benefícios. A iniciativa de Computação Livre de Carbono utiliza o conceito de "compensação de carbono", no qual uma empresa pode realizar parcerias com outras organizações em projetos para "compensar" as emissões de carbono, quer diretas quer indiretas, no processo de fabrico. Um exemplo de tais emissões indiretas pode ser a utilização de eletricidade produzida por uma central elétrica que emite carbono. Junto com especialistas ambientais, a VIA trabalha para calcular a eletricidade utilizada por um produto de computador comum livre de carbono durante sua vida útil. Ao utilizar estes valores, a VIA calcula a quantidade de emissões de dióxido de carbono lançadas no meio ambiente a partir de centrais elétricas. A VIA trabalha então na redução da quantidade de emissões de dióxido de carbono através da realização de vários projetos, tais como reflorestamento, energia alternativa e conservação de energia.

24 G OVERNOS APOSTAM NO V ERDE ! Muitos governos no mundo inteiro iniciaram programas de gestão de energia, como o Energy Star, uma norma internacional para equipamento eletrónico eficiente em termos de energia que foi criada pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos da América em 1992 e que foi adotada agora por vários outros países. A Energy Star reduz a quantidade de energia consumida por um produto ao hiberná-lo automaticamente quando não está a ser utilizado ou reduzindo a quantidade de energia utilizada por um produto quando está em modo standby. Surpreendentemente, a eletricidade consumida pelos aparelhos quando estão desligados, mas em standby, pode representar 12% do consumo de eletricidade de um agregado familiar típico. Mundialmente, a energia em standby é estimada como sendo correspondente a 1% das emissões globais de gases de efeito de estufa. A maior parte da energia utilizada por produtos em standby não resulta em qualquer função útil. Uma pequena quantidade pode ser necessária para a manutenção da memória ou de um relógio interno, ativação por controlo remoto ou outras funcionalidades; mas a maior parte da energia utilizada em standby é energia desperdiçada. Os produtos habilitados da Energy Star minimizam este desperdício.

25 P ROJECTO B IG G REEN Em maio de 2007, a IBM apresentou o seu projeto Big Green, dedicado a aumentar a eficiência energética de todas as filiais da empresa em todo o mundo. Os especialistas afirmam que as empresas vão continuar a investir em computação limpa, não apenas devido a regulamentos, políticas e exigências sociais futuras para reduzir a sua pegada de carbono, mas também devido às significativas poupanças a longo prazo que podem realizar. O Projeto Big Green, da IBM está a utilizar a sua perícia e inovações de tecnologia inteligente em termos energéticos para delinear uma abordagem de cinco etapas para os seus clientes, que é concebida para melhorar drasticamente a eficiência energética: 1. DIAGNOSTICAR: Avaliar as instalações existentes – avaliação de energia, gestão de energia em 3-D virtual e análises térmicas 2. CONSTRUIR: Planear, construir ou atualizar para um centro de dados eficiente em termos energéticos 3. VIRTUALIZAR: Virtualizar as infraestruturas de TI e processadores com objetivos especiais 4. GERIR: Obter controlo com software de gestão de energia 5. REFRIGERAR: Explorar soluções de refrigeração claras – dentro e fora do centro de dados A IBM vai lançar em breve uma central de informações aberta via web para incentivos de eficiência energética. O Localizador de Incentivos de Eficiência Energética será um website fundamental para obter detalhes sobre os incentivos e programas de eficiência energética que estão disponíveis a partir de empresas de serviços públicos locais, governos e outras agências participantes em qualquer lugar do mundo.

26 APLICAÇÕES DE SOFTWARE PARA PENSAMENTO VERDE Compilado por:

27 C ONTEÚDOS Definição História e Desenvolvimento Contribuição para a proteção ambiental Implementação prática / exemplos práticos

28 1- D EFINIÇÃO O Software de computador, ou apenas software, é uma coleção de programas de computador e de dados relacionados que fornecem as instruções para dizer ao computador o que fazer e como fazê- lo.

29 T IPOS DE SOFTWARE Sistema de software É um software de computador projetado para operar o hardware do computador fornecendo funcionalidades básicas e uma plataforma para a execução de aplicativos de software. Este sistema inclui drivers de dispositivos, sistemas operacionais, servidores, utilitários e sistemas de janelas. Software de programação Software de programação inclui ferramentas na forma de programas ou aplicativos que os desenvolvedores de software usam para criar, depurar, manter, ou não apoiar outros programas e aplicações. O termo geralmente refere-se a programas relativamente simples, como compiladores, depuradores, interpretadores e editores de texto. Aplicativos de Software Trata-se de um conjunto de programas que permite que o computador execute um trabalho de processamento de dados específico para o utilizador. É uma categoria ampla, e engloba software de vários tipos, como navegadores de internet.

30 2- H ISTÓRIA E DESENVOLVIMENTO A primeira teoria sobre o software foi proposta por Alan Turing na sua dissertação de 1935 Números computáveis com um aplicativo para o problema de Entscheidungs (problema de decisão). O termo "software" foi usado pela primeira vez no papel por John W. Tukey em A história do software de computador é mais frequentemente rastreada até ao primeiro bug de software em 1946.

31 3- CONTRIBUIÇÃO PARA A PROTEÇÃO AMBIENTAL Edifícios Inteligentes Grelhas elétricas inteligentes Transportes Inteligentes Estilos de vida sustentáveis Saúde / educação inteligentes

32 4- I MPLEMENTAÇÃO PRÁTICA 1. Ecofont 2. Green Print 3. Aplicações para o trânsito 4. Pegada ecológica

33 4.1- E COFONT A tinta das impressoras não só é tóxica como também é dispendiosa. Poupar tinta ou toners ajuda numa política de redução de custos. O software Ecofont economiza tinta e toners, ao deixar pequenos buracos nas letras. Alega-se pela empresa desenvolvedora que esses buracos nunca são visíveis na tela e no papel, são ignorados pelos nossos cérebros. Além de economizar tinta, o software Ecofont economiza papel, imprimindo sem imagens desnecessárias ou apenas uma pequena seleção de uma conversa longa no (texto rico).

34 4.2- G REEN P RINT O GreenPrint é um programa de software que lhe dá muito mais controlo sobre o que você quer imprimir. Duas versões: Home Business O GreenPrint também lhe permite controlar a quantidade de papel que você está a poupar, assim como os custos relacionados. Este é um recurso particularmente útil, pois dá feedback visual mostrando a contribuição que está a dar para ajudar o meio ambiente (para além de poupar dinheiro).

35 4.3- A PLICAÇÕES PARA T RÂNSITO A congestão do tráfego acontece quando o volume de tráfego numa estrada é tão grande que força os condutores a abrandarem ou pararem completamente. O condutor médio gasta cerca de 34 horas extra por ano à espera no tráfego. As filas de trânsito são uma frustração para os condutores em todo o lado, particularmente nas grandes cidades. O congestionamento do trânsito pode ter um grande número de efeitos na poluição do ambiente, na saúde das pessoas e na economia de todos os países. IBB Traffic Aplicações móveis para iPhone e Android. Google Maps Traffic

36 4.4- P EGADA ECOLÓGICA A Advanced Business Solutions, uma aplicação de negócios integrada e prestadora de serviços, anuncia o lançamento do software C arbon Accouting. O Carbon Accounting é um produto abrangente e sofisticado de monitorização de carbono no mercado. A solução, que está integrada com o OpenAccunts, outro sistema de gestão financeira da empresa, permite às empresas medir as emissões de carbono rápida e facilmente e orçamentar mais exatamente as emissões de dióxido de carbono. Ao usar o Carbon Accounting, os dados de emissões de carbono capturados são automaticamente gravados no registo geral e nos registos de projetos relevantes, proporcionando transparência imediata ao diminuir o tempo do processamento manual.

37 5- B OAS PRÁTICAS 1. Smart Meter 2. Verdiem

38 5.1- S MART M ETER Um smart meter é normalmente um medidor elétrico, mas pode também ser um dispositivo para medir o consumo de gás natural ou água, que grava o consumo de energia elétrica em intervalos de uma hora ou menos e comunica essa informação pelo menos diariamente à aplicação para propósitos de monitorização e contabilização. O American Council for an Energy-Efficient Economy reviu mais de 36 medidores inteligentes residenciais e programas de feedback a nível internacional. O desenvolvimento do maior medidor inteligente foi levado a cabo pela Enel SpA, a aplicação dominante em Itália com mais de 30 milhões de clientes. O sistema proporciona uma grande variedade de características avançadas, incluindo a possibilidade de ligar ou desligar remotamente, ler a informação a partir de um medidor, detetar uma interrupção do serviço, mudar o máximo de eletricidade que um cliente pode utilizar a qualquer momento, detetar uso não autorizado de eletricidade e desligá-lo remotamente, e mudar remotamente o plano de contabilização do medidor de crédito para pré pago, assim como de taxa fixa para tarifa múltipla.

39 5.2- V ERDIEM O Verdiem contribuiu extensivamente para definir o mercado de gestão de energia dos PCs e cresceu para alcançar a liderança no software de gestão de energia e eficiência TI. O Verdiem Surveyor torna possível para os clientes centrarem o controlo e redução da energia dos PCs, Macs ou dispositivos de rede que usem Cisco EnergyWise, sem impacto nos utilizadores finais. O Surveyor foi instalado em 2 milhões de dispositivos por aproximadamente 700 corporações, agências governamentais e universidades. A maioria dos clientes verifica o ROI de 6 a 12 meses. Casos de sucesso: Os National Institutes of Health (NIH) utilizam o software Verdiem Surveyor para redução de consumo de energia dos PCs. O Surveyor da Verdiem foi também rapidamente instalado para PCs em 24 centros de operações diferentes nos Estados Unidos pela Cox Enterprises. Prince George's County Public Schools: Numa altura em que o financiamento é um problema massivo para as escolas, as Prince George's County Public Schools encontraram uma forma inovadora de reduzir custos sem se desviar da sua missão educacional em Maryland.

40 E-S ERVIÇOS Compilado por:

41 C ONTEÚDOS Definição História e Desenvolvimento Contribuição para a proteção ambiental Implementação prática / exemplos práticos

42 Os serviços eletrónicos, os esforços ou desempenhos cuja entrega é mediada pela tecnologia da informação. Tal serviço eletrónico inclui o elemento de serviço de correio eletrónico, suporte ao cliente e prestação de serviços. Esta definição reflete três componentes principais: Prestador de serviços; Recetor do serviço; Canais de prestação de serviços (ou seja, a tecnologia). O serviço eletrónico inclui serviços não comerciais (online), que normalmente são fornecidos pelo governo, mas também pode incluir o comércio eletrónico, fornecido pelo setor privado. A utilização e a descrição do serviço eletrónico nesta apresentação serão limitadas ao contexto do governo eletrónico porque os serviços eletrónicos são geralmente associados ao setor público. D EFINIÇÃO DOS E - SERVIÇOS

43 Governo eletrónico Portal central Assinaturas eletrónicas Faturação eletrónica Impostos via internet Comércio eletrónico (setor privado) por exemplo Amazon.com Outros serviços eletrónicos e-banking (setor público e privado) e-learning Os serviços eletrónicos reduzem a utilização de papel e combustíveis e a poluição. A S ÁREAS DOMINANTES DE APLICAÇÃO DE SERVIÇOS ELETRÓNICOS SÃO :

44 O conceito de serviços eletrónicos e e-government é definido. O termo e-government é utilizado num sentido amplo, e inclui todos os serviços e atividades na Internet, tanto por parte do governo, como por empresas privadas, grupos e indivíduos. A história e o desenvolvimento do e-government nas últimas décadas foram clarificados, em especial, as políticas e estratégias na UE e nos outros países da Europa e feito um ponto da situação atual a respeito do e-government na Europa. D EFINIÇÃO DE E - GOVERNMENT

45 As mais diversas entidades governamentais têm investido nas TIC com o objetivo de aumentar a qualidade dos seus serviços e diminuir os custos com o serviço público. Estratégia para o e-government na Europa Manchester 2006 Declaração de apoio à estratégia Europeia relativamente ao e-government até A HISTÓRIA E O DESENVOLVIMENTO DO E - GOVERNMENT

46 Lisboa 2007 (até 2010) A declaração ministerial abrange, entre outros, a utilização da identificação eletrónica e de notas fiscais eletrónicas entre os países, simplificando a interação dos cidadãos com o governo, o acesso para que todos utilizem o governo eletrónico e o aumento da participação pública nas decisões democráticas. Malmö 2009 (até 2015) Os cidadãos e as empresas devem ter mais independência através de governo eletrónico com base nas necessidades do utilizador e deve ser desenvolvida em parceria com terceiros, e proporcionar um maior acesso à informação pública, o aumento da transparência e abrir canais efetivos para a participação dos interessados no processo de decisão política. …A HISTÓRIA

47 Ênfase no e-government na Europa Melhorar a eficiência do setor público de forma a garantir a sustentabilidade económica futura. Região Europeia A Europa tem um maior nível de desenvolvimento do governo eletrónico em comparação com outros continentes. Na Europa, a percentagem de desenvolvimento é cerca de 50% mais elevada do que no resto do Mundo. A Europa Ocidental e do Norte, são os que oferecem mais serviços online, mas foram feitos progressos consideráveis na Europa Oriental e do Sul em Desiquilíbrio Mundial É visível um desequilíbrio no fosso digital entre os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento, especialmente na África. …A HISTÓRIA

48 Apesar das TI serem responsáveis por dois por cento do total de emissões de CO2 do mundo, são elas que contêm a chave para resolver o problema. O e-government como uma ferramenta importante para promover um melhor acesso à administração pública e aos seus serviços para os cidadãos, as empresas e outras instituições. O governo eletrónico pode reduzir o custo de todos os partidos e aumentar a qualidade do serviço. Alguns países providenciam informação online para educar os cidadãos em temáticas de proteção do ambiente e da procura de ar puro, da água potável, da energia e da conservação de recursos. No entanto, poucos países oferecem recursos destinados a notificar proativamente cidadãos de questões ambientais ou permitir aos cidadãos que concentrem as suas pesquisas online especificamente no meio ambiente. Da mesma forma, o envolvimento dos cidadãos nas questões ambientais vem da sua infância. Enquanto a Europa assume a liderança, outras regiões demoram a seguir o exemplo. C ONTRIBUIÇÃO DO E - GOVERNMENT PARA A PROTEÇÃO AMBIENTAL

49 Os cidadãos não querem despender o seu tempo em papelada nos seus governos locais Através do e-government, os contribuintes não usam recursos do Estado. O envio de declarações por imposto eletrónico resultou numa poupança substancial para o governo e para os contribuintes, tanto em tempo como em dinheiro. A impressão e distribuição de documentos fiscais por correio diminuíram mais de 50%nos últimos anos. Também permitiu a economia de gás que é necessário para enviar os formulários e, portanto, diminuiu a poluição. O enfoque tem sido num portal central de e- government na maioria dos países do Mundo Ocidental onde os cidadãos obtêm informação e vários serviços online E XEMPLOS PRÁTICOS DO E - GOVERNMENT

50 Assinaturas digitais É um esquema para demonstrar a autenticidade de uma mensagem digital ou de um documento. Uma assinatura digital válida dá uma razão ao recetor para acreditar que a mensagem foi criada por um remetente conhecido, e que não foi alterada durante o trajeto. As assinaturas digitais são utilizadas principalmente em correios eletrónicos e em contratos entre; indivíduos, empresas e o governo. Faturação eletrónica É a entrega eletrónica das faturas (contas) e informações relacionadas por um governo / pelas empresas, aos seus clientes. O objetivo da faturação eletrónica é substituir soluções caras por outras de menor custo/maior benefício, tal como as faturas em papel e as digitalizações das faturas em papel. Poupa dinheiro, tempo, combustível e reduz a poluição. Threads de segurança online Apenas cerca de um quinto dos portais nacionais indicam claramente a presença de características de segurança com variações regionais significativas. Segundo a Pesquisa da ONU de 2012, quase metade dos países da Europa exibem ligações seguras nos seus sites nacionais, enquanto em África apenas um país parece fazê-lo, ressaltando a dificuldade contínua que os governos Africanos têm em avançar para as fases de transacção e de conexão do desenvolvimento do governo eletrónico.

51 O sistema imposto eletrónico ajuda as pessoas a preparar a sua declaração de impostos online e a enviá-lo para o governo. Um bom exemplo de boas práticas é como a declaração de imposto online ou o imposto eletrónico (skattur.is) na Islândia economiza tempo, dinheiro, documentos e energia para todos os envolvidos. A informação de registo tem sido muito maior no sistema imposto eletrónico. Todos os rendimentos são pré registados no número de identificação individual na base de dados do sistema imposto eletrónico e quase todas as propriedades reais e os veículos, juntamente com informações dos bancos e das instituições financeiras sobre os juros e ativos financeiros, dividendos e as equivalências patrimoniais. Todo o processamento de declarações fiscais, agora é muito mais rápido do que anteriormente. O sucesso nesta área é principalmente devido à reação dos contribuintes, tanto os que apresentaram a sua declaração online como os auditores, os contabilistas externos, etc, que produzem os números de seus clientes eletronicamente. B OAS PRÁTICAS EM E - GOVERNMENT

52 O resultado beneficia também da ênfase que foi colocada na informação necessária pré registada, que tornou a interface fácil de utilizar para a declaração de impostos. É possível fazer todas as declarações fiscais, de pessoas físicas e jurídicas, sejam elas operacionais ou não, eletronicamente, através da Internet. Cada pessoa recebe uma senha da página web ou podem utilizar uma assinatura digital que será a mesma a utilizar nos próximos anos para enviar uma declaração fiscal para o site ou informações sobre outro imposto que esteja disponível na página do serviço. No caso dos casais, cada membro do casal recebe a sua própria senha. B OAS PRÁTICAS EM E - GOVERNMENT

53 TECNOLOGIAS DE COMUNICAÇÃO Compilado por

54 C ONTEÚDOS Definição História e Desenvolvimento Contribuição para a proteção ambiental Implementação prática / exemplos práticos

55 Tecnologias de informação e comunicação (TIC) é normalmente usado como um sinónimo alargado para tecnologias de informação (IT), mas é um termo mais específico que salienta o papel das comunicações unidas e a integração das telecomunicações (linhas telefónicas e sinais wireless), computadores assim como software necessário para as empresas, middleware, armazenamento e sistemas audiovisuais, que permitem aos utilizadores ter acesso, armazenarem, transmitirem e manipularem informação. Tecnologias de comunicação – sistemas eletrónicos utilizados para a comunicação entre indivíduos ou grupos. As tecnologias de comunicação facilitam a comunicação entre indivíduos ou grupos que não estão fisicamente presentes no mesmo local. Sistemas tais como telefones, telex, fax, rádio, televisão e vídeo estão incluídos aqui, tais como tecnologias com base em computadores mais recentes, incluindo troca de informação eletrónica e (http://www.qfinance.com/dictionary/communication-technology). D EFINIÇÃO

56 A expressão TIC tem sido utilizada pelos investigadores académicos desde os anos 80, mas tornou-se popular depois de ter sido utilizada num relatório para o governo do Reino Unido por Dennis Stevenson em 1997 e no National Curriculum revisto para Inglaterra, Gales e Irlanda do Norte, em As TIC cobrem qualquer produto que armazene, recupere, manipule, transmita ou receba informação eletronicamente num formato digital. O termo TIC é hoje em dia também utilizado para se referir à convergência de audiovisuais e redes telefónicas com redes de computadores através de um único cabo ou sistema de ligação. Nos negócios, as TIC são normalmente divididas em dois grandes tipos de produtos: 1.As tecnologias tradicionais com base em computadores (coisas que se podem fazer tipicamente num computador pessoal ou usando computadores em casa ou no trabalho); e 2.O âmbito mais recente e de rápido desenvolvimento das tecnologias de comunicação digitais (que permitem a pessoas e organizações comunicarem e partilharem informação digitalmente). H ISTÓRIA E D ESENVOLVIMENTO

57 Com o uso das novas tecnologias, a comunidade global pode ser apoiada com a sua colaboração para preservar o ambiente a longo prazo. As novas tecnologias proporcionam utilidade para a aquisição de conhecimento e consciencialização, chegando a acordos e comunicação de progresso no interesse do bem-estar humano. Isto inclui aspetos éticos para proteger a espécie humana assim como aspetos de segurança do consumidor e preservação do nosso ambiente natural. As TIC têm um papel crucial na eficiência energética e isto foi reconhecido pela Comissão Europeia na sua recomendação de 9 de Outubro de 2009 mobilizar informação e tecnologias de comunicação para facilitar a transição para uma economia de eficiência energética, de baixo nível de carbono C ONTRIBUIÇÃO PARA A PROTEÇÃO AMBIENTAL

58 Ligar a vida pessoal e o trabalho. Chegar e voltar do escritório inflige sérios danos ao ambiente: milhões de pessoas que viajam todos os dias nas estradas, laçando imensas quantidades de gases de exaustão na atmosfera. Tecnologias de comunicação novas e em desenvolvimento são usadas no mundo dos negócios para maximizar a produtividade e ter acesso à informação, quer o funcionário esteja a trabalhar no escritório ou a viajar pelo mundo. Os sistemas de videoconferência permitem a comunicação realista face-a-face, permitindo encontros virtuais que são tão efetivos como os reais. Depois de serem utilizados esporadicamente durante anos, as inovações técnicas mais recentes levaram finalmente a uma vasta aceitação. Várias versões deste meio agora permitem às pessoas colaborarem virtualmente em qualquer situação, independentemente da sua localização geográfica. Há três tipos de soluções de videoconferência: Pequenas soluções para PC que permitem aos indivíduos comunicarem utilizando uma simples webcam e uma pequena janela de vídeo no ecrã. Soluções médias, para salas, que permitem aos participantes comunicarem através de ecrãs maiores (aproximadamente 42 polegadas). Telepresença e soluções similares que apresentam os participantes em ecrãs de tamanho real que fazem com que pareça que estão realmente na sala. IMPLEMENTAÇÃO PRÁTICA / EXEMPLOS PRÁTICOS

59 Comunicações e Colaboração Unificadas (UCC) combinam todos os canais de comunicação através de um único interface. Esta tecnologia, oferecida por empresas como AT&T, Cisco, HP e Tandberg, oferece uma experiência visual muito rica, com som de alta definição, instalação simples e conectividade fiável. As soluções de telepresença tipicamente requerem salas de reunião dedicadas. Estas salas de telepresença variam em tamanho desde ecrãs de apenas 56 polegadas até salas mais imersivas com seis ecrãs – às vezes alinhados num lado da sala para simular um encontro real. E STUDO DE CASO : SALAS DE TELEPRESENÇA

60 B ENEFÍCIOS SUSTENTÁVEIS DAS SALAS DE TELEPRESENÇA

61 As salas de telepresença pode evitar milhões de toneladas métricas de CO2 Um negócio individual que implemente quatro salas de telepresença pode reduzir as suas emissões de CO2 em 2,271 toneladas métricas em cinco anos. Estas reduções são equivalentes às emissões anuais de gases de estufa de 400 veículos de passageiros. 6 salas de telepresença poupam viagens internas ou 4-6 viagens internacionais por mês 3 salas de telepresença poupam viagens internas ou 2-3 viagens internacionais por mês 1 sala de telepresença poupa 2-3 viagens internas por mês B ENEFÍCIOS SUSTENTÁVEIS DAS SALAS DE TELEPRESENÇA

62 De um ponto de vista económico, os negócios do Reino Unido e dos Estados Unidos com lucros anuais de mais de $1 bilião podem reduzir quase 5.5 milhões de toneladas métricas de emissões de CO2 até 2020, como resultado do desenvolvimento de um total de unidades de telepresença. Estas reduções são equivalentes à emissão de gases estufa de mais um milhão de veículos de passageiros. B ENEFÍCIOS SUSTENTÁVEIS DAS SALAS DE TELEPRESENÇA

63


Carregar ppt "E DUCATION G OES G REEN Apresentações Powerpoint do Módulo Pensamento Verde para as TIC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google