A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dez anos sem Dr. Plínio de Mello. Em 24 de abril de 2003, perdemos a presença física do PATRONO DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS Em reconhecimento a uma.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dez anos sem Dr. Plínio de Mello. Em 24 de abril de 2003, perdemos a presença física do PATRONO DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS Em reconhecimento a uma."— Transcrição da apresentação:

1 Dez anos sem Dr. Plínio de Mello

2 Em 24 de abril de 2003, perdemos a presença física do PATRONO DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS Em reconhecimento a uma vida dedicada à causa do representante comercial, recordamos um pouco da trajetória de Plínio Affonso de Farias Mello: Natural de Alagoas, Dr. Plínio de Mello veio bem jovem para a então capital da República, Rio de Janeiro, indo residir no bairro do Catete. Formou-se bacharel em Direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF), em Seu primeiro emprego foi de revisor do Diário Oficial, com lotação no Departamento de Imprensa Nacional (DIN), tendo como colega de trabalho o saudoso José Motta Maia, membro da Associação Brasileira de Imprensa e jornalista responsável do informativo do Confere por muitos anos.

3 Dr. Plínio de Mello foi, também, advogado do Banco do Brasil, advogado da Liga do Comércio do Rio de Janeiro e da Federação dos Agentes Autônomos do Comércio do Estado do Rio de Janeiro. Destacou-se, ainda, como secretário-geral do Sindicato dos Representantes Comerciais da Guanabara, assim como no exercício de diversas outras funções não menos importantes. Naquela época, a atividade do representante comercial não era regulamentada e inúmeras eram as dificuldades enfrentadas pelos profissionais autônomos, que, após anos de dedicação às representadas para as quais trabalhavam, tinham seus serviços dispensados sem o direito de receberem qualquer importância a título de indenização. Realidade que sensibilizou, sobremaneira, ao Dr. Plínio de Mello que, não medindo esforços, buscou, incessantemente, a regulamentação da profissão, tão almejada pela categoria, sempre contando com a valiosa colaboração do Dr. Adalberto Renaux.

4 Finalmente, após muitas lutas, em 9 de dezembro de 1965, o presidente Humberto Castelo Branco sancionou a Lei n° 4.886, que regulamentou as atividades dos representantes comerciais, trazendo segurança aos profissionais, garantindo-lhes direitos até então inexistentes. Mas não parou por aí. O nosso ilustre patrono, em 1992, obteve do presidente da República, Fernando Collor, a alteração da Lei n° 4.886/65, através da Lei n° 8.420, de 8 de maio de 1992, introduzindo significativas mudanças em benefício da categoria dos representantes comerciais. Por isso, todos aqueles que exercem a Representação Comercial são gratos ao Dr. Plínio Affonso de Farias Mello, nosso grande patrono e expoente máximo do movimento que resultou no reconhecimento da profissão, hoje exercida com orgulho por milhares de profissionais em todo o País.

5 Dr. Plínio Affonso de Farias Mello faleceu no dia 24 de abril de Se a morte acaba com tudo, a memória traz de volta a vida. Herbert de Souza, Betinho (sociólogo e ativista dos direitos humanos)

6 Idealizador da Lei nº 4.886/65 e Patrono dos Representantes Comerciais Dr. Plínio Affonso de Farias Mello


Carregar ppt "Dez anos sem Dr. Plínio de Mello. Em 24 de abril de 2003, perdemos a presença física do PATRONO DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS Em reconhecimento a uma."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google