A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Ana Carolina Graça de Farias Diogo Jorge dos Santos Marcelo Estácio Silvestre Gonçalves.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Ana Carolina Graça de Farias Diogo Jorge dos Santos Marcelo Estácio Silvestre Gonçalves."— Transcrição da apresentação:

1 INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Ana Carolina Graça de Farias Diogo Jorge dos Santos Marcelo Estácio Silvestre Gonçalves

2 Instituições Financeiras B OVESPA B OVESPA BVRJ BVRJ B M&F B M&F Nova Bolsa Nova Bolsa SOMA SOMA CVM CVM CBLC CBLC Agências de Rating Agências de Rating

3 B OVESPA Bolsa de Valores de São Paulo B OVESPA Bolsa de Valores de São Paulo O que é ? O que é ? É a bolsa oficial do Brasil, sendo o maior centro de negociação com ações da América Latina e a oitava maior bolsa do mundo. Formas de Negociações Formas de Negociações - Mercado a Vista (Compra e Venda de Ações) - Mercado a Termo - Mercado de Opções - Mercado Futuro de Ações

4 B OVESPA Bolsa de Valores de São Paulo B OVESPA Bolsa de Valores de São Paulo Fatos Fatos - Pioneira na introdução de operações com opções no Brasil. - No fim da década de 90, são lançados os serviços Home Broker e After-Market. - Na década de 2000, a Bovespa passa a concentrar toda a negociação de ações do país. - Em 2005, ocorre o fim do pregão viva-voz e a Bovespa se torna uma bolsa totalmente eletrônica. - Em março de 2008, a BM&F e Bovespa se uniram para formar uma nova bolsa.

5 B OVESPA Bolsa de Valores de São Paulo B OVESPA Bolsa de Valores de São Paulo Mercado de Bolsa X Mercado de Balcão Organizado Mercado de Bolsa X Mercado de Balcão Organizado Mercado de Bolsa - os negócios e os participantes diretos são supervisionados pela Bolsa. Nele atuam como intermediárias as Corretoras de Valores. Mercado de Balcão - há a presença da entidade auto- reguladora exercendo a supervisão dos negócios. Nele atuam como intermediários não só as Corretoras de Valores, mas também Distribuidoras de Valores e Bancos de Investimento.

6 BVRJ Bolsa de Valores do Rio de Janeiro BVRJ Bolsa de Valores do Rio de Janeiro Histόria Histόria - Foi a primeira bolsa em entrar em operação no Brasil. - Em 1989, Naji Nahas quebra a Bolsa do Rio. - A partir de 2000, com a transferência da negociação com ações para a Bovespa, ela passou a negociar apenas títulos públicos. - Em 2002 foi adquirida pela BM&F e passou a apenas a negociar títulos imobiliários e leilões.

7 Algumas ações que eram negociadas na BVRJ Algumas ações que eram negociadas na BVRJ BVRJ Bolsa de Valores do Rio de Janeiro BVRJ Bolsa de Valores do Rio de Janeiro

8 B M&F Bolsa de Mercadorias e Futuros B M&F Bolsa de Mercadorias e Futuros O que é ? O que é ? É a maior bolsa brasileira, na qual negociam-se contratos de mercadorias (principalmente commodities) e derivativos, a vista ou para pagamento futuro. Formas de Negociações Formas de Negociações - Mercado a vista: Ouro e Dόlar; - Mercado Futuro: Ibovespa, Dόlar, Taxa de Juros, Café, Açúcar, Soja, Gado e Milho; - Diferentemente da Bovespa, não negocia ações. não negocia ações.

9 B M&F Bolsa de Mercadorias e Futuros B M&F Bolsa de Mercadorias e Futuros

10 Pregão Pregão

11 B M&F Bolsa de Mercadorias e Futuros B M&F Bolsa de Mercadorias e Futuros Cada operador possui seu próprio telefone-sem- fio, para manter contato com as mesas de operações de suas Corretoras. Há um terminal de vídeo em cada posto de negociação, exibindo a evolução das transações registradas no sistema. Os terminais de consulta fornecem as últimas cotações dos mercados da BM&F, inclusive do Índice Bovespa a vista. O painel eletrônico exibe as cotações em tempo real transmitidas via sistema de viva voz. Também apresenta ofertas de compra e de venda.

12 B M&F B OVESPA Nova Bolsa B M&F B OVESPA Nova Bolsa O que é ? O que é ? - A integração da BOVESPA com a BM&F deu origem à B M&F B OVESPA – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. - A nova companhia nasce como a terceira maior Bolsa do mundo e líder de mercado na América Latina. - A nova companhia nasce como a terceira maior Bolsa do mundo e líder de mercado na América Latina. - Um modelo de negócios totalmente integrado - ações, derivativos, ativos e câmbio - e um sistema de custódia completo. - Um modelo de negócios totalmente integrado - ações, derivativos, ativos e câmbio - e um sistema de custódia completo.

13 SOMA Sociedade Operadora de Mercado de Ativos SOMA Sociedade Operadora de Mercado de Ativos O que é? O que é? - Administra o Mercado de Balcão Organizado no Brasil. Mercado de Balcão Mercado de Balcão - Mercado de Títulos e Valores Mobiliários realizado pelas instituições financeiras fora da bolsa de valores, mediante meios eletrônicos. É dito organizado quando as instituições que o administram criam um ambiente informatizado e transparente de registro ou de negociação e têm mecanismos de auto-regulamentação. É dito organizado quando as instituições que o administram criam um ambiente informatizado e transparente de registro ou de negociação e têm mecanismos de auto-regulamentação.

14 SOMA Sociedade Operadora de Mercado de Ativos SOMA Sociedade Operadora de Mercado de Ativos Particularidades da SOMA Particularidades da SOMA - Destina-se a negociação de ações de empresas de menor liquidez não registradas nas bolsas de valores. - Funciona como um "pré-vestibular" para empresas que pretendem ter suas ações negociadas nas bolsas de valores. - Podem ser negociadas ações, debêntures, e demais títulos e valores mobiliários de emissão de companhia aberta. - Principais vantagens: menor custo e menores exigências.

15 CVM Comissão de Valores Mobiliários CVM Comissão de Valores Mobiliários O que é? O que é? É uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda com poderes para disciplinar, normalizar e fiscalizar a atuação dos diversos integrantes do mercado de valores mobiliários. Atribuições Atribuições Registro de companhias abertas;Registro de companhias abertas; Registro de distribuições de valores mobiliários;Registro de distribuições de valores mobiliários; Credenciamento de auditores independentes e administradores de carteiras de valores mobiliários;Credenciamento de auditores independentes e administradores de carteiras de valores mobiliários;

16 CVM Comissão de Valores Mobiliários CVM Comissão de Valores Mobiliários Organização, funcionamento e operações das bolsas de valores;Organização, funcionamento e operações das bolsas de valores; Negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários;Negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários; Administração de carteiras e a custódia de valores mobiliários;Administração de carteiras e a custódia de valores mobiliários; Suspensão ou cancelamento de registros, credenciamentos ou autorizações;Suspensão ou cancelamento de registros, credenciamentos ou autorizações; Suspensão de emissão, distribuição ou negociação de determinado valor mobiliário ou decretar recesso de bolsa de valores.Suspensão de emissão, distribuição ou negociação de determinado valor mobiliário ou decretar recesso de bolsa de valores.

17 CVM Comissão de Valores Mobiliários CVM Comissão de Valores Mobiliários Objetivos Objetivos Assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de bolsa e de balcão;Assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de bolsa e de balcão; Proteger os titulares de valores mobiliários contra emissões irregulares e atos ilegais de administradores e acionistas controladores de companhias ou de administradores de carteira de valores mobiliários;Proteger os titulares de valores mobiliários contra emissões irregulares e atos ilegais de administradores e acionistas controladores de companhias ou de administradores de carteira de valores mobiliários; Evitar ou coibir modalidades de fraude ou manipulação destinadas a criar condições artificiais de demanda, oferta ou preço de valores mobiliários negociados no mercado;Evitar ou coibir modalidades de fraude ou manipulação destinadas a criar condições artificiais de demanda, oferta ou preço de valores mobiliários negociados no mercado;

18 CVM Comissão de Valores Mobiliários CVM Comissão de Valores Mobiliários Assegurar o acesso do público a informações sobre valores mobiliários negociados e as companhias que os tenham emitido;Assegurar o acesso do público a informações sobre valores mobiliários negociados e as companhias que os tenham emitido; Assegurar a observância de práticas comerciais equitativas no mercado de valores mobiliários;Assegurar a observância de práticas comerciais equitativas no mercado de valores mobiliários; Estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores mobiliários;Estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores mobiliários; Promover a expansão e o funcionamento eficiente e regular do mercado de ações e estimular as aplicações permanentes em ações do capital social das companhias abertas.Promover a expansão e o funcionamento eficiente e regular do mercado de ações e estimular as aplicações permanentes em ações do capital social das companhias abertas.

19 CBLC Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia CBLC Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia Funções Funções - Liquida operações realizadas no âmbito da Bovespa, da BVRJ e da SOMA. - Atua como depositária central de ações e de títulos de dívida corporativa, mantendo Contas de Custódia individualizadas. Agentes de Custódia Agentes de Custódia - São Bancos, Corretoras, Distribuidoras, Seguradoras e outras. - Responsáveis pela abertura, administração e movimentação das Contas de Custódia dos investidores, seus clientes.

20 CBLC Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia CBLC Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia Agentes de Compensação Agentes de Compensação - São Bancos, Corretoras e Distribuidoras. - Responsáveis pela liquidação das operações dos investidores, seus clientes. Exemplos de Agentes de Custódia e Compensação Exemplos de Agentes de Custódia e Compensação

21 Agências de Rating Notas de Crédito Agências de Rating Notas de Crédito O que fazem? O que fazem? - Oferecem opiniões independentes sobre a capacidade de o emissor de um ativo honrar seus compromissos financeiros. - Atribuem os Ratings não apenas a países, mas também a empresas, municípios, bancos, seguradoras, etc. - Há a possibilidade das notas obtidas serem perdidas. Principais Agências Principais Agências

22 Agências de Rating Notas de Crédito Agências de Rating Notas de Crédito Notas da Fitch Notas da Fitch * A pedido dos clientes contratantes, os ratings obtidos podem ficar confidencial. CategoriaNota O que significa Grau de Investimento AAA Total capacidade de pagar as dívidas no prazo. Nível mais alto. AA Alta capacidade de honrar compromissos financeiros. A Boa capacidade de pagar as dívidas, mas suscetível a dívidas, mas suscetível a mudanças na conjuntura. mudanças na conjuntura. BBB Boa condições financeiras, mas não tão protegidas contra choques. não tão protegidas contra choques. GrauEspeculativo BB Menos vulnerável a curto prazo, mas com incertezas em relação mas com incertezas em relação ao futuro. ao futuro. B Consegue pagar suas dívidas, mas é vulnerável a mudanças mas é vulnerável a mudanças nas condições econômica. nas condições econômica. CCC Muito vulnerável, depende de condições econômicas condições econômicas extremamente favoráveis para extremamente favoráveis para conseguir honrar seus débitos. conseguir honrar seus débitos. CC Altamente vulnerável. C À beira do calote. RD Deixou de efetuar pagamentos devidos de algumas mas não todas as suas obrigações todas as suas obrigações financeiras relevantes financeiras relevantes DInadimplência.

23 Referências Referências

24 OBRIGADO ! OBRIGADO !


Carregar ppt "INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Ana Carolina Graça de Farias Diogo Jorge dos Santos Marcelo Estácio Silvestre Gonçalves."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google