A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ergonomia e Interfaces 2 Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ergonomia e Interfaces 2 Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários."— Transcrição da apresentação:

1 Ergonomia e Interfaces 2 Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários

2 Apresentação da Disciplina: Ergonomia e Interfaces II Bibliografia Complementar: Schneiderman, B. Designing the User Interface: Strategies for effective Human- Computer Interaction Norman, D. The invisible computer: why good products can fail, the personal computer is so complex, and information appliances are the solution Cooper, A., Reimann, R. About Face 2.0: The essentials of interaction design Nielsen, J. Web Usability Snyder, C. Paper Prototypes Bibliografia Complementar: Schneiderman, B. Designing the User Interface: Strategies for effective Human- Computer Interaction Norman, D. The invisible computer: why good products can fail, the personal computer is so complex, and information appliances are the solution Cooper, A., Reimann, R. About Face 2.0: The essentials of interaction design Nielsen, J. Web Usability Snyder, C. Paper Prototypes

3 Questionário 2 Explique os seguintes conceitos: Design Interação Humano-Computador Interface Dispositivos de Interface Usabilidade de Sistemas Digitais Explique os seguintes conceitos: Design Interação Humano-Computador Interface Dispositivos de Interface Usabilidade de Sistemas Digitais

4 Agenda Diversidade humana Auto-conhecimento Atividades Complementares Diversidade humana Auto-conhecimento Atividades Complementares

5 Atividade Complementar Em duplas Identificar diferenças entre você e seu colega Criar uma lista bastante abrangente Em duplas Identificar diferenças entre você e seu colega Criar uma lista bastante abrangente

6 Fatores Humanos em Sistemas Interativos Diversidade Humana: Diferenças físicas: Ergonomia e Antropometria Diferenças culturais e regionais Acessibilidade Diferença de idade Diferenças cognitivas e de percepção Diferenças de personalidade Diversidade Humana: Diferenças físicas: Ergonomia e Antropometria Diferenças culturais e regionais Acessibilidade Diferença de idade Diferenças cognitivas e de percepção Diferenças de personalidade

7 Auto-conhecimento Classificação de personalidade MBTI / Temperamentos: Racional Idealista Artesão Guardião Quantum assessment Tribos Signos Classificação cognitiva: Inteligências Múltiplas Estilos Cognitivos Classificação de personalidade MBTI / Temperamentos: Racional Idealista Artesão Guardião Quantum assessment Tribos Signos Classificação cognitiva: Inteligências Múltiplas Estilos Cognitivos Imagem de divulgação TM Nintendo, Inc.

8 Auto-conhecimento: MBTI 4 dimensões Extroversão-Introversão Sensação-Intuição Pensamento-Sentimento Julgamento-Percepção 4 dimensões Extroversão-Introversão Sensação-Intuição Pensamento-Sentimento Julgamento-Percepção

9 Auto-conhecimento: MBTI E – Extroversão extrovert Mais voltado ao mundo exterior e às coisas. Interessa-se por pessoas e eventos. Necessita de estímulo externo para engajar-se em situações de aprendizagem. Arrisca-se I – Introversão introvert Mais voltado para o seu mundo interior, idéias e impressões. Prefere atividades individuais, relacionamentos interpessoais não são prioridade. É dotado de alto poder de concentração e auto- suficiência. Necessita de um tempo para pensar antes de expressar-se. Comumente não se arrisca. E – Extroversão extrovert Mais voltado ao mundo exterior e às coisas. Interessa-se por pessoas e eventos. Necessita de estímulo externo para engajar-se em situações de aprendizagem. Arrisca-se I – Introversão introvert Mais voltado para o seu mundo interior, idéias e impressões. Prefere atividades individuais, relacionamentos interpessoais não são prioridade. É dotado de alto poder de concentração e auto- suficiência. Necessita de um tempo para pensar antes de expressar-se. Comumente não se arrisca.

10 Auto-conhecimento: MBTI S – Sensação sensing Mais voltado ao presente e às informações obtidas por meio dos seus sentidos. Lida com o mundo em termos práticos e factuais. É sistemático, detalhista e gosta de observar fenômenos bem de perto. Precisa de situações de aprendizagem estruturadas, com seqüência clara e objetiva. N – Intuição intuition Mais voltado para o futuro, aos padrões e possibilidades. Buscas inovadoras e teóricas exercem fascínio. Freqüentemente faz inferências e conjecturas a partir de um contexto, construindo bons modelos nos quais apóia suas idéias e produções. Facilmente estrutura seu próprio treinamento. Precisão não é seu forte, por isso pode perder detalhes importantes. Em geral, apresenta complexidade excessiva nos seus discursos. S – Sensação sensing Mais voltado ao presente e às informações obtidas por meio dos seus sentidos. Lida com o mundo em termos práticos e factuais. É sistemático, detalhista e gosta de observar fenômenos bem de perto. Precisa de situações de aprendizagem estruturadas, com seqüência clara e objetiva. N – Intuição intuition Mais voltado para o futuro, aos padrões e possibilidades. Buscas inovadoras e teóricas exercem fascínio. Freqüentemente faz inferências e conjecturas a partir de um contexto, construindo bons modelos nos quais apóia suas idéias e produções. Facilmente estrutura seu próprio treinamento. Precisão não é seu forte, por isso pode perder detalhes importantes. Em geral, apresenta complexidade excessiva nos seus discursos.

11 Auto-conhecimento: MBTI T – Pensamento thinking Prefere apoiar-se em critérios impessoais e baseia suas decisões na lógica e na análise objetiva de causas e efeitos. Costuma ser disciplinado e ansioso. F – Sentimento feeling Prefere basear as decisões em valores e na avaliação subjetiva. Forte consciência social. Agrega as pessoas, promovendo motivação. Precisa de atenção e evita situações sociais tensas. T – Pensamento thinking Prefere apoiar-se em critérios impessoais e baseia suas decisões na lógica e na análise objetiva de causas e efeitos. Costuma ser disciplinado e ansioso. F – Sentimento feeling Prefere basear as decisões em valores e na avaliação subjetiva. Forte consciência social. Agrega as pessoas, promovendo motivação. Precisa de atenção e evita situações sociais tensas.

12 Auto-conhecimento: MBTI J – Julgamento judging Prefere abordagens planejadas e organizadas com relação à vida e gosta das coisas bem definidas. Mais apto a lidar com um estilo de vida planejado, organizado e bem controlado. Engaja-se no trabalho sistemático. É rígido, e intolerante com a ambigüidade. P – Percepção perception Gosta das abordagens flexíveis e espontâneas, preferindo propostas e opções abertas. Aceita facilmente mudanças e novas experiências. Falta de persistência ou consistência pode atrapalhar seu desempenho. J – Julgamento judging Prefere abordagens planejadas e organizadas com relação à vida e gosta das coisas bem definidas. Mais apto a lidar com um estilo de vida planejado, organizado e bem controlado. Engaja-se no trabalho sistemático. É rígido, e intolerante com a ambigüidade. P – Percepção perception Gosta das abordagens flexíveis e espontâneas, preferindo propostas e opções abertas. Aceita facilmente mudanças e novas experiências. Falta de persistência ou consistência pode atrapalhar seu desempenho.

13 Classificação Cognitiva: Inteligências Múltiplas Lingüística (verbal e escrita) Musical Lógica-matemática (QI) Espacial Corporal-Cinestésica Pessoal-Intrapessoal (auto- conhecimento) Pessoal-Interpessoal (relacionamento) Naturalista Existencial (Filosofia) Lingüística (verbal e escrita) Musical Lógica-matemática (QI) Espacial Corporal-Cinestésica Pessoal-Intrapessoal (auto- conhecimento) Pessoal-Interpessoal (relacionamento) Naturalista Existencial (Filosofia)

14 Projeto de Interfaces: Conceito do produto 1. Definir um tema para o projeto de interação 2. Chegar à descrição DO GRUPO para o produto / serviço 3. Separar Conceito (O QUE) de Contexto (ONDE) e Utilidade (PARA QUE). Eliminar restrições de tecnologia (COMO). 4. Decisão de projeto: Quais são os quantificadores de usabilidade mais importantes para esse produto: Tempo de aprendizado Retenção no tempo Performance do usuário Taxa de erros Satisfação subjetiva 1. Definir um tema para o projeto de interação 2. Chegar à descrição DO GRUPO para o produto / serviço 3. Separar Conceito (O QUE) de Contexto (ONDE) e Utilidade (PARA QUE). Eliminar restrições de tecnologia (COMO). 4. Decisão de projeto: Quais são os quantificadores de usabilidade mais importantes para esse produto: Tempo de aprendizado Retenção no tempo Performance do usuário Taxa de erros Satisfação subjetiva

15 Projeto de Interfaces – Conhecendo o usuário Existem 3 classes de usuários: Primários: usuários diretos Secundários: ocasionais ou usam o sistema através de terceiros Terciários: Afetados pelo sistema ou influenciam sua compra Para seu projeto, listar: 5 usuários primários 1 usuário secundário ocasional 1 usuário secundário indireto 1 usuário terciário afetado pelo sistema 1 usuário terciário do processo de compra Intenção: Mapear o universo dos usuários de seu sistema Existem 3 classes de usuários: Primários: usuários diretos Secundários: ocasionais ou usam o sistema através de terceiros Terciários: Afetados pelo sistema ou influenciam sua compra Para seu projeto, listar: 5 usuários primários 1 usuário secundário ocasional 1 usuário secundário indireto 1 usuário terciário afetado pelo sistema 1 usuário terciário do processo de compra Intenção: Mapear o universo dos usuários de seu sistema

16 Criação de personagens Usar o metodologia informal para criação de personagens para seu projeto. Não é mapeamento 1:1 da lista de usuários Identificar quais diferenças são relevantes Usar modelos de personalidade e cognição, caso seja útil Usar o metodologia informal para criação de personagens para seu projeto. Não é mapeamento 1:1 da lista de usuários Identificar quais diferenças são relevantes Usar modelos de personalidade e cognição, caso seja útil

17 Persona Hipothesis Serve como base para uma sessão de inicial de entrevistas Procura descobrir: Quais são os tipos de pessoas que podem usar o produto? Como variam seus comportamentos e necessidades? Que grupo de comportamentos e tipos de ambiente são relevantes? Serve como base para uma sessão de inicial de entrevistas Procura descobrir: Quais são os tipos de pessoas que podem usar o produto? Como variam seus comportamentos e necessidades? Que grupo de comportamentos e tipos de ambiente são relevantes?

18 Depois da pesquisa (observação e entrevistas) Rever as hipóteses de personagem Mapear entrevistados quanto a variáveis comportamentais Identificar padrões de comportamento significantes Sintetizar características e metas relevantes Conferir fechamento (completeness) Criar narrativas (cenários) Designar tipos de Personagens Rever as hipóteses de personagem Mapear entrevistados quanto a variáveis comportamentais Identificar padrões de comportamento significantes Sintetizar características e metas relevantes Conferir fechamento (completeness) Criar narrativas (cenários) Designar tipos de Personagens

19 Metas dos Usuários O que são metas de usuários? Metas de usuários vs. Metas de negócio Tarefas são passos em direção à meta Como identificá-las? Como saber se são válidas? Perguntar diretamente não adianta Reconstruir metas a partir da observação minuciosa de Comportamento Respostas a outras perguntas Indicadores não-verbais Indicadores do ambiente São as mesmas para todos usuários? Elas mudam com o tempo? Metas mudam pouco, tarefas mudam de acordo com a tecnologia disponível O que são metas de usuários? Metas de usuários vs. Metas de negócio Tarefas são passos em direção à meta Como identificá-las? Como saber se são válidas? Perguntar diretamente não adianta Reconstruir metas a partir da observação minuciosa de Comportamento Respostas a outras perguntas Indicadores não-verbais Indicadores do ambiente São as mesmas para todos usuários? Elas mudam com o tempo? Metas mudam pouco, tarefas mudam de acordo com a tecnologia disponível

20 Metas dos Usuários Metas de vida (aspirações pessoais) Ser o melhor no que faz Subir rapidamente na carreira e receber uma promoção Saber tudo que existe sobre um assunto Ser um modelo de ética, modéstia e confiança Metas de experiência (como se sente usando o produto) Não se sentir idiota Não cometer erros Sentir-se competente e confiante Divertir-se (ou pelo menos não entediar-se) Metas fins (expectativas de utilização do produto) Pesquisar o melhor preço Finalizar um press release Processar o pedido do cliente Criar um modelo de negócios Metas de vida (aspirações pessoais) Ser o melhor no que faz Subir rapidamente na carreira e receber uma promoção Saber tudo que existe sobre um assunto Ser um modelo de ética, modéstia e confiança Metas de experiência (como se sente usando o produto) Não se sentir idiota Não cometer erros Sentir-se competente e confiante Divertir-se (ou pelo menos não entediar-se) Metas fins (expectativas de utilização do produto) Pesquisar o melhor preço Finalizar um press release Processar o pedido do cliente Criar um modelo de negócios

21 Tabela Usuário x Tarefa Persona 1Persona 2...Persona N Tarefa 1 % tempo; criticidade Tarefa 2 Tarefa... Tarefa N Tarefas devem ser associadas às metas

22 Criação de Cenários Usuários Específicos (personagens) Executam Tarefas Específicas (identificadas na tabela) Em um contexto específico (momento e lugar) Ex: Dr. Silva aproveita a sua hora de almoço para acessar o serviço de Internet banking. Enquanto sua esposa prepara o almoço, acessa o site, faz login, consulta seu saldo, resgata a quantia necessária de um fundo de investimento, paga uma conta e confere novamente seu saldo em Conta Corrente. Depois disso, faz logoff, desliga o computador, almoça e volta ao trabalho. Este mesmo cenário pode ter diversos finais, dependendo dos erros possíveis durante o processo. Usuários Específicos (personagens) Executam Tarefas Específicas (identificadas na tabela) Em um contexto específico (momento e lugar) Ex: Dr. Silva aproveita a sua hora de almoço para acessar o serviço de Internet banking. Enquanto sua esposa prepara o almoço, acessa o site, faz login, consulta seu saldo, resgata a quantia necessária de um fundo de investimento, paga uma conta e confere novamente seu saldo em Conta Corrente. Depois disso, faz logoff, desliga o computador, almoça e volta ao trabalho. Este mesmo cenário pode ter diversos finais, dependendo dos erros possíveis durante o processo.

23 Requisitos do sistema Os requisitos do sistema devem atender as necessidades do usuário: Requisitos de usuário (atender diferenças humanas) Requisitos de usabilidade (quantificadores) Requisitos funcionais (conjunto de funcionalidades) Requisitos não-funcionais (plataforma de HW, sistema operacional, plugins, memória, etc.) Requisitos de dados (tamanho de arquivos, fluxo de dados, etc.) Requisitos de ambiente (temperatura, nível de ruído, disposição física, etc.) Os requisitos do sistema devem atender as necessidades do usuário: Requisitos de usuário (atender diferenças humanas) Requisitos de usabilidade (quantificadores) Requisitos funcionais (conjunto de funcionalidades) Requisitos não-funcionais (plataforma de HW, sistema operacional, plugins, memória, etc.) Requisitos de dados (tamanho de arquivos, fluxo de dados, etc.) Requisitos de ambiente (temperatura, nível de ruído, disposição física, etc.)

24 Referências desta Apresentação Todas imagens são creative commons ou TM indicado no respectivo slide Gardner, H. Frames of Mind: The Theory of Multiple Intelligences, Myers, I.; McCaulley M.; Quenk, N.; Hammer, A. MBTI Manual (A guide to the development and use of the Myers Briggs type indicator), Cooper, A., Reimann, R. About Face 2.0: The essentials of interaction design, 2003.


Carregar ppt "Ergonomia e Interfaces 2 Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários Aula 2 Fatores Humanos Usuários Modelagem: Personas e Cenários."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google