A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

5 5. 4 3 2 1 Contabilidade para Não-Contadores.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "5 5. 4 3 2 1 Contabilidade para Não-Contadores."— Transcrição da apresentação:

1 5 5

2 4

3 3

4 2

5 1

6 Contabilidade para Não-Contadores

7 Conceitos Fundamentais

8 Bens Direitos Obrigações Fato Contábil Regime Lançamento Contábil Plano de Contas Exercício

9 Definições Bem - é tudo o que possa satisfazer a alguma necessidade da empresa, que esteja sujeito a avaliação econômica (ou seja, ao qual se possa atribuir um valor expresso em moeda) e sobre o qual a empresa possua a posse (isto é, esteja em seu poder) e o domínio (quer dizer, seja o seu dono); Direito – é um bem que não está em poder da empresa; Obrigações - são bens que não pertencem à empresa mas que estão temporariamente em seu poder; Fato contábil - é todo evento, envolvendo bens, direitos ou obrigações da empresa, que seja merecedor de registro na contabilidade;

10 Regime – é a regra que diz como um fato contábil deve ser registrado na contabilidade. A regra que diz que um fato contábil deve ser registrado no momento em que o dinheiro entra ou sai do caixa da empresa é chamada de regime de caixa. A regra que diz que um fato contábil deve ser registrado no momento em que as obrigações são assumidas ou os direitos são adquiridos é chamada de regime de competência. Lançamentos Contábeis – são os registros dos fatos contábeis feitos nos livros contábeis. Plano de Contas - é uma estrutura de contas e subcontas dentro da qual são feitos os relatórios contábeis; Exercício – é o período decorrido o qual a contabilidade apura os resultados da empresa. Avançar

11 Diretoria Financeira Controladoria Orçamento Contabilidade Custos Tesouraria Caixa Contas a Pagar Contas a Receber Regime de Competência Direitos e Obrigações Relatórios Contábeis Regime de Caixa Entradas e Saídas Fluxo de Caixa Retornar

12 Questão de Revisão Questão de Revisão

13 Em sua opinião, para que serve a Contabilidade?

14 Demonstrativos Contábeis

15 O Balanço Patrimonial O Demonstrativo de Resultados D emonstrativo de Origens e Aplicações de Recursos Q uadro de Mutação do Patrimônio Líquido

16 Disponível Realizável C/P Recebíveis Estoques Outros Realizável de L/P Permanente Investimentos Imobilizado TOTAL Exigível C.P Salários Impostos Empréstimos Fornecedores Exigível L.P Pat. Líquido Capital Reservas Lucros Acc TOTAL Ativo Passivo Retornar

17 $ dias ($80) $ 96 Lucro Receita$96 Despesa ($ 80) Lucro$ 16 Fluxo de Caixa Entrada$96 Saída ($ 100) Saldo ( $ 4 ) ($ 100)

18 Questão de Revisão Questão de Revisão

19 Por que uma empresa que não possua recursos ilimitados deve consolidar o Disponível antes do Imobilizado?

20 Receita Bruta menos Dedução de Vendas igual a Receita Líquida menos Custo do Serviço Prestado igual a Lucro Bruto menos Despesas Operacionais igual a Lucro Operacional Demonstrativo de Resultados

21 Demonstração de Resultados mais / menos Resultado não Operacional igual a Lucro antes do IR e da CCSL menos IRPJ e CSSL igual a Lucro Líquido

22 Questão de Revisão Questão de Revisão

23 Em que conta do DRE deve ser classificada a compra de um ítem de imobilizado? Ou será que que a compra de um ítem de imobilizado não transita pelo DRE? Justifique sua resposta.

24 Lançamentos Contábeis

25 Os Lançamentos Contábeis Débitos e Créditos O Método das Partidas Dobradas Os Razonetes

26 Nome da Conta DébitoCrédito

27 Conta A DébitoCrédito Conta B DébitoCrédito

28 Exemplo: A ABC é uma empresa comercial que apenas compra e vende mercadorias sem qualquer tipo de beneficiamento. No dia em que a ABC foi criada, seus acionistas fizeram um aporte de capital em dinheiro no valor de R$ , os quais foram depositados na conta corrente bancária da empresa. Represente nas contas em T os lançamentos gerados por esta operação.

29 Caixa e Bancos Capital AtivoPassivo Disponível Bancos Patrimônio Líquido Capital

30 Exemplo: Suponhamos agora que, em seu primeiro dia funcionamento, a empresa tenha comprado e recebido R$ de material para pagar em 30 dias. Quais seriam os lançamentos contábeis e como ficaria o balanço patrimonial após estes lançamentos?

31 Estoques Fornecedores AtivoPassivo Disponível Bancos Realizável Estoques Exigível Fornecedores Patrimônio Líquido Capital

32 Exemplo: No mesmo dia em que comprou (e recebeu) a mercadoria, apareceu um cliente querendo comprar mercadorias da ABC. A mercadoria que o cliente queria adquirir havia custado R$ para a ABC e foi vendida por R$ para pagamento em 30 dias. O cliente retirou a mercadoria imediatamente. Quais os lançamentos gerados por esta transação sem levar em conta quaisquer outros fatores tais como impostos, comissões, etc?

33 Recebíveis Receita Estoque C.M.V

34 1 – Pela venda da mercadoria D – Recebíveis (Ativo Realizável) C – Receita (DRE)R$ – Pela baixa do Estoque D – C.M.V. (DRE) C – Estoque(Ativo Realizável)R$

35 Ativo Passivo Disponível Bancos Realizável Estoques Recebíveis TOTAL Exigíveis Fornecedores Patrimônio Líquido Capital TOTAL ?

36 Receita menos C.M.V igual a LAIR 5.000

37 1 – Pela transferência do resultado D – Receita C – Lucros AcumuladosR$ D – Lucros Acumulados C – CMVR$

38 Ativo Passivo Disponível Bancos Realizável Recebíveis Estoques TOTAL Exigíveis Fornecedores Patrimônio Líquido Capital Lucros TOTAL

39 Casos Especiais

40 P rovisões – são fatos contábeis que representam receitas que ocorrem antes das respectivas entradas ou despesas que ocorrem antes das respectivas saídas de caixa. A propriações - são fatos contábeis em que o dinheiro entra ou sai do Disponível antes da contabilização da respectiva receita ou da despesa. A s Contas Redutoras – são contas que, apesar de credoras, são classificadas no Ativo.

41 As Provisões A Provisão de 13° Salário A Provisão de Férias J uros sobre Aplicações Financeiras J uros sobre Operações Financeiras Retorna

42 Provisão de 13º Salário 1 – Pela provisão do salário a pagar D – Despesa de Mão de Obra (DRE) C – Salários e Encargos (Exigível de C.P.) R$ – Pela provisão do 13º salário D – Despesa de Mão de Obra (DRE) C – Salários e Encargos (Exigível de C.P.) R$ 100 Retorna

43 Juros Provisionados 15/12/00 AplicaçãoR$ /01/01 ResgateR$ /12/00 EncerramentoR$

44 1 – Pela aplicação financeira D – Aplicações Financeiras (Ativo Disponível) C – Caixa e Bancos (Ativo Disponível) R$ – Pela provisão dos juros no encerramento do exercício D – Aplicações Financeiras (Ativo Disponível) C – Receitas Financeiras (DRE) R$ Retorna

45 As Apropriações D epreciações A mortizações D espesas e Receitas Antecipadas Retorna

46 Depreciação Veículos 5 anos Computadores 5 anos Máquinas e Equipamentos10 anos Móveis e Utensílios10 anos Prédios e Construções25 anos Terrenos(não deprecia)

47 1 - Pela compra do veículo D – Imobilizado (Ativo Imobilizado) C – Fornecedores (Passivo Exigível)R$ Mensalmente, a depreciação será contabilizada da seguinte forma: 2 - Pela depreciação mensal D – Despesa de Depreciação (DRE) C – Depreciação (Ativo Imobilizado)R$ 200 Retorna

48 Pela reforma do escritório D – Benfeitorias em Bens de Terceiros (Ativo Imobilizado) C – Fornecedores (Passivo Exigível) R$ Mensalmente, a amortização será contabilizada da seguinte forma: Pela amortização mensal D – Despesa de Amortização (DRE) C – Amortização (Ativo Permanente Imobilizado) R$ 500

49 Despesas Antecipadas 1 – Pela contratação do seguro D – Despesas Antecipadas (Ativo Realizável) C – Caixa e Bancos (Ativo Disponível) R$ – Pela apropriação mensal D – Despesas com Seguros (DRE) C – Despesas Antecipadas (Ativo Realizável) R$ Retorna

50 As Contas Redutoras A Depreciação A Amortização D uplicatas Descontadas

51 Ativo Circulante Disponível Recebíveis Dupl. Desc. (70.000) Estoques Permanente Imobilizado Depreciação (50.000) Benfeitorias Amortização (10.000) TOTAL Exigível C.P Salários Impostos Fornecedores Empréstimos Pat. Líquido Capital Lucros Acc TOTAL Ativo Passivo

52 Questão de Revisão Questão de Revisão

53 No dia 15 de dezembro, a empresa XYZ fez um empréstimo bancário cujo prazo era de 90 dias. O contrato previa que tanto os juros quanto o principal seriam integralmente pagos no final do contrato. No dia 31 de dezembro do mesmo ano a empresa, ao fechar o seu balanço, fez um lançamento de R$1.000,00 relativos à despesa com juros proporcionais ao prazo decorrido da data da assinatura do contrato até a data de encerramento do exercício. Você classificaria este lançamento como uma provisão ou como uma apropriação? Justifique sua resposta.

54 Princípios Fundamentais

55 Postulados da Contabilidade P ostulado da Entidade – para efeito contábil, os sócios não se confundem com a empresa; P ostulado da Continuidade – a empresa é um organismo vivo que irá operar indefinidamente, até que surjam fortes evidencias em contrário.

56 Os Princípios Contábeis C usto como base de valor – o custo de aquisição de um ativo, expresso em termos monetários, é a base de valor para a contabilidade; D enominador comum monetário – os demonstrativos contábeis serão expressos em moeda nacional; R ealização da receita – a receita é considerada realizada quando o direito é adquirido, independente de seu recebimento; P rincípio do confronto das receitas com as despesas – toda despesa diretamente identificável com uma receita deverá ser contabilizada no mesmo período em que esta for reconhecida, independente de seu pagamento.

57 As Convenções Contábeis O bjetividade - os lançamentos contábeis deverão ser suportados: (1) por documentos hábeis ou (2) corroborados por pessoas qualificadas; M aterialidade - quanto mais relevante for uma informação, mais bem embasada deverá ser; C onservadorismo - entre dois critérios de avaliação igualmente válidos, deverá prevalecer o de menor valor para o ativo e o de maior valor para o passivo; C onsistência - os critérios utilizados pela contabilidade devem permitir a comparação dos demonstrativos em dois momentos quaisquer do tempo.

58 Questão de Revisão Questão de Revisão

59 Quarenta por cento do estoque de uma empresa atacadista de softwares é constituído de programas Office 98. O contador da empresa quer dar baixa no valor deste material alegando que o valor de mercado deste produto é zero. Baseado no disposto nos postulados, nos princípios e nas convenções contábeis, você acha que o contador tem razão ou não? Justifique sua resposta.

60 RelatóriosRelatórios

61 Notas Explicativas São informações complementares às demonstrações financeiras que tanto podem ser expressas em termos descritivos como em quadros auxiliares. Exemplos de Notas Explicativas são: Critérios de avaliação dos elementos patrimoniais; Detalhamento de investimentos em outras sociedades; Reavaliação de ativos; Detalhamento do endividamento financeiro; Garantias prestadas a terceiros, etc.

62 Relatório da Administração É um relatório que tem por objetivo fornecer dados e informações adicionais que sejam úteis ao perfeito entendimento dos Demons- trativos Contábeis e que sirvam de subsídio ao processo decisório das partes interessadas. Exemplos de informações que devem constar no Relatório da Administração são: Qual a estratégia corporativa da empresa ou porque a estratégia mudou; Eventos externos que afetaram o desempenho da empresa; Atividades de pesquisa e desenvolvimento em andamento; Planos futuros da empresa, etc.

63 Parecer dos Auditores Trata-se de um relatório preparado por auditores independentes e que informa se os demonstrativos contábeis apresentados foram prepa- rados dentro das normas e da legislação vigente. Seu objetivo é dar credibilidade aos demonstrativos financeiros. O relatório dos auditores pode ser: Com ressalvas; Sem ressalvas; Adverso Negativo

64 Os Custos

65 Quanto aos seus objetivos, os gastos podem ser: Custos para efeitos contábeis Custos para efeitos orçamentários Custos para determinação do..preço de venda

66 Gastos Fixos Volume vendido ou produzido Gastos Fixo em R$

67 Gastos Fixos Volume vendido ou produzido Gastos Fixo em R$

68 Os gastos fixos se dividem em: Custos Diretos de Operação Custos Indiretos de Operação Despesas Operacionais

69 Gastos Variáveis Volume vendido Gastos Variável em R$

70 Os gastos variáveis dividem-se em: Custos variáveis de produção Matéria prima Material de revenda Material de consumo Despesas variáveis de venda Impostos sobre vendas Comissões de vendas

71 Gasto Semivariável Volume vendido Gastos Semivariáveis em R$

72 Sistemas de Custeio Custeio por Absorção Custeio Diretoou Variável

73 Exemplo: Suponhamos que uma empresa industrial manufature e comercialize um produto cujo custo de matéria prima seja R$ 10. Suponha ainda que, nesta empresa a soma dos custos diretos e indiretos de fabricação montem a R$ por mês. Usando o método do custeio por absorção, qual seria o custo unitário do produto vendido em um mês em que a empresa houvesse produzido 500 peças?

74 Resposta: Se em um determinado mês a empresa produzir 500 unidades deste produto, pelo sistema de custeio por absorção, seu custo unitário será igual a R$ 12, conforme o quadro abaixo: Custo de Matéria Prima por unidadeR$ 10 Rateio dos custos fixos por unidade R$ um =R$ 2 TotalR$ 12

75 No caso do exercício anterior, qual seria o custo unitário do produto vendido caso no mês seguinte a empresa fabricasse 600 unidades deste mesmo produto? Resposta: Custo de Matéria Prima por unidadeR$ 10,00 Rateio dos custos fixosR$ um =R$ 1,67 TotalR$ 11,67

76 Problema: Suponhamos que uma empresa industrial manufature e comercialize um produto cujo preço de venda seja R$ 10,00 e que apresente a seguinte estrutura de custos variáveis: Matéria prima e materiais secundáriosR$ 5,00 ICMS18% PIS e Cofins 9,25% Comissão de vendedores 5% Pergunta-se: Qual seria o custo unitário do produto vendido apurado pelo método do custeio direto ou variável ?

77 Resposta: Matéria prima e materiais secundáriosR$ 5,00 ICMS 18% x R$ 10,00 =R$ 1,80 PIS e Cofins 9,25% x R$ 10,00=R$ 0,92 Comissão de vendedores 5% x R$ 10,00 =R$ 0,50 TotalR$ 8,22

78 A Margem de Contribuição Unitária MCU = Preço unitário de venda - Custo das vendas

79 A Margem de Contribuição MC = MCU x Un onde MC - Margem de contribuição MCU - Margem de contribuição unitária Un – nº de unidades vendidas

80 Questão de Revisão Questão de Revisão

81 Suponha que sua empresa comercializa apenas dois produtos: o produto A e o produto B. O produto A possui uma margem de contribuição unitária de R$ 0,15 e vende de unidades por ano. O produto B possui uma margem de contribuição unitária de R$ 10,00 e vende unidades por ano. Caso sua verba de publicidade e propaganda fosse limitada, e supondo que haja mercado para os dois produtos, qual dos dois produtos você anunciaria primeiro? Justifique sua resposta.

82 O Ponto de Equilíbrio

83 Unidade R$ Custos Fixos Custos Totais Vendas Ponto de Equilíbrio

84 Fórmula Ponto de Equilíbrio = Gastos Fixos Margem Faturamento

85 Receitas menos Custo das Vendas igual a Lucro Bruto menos Despesas Operacionais Igual a Lucro Operacional Receitas menos Custo das Vendas igual a Margem de Contribuição menos Despesas Operacionais igual Lucro Operacional menos Custos Fixos de Operação igual Lucro Bruto

86 Exercício

87 Exercício: Qual o ponto de equilíbrio da empresa abaixo? Vendas ,00 menos Custo das Vendas( ,00) igual a Margem Bruta ,00 menos Custo Fixo de Fabricação ( ,00) igual a Lucro Bruto ,00 menos Despesas Operacionais( ,00) igual a Lucro Operacional( ,00)

88 Chamamos de Ponto de Equilíbrio Econômico ao faturamento que conduz ao Lucro Operacional que representa a meta de remuneração dos acionistas. Sua equação genérica é: O Ponto de Equilíbrio Econômico oFaturament Margem Lucro Fixo Gasto P.E.E.

89 Exercício

90 Exercício: Qual o Ponto de equilíbrio econômico da empresa abaixo caso a meta de lucro dos acionistas fosse R$ ? Receita Líquida menos C.M.V ( ) igual a Margem de Contribuição menos Custos Fixos de Produção ( ) igual a Lucro Bruto menos Despesas Operacionais ( ) igual a Lucro Operacional

91 O Fluxo de Caixa

92 O Fluxo de Caixa mede...

93 ...uma evolução de saldos Dias Úteis

94 Balanço Patrimonial AtivoPassivo Disponível Realizável Permanente Exigível Patrimônio Líquido

95 ( ) 30 dias (80.000) Receita C.M.V. (80.000) Lucro Entrada Saída ( ) Saldo (4.000)

96 O Fluxo de Caixa Chamamos de fluxo de caixa ao método de captura e regis- tro dos fatos contábeis que provocam alterações no saldo do Disponível e sua apresentação em relatórios estrutura- dos de forma a permitir sua análise e interpretação.

97 O Método Direto

98 02/01/0503/01/0506/01/0507/01/0508/01/0509/01/05 Quinta-feiraSexta-feiraSegunda-feiraTerça-feiraQuarta-feiraQuinta-feira Saldo Inicial21.561, , , , , ,29 Entradas Recebido de Clientes4.286, , ,25824, , ,35 Operações Financeiras2,10 Receitas Patrimoniais Receitas Eventuais42,90 Total das Entradas4.286, , ,25828, , ,35 Saídas Despesas Administrativas988,78591,1014,25429,77322,1045,43 Despesas Comerciais Despesas Financeiras5,617,40262,5613,74 Material de Revenda2.359,22711, , ,94858, ,61 Despesas de Pessoal10.041,44107,10 Encargos1.734,00450,44 Serviços Prestados1.602,41250,00100,00 Impostos e Taxas21,56 Despesas Patrimoniais82,50 Saídas Diversas286,45130,10 Total das Saídas5.109, , , , , ,14 Saldo Final(822,82)109,36(12.761,50)(1.842,81)88,07(22,79) Saldo Acumulado20.739, , , , , ,50

99 Saldo Inicial21.561,99 Entradas Recebido de Clientes82.052,80 Operações Financeiras9,77 Receitas Patrimoniais Receitas Eventuais695,33 Total das Entradas82.767,22 Saídas Despesas Administrativas7.456,00 Despesas Comerciais80,00 Despesas Financeiras576,55 Material de Revenda44.109,03 Despesas de Pessoal13.908,81 Encargos2.184,44 Serviços Prestados3.282,41 Impostos e Taxas9.128,94 Despesas Patrimoniais882,50 Saídas Diversas2.739,69 Total das Saídas84.348,37 Saldo Final19.980,84

100

101

102

103

104 , , , , ,00 0, , , ,00

105 0

106 O Método Indireto

107 Geração Interna de Caixa ( + ) Lucro líquido do exercício ( + ) Depreciação e Amortização ( + ) Provisões de despesas ( + ) Apropriações de despesas ( - ) Provisões de receitas ( - ) Apropriações de receitas

108 Geração de Caixa Disponível + Realizável + Permanente = Exigível + Patrimônio Líquido donde: Disponível = Exigível + Patrimônio Líquido - Realizável – Permanente Se isto é verdade, então é verdade também que: Disponível = Exigível + Patrimônio Líquido – Realizável – Permanente Disponível = Exigível + Patrimônio Líquido – Realizável – Permanente

109 AtivoPassivo Disponível Realizável Estoque Recebíveis Outros Permanente Investimentos Imobilizado Exigível Fornecedores Impostos Empréstimos Patrimônio Líquido Capital Lucros Acumulados

110 AtivoPassivo Disponível Realizável Estoque Recebíveis Outros Permanente Investimentos Imobilizado Exigível Fornecedores Impostos Empréstimos Patrimônio Líquido Capital Lucros Acumulados Operacional Não Operacional

111 Recursos Gerados Operacionalmente ( + ) Redução do Ativo Operacional ( + ) Aumento do Passivo Operacional ( - ) Aumento do Ativo Operacional ( - ) Redução do Passivo Operacional

112 Recursos Gerados não Operacionalmente ( + ) Redução do Ativo não Operacional ( + ) Aumento do Passivo não Operacional ( - ) Aumento do Ativo não Operacional ( - ) Redução do Passivo não Operacional

113 Exercício

114 Saldo Inicial Saldo Inicial 5.000

115 Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido25.000

116 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação 5.000

117 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa

118 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa Fornecedores10.000

119 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa Fornecedores Diversos 7.000

120 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000)

121 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000)

122 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa

123 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000)

124 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo

125 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital

126 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Investimentos (1.000)

127 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Investimentos (1.000) Imobilizado(30.000)

128 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(18.000) Geração Operacional de Caixa (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Investimentos (1.000) Imobilizado(30.000) Saldo Realizado Saldo Realizado

129 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Necessidade de Capital de Giro(18.000) Necessidade de Capital de Giro (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Investimentos (1.000) Imobilizado(30.000) Saldo Realizado Saldo Realizado

130 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Necessidade de Capital de Giro(18.000) Necessidade de Capital de Giro (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Investimentos (1.000) Imobilizado(30.000) Saldo Realizado Saldo Realizado

131 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Recursos Geração Interna de Recursos Lucro Líquido Depreciação Necessidade de Capital de Giro(18.000) Necessidade de Capital de Giro (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(25.000) Fluxo das Atividades Operacionais Fluxo das Atividades Operacionais Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo (5.000) Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Investimentos (1.000) Imobilizado(30.000) Saldo Realizado Saldo Realizado

132 Saldo Inicial mais Geração Interna de caixa Lucro Operacional Depreciação mais Necessidade de capital de giro (18.000) Fornecedores Diversos Duplicatas a receber (10.000) Estoques (25.000) igual a Fluxo das atividades operacionais mais Fluxo das Atividades de investimento (31.000) Investimentos (1.000) Imobilizado (30.000) mais Fluxo das atividades de financiamento Empréstimo de curto prazo (5.000) Empréstimo de longo prazo Aporte de capital igual a Saldo Final

133

134 Exercício

135 Saldo Inicial Saldo Inicial 5.000

136 Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido 7.000

137 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação 5.000

138 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa

139 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa Fornecedores

140 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa Fornecedores Salários Encargos e Benefícios 2.000

141 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis 2.000

142 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa Geração Operacional de Caixa Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000)

143 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(16.000) Geração Operacional de Caixa(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000)

144 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(16.000) Geração Operacional de Caixa(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa

145 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(16.000) Geração Operacional de Caixa(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo 5.000

146 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(16.000) Geração Operacional de Caixa(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo Empréstimos de Longo Prazo

147 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(16.000) Geração Operacional de Caixa(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital

148 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(16.000) Geração Operacional de Caixa(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Imobilizado(30.000)

149 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Geração Operacional de Caixa(16.000) Geração Operacional de Caixa(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Imobilizado(30.000) Saldo Realizado Saldo Realizado 6.000

150 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Necessidade de Capital de Giro(16.000) Necessidade de Capital de Giro(16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Geração não Operacional de Caixa Geração não Operacional de Caixa Empréstimos de Curto Prazo Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Imobilizado(30.000) Saldo Realizado Saldo Realizado 6.000

151 Saldo Inicial Saldo Inicial Geração Interna de Caixa Geração Interna de Caixa Lucro Líquido Depreciação Necessidade de Capital de Giro(16.000) Necessidade de Capital de Giro (16.000) Fornecedores Salários Encargos e Benefícios Outros Exigíveis Duplicatas a Receber(10.000) Estoques(20.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades Operacionais (4.000) Fluxo das Atividades de Financiamento Fluxo das Atividades de Financiamento Empréstimos de Curto Prazo Empréstimos de Longo Prazo Aporte de Capital Fluxo das Atividades de Investimento(30.000) Imobilizado(30.000) Saldo Realizado Saldo Realizado 6.000

152 Análise de Balanços

153 Os Índices Í ndices de Liquidez Í ndices de Rentabilidade Í ndices de Estrutura

154 Índices de Liquidez Exigível l Realizáve Disponível Geral Liquidez + = Circulante Passivo Circulante Ativo = orrenteLiquidez.C Circulante Passivo EstoqueCirculante Ativo Liquidez Seca - =

155 Ativo Circulante Passivo Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado Ativo Circulante Passivo Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado

156 Ativo Circulante Passivo Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado C.G. Próprio O Capital Circulante Líquido

157 Ativo Circulante Passivo Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado C.G. Próprio O C.C.L. negativo

158 Ativo Circulante Passivo Circulante Imobilizado Patrimônio Líquido Negativo

159 Ativo Circulante Passivo Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado P.L. Negativo Patrimônio Líquido Negativo

160 Índices de Estrutura 100x LíquidoPatrimônio e PermanentAtivo ãoImobilizaç de Grau = 100x Ativo Total e PermanentAtivo ãoImobilizaç de Grau =

161 Índices de Estrutura 100x nto Endividame LíquidoPatrimônio Terceiros de Capitais =

162 Ativo Circulante Passivo Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado Ativo Circulante Passivo Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado

163 Índices de Estrutura 100 x ulanteAtivo Circ azoPr s de CurtoEmpréstimoTotal dos eironto FinancEndividame =

164 Índice de Estrutura 360 Vendas Recebíveis s Recebíveidos MédioPrazo x = 360 CMV rima Matéria Pde Estoque do Reposição x =

165 100x LíquidasVendas LíquidoLucro LíquidaMargem = Índices de Rentabilidade 100x Médio LíquidoPatrimônio LíquidoLucro R.P.L. =

166 Empresa A AtivoPassivo AtivoPassivo Empresa B R$US$ R$ Exposição

167 AtivoPassivo US$ 200US$ 1.000

168 AtivoPassivo Disponível 200 Realizável 500 Em R$ 300 Em US$ 200 Permanente 300 Exigível 500 Em R$ 200 Em US$ 300 P. Líquido

169 Passivo Exposto Exigível$ 300 Realizável$ 200 Passivo Exposto$ 100 Sensibilidade Passivo Exposto Patrimônio Líquido = $ 100 $ 500 = 20% A cada desvalorização de 1% do Real o Patrimônio Líquido da empresa será reduzido de 1% x 20% = 0,2%

170 Exercício

171 Problema: Calcular a exposição da empresa cujos demonstrativos financeiros estão apresentados no próximo quadro às variações da taxa de câmbio.

172 2001 ATIVO Disponível Caixa e Bancos Aplicações Financeiras Realizável Recebíveis Nacionais Estoques Outros Permanente Investimentos Imobilizado Total do Ativo PASSIVO Exigível Fornecedores Nacionais Fornecedores Estrangeiros Folha e Encargos Empréstimos Outros Patrimônio Líquido Capital e Reservas Lucros Acumulados ( ) Total do Passivo

173 Solução: Passivo ExpostoR$ Patrimônio LíquidoR$ Relação entre Passivo exposto e Patrimônio Líquido R$ R$ = 0,1134 ou 11,34 % Conclusão: A cada variação cambial de 1%, o Patrimônio Líquido da empresa variará 0,1134 %.

174 Carlos Alexandre Sá Cash-Flow Solutions Av. Ataulfo de Paiva, 566 / 905 Leblon Rio de Janeiro - RJ tel.: (021) cel.: (021)

175


Carregar ppt "5 5. 4 3 2 1 Contabilidade para Não-Contadores."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google