A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS DE LEITE. Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução As vacas são criaturas capazes de produzir leite a.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS DE LEITE. Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução As vacas são criaturas capazes de produzir leite a."— Transcrição da apresentação:

1 MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS DE LEITE

2 Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução As vacas são criaturas capazes de produzir leite a partir de materiais inadequados à alimentação humana. O estabelecimento da lactação depende naturalmente da produção de um bezerro. Algumas fêmeas nascidas, senão todas, serão mantidas como animais de reposição ou para expansão de rebanho. Quais delas serão boas vacas? Como sabemos se uma boa vaca vai transmitir suas características para a geração seguinte?

3 Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução Cada características é, em parte, herdada dos pais, mas também é influenciada por outros fatores. Por exemplo, uma vaca pode ter habilidade genética para produção de leite; porém, sua produção será reduzida em conseqüência de nutrição inadequada, parto complicado, período seco curto, mastite etc.... Portanto, a produção de leite é influenciada pela constituição genética do animal e por fatores ligados ao seu ambiente e manejo.

4 Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução Algumas características que identificam uma boa vaca são: alta produção de leite com alta porcentagem de gordura, proteína e lactose; longa vida produtiva; problemas reprodutivos mínimos; conformação que reduz a incidência de mastite e doenças de casco; resistência a doenças; conversão alimentar eficiente.

5 A PL requer a ação de numerosos genes responsáveis:. por aspectos específicos da síntese do leite (indiretamente);. pela formação do tecido secretor do úbere na puberdade;. pelo suprimento sangüíneo do úbere,;. pela capacidade da vaca digerir e metabolizar os alimentos,... A síntese do leite requer suprimento adequado de nutrientes (M). A função básica do M é prover os fatores não genéticos requeridos pelo animal, para o seu desenvolvimento e produção. Alguns efeitos do M podem ser temporários e outros permanentes:. Temporário- baixa PL devida à nutrição deficiente; parto complicado ou período seco curto,.... Afetam, a produção da lactação atual.. Permanente- perda de um quarto de úbere, em conseqüência de mastite. Afetam toda a vida produtiva do animal, prejudicando o seu mérito genético. Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução

6 A interação G-M adequada determina o desempenho dos animais.. A PL pode ser aumentada com melhor alimentação, melhor prática de ordenha, melhor controle de doenças etc... O que significa melhor ?. Significa combinar M com o G disponível. Se uma vaca de alta produção é transportada de uma região temperada do mundo para uma região tropical, a ausência de fibras de alta digestibilidade e o estresse calórico certamente prejudicarão a sua expressão genética para a produção de leite. O Melhoramento genético para gado leiteiro deve ter como objetivo produzir uma vaca com um genótipo adequado e máxima PL em relação ao ambiente a que ela será submetida. Estes genótipos devem ser acasalados (combinados) de maneira a aumentar a freqüência dos genes favoráveis a expressão da característica com alta intensidade. Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução

7 Características a serem selecionadas Produção de leite

8 Produção de gordura do leite Características a serem selecionadas

9 Reprodução Características a serem selecionadas

10 Tipo e conformação

11 Características a serem selecionadas Longevidade produtiva

12 Correções e ajustes Idade da vaca

13 Duração da Lactação Correções e ajustes De 305 para 365 dias = * 1,70 De 365 para 305 dias = * 0,85

14 Número de ordenhas Correções e ajustes 2 ordenhas diárias

15 Correções e ajustes Teor de gordura no leite Teor de proteína no leite L4% = 0,4P + 0,15P x %G L4% = Leite corrigido a 4% P = produção de leite em peso (ou litros) G = Gordura do leite CORRELAÇÃO

16 Correções e ajustes Duração do período seco Intervalo entre partos

17 Características morfológicas a serem analisadas na seleção Aparência geral

18 Características morfológicas a serem analisadas na seleção Temperamento leiteiro CAPACIDADE DE TRANSFORMAR ALIMENTO EM LEITE

19 Características morfológicas a serem analisadas na seleção Sistema mamário

20 Características morfológicas a serem analisadas na seleção Capacidade corporal

21 Características morfológicas a serem analisadas na seleção

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36 O valor genético de um animal pode ser calculado separadamente para cada característica e depende de medidas tomadas no próprio, nos parentes e outros animais com eles relacionados. A determinação do valor genético é muito mais acurada para touros com muitas filhas em diferentes rebanhos. O cálculo do mérito genético de vacas é deficiente, pois elas, em geral, vivem dentro de um só rebanho e produzem um número limitado de filhas. Seleção:Capacidade de Transmissão Prevista PTA = Predicted Transmitting Ability - (DEP) - Sumário de Touros -

37 Seleção:Capacidade de Transmissão Prevista PTA = Predicted Transmitting Ability - (DEP) - Sumário de Touros - Os efeitos do meio ambiente provocam um desvio na expressão do genótipo, que o touro imprime nas filhas, fenotipicamente, positivo ou negativo, em relação a uma base genética predeterminada. A base genética é um ponto de referência usado para avaliar o mérito dos animais. O objetivo básico do PTA é o de ordenar os touros de acordo com o seu genótipo.

38 Seleção:Capacidade de Transmissão Prevista PTA = Predicted Transmitting Ability - (DEP) - Sumário de Touros - Um touro com um PTA de kg de leite não significa que suas filhas produzirão kg a mais do que as demais vacas do rebanho/raça. A interpretação correta é a de que suas filhas produzirão em média kg a mais do que a média das filhas dos touros usados na base genética. ACURÁCIA/CONFIABILIDADE (Reliability) é a exatidão dos PTAs. Um touro precisa ter cerca de 50 filhas em 50 rebanhos (uma filha/rebanho) para ter 80% de Confiabilidade do PTA para PL.

39 Um touro com um PTA acima de 90% apresenta pequenas variações no futuro. PTA com 70% de Confiabilidade muda mais (touros Jovens). A direção dessa mudança é desconhecida, podendo melhorar, piorar ou permanecer inalterada. O uso desses touros representa risco e oportunidade. A Confiabilidade decide o número de doses de sêmen a serem utilizadas. Seleção:Capacidade de Transmissão Prevista PTA = Predicted Transmitting Ability - (DEP) - Sumário de Touros -

40 Os valores do PTA tendem a mudar na medida em que mais filhas são avaliadas. Quanto maior o número de filhas maior a confiança nos valores do PTA e ele tende a mudar menos, no futuro. Sumários de touros: são publicações periódicas (anuais) e atualizadas.

41 Seleção:Capacidade de Transmissão Prevista PTA = Predicted Transmitting Ability - (DEP) - Sumário de Touros - Touro positivo/negativo. Por que? A Base Genética, que é o ponto de referência para o cálculo do PTA, é atualizada de tempos em tempos. O processo genético contínuo dos rebanhos implica em valores crescentes de produção. A alteração da base genética não modifica o mérito dos touros, mas facilita a comparação entre eles.

42 Seleção:Capacidade de Transmissão Prevista PTA = Predicted Transmitting Ability - (DEP) - Sumário de Touros - Por exemplo, em relação a uma base antiga, o PTA para produção de leite de dois touros pode ser kg e kg (510 kg de diferença). Se a base genética for ajustada para kg, o PTA dos mesmos touros se tornaria kg e kg, dois valores muito mais fáceis de serem comprados. A diferença entre os animais continua a mesma, a despeito da mudança da base genética.

43 Seleção:Capacidade de Transmissão Prevista PTA = Predicted Transmitting Ability - (DEP) - Sumário de Touros - É importante salientar que uma base atualizada inclui animais de maior mérito genético. Portanto, alguns animais com PTA positivo antes da mudança, podem se tornar negativos. No exemplo anterior, se a base genética fosse ajustada para kg de leite, o PTA dos mesmos touros seria kg e kg (510 kg de diferença). O valor genético do animal não muda, o que muda é o ponto de referência a partir do qual esse valor é calculado.

44 Seleção: Como proceder os acasalamentos Qualquer programa de acasalamento deve ser planejado para um longo período de tempo, pois o processo de mudança genética é lento. Cada rebanho deve ser considerado como um conjunto de genes, tanto desejáveis quanto indesejáveis. O fluxo de genes para dentro do rebanho ocorre via introdução de animais e/ou de sêmen de fora deste. O fluxo de genes para fora do rebanho ocorre pelo descarte de vacas. A utilização de sêmen de touros provados é a ferramenta mais efetiva para o progresso genético.

45 Seleção: Como proceder os acasalamentos O ganho genético dependerá dos touros escolhidos e da intensidade de uso de cada um deles. Ao estabelecer a estratégia para um programa de acasalamento, o primeiro passo é a definição do objetivo zootécnico. O objetivo zootécnico deve levar em conta situação particular de cada propriedade e visar a produção de animais com desempenho máximo em relação ao ambiente ao qual serão submetidos. As características podem variar de acordo com a remuneração do leite, em cada região, determinando acasalamentos para aumentar o volume total de leite ou para aumentar os sólidos do leite.

46 Seleção: Como proceder os acasalamentos As características de conformação devem visar a correção de defeitos existentes no rebanho para características relacionadas a uma vida produtiva mais longa. O úbere é a característica que tem a maior relação com longevidade a produtiva, especialmente a colocação de tetas, a profundidade e o ligamento do úbere anterior.. vacas com profundidade de úbere intermediária permanecem mais tempo no rebanho.. úbere muito raso (próximo ao corpo) em geral indica baixa produção. úberes muito baixos são mais susceptíveis a mastite e injúrias.

47 Seleção: Como proceder os acasalamentos As pernas, principalmente as traseiras devem ser consideradas. Eliminar animais que possuem pés com má conformação, problemas de fertilidade, mastite. O tamanho do animal é importante nas pistas de exposições, pois vacas altas e fortes tendem a receber pontuação final melhor.

48 Seleção: Como proceder os acasalamentos Ao estabelecer o objetivo zootécnico, o programa de seleção não deve conter mais do que quatro ou cinco características. A tentativa de corrigir muitas características ao mesmo tempo reduz consideravelmente a taxa de ganho genético. Uma vez estabelecido o objetivo zootécnico e identificadas as características a serem melhoradas, o próximo passo é a seleção de touros com base nos PTAs.

49 Seleção: Número de touros a serem selecionados depende 1.Do tamanho do rebanho. Para cada 50 vacas selecione 3 a 4 touros provados.. Quanto maior o número de filhas de um mesmo touro provado, maiores serão as chances de realizar o seu valor genético, isto é, transferir o seu mérito genético para as crias. 2.Da Confiabilidade do PTA. Touros jovens podem ter valores de PTA altos, porém a CONFIABILIDADE do mesmo é baixa, uma vez que os valores podem mudar na medida em que mais filhas forem incluídas na avaliação.. Touros jovens, a compra de sêmen deve se restringir a poucas doses e, ao contrário dos touros provados, seu uso deve se limitar a poucas vacas por touro.

50 Seleção: Número de touros a serem selecionados depende É preferível ter 10 filhas de 10 touros jovens diferentes em um mesmo rebanho, do que 10 filhas de apenas um touro. Na medida em que a Confiabilidade do PTA aumenta, o uso do sêmen pode aumentar. Uma boa maneira de usar touro jovem é indicá-lo como segunda opção de acasalamento, no segundo serviço. O conceito de acasalar, refere-se a selecionar os touros adequados de acordo com o objetivo zootécnico e, depois, determinar qual vaca deve ser acasalada com cada touro.

51 Seleção: Os acasalamentos devem considerar O programa de acasalamento deve ser revisto periodicamente, de acordo com as mudanças nas provas dos touros e das características do rebanho. O progresso genético deve ser avaliado pela média de desempenho do rebanho. * A receita da venda do leite refere-se à produção total da propriedade e não de uma vaca em particular. * As instalações e os funcionários atendem ao rebanho inteiro e não a um animal específíco.

52 Seleção: Os acasalamentos devem considerar *A relação custo-benefício é determinada, geneticamente falando, pelo mérito médio de todo o rebanho. *Manejo eficiente será mais proveitoso, quando aplicado a animais de mérito genético superior. *Um programa de melhoramento genético acrescenta um componente de desafio ao produtor de gado leiteiro. *O criador de raças leiteiras especializadas dispõe dos recursos necessários ao melhoramento genético, o sucesso dependerá da objetividade, da persistência e... da sorte!

53 Seleção: Um Sistema de acasalamentos Meu negócio é leite, não me preocupo com tipo. Vacas - úberes bem implantados para agüentar altas produções; aprumos (pernas e pés) bem dimensionados para proporcionar aos animais maior conforto na sua postura. Empresas de Inseminação Artificial - sistemas de acasalamento que maximizem ganhos genéticos e produzam animais melhor estruturados (bons úberes e aprumos, mais produtivos e longevos). SELECT MATING SERVICE (Sembra/Select Sires) Um proveitoso Serviço de Acasalamento Genético

54 Seleção: Um Sistema de acasalamentos Analisa 16 características primárias que recebem uma pontuação de 1 a 9, sendo os extremos 1 e 9. São consideradas características primárias, estatura, angulosidade, força, profundidade corporal, ângulo de garupa, largura de garupa, perna vista lateral, perna vista posterior, ângulo de casco, inserção de úbere anterior, altura de úbere posterior, largura de úbere posterior, suporte de úbere, profundidade de úbere, colocação de tetas e comprimento de tetas. Outras características avaliadas: quartela fraca, base de úbere invertida, tetas posteriores colocadas muito para trás, articulação coxo-femural muito para trás, fotossensibilização, etc. SELECT MATING SERVICE Um proveitoso Serviço de Acasalamento Genético

55 Seleção: Um Sistema de acasalamentos SMS da Select Sires, usado há cerca de 30 anos, nos USA, bateu inúmeros recordes tanto para produção como para tipo. Como é realizado este trabalho de acasalamento? 1.São avaliamos os animais da propriedade e cada características é pontuada de 1 a 9. 2.São coletadas informações tais como o nome do pai, número de crias, estágio de lactação, data do último parto, facilidade de ordenha, temperamento e outras julgadas importantes. SELECT MATING SERVICE Um proveitoso Serviço de Acasalamento Genético

56 Seleção: Um Sistema de acasalamentos 3. Com as informações do rebanho, são identificadas as necessidades e disponibilidades do produtor. O contato com o produtor irá permitir a obtenção das informações necessárias para rodar o programa no computador. Ex.: Uma propriedade em que não tivesse sido analisada, juntamente com o produtor, sua capacidade financeira, e o programa rodado sem restrições.. Poderiam ser utilizados touros top com valor do sêmen superior as possibilidades do produtor, comprometendo o trabalho.. O ganho genético é limitado pela herdabilidade, quanto maior for este coeficiente, maior será o ganho por geração. SELECT MATING SERVICE Um proveitoso Serviço de Acasalamento Genético

57 Seleção: Um Sistema de acasalamentos Coeficientes de herdabilidade para as características consideradas no programa: Estatura = 0,42; inserção úbere anterior = 0,29; angulosidade = 0,29; altura do úbere posterior = 0,28; força = 0,31; largura úbere posterior = 0,23; profundidade corporal = 0,37; suporte do úbere = 0,24; ângulo de garupa = 0,33; profundidade de úbere = 0,28; largura de garupa = 0,26; colocação das tetas = 0,26; perna vista lateral = 0,21; comprimento tetas = 0,26; perna vista posterior = 0,11; ângulo de casco = 0,15. SELECT MATING SERVICE Um proveitoso Serviço de Acasalamento Genético

58 Seleção: Um Sistema de acasalamentos No Brasil, este programa existe desde Agosto de Anualmente vem crescendo o número de propriedades e de vacas acasaladas. Para se obter êxito em um programa dessa natureza é necessária a sua continuidade (características de baixa herdabilidade, melhoram paulatinamente a cada geração). O SMS evita que ocorram acasalamentos endogâmicos e genes recessivos indesejáveis, muitas vezes letais (BLAD - Deficiência de Aderência nos Leucócitos dos Bovinos e CVM - Malformação da Coluna Vertebral). Novilhas podem ser acasaladas com base no pedigree, sem uma avaliação física. SELECT MATING SERVICE Um proveitoso Serviço de Acasalamento Genético

59 Cruzamento em gado leiteiro O cruzamento é uma alternativa para alcançar esse objetivo. Fácil acesso ao material genético e a padronização das avaliações genéticas. Clima rigoroso para raças especializadas (verão). Preços dos alimentos variáveis, afetam o desempenho produtivo, reprodutivo e a saúde dos animais. O volume de sólidos do leite é cada vez mais importante (pagamento por qualidade). O cruzamento é uma alternativa para melhorar a composição do leite, saúde e fertilidade das vacas leiteiras (vigor híbrido). Os produtores têm preferido raças puras, o que limita a aceitação de cruzamentos nos rebanhos leiteiros. O objetivo primeiro do melhoramento genético, em gado leiteiro, é aumentar a eficiência da produção de leite.

60 Cruzamento em gado leiteiro O vigor híbrido é a diferença entre a média dos pais (raças puras), e a da F1.. depende das diferenças na freqüência gênica entre as populações parentais.. a heterose será máxima quanto maior for a diferença genética entre as raças parentais.. diferentes valores de heterose serão obtidos ao cruzar a raça Holandesa com a Jersey ou a Pardo Suíço.

61 Tabela 1. Pontos para a sobrevivência dos bezerros. (Adaptado de Caraviello). 1= pobre; 5= excelente Cruzamento em gado leiteiro

62 Tabela 2. Pontos para facilidade ao parto (Adaptado de Caraviello). 1 = muitos problemas; 5 = poucos problemas

63 Cruzamento em gado leiteiro Tabela 3. Pontos para fertilidades das vacas (Adaptado de Caraviello). 1= fertilidade pobre; 5= excelente fertilidade

64 Cruzamento em gado leiteiro Figura 1. Comparação entre a raça Holandesa e Jersey para gordura, proteína, conteúdo de células somáticas e vida produtiva nos EUA. Fonte: Adaptado de Caraviello.

65 Cruzamento em gado leiteiro Diferentes esquemas de cruzamento podem ser realizados para produzir animais híbridos. O sistema rotacional de duas ou mais raças é um dos mais viáveis (Figura 2). Fonte: Adaptado de Caraviello. Figura 2. Esquema de cruzamento, rotação de duas raças.

66 Cruzamento em gado leiteiro Produtos de cruzamentos podem ser superiores a uma ou mesmo as das raças ou linhas parentais para alguma característica considerada isoladamente. Todavia serão mais rentáveis quando for considerado todos os caracteres de forma conjunta, bem como a produtividade ao longo da vida. Características mais beneficiadas: facilidade ao parto, fertilidade, composição do leite, longevidade e vitalidade do bezerro. Desvantagens: desuniformidade nos produtos do cruzamento, dificuldade de fazer acasalamentos para a próxima geração e redução do volume de leite produzido.

67 RuAnn Marshall BESTCO Excelente 90 Pontos - ALTÍSSIMO PRODUTOR DE LEITE E SÓLIDOS. Combina o leite da Marshall-Bellwood Sua mãe RuAnn Amel BESSIE Excelente 90 Pontos com Libras no seu primeiro parto. Sua avó RuAnn Blackstar BIT produz no seu segundo parto mais de Libras de leite. Leite Libras. Gordura: +57 Proteína: +62 Tipo: 1,68 Úbere: 1,71 Patas :1,38 FACILIDADE DE PARTO E ALTÍSSIMA FERTILIDADE Recomendações: - Ideal para refinar suas vacas. - Aportará ao seu rodeio muito leite e sólidos. - Touro corretor de úberes e patas.

68 RuAnn HI-Metro PACSTAR Pedigree com a qualidade da Hi-Metro Excelente 96 Pontos e a vaca RuAnn Pamela de grande LONGEVIDADE e altos índices de leite Touro de 2,31 em tipo. Recomendações: - Usar em vacas que necessitassem melhorias nas caraterísticas do leite. - Em vacas com grupas niveladas. - Não usar em bezerros pela sua facilidade de parto não confirmada. Touro muito usado hoje na Califórnia, sua mãe é Excelente 90, sua avó RuAnn Mark PAMELA Excelente 91, sua bisavó Excelente 91, sua tataravó Excelente 90, o semelhante surge do semelhante...

69 RuAnn Morty AGSTAR Touro que combina o MORTY com o STORM, continuando com o Blackstar-Chief Mark-Tony-Jewel- Bootmaker. Mais de 7 gerações de mães Excelentes e Úberes Excelentes. Tipo: 2,30 e 2,15 em úberes, com quase 2 pontos em patas. Recomendações: - Só em vacas (não bezerros). - Em vacas de isquiones nivelados. - Em vacas mais débeis e de patas ruins. - Ideal para aumentar leite e sólidos. Atualmente é muito usada no mundo inteiro a combinação do Morty com o Storm.


Carregar ppt "MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS DE LEITE. Unidade... – Melhoramento de Gado leiteiro - Introdução As vacas são criaturas capazes de produzir leite a."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google