A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETEINÁRIA PREVENTIVA DISCIPLINA: DOENÇAS INFECCIOSAS AULA: TUBERCULOSE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETEINÁRIA PREVENTIVA DISCIPLINA: DOENÇAS INFECCIOSAS AULA: TUBERCULOSE."— Transcrição da apresentação:

1

2 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETEINÁRIA PREVENTIVA DISCIPLINA: DOENÇAS INFECCIOSAS AULA: TUBERCULOSE Eugenia Márcia de Deus Oliveira

3 Tuberculose bovina Mycobacterium bovis

4 Definição Histórico Etiologia Tuberculose no homem Situação epidemiológica no país Importância econômica Patogenia Transmissão Diagnóstico Controle (PNCEBT)

5 Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) doenças da lista B doenças que têm importância sócio-econômica e/ou para saúde pública e consequências significativas no comércio internacional de animais e seus produtos.

6 DEFINIÇÃO –Enfermidade infecto-contagiosa de evolução crônica, caracterizada por lesões de aspecto nodular, principalmente em linfonodos e pulmão, que acomete bovinos e bubalinos, podendo afetar o homem.

7 Villemin (1865) - Natureza infecciosa da doença; Robert Koch (1882) - Isolamento do agente; (1890) - Tuberculina O.T; (1890) - Tuberculina O.T; Theobald Smith (1898) - Isolamento do M. bovis em bovinos; Revenel (1902) - Isolamento do M. bovis no homem; Mantoux (1908) - Inoculação intradérmica; Calmette & Guérin ( ) - BCG; Dorset (1934) - Meio sintético; Seibert (1934) - PPD; Inglaterra (1940) - Prova comparada; PPD no Brasil (1970); PNCEBT 2001 Histórico

8 Etiologia Família: Mycobacteriaceae Gênero: Mycobacterium Espécie tipo: Mycobacterium bovis Micobactérias do complexo M. tuberculosis M.tuberculosis, M.bovis, M.africanum, M.microti Micobactérias não tuberculosas MAC (complexo M.avium)

9 Micobactérias de interesse em Medicina Veterinária Mycobacterium bovis; Mycobacterium tuberculosis; Mycobacterium avium; Mycobacterium paratuberculosis; Outras micobactérias (MAC).

10 Resistência do Mycobacterium bovis Instalações: 2 anos; Fezes: 2 anos; Água: 1 ano; Solo: 2 anos; Pastagens: 2 anos; Carcaça: 10 meses. Fonte: WHO/VPH/84.4

11 Mycobacterium bovis Desinfetantes: –Fenol 5%; –Formol 3%; –Hipoclorito de cálcio 5%; –Hipoclorito de sódio 5%; –(Exposição por 3 horas) Calor: –Autoclavação: 120 o C por 20 min; –Pasteurização lenta: 65 o C por 30 min; –Pasteurização rápida: 72 a 74 o C por seg; –Fervura. Fonte: WHO/VPH/84.4

12 Tuberculose no homem Lesões extra pulmonares: -- Consumo de leite e ou produtos lácteos não pasteurizados. -- Consumo de leite e ou produtos lácteos não pasteurizados. Lesões pulmonares: –Trabalhadores na área de laboratório; –Trabalhadores da indústria de carne; –Pessoas que lidam com animais doentes. Idosos;Imunodeprimidos.

13 Tuberculose Humana devido ao M. bovis em países industrializados

14 Situação no Brasil: primeiros registros SP 1886 (Carini: lesões em matadouro) 1886 (Carini: lesões em matadouro) 1971 (Portugal et al: isolam de búfalo) 1971 (Portugal et al: isolam de búfalo)

15

16

17 Minas Gerais, propriedades e animais prevalência de animais infectados = 0,8% prevalência de focos = 5% prevalência de focos nas propriedades produtoras de leite com algum grau de mecanização da ordenha e de tecnificação da produção = 15%

18 Resultados de estudo sobre tuberculose bovina em MG Amostragem aleatória simplesAmostragem de cluster

19 Importância econômica Morte de animais; Queda no ganho de peso; Diminuição na produção de leite; Descarte precoce; Eliminação de animais de alto valor zootécnico; Condenação de carcaças; Perda de credibilidade da unidade de criação.

20 Patogenia 90% das infecções por via respiratória; Alvéolo (macrófagos/captura): -virulência; -carga infectante; -resistência do hospedeiro; Multiplicação M. bovis dentro dos macrófagos; Resposta imune e reação de hipersensibilidade retardada; Destruição de tecidos pelo próprio hospedeiro - granuloma Propagação linfonodo satélite - granuloma - complexo primário: -desaparecimento; -estabilização; -progressão (miliar ou protraída).

21 Sinais Animais infectados: –Assintomáticos. Animais doentes: –Emagrecimento; –Hipertrofia ganglionar; –Dispneia; –Tosse seca.

22

23 Introdução da Tuberculose no Rebanho Aquisição de animais; Participação em eventos; Animais silvestres; Homem; Animais domésticos; Proximidade de outro rebanho positivo.

24 Métodos de Diagnóstico da Tuberculose Bovina Diretos: -detecção do agente etiológico; Indiretos: -resposta do animal ao agente etiológico;

25 diagnóstico direto da tuberculose bovina Mycobacterium bovis

26 possibilidades baciloscopia isolamento e identificação inoculação em animais lab métodos moleculares

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42 transporte refrigeraçãocongelamento sol sat borato de sódio (140 g/l)

43

44 álcool-ácido resistência resistência a álcalis e ácidos 60 % de lipídeos na parede celular base teórica

45 Ziehl-Neelsen 1.fuccina de Ziehl 2.álcool acidificado 3.azul de metileno/verde brilhante

46

47

48 Petroff 1- homogeinização 2- filtração 3- Na OH 4% / 20 minutos vermelho de fenol vermelho de fenol 4- HCl 1N 5- centrifugação 6- ressuspensão do sedimento 7- inoculação em Lowenstein Jensen e Stonebrink Lesslie por 60 dias

49

50

51

52

53

54


Carregar ppt "UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETEINÁRIA PREVENTIVA DISCIPLINA: DOENÇAS INFECCIOSAS AULA: TUBERCULOSE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google