A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fiscalização de Projetos em Obras Ana Margarida Barreira Nascimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fiscalização de Projetos em Obras Ana Margarida Barreira Nascimento."— Transcrição da apresentação:

1 Fiscalização de Projetos em Obras Ana Margarida Barreira Nascimento

2 SUMÁRIOSUMÁRIO 1 – Normas 2 – Etapas do Projeto de Arquitetura 3 – Lugares do Arquiteto 4 – Coordenação de Projetos 5 – Pós-entrega de Projetos 6 – Fiscalização de Projetos na Obra 7 - Roteiro de Fiscalização e/ou Acompanhamento

3 NORMASNORMAS 1 1 ABNT NBR 13532, nov Elaboração de projetos de edificação Fixa condições exigíveis para elaboração de projetos de arquitetura para construção de edificações. ABNT NBR 13531, nov 1995 – Elaboração de projetos de edificações – Atividades técnicas Fixa as atividades técnicas de projeto de arquitetura e engenharia exigíveis para a construção de edificações. São aplicáveis : a todas as categorias tipológicas funcionais ou formais de quaisquer ambientes construídos ou artificiais; aos serviços técnicos de obras, conforme classes de intervenções: edificações novas e edificações existentes.

4 Etapas do Projeto de Arquitetura 2 2 LV–ARQ LV–ARQ - levantamento de dados PN–ARQ PN–ARQ - programa de necessidades EV–ARQ EV–ARQ - estudo de viabilidade EP–ARQ EP–ARQ - estudo preliminar AP–ARQ AP–ARQ - anteprojeto PL–ARQ PL–ARQ - projeto legal PB–ARQ PB–ARQ - projeto básico (opcional) PE–ARQ PE–ARQ - projeto para execução (projeto executivo)

5 Lugares do Arquiteto 3 3 Concepção e Projeto Coordenação Fiscalização Projeto Projeto na obra

6 Coordenação de Projetos DEFINIÇÃO: Atividade de suporte ao desenvolvimento do processo de projeto, voltada á integração dos requisitos e das decisões de projeto. Deve ser exercida durante todo o processo de projeto. OBJETIVO: Fomentar a interatividade entre membros da equipe de projetos e melhorar a qualidade dos mesmos. TAREFAS: Garantir que as soluções técnicas desenvolvidas pelos projetistas de diferentes especialidades sejam congruentes com as necessidades e objetivos dos clientes, compatíveis entre sí e com a cultura construtiva das empresas. 4 4

7 Coordenação de Projetos 4 4 PERFIL: Engenheiro ou Arquiteto; Habilidades administrativas e de liderança, facilidade de comunicação e disciplina para sistematizar e documentar reuniões com projetistas e trocas de informações; Atenção aos detalhes e capacidade de avaliar a qualidade e a compatibilidade entre soluções de projeto; Amplo conhecimento relativo às diversas especialidades de projeto e às técnicas construtivas; Possuir experiência quanto á execução de obras.

8 Coordenação de Projetos 4 4 CONHECIMENTOS: Técnicas e processos de projetos pertinentes às várias disciplinas envolvidas; Normas técnicas, legislação, códigos de construção e padrões de concessionárias locais; Tecnologia construtiva em curso e inovações tecnológicas; Técnicas de planejamento, programação e controle de projetos; Informática e gestão de informática.

9 Coordenação de Projetos 4 4 COORDENAÇÃO INTERFACES TÉCNICAS DIRETRIZES E PARÂMETROS TÉCNICOS FLUXO DE INFORMAÇÕES ANÁLISE DAS SOLUÇÕES TÉCNICAS TOMADA DE DECISÕES

10 Pós-entrega de projetos 5 5 Visa garantir a plena compreensão e utilização das informações de projeto, bem como sua aplicação correta nos trabalhos de campo.

11 Pós-entrega de projetos 5 5 Serviços Essenciais: Coordenação da apresentação dos projetos à equipe de execução da obra; Acompanhamento e avaliação da qualidade dos projetos na obra; Coordenação da elaboração de projetos as built; Análise crítica e validação do manual do proprietário. Serviços específicos: Avaliação desempenho dos serviços dos projetos contratados; Coordenação de alteração de projeto.

12 Fiscalização de Projetos na Obra 6 6 DEFINIÇÃO: É o acompanhamento e verificação da execução do Projeto Executivo em cada etapa dos serviços, zelando pelo cumprimento dos padrões de qualidade fixados nos diversos projetos e especificações. OBJETIVO: Garantir a execução das obras, nos padrões de qualidade requeridos, assegurando a execução dos serviços de acordo com os projetos elaborados. TAREFAS: Acompanhamento e avaliação da qualidade dos projetos na obra; Discussão do projeto com a equipe de obras; Assessoria nos momentos e fases da obra em que o projeto precisa ser discutido com a equipe de execução.

13 PERFIL: Formação na especialidade do projeto; Atenção aos detalhes e capacidade de avaliar a qualidade e a compatibilidade entre soluções de projeto e a execução do serviço; Amplo conhecimento à sua especialidade de projeto e às técnicas construtivas; Possuir experiência quanto à execução de obras na sua especialidade. Fiscalização de Projetos na Obra 6 6

14 AÇÕES: Atendimento para orientação às características necessárias à execução da obra, segundo as necessidades do projeto; Atendimento para as soluções de não-conformidades de projeto, envolvendo cada projeto em separado e as interfaces técnicas; Atendimento para alterações de mudanças de decisões do Contratante; Atendimento para alterações em função de alterações dos demais projetos. Fiscalização de Projetos na Obra 6 6

15 AÇÕES: Análise técnica e/ou de custos de soluções alternativas que venham a ser propostas para os demais sistemas e/ou detalhes arquitetônicos; Visitas a fornecedores para validação de materiais, cores e sistemas propostos; Compatibilização e relatórios comparativos de materiais e especificações dos fornecedores; Realização de visitas de acompanhamento e fiscalização da execução, conforme eventos pré-determinados; Participação em reuniões técnicas visando o esclarecimento de dúvidas. Fiscalização de Projetos na Obra 6 6

16 EQUIPE: Arquiteto – em todas as fases da obra; Especialista – a depender do porte e complexidade da obra. Desenhista/Cadista – para execução de correções, novos detalhamentos e as built. Obra de grande porte – abrange até 30 projetos de especialidades diferentes: estrutura, hidráulica, elétrica, telefonia, lógica, incêndio, ar condicionado, automação, impermeabilização, alvenarias, fachadas, esquadrias, paisagismo, decoração de interiores, entre outros. Fiscalização de Projetos na Obra 6 6

17 FISCALIZAÇÃO CONTRATANTEFORNECEDORES ENGENHEIRO RESPONSÁVEL PROJETISTAS CONSTRUTORA Fiscalização de Projetos na Obra 6 6

18 6 6

19 6 6

20 6 6

21 6 6

22 OBJETIVO: Estabelecer diretrizes para a efetiva participação do projetista na execução da obra e retroalimentação do processo, a partir desse acompanhamento. DOCUMENTO DE REFERÊNCIA: Formulário de registro de observação em obra. RESPONSABILIDADES: Identificar os aspectos que serão observados nas obras, previamente à ida ao canteiro; Fiscalização/acompanhamento pelos respectivos profissionais de projeto em momentos significativos. Roteiro de Fiscalização e/ou Acompanhamento 7 7

23 VISITAS PARA ARQUITETURA: Na locação da obra; Após a desforma dos pavimentos; Durante a execução das alvenarias e vedações; Fase de revestimento/acabamentos internos e externos; Antes da entrega ao usuário final – check list. Roteiro de Fiscalização e/ou Acompanhamento 7 7

24 VISITAS PARA ESTRUTURAS: Na locação da obra; Fundações; Formas e concretagem dos pavimentos; Desforma dos pavimentos; Forma e concretagem da cobertura; Início da alvenaria, antes do início dos revestimentos. Roteiro de Fiscalização e/ou Acompanhamento 7 7

25 VISITAS PARA INSTALAÇÕES: Locação e instalação das prumadas; Execução de ramais; Locação e instalação de centros de medição; Instalação de aparelhos; Término da obra. Roteiro de Fiscalização e/ou Acompanhamento 7 7

26 Modelo para Acompanhamento da Obra pelo Projetista 7 7 Fonte: SILVA e SOUZA, 2003, p. 165 OBRA/CLIENTE: ENGº RESPONSÁVEL PELA OBRA: DATA DA VISITA: ESTÁGIO DA OBRA NA DATA DA VISITA: RESP. PELA VISITA/ACOMPANHAMENTO: OBSERVAÇÕES REALIZADAS: ANÁLISES E RECOMENDAÇÕES:

27 Modelo para Acompanhamento da Obra pelo Projetista de Arquitetura 7 7 ROTEIRO PARA ACOMPANHAMENTO DA OBRA PELO PROJETISTA DE ARQUITETURA Fonte: Baseado em SILVA e SOUZA, 2003, p. 165 OBRA/CLIENTE: ENGº RESPONSÁVEL: DATA DA VISITA: ESTÁGIO DA OBRA: RESP. PELA VISITA: OBSERVAÇÕES: Dimensões Gerais Vedações Esquadrias Interface com Estrutura Interfaces com Instalações Materiais de Acabamento Urbanização Acessibilidade Detalhamentos ANÁLISES E RECOMENDAÇÕES:

28 Referências ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 13531: Elaboração de projetos de edificações. Rio de Janeiro, nov ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 13532: Elaboração de projetos de edificações - Arquitetura. Rio de Janeiro, nov SILVA, M.A.C; SOUZA, R. Gestão do Processo de Projeto de Edificações. São Paulo: O Nome da Rosa, CAMBIAGHI, H; AMÁ, R. Manual e Escopo de Projetos e Serviços de Arquitetura e Urbanismo. São Paulo: ASBEA, [200?]. AGENCIA REGULADORA DE SERVIÇOS DE SANTA CATARINA (AGESC). Manual e Escopo de Serviços para Coordenação de Projetos. Florianópolis: [s.n.], [200?]. MELHADO, S. et Al. Escopo de serviços para coordenação de projetos. In: Workshop Brasileiro de Gestão do Processo de Projeto na Construção de Edifícios, IV, Disponível em: 3o%20Projetos/Escopo.pdf. Acesso em: novembro o%20Projetos/Escopo.pdf MELHADO, Silvio. Coordenação de Projetos – atribuições e responsabilidades. Disponível em: projetos-atribuicoes-e-responsabilidades.html. Acesso em: novembro projetos-atribuicoes-e-responsabilidades.html SHIMBO, L.Z. Os lugares do arquiteto: padronização, terceirização e fiscalização na produção residencial em escala. In: Workshop Brasileiro, VIII, São Paulo: [s.n.], 2008.


Carregar ppt "Fiscalização de Projetos em Obras Ana Margarida Barreira Nascimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google