A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Eficiência Energética Sistema de Certificação Energética SINERCLIMA, ExpoSalão, 25 Fevereiro 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Eficiência Energética Sistema de Certificação Energética SINERCLIMA, ExpoSalão, 25 Fevereiro 2010."— Transcrição da apresentação:

1 Eficiência Energética Sistema de Certificação Energética SINERCLIMA, ExpoSalão, 25 Fevereiro 2010

2 Sistema de Certificação Energética e de QAI Certificados Energéticos e de QAI Ponto de situação do SCE Medidas de melhoria nos certificados Presença e divulgação do SCE Futuro próximo num contexto Europeu

3 Directiva 2002/91/CE de 16 de Dezembro Suporte para a revisão da legislação nacional e introdução de certificação Objectivo: Promover a melhoria do desempenho energético dos edifícios na Comunidade, tendo em conta: As condições climáticas externas e as condições locais Exigências em termos de clima interior Rentabilidade económica Estabeleceu requisitos em matéria de: Metodologia de cálculo do desempenho energético integrado dos edifícios Aplicação de requisitos mínimos para o desempenho energético dos novos edifícios Aplicação de requisitos mínimos para o desempenho energético dos grandes edifícios existentes que sejam sujeitos a grandes obras de renovação Certificação energética dos edifícios Inspecção regular de caldeiras e instalações de ar condicionado nos edifícios e, complementarmente, avaliação da instalação de aquecimento quando as caldeiras tenham mais de 15 anos

4 3 Etiqueta de Desempenho Energético 9 classes (de A + a G) Certificado informa de um modo simples e directo

5 Classificação energética Uma casa eficiente pode consumir menos de ¼ do consumo de referência Classe energéticaComparação com consumo de referência A+25% ou menos do consumo de referência AEntre 26% a 50% B 51% a 75% B-76% a 100% C101% a 150% D151% a 200% E201% a 250% FEntre 251% a 300% GMais de 300% consumo de referência Edifícios novos Edifícios existentes Consumo referência

6 Sistema de Certificação Energética e de QAI Certificados Energéticos e de QAI Ponto de situação do SCE Medidas de melhoria nos certificados Presença e divulgação do SCE Futuro próximo num contexto Europeu

7 Mais de 1300 Peritos Qualificados (PQs) no SCE (Janeiro 2010) Predominância natural dos peritos RCCTE

8 Emissão mensal de CEs/DCRs ronda os registos 70% correspondem a edifícios existentes DCRs – Declaração de Conformidade Regulamentar CEs – Certificado Energético e da Qualidade do Ar Interior Nota: Uma DCR corresponde a um CE emitido em fase de projecto. Em edifícios novos, um CE só é emitido no final da obra. DCRs – Declaração de Conformidade Regulamentar CEs – Certificado Energético e da Qualidade do Ar Interior Nota: Uma DCR corresponde a um CE emitido em fase de projecto. Em edifícios novos, um CE só é emitido no final da obra.

9 Classes A e B predominam nos novos edifícios Cerca de 60% dos edifícios existentes abaixo do limiar aplicável a novos edifícios (B - )

10 Cerca de metade dos edifícios certificados são recentes Mais de 80% dos edifícios construídos antes de 2000 são classe C ou inferior Fonte: ADENE, registo central do SCE. Certificados de edifícios existentes registados até final de 2009.

11 Grande maioria dos edifícios novos já prevê solar térmico Situação inverte-se nos edifícios existentes: apenas 5% com sistemas instalados

12 Sistema de Certificação Energética e de QAI Certificados Energéticos e de QAI Ponto de situação do SCE Medidas de melhoria nos certificados Presença e divulgação do SCE Futuro próximo num contexto Europeu

13 Propostas de medidas de melhoria nos certificados São a ferramenta indutora de impacto da certificação energética Descrição sucinta das oportunidade de melhoria identificadas Intervalos para: Redução da factura Custo investimento Período de retorno Intervalos para: Redução da factura Custo investimento Período de retorno Nova classe energética se todas as medidas assinaladas forem implementadas

14 Impacto das medidas de melhoria (certificados emitidos no 1º semestre 2009) Se todas as medidas sugeridas pelos PQs nos certificados fossem implementadas… 40% dos edifícios estão acima do limite mínimo para edifícios novos 86% dos edifícios poderiam ficar acima do limite mínimo para edifícios novos

15 2/3 das medidas propostas incidem sobre AQS, Aquec. e Solar Necessidade de reforço do estudo de medidas conducentes redução das necessidades energéticas Informação no certificado Edifícios mais eficientes Investimento de 1250 a 6500 por fracção Tempo de retorno médio de 6 to 11 anos Potencial de economia de 0,4 tep/ano por fracção (energia primária) Propostas de medidas de melhoria incidem sobre:

16 Manual de apoio ao estudo de medidas de melhoria Envolvente / Redução das necessidades energéticas Conteúdo Tipificação soluções construtivas Níveis de qualidade Metodologias de intervenção Avaliação técnico-económica Exemplos Brevemente disponível Futuros manuais: Patologias Energias renováveis Eficiência sistemas Manutenção e Inspecções

17 Principais desafios actuais Após arranque do sistema de certificação, importa agora… Integrar informação de diferentes fontes para detectar situações de incumprimento da obrigatoriedade da emissão de certificado Reforçar o controlo de qualidade do trabalho dos peritos, actuando sobre os casos de desempenho inadequado da respectiva missão Criar condições e mecanismos de apoio adequados à implementação efectiva das medidas de melhoria propostas nos certificados

18 Sistema de Certificação Energética e de QAI Certificados Energéticos e de QAI Ponto de situação do SCE Medidas de melhoria nos certificados Presença e divulgação do SCE Futuro próximo num contexto Europeu

19 CasA+ - Simulador de melhorias de desempenho energético Interface simplificada. Disponível em suporte smartboard, quiosque e internet

20 Portugal considerado um caso de sucesso na certificação Estudo da ECEEE aponta Portugal como exemplo a seguir

21 Sistema de Certificação Energética e de QAI Certificados Energéticos e de QAI Ponto de situação do SCE Medidas de melhoria nos certificados Presença e divulgação do SCE Futuro próximo num contexto Europeu

22 Revisão da Directiva 2002/91/CE Principais novidades… Apresentação da classe energética na publicidade Requisitos mínimos baseados em critérios de viabilidade económica ao longo do ciclo de vida Imposição de requisitos mínimos aos sistemas técnicos nos edifícios Novos edifícios públicos terão de ser energia quase zero a partir de 2020 Metas e planos ambiciosos para recuperação do parque edificado existente Auditorias periódicas: > 750 m2 a partir de 2012 e > 250 m2 a partir de 2017.

23 Principais funções Visão estratégica Coordenação geral Integração de áreas Composição institucional Grupo de integração / coordenação Principais funções Gestão corrente dos trabalhos Capacidade técnica Elaboração de propostas concretas Inclui comissão executiva e conselho consultivo Grupos de trabalho Grupo de Integração / Coordenação Grupo Trabalho RCCTE Grupo Trabalho RSECE- Energia Grupo Trabalho RSECE-QAI Grupo Trabalho SCE Revisão da legislação nacional Trabalhos já se iniciaram, conclusão prevista no início de 2011

24 Linhas orientadoras da revisão nacional Principais novidades… 1.Adaptação às novas exigências introduzidas pela revisão da EPBD 2.Consistência com outros instrumentos de política europeia 3.Integração com outros programas, planos e estratégias nacionais 4.Coerência com demais legislação e regulamentação nacionais. 5.Harmonização dos diplomas legais 6.Utilização de Normas e outras referências nacionais e internacionais. 7.Integração eficaz com outros procedimentos e sistemas relacionados 8.Evolução planeada dos requisitos e regras regulamentares 9.Incorporação da informação complementar produzida pelo SCE

25 Linhas orientadoras da revisão nacional Principais novidades… 10.Formalização de mecanismos expeditos para clarificação técnica 11.Utilização da informação do SCE como suporte à decisão 12.Considerar aspectos patrimoniais e arquitectónicos na reabilitação 13.Capacidade e formação dos agentes envolvidos 14.Clarificação das excepções de edifícios à aplicação da legislação 15.Revisão do actual quadro sancionatório 16.Envolvimento dos principais parceiros e agentes de mercado 17.Valorização deconforto, garantia de QAI e prevenção da saúde

26 Obrigado Um dia, todos os edifícios serão verdes


Carregar ppt "Eficiência Energética Sistema de Certificação Energética SINERCLIMA, ExpoSalão, 25 Fevereiro 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google