A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Belo Horizonte 20/09/12 Prof. Mario Neto Borges, PhD Presidente O PAPEL DAS FAPs NO APOIO AO FOMENTO DA EXTENSÃO DAS IES PARTICULARES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Belo Horizonte 20/09/12 Prof. Mario Neto Borges, PhD Presidente O PAPEL DAS FAPs NO APOIO AO FOMENTO DA EXTENSÃO DAS IES PARTICULARES."— Transcrição da apresentação:

1 Belo Horizonte 20/09/12 Prof. Mario Neto Borges, PhD Presidente O PAPEL DAS FAPs NO APOIO AO FOMENTO DA EXTENSÃO DAS IES PARTICULARES

2 INTRODUÇÃO O papel da FAPs – Quem somos. Contexto vigente (Desafios). A Importância da Extensão. Ações Inovadoras para Extensão.

3 O CONFAP FAPEAM FAPEMIG FAPES FAPERJ FAPESBFAPEMAT FAPESPA FAPESP ARAUCÁRIA FAPESC FAPERGS FAPERN FAPESQ FACEPE FAPEAL FAPITEC FUNDECT FAPEG FAPDF FAPEPI FAPEMA FAPAC FUNCAP FUNDAÇÃO TUMUCUMAQUE DADOS CONFAP FAPROFAPT Fundações de Amparo à Pesquisa 26 FAPs Instaladas: 2 FAP em Instalação 2 FAP em Criação INVESTIMENTOS R$ 2 bilhões/ano

4 VISÃO DO CONFAP Contexto: Extensão tem papel estratégico no desenvolvimento do País e as FAPs podem contribuir no avanço desta atividade. Iniciativa: Encontro com os Fóruns de Extensão (Públicas, Comunitárias e Particulares). Objetivo: Propor ações e estudos para transformar a extensão em um valor para a sociedade. Resultados: Editais e Pós-Graduação.

5 Investimentos em Educação. Prioridade para Ciência, Tecnologia e Inovação. Sistema Educacional e de CT&I robusto e articulado. A Extensão. DESAFIOS

6 Recursos Financeiros Estrutura Compatível Políticas Coerentes Legislação Moderna Fiscalização Adequada DESAFIOS

7 % PIB Fonte MCTI - ABDI PaísPrivadoPúblicoTotal Japão2,50,943,44 Coréia2,10.702,80 EUA1,80,882,68 China0,80,671,49 Rússia0,60,531,13 Brasil0,540,591,13 México0,23 0,46 INVESTIMENTO EM CT&I INDÚSTRIA E GOVERNO

8 Recursos Financeiros Estrutura Compatível Políticas Coerentes Legislação Moderna Fiscalização Adequada DESAFIOS

9 SISTEMA NACIONAL DE CT&I NO BRASIL CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos CONFAP – Conselho Nacional de Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa.

10 Recursos Financeiros Estrutura Compatível Políticas Coerentes Legislação Moderna Fiscalização Adequada DESAFIOS

11 ELOS DO DESENVOLVIMENTO PESQUISACONHECIMENTO PRODUTO

12 A DIFUSÃO PARA A SOCIEDADE RÁDIO FAPEMIG ONDAS DA CIÊNCIA TV FAPEMIG CIÊNCIA NO AR REVISTA TRIMESTRAL IMPRESSA E ELETRÔNICA

13 Recursos Financeiros Estrutura Compatível Políticas Coerentes Legislação Moderna Fiscalização Adequada DESAFIOS

14 BUROCRACIA ARCABOUÇO LEGAL FISCALIZAÇÃO - CONTROLE LEGISLAÇÃO CONTROLE AÇÕES DE CT&I DESAFIOS

15 CÓDIGO NACIONAL DE CT&I

16 NOVO MARCO LEGAL DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO CÓDIGO NACIONAL DE CT&I SENADO - PROJETO DE LEI Nº 619/2011 CÂMARA - PROJETO DE LEI Nº 2177/2011 SUBSTITUTIVO - MCTI

17 HISTÓRIA

18 Desenvolvimento Social e Econômico Sustentável Desenvolvimento Científico e Tecnológico e a Inovação Para e com a sociedade como um todo Papel da Extensão Universitária NOVOS OLHARES PREMISSAS

19 OBJETIVO GERAL Financiar projetos de extensão com interface com a pesquisa científica e tecnológica em Minas Gerais. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Fortalecer a ação transformadora da pesquisa sobre os problemas sociais. Estabelecer uma relação dialógica entre pesquisadores e sociedade. APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO

20 INVESTIMENTOS ANO VALOR EDITAL (R$) VALOR CONTRATADO TOTAL

21 PROJETOS ANO Número de Projetos Recebidos Número de Projetos Contratados TOTAL

22 ELEGIBILIDADE Propostas oriundas de instituições de pesquisa e desenvolvimento ou de ensino e pesquisa, sediadas no Estado de Minas Gerais. Caráter extensionista bem definido. Coordenador da proposta com as seguintes características: seja doutor; possua vínculo com a instituição proponente; tenha experiência compatível com o tema da Proposta de Extensão apresentada; demonstre qualidade e regularidade em sua produção científica e/ou tecnológica, nos últimos três anos.

23 QUALIFICAÇÃO PROJETO ESPECIALIZAÇÃO EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formação de profissionais e pesquisadores qualificados em projetos de extensão em Minas Gerais e no Brasil. Preparação para criação da Pós-Graduação stricto sensu na área. Investimento de R$ ,00.

24 CONCLUSÕES A Educação é base fundamental. A prioridade para a ciência, tecnologia e inovação é essencial. A extensão tem um papel estratégico nesse processo. O resultado dessas ações articuladas deve promover o desenvolvimento integral do País.

25 OBRIGADO


Carregar ppt "Belo Horizonte 20/09/12 Prof. Mario Neto Borges, PhD Presidente O PAPEL DAS FAPs NO APOIO AO FOMENTO DA EXTENSÃO DAS IES PARTICULARES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google