A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANTROPOMETRIA Disciplina: Ergonomia e Segurança do Trabalho Faculdade Anhanguera de Ribeirão Preto Curso de Engenharia Elétrica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANTROPOMETRIA Disciplina: Ergonomia e Segurança do Trabalho Faculdade Anhanguera de Ribeirão Preto Curso de Engenharia Elétrica."— Transcrição da apresentação:

1 ANTROPOMETRIA Disciplina: Ergonomia e Segurança do Trabalho Faculdade Anhanguera de Ribeirão Preto Curso de Engenharia Elétrica

2 ANTROPOMETRIA? É o conjunto de técnicas utilizadas para medir o corpo humano ou suas partes. corpo humano

3 1. A POSIÇÃO E A POSTURA A posição e a postura num posto de trabalho, são conseqüências de : - Dimensões no posto de trabalho (altura e profundidade);

4 1. A POSIÇÃO E A POSTURA Arranjo, disposição de pontos de manipulação comando controles e áreas para depositar peças e ferramentas em máquinas, consoles; Obstáculos nos espaços de movimentação dos braços; Existência ou não de um assento e de apoios;

5 Dimensões do espaço livre para movimentação de pernas, e pés (em pé e sentado); Dimensões e disposição de recipientes para peças e ferramentas e de prateleiras e paletes; Eventualmente da altura do espaço de trabalho (trabalho de manutenção). 1. A POSIÇÃO E A POSTURA

6 2.A NTROPOMETRIA A antropometria trata das medidas físicas do corpo humano (Iida, 1990). Antropo = Homem Metria = Medidas. O importante na antropometria além do tamanho dos segmentos corporais é à proporção que existe entre cabeça tronco membros inferiores e superiores.

7 2.A NTROPOMETRIA Até a década de 40, as medidas antropométricas visavam determinar apenas as grandezas médias da população, como pesos e estaturas médias. Depois passou–se a determinar as variações e os alcances dos movimentos.

8 O interesse maior atualmente concentra-se no estudo das diferenças entre grupos e a influência de certas variáveis como etnias, regiões culturais. Todas as populações humanas são compostas de indivíduos de diferentes tipos físicos ou biótipos. 2.A NTROPOMETRIA

9 ANTROPOMET RIA ESTÁTICA E DINÂMICA

10 Estática – É aquela em que as medidas se referem ao corpo parado ou com poucos movimentos. É aplicada em projetos de objetos sem partes móveis ou com pouca mobilidade, é o caso do mobiliário em geral. 2.1 A NTROPOMETRIA E STÁTICA

11 A maioria das tabelas de medidas existente é de antropometria estática e não deve ser usada, para projetos de máquinas ou postos de trabalho com partes que se movimentam.

12 2.1 ANTROPOMETRIA ESTÁTICA E DINÂMICA Para projetos de produtos e equipamentos que exigem relativamente poucos movimentos, podem ser usados os dados de antropometria estática, inclusive porque são mais facilmente disponíveis (Iida,1990).

13 PARA REALIZAÇÕES DE MEDIDAS É NECESSÁRIO TOMAR ALGUNS CUIDADOS A SABER:

14 ANTROPOMETRIA ESTÁTICA ESTUDA Dimensões lineares, pesos, diâmetros, etc. Projetos de equipamentos. PARA: - Espaços de trabalho; - EPIS; - Ferramentas.

15 2.2 ANTROPOMETRIA DINÂMICA Dinâmica – É aquela que mede os alcances dos movimentos. Os movimentos de cada parte do copo são medidos mantendo-se o resto do corpo estático. É importante ressaltar que cada parte do corpo não se move isoladamente, mas há uma combinação de diversos movimentos para se realizar uma função.

16 2.2 ANTROPOMETRIA DINÂMICA Em equipamentos que exigem maiores movimentos corporais, é conveniente utilizar os dados da antropometria dinâmica, principalmente para se determinar os alcances e faixas de movimentos.

17 ANTROPOMETRIA DINÂMICA ESTUDA Variações de movimentos; Ângulos anatômicos; Padrões de ritmo e movimentos; Forças e espaços envolvidos; Movimentos articulatórios;

18 Área de alcances ótimo e máximo na mesa para o trabalhador sentado (KROEMER; GRANDJEAN, 2005). Á REAS DE ALCANCE

19 M OVIMENTOS A RTICULATÓRIOS

20 P ESCOÇO

21 C OLUNA VERTEBRAL

22 O MBRO

23 P UNHO

24 Nem sempre os movimentos adequados são adotados, pela própria exigência da atividade.

25 3. O S P ERCENTÍS

26 S EGUNDO I IDA OS ESTUDOS ANTROPOMÉTRICOS PODEM SE APOIAR EM QUATRO PRINCÍPIOS BÁSICOS : 1° Princípio: Considera-se a média dos valores antropométricos observados. Isto significa que o projeto não é, necessariamente, ótimo para todas as pessoas, mas que, coletivamente causaria menores inconvenientes e dificuldades do que se fosse feito para pessoas maiores ou menores em relação à média.

27 N ESSE CASO, PODE - SE USAR : a) Quinto percentil - Significa que 5% da população considerada é menor que o dado a ser estudado. Usa-se o quinto percentil, por exemplo, para projetos de balcões e mesas de restaurantes industriais, pois assim, somente 5% dos usuários não estarão confortavelmente instalados (para eles, as mesas e os balcões serão altos), enquanto 95% dos usuários irão sentir-se adequadamente instalados.

28 N ESSE CASO, PODE - SE USAR : b) Percentil 95 - Significa que 95% da população considerada é menor que o dado em questão, ou seja apenas 5% possuem medidas maiores. Usa-se, por exemplo, no projeto de portas, ou seja, 95% da população considerada será menor que a porta, portanto a maioria não correrá o risco de acidentes (ex. bater a cabeça).

29 c) Percentil 50: É igual à média.

30 2°P RINCÍPIO : Projetos para indivíduos extremos. É o caso de projetos de camas, roupas, calçados para jogadores de basquete (geralmente indivíduos com estatura maiores que 2m).

31 3° PRINCÍPIO: PROJETO PARA FAIXAS ESPECÍFICAS DA POPULAÇÃO: Faz-se no sentido de atender um universo específico. Pode-se citar, como exemplo, os orelhões, destinados aos deficientes físicos. Idosos, Obesos, Deficientes Visuais, etc.

32 4° P RINCÍPIO : P ROJETOS INDIVIDUAIS É o caso típico de roupas especiais (trajes de astronautas), cockpit dos autos de corrida, óculos de proteção específicos para trabalhadores que necessitem desse EPI, (Equipamento de Proteção Individual) e usem óculos de grau.

33 3.1 INFLUÊNCIA DO SEXO: Homens e mulheres apresentam diferenças antropométricas significativas, não apenas em dimensões absolutas, mas também nas proporções dos segmentos corporais.

34 3.1 INFLUÊNCIA DO SEXO: Os homens em geral costumam ser mais altos, e as mulheres na maioria dos casos com a mesma estatura do homem costumam ser mais gordas. As mulheres possuem mais tecido gorduroso em todas as idades enquanto os homens possuem mais músculos. (Itiro Iida, 1990)

35 3.1 INFLUÊNCIA DO SEXO: Esta questão hoje é discutível pois, o perfil físico populacional vem se modificando através dos anos, por vários fatores como por exemplo, hábitos alimentares inadequados, falta de atividades físicas regulares etc.

36 4. D IFERENÇAS INDIVIDUAIS / S OMATOTIPO Os três tipos básicos do corpo humano (Sheldon,1940).

37 5. P ROPORCIONALIDADE A proporcionalidade é a relação entre as partes do corpo com uma outra parte ou com o corpo todo. As medidas antropométricas mais comuns são as de comprimento, perímetro, diâmetro e volume de segmentos do corpo, que podem ser expressas em seus valores absolutos ou, mais comumente, pelos índices que procuram estabelecer relações entre as medidas.

38 6. M ÉTODOS DE M EDIDAS As medidas indiretas geralmente envolvem fotos do corpo ou parte dele contra uma malha quadriculada. Uma variante desta técnica é a de traçar o contorno da sombra projetada sobre um anteparo transparente ou translúcido.

39 6. M ÉTODOS DE M EDIDAS Exemplo de zonas de alcances preferenciais e limites máximos para posição sentada (IIDA, 1990).

40 POSTURAS ADEQUADAS TRABALHO EM PÉ Alturas recomendadas para as superfícies horizontais de trabalho (KROEMER; GRANDJEAN, 2005).


Carregar ppt "ANTROPOMETRIA Disciplina: Ergonomia e Segurança do Trabalho Faculdade Anhanguera de Ribeirão Preto Curso de Engenharia Elétrica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google