A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Eis a primeira direção que tomaremos. Quem diz espírito diz, antes de tudo, consciência. Mas o que é a consciência? É óbvio que não vou definir algo tão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Eis a primeira direção que tomaremos. Quem diz espírito diz, antes de tudo, consciência. Mas o que é a consciência? É óbvio que não vou definir algo tão."— Transcrição da apresentação:

1

2 Eis a primeira direção que tomaremos. Quem diz espírito diz, antes de tudo, consciência. Mas o que é a consciência? É óbvio que não vou definir algo tão concreto, tão constantemente presente na experiência de cada um de nós. Mas, sem dar da consciência uma definição que seria menos clara que ela própria, posso caracterizá-la por sua marca mais aparente: consciência significa primeiramente memória. A memória pode ter pouca amplitude; pode não abarcar mais que uma pequena parte do passado; pode não reter mais do que aquilo que acaba de acontecer; mas a memória está aí, ou então a consciência não está. Uma consciência que não conservasse nada de seu passado, que incessantemente esquecesse de si mesma, pereceria e renasceria a cada instante: como definir de outro modo a inconsciência? [...] Portanto, toda consciência é memória – conservação e acumulação do passado no presente. Henri Bérgson. A consciência e a vida. In: A energia espiritual. Trad. Rosemary C. Abílio. São Paulo: Martins Fontes, Consciência e Memória Henri Bergson ( )

3 Encontro de Leitores é o evento mais expressivo e revelador da produção escritora e leitora de nossos alunos. É o encontro de uma comunidade leitora, que se reconhece e cresce como tal. Desde 2006, desenvolvemos anualmente um tema diferente dentro do imenso universo da literatura. Temos realizado excelentes encontros, cada qual à sua maneira literária. Já tivemos como temas de trabalho autores, momentos históricos, obras, gêneros, sempre transversalizando com várias áreas do conhecimento. Histórico:

4 2005Tatiana Belinkyautor 2006Mário Quintanaautor e gênero 2007Brasil Meninotema 2008Família Realautores-tema social (História) 2009Malba Tahanautor (Matemática e Ciências) 2010Áfricatema social (História) 2011Ilustradoresformas de narrar (Arte) 2012Ficção Científica(Ciências) 2013Textos Teatrais(Arte) Histórico:

5 Nosso objetivo maior sempre foi ampliar a formação de nossos alunos, ajudando-os a se tornarem verdadeiros leitores de Literatura, discutindo facetas, trazendo à tona aspectos menos trabalhados em sala de aula e até mesmo na própria Sala de Leitura. O Encontro é a culminância de todo uma vivência de leitura, reflexão, crítica e imaginação que se desenvolve nos meses anteriores ao evento. Para isso o Encontro de Leitores deve: intensificar o Fazer Literário: Forma e Conteúdo FORMA: escritor, ilustrador, editor, tradutor CONTEÚDO: gêneros, temáticas, contextos, intertextualidades intensificar estudos literários com todas as turmas Objetivo:

6 Com a responsabilidade de celebrar o décimo ano de leituras surgiu a ideia de um tema que remete ao tempo passado: Memória. Para isso o Encontro de Leitores passa a homenagear esse tipo de texto que assume formas tão diversas como o relato de infância ou de viagem, a biografia e os diários. Aquelas histórias que contam com a memória - ou com a invenção de uma memória. Desde os grandes relatos históricos à memória sensível da infância ou o olhar emocionante de queridos autores sobre seu passado, passando, claro, por grandes biógrafos e biografados. Em 2014:

7 Graciliano Ramos Ondjaki Gabriel García Marquez Zélia Gattai Bartolomeu Campos de Queirós Elias Canetti Homenageados:

8 O X Encontro de Leitores celebrará a memória que se transforma em literatura. Ponto de vista social – literário: O passado pessoal e coletivo, com suas histórias, memórias, acontecimentos e particularidades, sempre foi uma fonte muito importante para produção literária; Contar a própria história ou fazer dela base para construção de uma obra ficcional é um exercício literário realizado por muitos autores; Autores de várias épocas e estilos criaram obras memorialistas. Muitas delas se tornaram clássicas, e a diversidade narrativa prova que narrar os fatos do passado pode ser bastante estimulante. A literatura também utiliza a memória como inspiração. No Brasil, autores de várias épocas produziram obras; marcadas pelo memorialismo. Justificativa:

9 Saber que muitas memórias nasceram sem a intenção de virar literatura e/ou serem publicadas. Algumas na verdade foram escritas para nunca serem lidas; Aprimorar o olhar dos leitores para as particularidades dessa escrita (diários, relatos de viagem, livros de memórias etc.); Analisar e reconhecer os gêneros literários memorialistas (autobiografia, crônicas, correspondências, lendas, literatura de viagens, poesia, diário). Saber que a literatura também serve como possibilidade de estudo para um retrato histórico de hábitos e costumes de uma época; Conhecer os autores homenageados; Estudar a memória em suas várias representações; Justificativa:

10 Os alunos escrevem, produzem álbuns, diários e relatos na escola; Alunos não tem o hábito de pensar sobre sua própria história, não conhecem as memórias da sua família; Aproveitar o festejo da nossa escola, que completa em 2014 uma década, para recordar e lembrar dos momentos que passamos juntos a descobrir o mundo real e imaginário. Produzir textos narrativos a partir das histórias de família. Pensar nas histórias de nossas próprias vidas, o que nos tornou educadores; O que nos forma dia a dia como escola e equipe; E, claro, o percurso por que passamos para que o Encontro de Leitores ganhasse a forma (e a amplitude) que ele tem hoje. Ponto de vista social – cotidiano:

11 Não temos autores especializados em memórias ( memorialistas). As obras dos nossos homenageados não são todas relativas a memória. E muitas vezes suas obras primas são pura ficção, nada tendo de relato ou biografia. Analisar e reconhecer os vários tipos de textos literários que podem se enquadrar no memorialismo: autobiografia, cuja característica principal é a narrativa pessoal da própria história; correspondências, que por sua forma pessoal e privada, acabam expondo detalhes e lembranças das vidas dos missivistas; crônicas, em que os autores fazem uso de acontecimentos cotidianos como inspiração; diários, por si só destinados a preservar a memórias de quem escreve;genealogia, que narra a história das famílias e poesia lírica que, por sua característica sentimental, é um gênero que muitas vezes mistura recordações, nostalgia e memórias da vida do autor. Desafios:

12 Livro itinerante. Cada turma terá a sua disposição um kit de leitura dos homenageados para circular entre os pais. Clube de Leitura com professores e funcionários a partir da leitura feita nas férias. Conversa com Ecléa Bosi Teremos um labirinto no pátio de entrada da escola onde serão expostos textos, desenhos, fotos. Teremos a tradicional contagem regressiva. Painel retrospectiva: Fotos das turmas ano a ano. Mostra de filmes que tenham a memória como tema. Os livros que lemos. Pesquisa para saber os livros mais lembrados Aquecimento:


Carregar ppt "Eis a primeira direção que tomaremos. Quem diz espírito diz, antes de tudo, consciência. Mas o que é a consciência? É óbvio que não vou definir algo tão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google