A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Simplificando o Investimento no Exterior Carlos Rebello Diretoria de Desenvolvimento e Relações com Institucionais Natal,14 de Maio de 2010 XV EPINNE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Simplificando o Investimento no Exterior Carlos Rebello Diretoria de Desenvolvimento e Relações com Institucionais Natal,14 de Maio de 2010 XV EPINNE."— Transcrição da apresentação:

1 Simplificando o Investimento no Exterior Carlos Rebello Diretoria de Desenvolvimento e Relações com Institucionais Natal,14 de Maio de 2010 XV EPINNE

2 BM&FBOVESPA O que a BM&FBOVESPA pode oferecer? O BDR 2

3 Bolsa Mista e Completa  Bolsa multi-ativos, diversificada e verticalmente integrada  Preparada para capturar o potencial do mercado brasileiro  Focada na distribuição global dos seus produtos através de parcerias internacionais  Compromisso constante com capacitação e inovação em tecnologia da informação aplicada aos sistemas de negociação e pós negociação 3

4 Oportunidades de Negócios na Bolsa Refletem o Potencial do Mercado  Listagem de empresas brasileiras e de outros países  Aplicação da poupança doméstica em produtos financeiros mais sofisticados com transparência de informações e segurança de liquidação  Desenvolvimento de novos produtos para atender demanda por alternativas de investimentos  Fundos de Índice – ETF  Futuro e termo de moedas  Contrato de etanol com liquidação financeira  Renda fixa: agronegócio e imobiliário  Intensificação dos programas de popularização  Disseminação de ações para educação financeira 4

5 Diretoria de Desenvolvimento e Relações com Institucionais Foco de Atuação ► Entidades fechadas de previdência complementar ► Entidades de previdência privada aberta ► Regimes Próprios de Previdência Social ► Seguradoras ► Administradores de carteiras de valores mobiliários ► Governo Objetivo: Desenvolver relacionamento com institucionais e governo de modo a ofertar produtos e serviços adequados às necessidades de investimento, nos termos da legislação em vigor. 5 Em abril os institucionais foram responsáveis por 34,6% dos negócios realizados com ações na BM&FBOVESPA

6 Instituto Educacional Voltadas aos administradores de fundos de pensão, gestores de carteiras de investimento, membros dos conselhos de empresas, membros do conselho curador e fiscal de fundos de previdência e profissionais do mercado financeiro Palestras Técnicas Mercado de Ações Mercado de Renda fixa Mercado Futuro Clearing e Depositária Sistema de Negociação Palestras Técnicas 6

7 Curso em destaque Gestão de Ativos e Passivos - Asset Liability Model (ALM) Apresenta e discute os principais conceitos envolvidos nos modelos de ALM e de Programação Estocástica, focados principalmente na formulação e resolução desta classe de modelos. Através de exemplos práticos são estudadas aplicações das ferramentas no processo de tomada de decisão de investimentos. Demais Cursos Formação Introdução aos Mercados Futuros e de Opções Formação de Operadores no Mercado de Opções Formação de Profissionais no Mercado de Derivativos Especialização Cálculo de Custo de Capital no Brasil Gestão de Risco Elementos de Renda Fixa 7 Instituto Educacional

8 2001 a Evolução do Número de Alunos Instituto Educacional 8

9 9 Site do Instituto Educacional

10 Programa de Popularização Programas de Educação Financeira  Educar – Finanças Pessoais  Como Investir em Ações Expansão e retenção da base de clientes pessoas físicas Expansão e fortalecimento da classe média Campanhas publicitárias para divulgação e promoção do mercado Programas de Educação Financeira 10

11 Programa de Popularização Iniciativas e Resultados* 11 Público Atendido: pessoas Contatos nos canais de atendimento: BOVESPA DELIVERY: Eventos Realizados: 196 Público Atendido: mulheres Educar Nº de alunos: Como Investir Cursos realizados: 129 Nº de alunos: *2005 a 2010

12 BM&FBOVESPA O que a BM&FBOVESPA pode oferecer? O BDR 12

13 BDR Brazilian Depositary Receipt O BDR é um certificado de depósito emitido por instituição depositária no Brasil e que tem como lastro valores mobiliários de emissão companhias abertas com sede no exterior. A instituição depositária é autorizada a funcionar pelo BACEN e pela CVM a prestar serviços de depositária de BDR. A companhia aberta no exterior deve ter sede em país em que o regulador mantenha acordo de cooperação e troca de informações com a CVM. Definição 13

14 Fluxo – BDR Nível 1 Não Patrocinado 14 Central Depositária Conta Custodiante Conta Programa de BDR Custodiante Instituição Depositária/ Emissor Intermediário Brasileiro Central Depositária BM&FBOVESPA Investidor Vendedor Investidor Comprador Investidor Brasileiro 2. Envia ordem de compra de BDR 1. Ordena a compra dos BDR MegaBolsa

15 Fluxo – BDR Nível 1 Não Patrocinado 15 Intermediário Estrangeiro 3. Transfere as ações para a conta do programa de BDR sob responsabilidade do custodiante Central Depositária Conta Custodiante Conta Programa de BDR 4. Bloqueia os ativos lastro e autoriza emissão dos BDR Custodiante Instituição Depositária/ Emissor Intermediário Brasileiro Central Depositária BM&FBOVESPA Conta de Emissão de BDR Investidor Brasileiro 5. Efetua registro dos BDR no livro em propriedade fiduciária da central depositária 6. Realiza a transferência dos BDR para a conta do investidor brasileiro Investidor Brasileiro 2. Envia ordem de emissão de BDR 1. Ordena a compra dos BDR 2. Ordena a compra dos ativos lastros

16 Histórico Ano Primeiro BDR, lastreado em ações da Telefónica (Espanha) 1992 Empresas brasileiras são autorizadas a lançar programas de DR no exterior 1996 CMN autoriza e CVM/BC regulamentam o BDR CVM atualiza suas regras e autoriza os primeiros programas Certificados de Depósito são disciplinados na Lei das S/A BM&FBOVESPA lança BDR não patrocinado nível I Histórico 16

17 As regras para emissão e negociação de BDR estão estabelecidas na: I.Lei 6385/76; II.Resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) 3.265/05; III.Circulares BACEN 3.328/06 e 3.345/07 e IV.Instruções CVM 331/00 e 332/00, alteradas pelas Instruções CVM 431/06 e CVM 480/09. Regulamentação 17

18 O investimento no exterior é prática recente para Institucionais no País Fundos de Investimento foram autorizados pela Instrução CVM 409 Investimento no Exterior Resolução CMN 3792 permitiu tal aplicação às Fundações Todavia, apenas R$ 2,4 bilhões foram aplicados no exterior pelos fundos de investimento (0,2% do PL da indústria) 18

19 Problemas existentes para a realização do investimento no exterior Problemas Tributários - Fundos de Investimento optam por gerir investimentos através de fundos no exterior (Cayman); Custos – Para iniciar e manter estrutura de investimento no exterior há custos importantes; Legislação – A regulação de fundos no Brasil é considerada como uma das mais avançadas na proteção dos investidores; Prime Broker – O fundo constituído no exterior corre o risco do intermediário onde seus recursos e seus ativos estão depositados; e Acompanhamento – Muito difícil o monitoramento por parte do investidor. 19

20 Vantagens do Investimento em BDR ► Diversificação do Portfólio e diluição do Risco País da carteira; ► Não há necessidade de realizar operações de câmbio, transferir recursos ou manter contas de custódia no exterior; e ► Simplicidade na negociação e no recebimento de proventos, assim como já ocorre com as ações de empresas nacionais. Vantagens 20

21 BDR Nível I Pode ser negociado em bolsa, em segmento específico administrado pela BM&FBOVESPA. Apesar da dispensa de registro de companhia na CVM, devem ser divulgadas no Brasil as mesmas informações que a emissora está obrigada a divulgar em seu país de origem, isto é, no mínimo, fatos relevantes e comunicações ao mercado, e aviso da disponibilidade das demonstrações financeiras no país de origem. Os BDR Nível I são para aquisição exclusiva de investidores qualificados e colaboradores da empresa patrocinadora ou de empresa integrante do mesmo grupo econômico. Definição 21

22 BDR Nível II Patrocinado ► Pode ser negociado em bolsa ou em mercado de balcão organizado ► A companhia estrangeira deve ser registrada na CVM Além do disposto acima, caracteriza-se por: ► Distribuição pública no mercado BDR Níveis II e III podem ser adquiridos por todos as categorias de investidores Definição 22 BDR Nível III Patrocinado

23 Programas de BDR EMISSORANÍVELCUSTODIANTEDEPOSITARIO ACCOR1THE BANK OF NEW YORKBANCO BRADESCO AVENTIS 1SOCIETÉ GENERALE S/AITAU UNIBANCO SOLVAY INDUPA 2BCO. ITAU ARGENTINA SAITAU UNIBANCO AGRENCO3THE BANK OF NEW YORKITAU UNIBANCO BANCO PATAGONIA 3BCO. ITAU ARGENTINA SAITAU UNIBANCO COSAN 3THE BANK OF NEW YORKITAU UNIBANCO DUFRY 3THE BANK OF NEW YORKITAU CORRETORA GP INVESTMENTS 3JPMORGAN CHASE BANKITAU UNIBANCO LAEP INVESTMENTS 3THE BANK OF NEW YORKBANCO BRADESCO TARPON INVESTMENTS 3THE BANK OF NEW YORKITAU UNIBANCO TELEFÓNICA 3CITIBANK NABANCO BRADESCO WILSON SONS 3THE BANK OF NEW YORKITAU UNIBANCO 23

24 BDR Nível I Não Patrocinado A companhia aberta no exterior não se compromete a prover o mercado brasileiro com suas informações periódicas e eventuais. Tal tarefa é executada pela Instituição Depositária, que deve: 1.Divulgar imediatamente ao mercado o link em que foram publicados no exterior fatos relevantes, informações trimestrais e DF, editais e avisos a acionistas e deliberações de assembléias. 2.Emitir Comunicado em português sobre: dividendos, bonificações, desdobramentos, emissão e regate de ações, etc. Responsabilidades 24

25 BDR Nível I Não Patrocinado Responsabilidades Ademais, a Instituição Depositária é responsável por: ► Registrar o programa de BDR na CVM e cumprir as obrigações operacionais relativas ao mesmo; ► Responder por qualquer irregularidade na condução do programa; ► Manter atualizados os demonstrativos que apresentem a movimentação dos BDR emitidos e cancelados; ► Exercer o direito de voto correspondente aos valores mobiliários depositados, no interesse dos detentores dos BDR; e ► Fornecer quaisquer informações e documentos relativos aos programas aprovados e aos valores mobiliários emitidos. 25

26 BDR Nível I Não Patrocinado Negociado no Mercado de Balcão Organizado – Segmento BOVESPA A aquisição é restrita às seguintes categorias de investidores: (i)Instituições financeiras; (ii)Fundos de investimentos; e (iii)Administradores de carteira e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM, em relação a seus recursos próprios. Negociação 26

27 1º Programa de BDR Nível I Não Patrocinado Deutsche Bank S.A. – Banco Alemão O Primeiro Programa Companhia aberta com sede no exteriorBolsa onde é negociada Apple Inc.Nasdaq GS Google Inc.Nasdaq GS Bank of America CorporationNyse Euronext Arcelor Mittal CI A AdsNyse Euronext Goldman Sachs Group Inc.Nyse Euronext Billiton Limited CommonNyse Euronext Wal Mart Stores Inc.Nyse Euronext Exxon Mobil CorporationNyse Euronext Mc Donald’s CorpNyse Euronext Pfizer Inc.Nyse Euronext 27

28 Carlos Rebello


Carregar ppt "Simplificando o Investimento no Exterior Carlos Rebello Diretoria de Desenvolvimento e Relações com Institucionais Natal,14 de Maio de 2010 XV EPINNE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google