A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação da Função Renal. Funções do rim: Regulação do balanço de água, eletrólitos e equilíbrio ácido-básico Excreção dos produtos do metabolismo de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação da Função Renal. Funções do rim: Regulação do balanço de água, eletrólitos e equilíbrio ácido-básico Excreção dos produtos do metabolismo de."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação da Função Renal

2 Funções do rim: Regulação do balanço de água, eletrólitos e equilíbrio ácido-básico Excreção dos produtos do metabolismo de proteínas e ácidos nucléicos: uréia, creatinina, ácido úrico, sulfato e fosfato Produção de hormônios: renina, calcitriol, eritropoetina. Investigação da função renal

3

4 Testes da função glomerular Filtrado glomerular (ultrafiltrado): composição do plasma sem proteínas (140 mL/min). Taxa de filtração glomerular: fluxo sanguíneo renal e pressão normais Queda na FG: destruição dos néfrons ou restrição de suprimento sanguíneo renal, retenção de excretas (uréia e creatinina).

5 Creatinina Uréia Ph urinário Densidade/Osmolaridade Proteinúria Glicosúria Sedimento urinário Avaliação da Função Renal

6

7 Creatinina A capacidade dos rins de filtrar o plasma nos glomérulos pode ser avaliada medindo-se a depuração de creatinina, que se aproxima da taxa de filtração glomerular. A concentração de creatinina no soro é um índice insensível da função renal, porque ela pode elevar-se só quando a FG tenha caído para 50% do normal. Quando encontra-se creatinina sérica anormal, as mudanças na concentração refletem mudanças na FG.

8 Creatinina O valor da creatinina sérica está relacionado à produção endógena, e esta é proporcional à massa muscular, à dieta e ao ritmo de filtração glomerular. Valores de referência: - Crianças até 12 anos: 0,2 a 0,6 mg/mL - Mulheres: 0,5 a 1,1 mg/mL - Homens: 0,6 a 1,3 mg/mL

9 Ureia A concentração de ureia do soro não é útil como medida da FG. A ingestão de proteínas da dieta e sangramento gastrintestinal podem afetar a concentração de uréia sérica. A ureia é reabsorvida pelos túbulos renais e essa reabsorção aumenta com taxas de fluxo de urina baixas. A ureia oferece importante informação sobre o grau de catabolismo proteico.

10 Valores de referência Dosagem de uréia sérica Adultos : 10 a 20 mg/dL (elevado em idosos) Crianças: 5 a 18 mg/dL Diferencia entre azotemia ou uremia pré-renal e renal Pré-renal: uréia tem maior aumento que a creatinina

11 pH urinário A urina colhida pela manhã e em jejum deve ser ácida, com pH que 6,5. Durante o dia, sobretudo após as refeições, podemos encontrar amostras com pH neutro ou alcalino. Urina com pH persistentemente neutro ou alcalino denota defeito tubular de acidificação.

12 Função tubular renal Teste de carga de ácido: Usado no diagnóstico da acidose metabólica que surge de uma secreção diminuída de H + Formação de urina ácida: secreção de H + e produção de amônia. Adminstração de cloreto de amônio, urina coletada nas 8 horas seguintes pH de pelo menos 1 amostra deve ser menor que 5,3.

13 Função tubular renal Capilar Peritubular Célula TP Luz Tubular H+H+

14 Função tubular renal Acidose metabólica pH sangue a.c. 2x 2 NH 3 2 HCO 3 - Cl + Na + NH 3 /NH 4 + amônia/íon amônio 2 2x TÚBULO CONTORCIDO PROXIMAL na acidose pH sangue SECREÇÃO DE NH 3 /NH 4 +

15 Função tubular renal Significado clínico do pH urinário: normal entre 5 e 8 Acidose respiratória ou metabólica Alcalose respiratória ou metabólica Anormalidade na secreção ou reabsorção de ácido e bases pelos túbulos renais Precipitação de cristais ou cálculos urinários Determinação de amostras insatisfatórias (acima de 9)

16 Função tubular renal Reabsorção tubular: garante a reabsorção de água, sódio, glicose, aminoácidos Investigação da função tubular de reabsorção de água: Medida da osmolalidade na urina e plasma: razão entre 1 e 3, quando < 1,0 túbulos não reabsorvem água. Teste de privação de água: privação de água por 24 horas e medida da osmolalidades de todos os espécimens durante o 2º periodo de 12h

17 Função tubular renal Teste de privação de água: Osmolalidade > 700 mmol/Kg Razão osmolalidade urina: plasma > 2,0 Diabetes insipidus entre 0,2 e 0,7 Teste deve ser interrompido: perda de peso exceder 3Kg, + de 3L forem vertidos Administração de DDAVP (análogo do AVP) produz urina concentrada (> 700 mmol/Kg), se os receptores não responderem a DDAVP (Diabetes insipidus nefrogênico).

18 Proteinúria Valores de referência: Normal: 100mg/L Para diagnóstico de lesões glomerulares: proteínas de alto peso molecular como a albumina Para diagnóstico de lesões tubulares: proteínas de baixo peso molecular como a beta-2 microglobulina, proteína transportadora de retinol (RBP), lisozima, etc...

19 Valores de referência Dosagem de proteína urinária Proteinúria em 24 h < 150mg/dia Patológico > 500 mg/dL Nem sempre proteinúria é sinônimo de doença glomerular, pode ser decorrente de lesão glomerular, lesão tubular, excesso de determinadas proteínas alteração de membrana basal causa peda seletiva de albumina (nefropatia diabética)

20 Tipos de proteinúrias

21 Função tubular renal Proteinúria específica: 2-microglobulina e 1-microglobulina são proteínas filtradas e reabsorvidas, indicam lesão tubular

22 Função tubular renal Proteinúria específica: Proteína de Bence-Jones Proteinúria decorrente do aumento dos níveis séricos de proteína em pessoas com mieloma múltiplo. Proteína de Bence-Jones coagula entre 40 e 60 o C e solubiliza em 100 o C

23 Significado clínico da proteinúria: Lesão da membrana glomerular: amiloidose, distúrbios do complexo imune Comprometimento da reabsorção tubular Mieloma múltiplo Nefropatia diabética Pré-eclâmpsia Proteinúria ostostática

24 Glicosúria A presença de glicose na urina quando a glicose plasmática está normal geralmente reflete incapacidade dos túbulos de reter a glicose por lesão tubular específica. Limiar renal de reabsorção da glicose 300mg/mL.

25 Sedimento Urinário: Hemáceas Valor de referência: < /mL Hematúrias sem alterações dismórficas geralmente estão associadas a lesão do trato urinário por anomalias vasculares, cálculos, tumores ou infecções. Hematúria com alterações dismórficas: origem glomerular e necessita maiores investigações para diagnóstico de anormalidades como hemólise intravascular ou da lesão muscular.

26 Sedimento urinário: Leucócitos Valor de referência : < / mL Valores mais altos são indicativos de inflamação no TU. Na maioria dos casos a causa da inflamação é infecciosa e têm-se a tendência a confundir leucocitúria com a presença de infecção urinária. Dentre as causas de leucocitúria estéril podemos citar a infecção por clamídia, cálculo renal, glomerulonefrite proliferativa e difusa, rejeição de enxerto, nefrite túbulo intersticial, febre em crianças e os processos inflamatórios pélvicos.

27 Cálculos renais Os cálculos provocam muita dor e são causa comum de obstrução do trato urinário. A análise química dos cálculos renais é importante na investigação de como eles se formam. Os tipos de cálculos incluem: - Oxalato de cálcio; - Fosfato de cálcio; - Magnésio e amônia; - Ácido úrico; - Cistina.

28 Função Tubular Renal: Métodos de Estudo Analisam a função do órgão como um todo: Clearance – Usado na clínica. Estudam os mecanismos de transporte tubular: Micropunção ou Microperfusão tubular Túbulo isolado Cultura de células Patch clamp Biologia Molecular

29 Clearance ou Depuração Plasmática A depuração de uma substância é definida como a quantidade de sangue ou plasma completamente liberada desta substância, por unidade de tempo, através da filtração renal. O teste de depuração da creatinina é realizado com medição da creatinina ou outra substância em uma amostra de urina colhida em um tempo estabelecido e também em uma amostra de sangue colhida no período de colheita da amostra de urina.

30 Cx = volume de plasma depurado da substância x em unidade de tempo = ml/min Clearance ou Depuração Plasmática

31 Cx = relação entre a quantidade de x excretada na urina e a concentração de x no plasma. Sendo: Ux = concentração de x na urina V = fluxo urinário Px = concentração de x no plasma Cx = Ux V = mg/ml ml/min = ml/min Px mg/ml

32 Ritmo de Filtração Glomerular Endógeno: -Clearance de creatinina - Cistatina C Exógeno: -Inulina - Iohexol

33 Valores do Clearance: 1) Substância x não é filtrada no rim (não reabsorvida nem secretada) Cx = 0 Exemplo: maioria das proteínas

34

35 Valores do Clearance: 2) Substância é filtrada, mas não reabsorvida nem secretada. Carga Excretada de x = Carga Filtrada de x Ux V = Px RFG RFG = Ux V/ Px Cx = RFG (ritmo de filtração de glomerular) Exemplo: inulina C inulina = RFG ml/min

36 PAH glicose C (ml/min) P (mg/%) inulina Valores do Clearance: C inulina = RFG ml/min

37 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

38 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

39 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

40 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

41 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma 1 ml de plasma foi depurado de 1 mg de Inulina INULINA

42 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma 1 ml de plasma foi depurado de 1 mg de Inulina INULINA U inu =125mg/ml e V urin =1ml/min

43 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma 1 ml de plasma foi depurado de 1 mg de Inulina INULINA U inul x V P inul C inul = 125mg/ml x 1ml/min 1mg/ml C inul = C inul = 125 ml/min U inu =125mg/ml e V urin =1ml/min

44 C creatinina = RFG (em clínica) Creatinina Substância exógena Metabólito do músculo esquelético Secretada no túbulo renal

45 Depuração da Creatinina Calcular a depuração: U mg/dL Volume 24 h (mL) Mililitros de plasma depurados por minuto = x S mg/dL 1440 minutos onde U = creatinina na urina (mg/dL) S = creatinina no soro (mg/dL) Volume 24 h = volume urinário de 24 horas Exemplo: Creatinina na urina: 62 mg/dL Creatinina no soro: 1,37 mg/dL Volume de 24 horas: 1872 mL 62 mg/dL X 1872 mL Depuração da creatinina = = 58,8 mL/minuto 1,37 mg/dL X 1440 minutos Depuração corrigida = Depuração sem correção x 1,73/Superfície corporal do paciente

46 Clearance de creatinina Fórmula de Cockcroft DW and Gault MH

47 Valores de referência (mL/minuto/1,73m 2 ) Mulheres Homens Idade (anos) Média Intervalo Média Intervalo – Depuração da Creatinina

48 Valores do Clearance: 3) Substância x após ser filtrada é reabsorvida a) totalmente reabsorvida Cx = 0 Exemplo: glicose (em indivíduos normais) b) parcialmente reabsorvida Cx / Cin sua secreção) Exemplo: sódio

49 PAH glicose C (ml/min) inulina P (mg/%) Valores do Clearance:

50 4) Substância x além de ser filtrada é secretada Cx / Cin > 1 Quando x é totalmente secretada, a excreção urinária será igual à concentração de substância que chega à artéria renal. Carga Excretada de x = Px FPR Ux V = Px FPR Exemplo: Para-Amino-Hipurato de sódio

51 PAH glicose C (ml/min) inulina P (mg/%) Valores do Clearance:

52 Cx = RFG Cx > zero Cx = zero Cx = FPR Cx < RFG Filtrada, nem reabsorvida nem secretada. Filtrada e parcialmente reabsorvida. Filtrada e totalmente reabsorvida. Filtrada e totalmente secretada. Inulina Na + glicose PAH

53 ProximalColetor Glicose PAH Inulina Uréia Osmóis FT P Alça de Henle Distal Convoluto Sódio

54 Cada porção do túbulo é especializada no processamento de diferentes elementos

55 Transporte máximo de substâncias que são reabsorvidas Transporte máximo de substâncias que são ativamente secretadas

56 Depuração dos solutos mais abundantes Obs: a creatinina é uma substância endógena com depuração intensa, pois não é reabsorvida e pouco excretada nos túbulos renais, pode ser parâmetro para estimativa da FG.

57 Novos Métodos beta-2 microglobulina, proteína transportadora de retinol (RBP) Cistatina C Iohexol

58 Exame de Urina Exame Físico Volume, densidade, aspecto, cor, dor, presença de sedimento Exame Químico pH, proteína, cetona, glicose, sangue oculto, urobilinogênio, pigmentos biliares, nitrito, leucócitos Exame Microscópico Inorgânicos: cristais Orgânicos: células (leucócitos, hemácias, epiteliais do túbulo renal), cilindros, filamentos de muco, bactérias, fungos e leveduras, parasitas,etc.

59 Exame Físico

60 Exame Químico

61

62 Exame Microscópico

63 Cilindros

64

65 Cristais de Medicamentos

66 Cristais de Aminoácidos

67 Cristais

68 Cristais de Oxalato de Cálcio

69 Cristais


Carregar ppt "Avaliação da Função Renal. Funções do rim: Regulação do balanço de água, eletrólitos e equilíbrio ácido-básico Excreção dos produtos do metabolismo de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google